WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
cenoe
prefeitura de ilheus





setembro 2018
D S T Q Q S S
« ago    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  

editorias






:: ‘uefs’

ALUNOS CARENTES TERÃO NOVA CHANCE NO MAIS FUTURO, INSCRIÇÃO COMEÇA NA TERÇA

Inscrições no Mais Futuro começam na terça-feira

A Secretaria da Educação da Bahia publicou, neste sábado (30), um novo edital para inscrições para mais uma etapa do Mais Futuro. O programa de assistência estudantil oferece auxílio financeiro para alunos das universidades Estaduais de Feira de Santana (Uefs), de Santa Cruz (Uesc), do Sudoeste da Bahia (Uesb) e da Universidade do Estado da Bahia, (Uneb). Os beneficiados são estudantes em condições de vulnerabilidade socioeconômica, inscritos no CadÚnico.

Neste edital, as inscrições podem ser feitas por alunos novos, ainda não contemplados nas etapas anteriores, através do site maisfuturo.educacao.ba.gov.br, obedecendo ao seguinte cronograma: estudantes da Uesb e Uneb podem se inscrever de 3 a 13 de julho; e os alunos da Uefs e Uesc podem se inscrever de 7 a 17 de agosto.

Os interessados em participar desta etapa devem estar atentos para ter o registro atualizado no cadastro centralizado de programas sociais do Governo Federal (CadÚnico). Para fazer essa atualização é preciso ir até o setor responsável pelo CadÚnico ou pelo Bolsa Família na cidade em que mora.

O valor da bolsa é de R$ 300 para quem estuda a até 100 quilômetros de onde mora, ou de R$ 600 para os que vivem a uma distância maior, pois para estes há a necessidade de moradia temporária na cidade onde estuda. O estudante poderá receber o auxílio até completar dois terços do curso. No terço final da graduação, os beneficiários terão a opção e prioridade para ingressar em vagas de estágio de nível superior ofertadas por órgãos e secretarias do Governo do Estado.

:: LEIA MAIS »

INSCRIÇÕES PARA O ÚLTIMO VESTIBULAR DA UEFS SE ENCERRAM DIA 9; SÃO MIL VAGAS

Uefs realiza último vestibular. Ano que vem o ingresso será por meio do Sisu|| Carlos Augusto

Estão abertas as inscrições para o Processo Seletivo para Acesso ao Ensino Superior (Prosel 2018.2) da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs). O prazo se encerra dia 9 de abril, e a inscrição custa R$ 110. Este é o último vestibular realizado pela instituição devido à adesão pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu) a partir de 2019.

Nesta última edição, 1.007 vagas são disponibilizadas para 28 cursos, das quais 56 destinadas a membros de grupos indígenas e/ou quilombolas, incluindo a seleção anual para Medicina, Farmácia e Música. As provas serão aplicadas nos dias 10 e 11 de junho. Os inscritos poderão consultar os locais da realização do processo seletivo a partir de 29 de maio.

No primeiro dia de avaliação, os candidatos farão provas de Redação, Língua Estrangeira, Português, História e Geografia. Já no segundo, serão as questões de Matemática, Física, Química e Biologia. Para efetuar a inscrição e consultar o edital, o candidato deve acessar o site da Coordenação de Seleção e Admissão (CSA) da Uefs.

UEFS ABRE INSCRIÇÕES PARA VESTIBULAR 2018 COM VAGAS EM 25 CURSOS

UEFS abre inscrições para vestibular

UEFS abre inscrições para vestibular 2018|| Foto divulgação

Estão abertas as inscrições para o Processo Seletivo (Prosel) 2018.1 da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs). Os candidatos podem escolher entre 25 opções de cursos. As provas serão aplicadas nos dias 4 e 5 de fevereiro de 2018.

Desta vez, 921 vagas estão sendo oferecidas, sendo 50% reservadas para alunos egressos de escolas da Rede Pública (destas 80% são reservadas para os que se autodeclaram afro-descendentes) e 50 vagas para membros de comunidades indígenas ou quilombolas.

As inscrições serão realizadas, exclusivamente, pela internet através do Portal da Uefs, na área “Serviços”, opção “Prosel/Vestibular”. Outra alternativa é acessar, diretamente, a home page da Coordenação de Seleção e Admissão (CSA) da Uefs, clicando aqui. Quem não obtiver a isenção, pagará taxa de  R$ 110.

Os candidatos terão até o dia 10 novembro para se inscrever no Processo Seletivo. Já o pagamento da taxa de inscrição poderá ser feito até o dia 13 de novembro, em qualquer agência do Banco do Brasil.

ESTADO ANUNCIA R$ 50 MILHÕES EM PROGRAMA DE BOLSAS E ESTÁGIO PARA UNIVERSITÁRIOS

Alunos da Uesc podem concorrer a bolsa e estágio do programa   (Foto Robson Duarte).

Alunos da Uesc podem concorrer a bolsa e estágio do programa (Foto Robson Duarte).

O governo baiano anunciou R$ 50 milhões em investimentos em um programa de permanência voltado a estudantes das universidades estaduais, o Mais Futuro. Segundo o governador Rui Costa, o programa beneficiará até 9 mil estudantes com bolsas-permanência e estágio.

De acordo com ele, o auxílio financeiro visa auxiliar na continuidade dos estudos e evitar o abandono do curso superior por falta de condições de concluir a graduação. O Mais Futuro é uma remodelagem de programas de assistência estudantil já existente em universidades estaduais, como a Uesc, em Ilhéus.

O edital do programa foi lançado nesta terça (7) e os estudantes terão até 31 de março para fazer inscrições e concorrer às bolsas e estágio, por meio do site http://maisfuturo.educacao.ba.gov.br/, onde podem ser conferidos critérios do programa.

O auxílio será de R$ 300,00 ou R$ 600,00 ao mês. O primeiro valor é destinado a universitários que estudam a até 100 quilômetros da sua cidade de origem. Já o segundo, para aqueles que moram em cidades a mais de 100 quilômetros de distância do campus onde estão matriculados. Estando dentro do perfil do programa, o estudante poderá receber o auxílio desde o primeiro semestre até completar dois terços do curso. No terço final, o universitário pode concorrer a vagas de estágio na própria instituição.

UNIVERSIDADES ESTADUAIS BAIANAS PERDEM POSIÇÕES NO RANKING FOLHA

Uesc perdeu duas posições no ranking anual da Folha (Foto Robson Duarte).

Uesc perdeu duas posições no ranking anual da Folha (Foto Robson Duarte).

Apesar de leve melhora na nota, a Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) caiu duas posições no ranking universitário anual divulgado pela Folha. Era 63º em 2015 e ficou em 65º neste ano, embora a nota tenha saído de 53,91 para 56,68. Foi a menor queda dentre as quatro instituições de ensino superior estaduais.

O Ranking Universitário Folha (RUF) leva em conta desempenho nas áreas de ensino, pesquisa, inovação, internacionalização e mercado.

A Universidade Federal da Bahia (UFBA) se saiu melhor entre as universidades públicas e particulares na Bahia, na 14ª posição, com nota 86,94, ante a 15ª posição no ano passado (85,33). A escala vai de 0 a 100.

A Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) figura em 64ª posição, com 58,99, porém era 60ª no ano passado (56,36). A Universidade do Estado da Bahia (Uneb) aparece em 93ª colocação, nota 43,87. Era 81ª em 2015, com 45,34.

Das estaduais públicas, a pior colocada foi a Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb), com 41,69 e 104ª posição. Já em 2015, aparecia em posição melhor (79ª), com nota 47,45.

A Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) também caiu. De 107º (37,10) para 121º (36,33) agora.

MELHOR PARTICULAR DA BAHIA É 123ª

A melhor entre as particulares da Bahia é a Unifacs, figurando na 123ª posição com a nota 36,13, abaixo da obtida em 2015, quando alcançou o 103º lugar e a nota 38,05.

Com 25,58, a Católica (Salvador) é apenas a 159ª em 2016. Melhorou em relação ao ano passado, período em que figurou na 164ª colocação com nota 19,64. As demais não figuram na lista, que reúne 195 instituições de ensino superior públicas e privadas.

O ranking deste ano é liderado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), desbancando a Universidade de São Paulo (USP), com nota 97,46 contra 97,03.

AL-BA APROVA PROMOÇÃO DE DOCENTES DAS UNIVERSIDADES ESTADUAIS

Projeto de Lei aprovado garante promoção de docentes nas UEBAs (Foto Robson Duarte).

Projeto de Lei aprovado garante promoção de docentes nas UEBAs (Foto Robson Duarte).

A Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) aprovou, nesta terça-feira (15), o Projeto de Lei 21.420/2015, que trata da promoção dos professores nas universidades estaduais. A promoção foi um dos itens negociados pelo governo com os professores para encerrar a greve nas quatro instituições estaduais (Uesc, Uesb, Uneb e Uefs) em agosto.

O Governo do Estado assegurou recursos orçamentários para implementação das promoções, progressões e alterações de regime sem comprometer o orçamento de custeio e investimento das universidades.

O orçamento das universidades para 2015, segundo o governo baiano, já está garantido na sua integralidade, sem contingenciamento. Este orçamento representa um aumento de 10,3% em relação ao ano passado, totalizando R$ 1.126.500.

Agora, o projeto de lei segue para a sanção do governador Rui Costa. O prazo para sancioná-lo é 15 dias.

promoção docentes uebas

PROFESSORES DAS UNIVERSIDADES ESTADUAIS OCUPAM SECRETARIA DE EDUCAÇÃO

Professores ocuparam a sede da secretaria hoje pela manhã (Foto Divulgação).

Professores ocuparam a sede da secretaria hoje pela manhã (Foto Divulgação).

O prédio da Secretaria Estadual de Educação, em Salvador, foi ocupado, nesta manhã (15), por professores, estudantes e técnicos das quatro universidades estaduais baianas. Os docentes estão em greve há 62 dias e reivindicam maior orçamento para as universidades e fim de restrição à promoção de professores.

Desde o dia 13 de maio, são mais de 60 mil alunos sem aula nas universidades estaduais (Uesc, Uefs, Uesb e Uneb). Os docentes pedem autonomia orçamentária às universidades e que o orçamento das UEBAs corresponda a 7% das Receitas Líquidas de Impostos (RLI).

O governo estadual alega que, há mais de 40 dias, os professores não respondem à contraproposta para aumento de orçamento e promoção dos professores.

Uma audiência estava prevista para esta quarta, pela manhã, mas não ocorreu. A ocupação do prédio da Secretaria de Educação, no Centro Administrativo da Bahia (CAB), é or tempo indeterminado.

“TRANCAÇO”: PROFESSORES DA UESC BLOQUEIAM RODOVIA ILHÉUS-ITABUNA. GREVE JÁ DURA 56 DIAS

Professores bloquearam a Rodovia Ilhéus-Itabuna nesta manhã.

Professores bloquearam a Rodovia Ilhéus-Itabuna nesta manhã.

Os professores da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) bloquearam, nesta manhã de quinta (9), o trecho da Rodovia Ilhéus-Itabuna em frente ao campus Soane Nazaré de Andrade, no Salobrinho. Os docente estão em greve há 56 dias. A paralisação por tempo indeterminado também atinge a Uesb, Uefs e Uneb.

Manifestações também ocorrem em Eunápolis, Vitória da Conquista e Feira de Santana. A coordenação do movimento docente das universidades estaduais tem audiência nesta quinta (9) com representantes do governo para discutir contrapropostas, dentre elas o aumento do orçamento das universidades, de 5% para 7% das Receitas Líquidas de Impostos (RLI) do estado.

O aumento do orçamento é uma das reivindicações dos grevistas. Existem outros como a devolução da autonomia universitária, usurpada em 1997, cumprimento de direitos trabalhistas (promoções, progressões e mudanças de regime de trabalho) e a falta de cumprimento do plano de carreira da categoria. De acordo com os grevistas, o plano foi aprovado em 2012, mas não é cumprido pelos governos.

Professores e estudantes instalam barricada na rodovia.

Professores e estudantes instalam barricada na rodovia.

DIREC 7: TCE REPROVA CONTAS DE RITA DANTAS

Rita Dantas teve contas de 2012 reprovadas pelo TCE.

Rita Dantas teve contas de 2012 reprovadas pelo TCE.

O Tribunal de Contas do Estado da Bahia (TCE) desaprovou, em sessão plenária desta terça-feira (9), as contas da Diretoria Regional de Educação de Itabuna (Direc 7), gerida à época pela professora Rita Dantas. A ex-diretora foi multada em R$ 3 mil. A Direc foi extinta no início deste ano e transformada em Núcleo Regional de Educação.

As contas foram rejeitadas pelo TCE devido “à ocorrência de diversas e graves irregularidades no período de 30 de janeiro a 31 de dezembro de 2012”. Já as contas da Direc 7, referentes ao período de 1º a 29 de janeiro do mesmo ano, tendo como gestora Miralva Moitinho, foram aprovadas, seguindo-se as recomendações dos órgãos técnicos.

O plenário do TCE decidiu, também, encaminhar recomendações à atual gestão da Direc e à Secretaria Estadual de Educação para a adoção de providências que evitem repetir as irregularidades encontradas. Na mesma sessão, os conselheiros aprovaram com ressalvas as contas de administrador da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), referentes ao ano de 2013, tendo como responsável o então reitor José Carlos Barreto de Santana, que foi multado em R$ 1 mil.

PARALISAÇÃO NAS UNIVERSIDADES ESTADUAIS

Universidades estaduais têm dia de paralisação de docentes (Divulgação).

Universidades estaduais têm dia de paralisação de docentes (Divulgação).

Professores das quatro universidades estaduais baianas fazem, nesta quarta (8), paralisação de 24 horas. Em Salvador, o fórum de associações docentes promove atos na Governadoria e na Assembleia Legislativa. Os professores têm em pauta reivindicações como restituição da autonomia das universidades e aplicação de 7% das receitas líquidas de impostos no ensino superior.

A pauta mais controversa é a que aponta corte de R$ 20 milhões no orçamento das instituições. Os professores falam em corte, mas o governo estadual nega que tenha havido cortes.

Ainda segundo o governo, o orçamento para as universidades em 2015 é 3,8% superior ao do ano passado. Numa nota enviada aos veículos nesta manhã, a Secretaria Estadual de Educação informa que o orçamento para as universidades neste ano é R$ 1,1 bilhão.

PROFESSORES DAS UNIVERSIDADES ESTADUAIS PARAM

Paralisação afeta todas as universidades estaduais baianas.

Paralisação afeta todas as universidades estaduais baianas.

Os professores das universidades estaduais baianas aderiram ao Dia Nacional de Luta em Defesa das Instituições Estaduais e Municipais de Ensino Superior, nesta quarta (28). As aulas foram suspensas e haverá manifestações nesta manhã e à tarde na Assembleia Legislativa e na Secretaria Estadual de Educação, em Salvador.

Os docentes das universidades estaduais de Santa Cruz (Uesc), Sudoeste da Bahia (Uesb), de Feira (Uefs) e da Bahia (Uneb) cobram aumento de repasse de 5% para 7% das receitas líquidas do Estado. Também denunciam queda de R$ 12 milhões nos repasses de custeio das universidades.

Por meio de nota da Secretaria Estadual de Educação, o governo nega queda no repasse às universidades. Ainda em nota, a SEC sustenta que os repasses para as universidades dobraram nos últimos anos, saindo de R$ 460.726.000,00 em 2007 para uma previsão de R$ 1.021.537.000,00 em 2014.

PROFESSORES DE UNIVERSIDADES ESTADUAIS FAZEM NOVA PARALISAÇÃO

Professores fazem nova paralisação nesta quarta, 11 (Foto Adusc).

Professores fazem nova paralisação nesta quarta, 11 (Foto Adusc).

Do Correio

Mais de 60 mil estudantes não terão aula amanhã nas quatro universidades estaduais do estado. O motivo é a paralisação dos 2.679 professores das universidades estaduais da Bahia (Uneb), de Feira de Santana (Uesf), de Santa Cruz (Uesc) e do Sudoeste da Bahia (Uesb).

A categoria reivindica o aumento dos recursos estaduais destinados às universidades no próximo ano. A Secretaria estadual da Educação (SEC) afirmou que serão destinados R$ 903,4 milhões para as quatro instituições em 2014. “O valor representa um crescimento superior a 133% entre 2006 e 2013”, informou a SEC, em nota.

O recurso destinados às universidades estaduais é  definido pela Lei de Diretrizes Orçamentárias. Elaborada pelo governador, ela precisa ser aprovada na Assembleia Legislativa — a votação deve ocorrer este mês. A Associação de Docentes da Universidade de Feira de Santana informou que o valor representa um corte de “R$ 10 milhões para investimentos e custeio”.

Amanhã, às 10h, os professores farão uma aula pública em frente à Assembleia Legislativa e, depois, às 11h, vão participar de uma audiência pública promovida pela Comissão de Educação da Casa com o tema autonomia financeira e a vinculação de 7% da receita líquida de impostos.

PROFESSORES DA UESC PARAM NA QUINTA

Professores decidem paralisar atividades na quinta, 7 (Foto Divulgação).

Professores decidem paralisar atividades na quinta, 7 (Foto Divulgação).

Os professores da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) vão cruzar os braços nesta quinta-feira (7) em protesto contra o crise orçamentária enfrentada pelas universidades estaduais baianas (Uebas). A paralisação também atinge as universidades estaduais do Sudoeste (Uesb), de Feira de Santana (Uefs) e da Bahia (Uneb).

De acordo com a direção da Associação dos Docentes da Uesc (Adusc), o projeto de lei orçamentária de 2014 destina menos de 5% da Receita Líquida de Impostos (RLI) para as universidades.

Os docentes reivindicam o mínimo de 7% da RLI para as universidades. A Adusc aponta o baixo orçamento como uma das causas para falta de estrutura física, de professores e de técnicos nas universidades estaduais baianas.

De acordo com relatório da Adusc, analistas e técnicos universitários ainda não tiveram seu Plano de Carreira regulamentado. Na outra ponta, denuncia a associação, docentes continuam sendo desrespeitados sem a progressão e promoção na carreira acadêmica nem mudança no regime de trabalho.

As universidades estaduais da Bahia também paga um dos piores salários no comparativo com as demais estaduais do Nordeste brasileiro.

UEFS ABRE INSCRIÇÕES PARA VESTIBULAR

Encerra-se em 3 de maio o prazo para inscrição no vestibular da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs). A taxa cobrada é de R$ 90,00 e a inscrição deve ser feita somente pela internet, no site www.uefs.br.

São oferecidas 920 vagas em 25 cursos de graduação.  A previsão é de que as provas do vestibular de meio de ano sejam aplicadas no período de 14 a 16 de julho.

BAHIA TEM MAIS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR COM COTA

A Bahia é a unidade federada do Nordeste do País com o maior número de universidades públicas ou institutos federais de educação, ciência e tecnologia com vagas nos sistemas de cotas. Ao todo são nove instituições de ensino superior (IES) de acordo com a ONG Educafro que nesta terça-feira, 1º lançou estudo interativo abrangendo todos estados e o Distrito Federal.

Entre as estaduais, a Universidade Estadual da Bahia (Uneb) mantém, desde 2002, a reserva de 40% das cotas para estudantes afrodescendentes do ensino público. A Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) passou a reservar 50% a candidatos de escolas públicas e, dessas, 80% para negros mais vaga adicional em cada curso para indígena e quilombolas, a partir de 2005.

Em 2006, a Universidade Estadual de Santa Cruz  (Uesc) decidiu reservar 50% a candidatos do ensino médio público. Dessas, 70% para negros e duas vagas para índios ou quilombolas em cada curso. A partir de 2008, a Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb) iniciou a reserva de 50% para candidatos de escolas públicas, destes 70% para negros mais cota adicional para quilombolas, indígenas e pessoas com deficiência.

A Universidade Federal da Bahia (Ufba)  desde 2004 reserva de 45% para candidatos de ensino médio público, sendo 2% para indígenas, 37,5% para negros e 5,5% para outros candidatos de ensino médio público mais 2 vagas/curso para indígena e/ou quilombolas. Já a Universidade Federal do Recôncavo Baiano (UFBR), também mesmo ano, reserva de 45% para candidatos de ensino médio público, sendo 2% para indígenas, 37,5% para negros e 5,5% para outros candidatos de ensino médio público.

:: LEIA MAIS »

EXAME DA OAB: FACULDADES PÚBLICAS LIDERAM RANKING NA BAHIA; PIORES SÃO PRIVADAS

Direito da Uesc aparece em 5º quando incluídos formandos.

O resultado geral do Exame de Ordem Unificado da OAB revela que as melhores faculdades de Direito da Bahia são públicas e as piores estão na iniciativa privada. A partir do resultado divulgado pela OAB, o PIMENTA elaborou o ranking de acordo com o percentual de alunos e bacharéis aprovados no exame.

A Universidade Federal da Bahia (Ufba) lidera com 70,73%. A Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb) atingiu 53,33% e ficou com o segundo melhor desempenho também quando incluídos os formandos (9º e 10º semestres). Outra instituição pública vem em terceiro lugar: a Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), que aprovou 51,51% dos bacharéis e formandos no Exame de Ordem.

A Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) vem em quinto lugar (com aprovação de 44,11%), mas antecedida da Unifacs, de Salvador, que aprovou 46,26% dos participantes. A sexta posição pertence ao curso de Direito da Universidade Estadual da Bahia (Uneb).

Leia também:
UESC MELHORA DESEMPENHO COM INCLUSÃO DE FORMANDOS

Nove faculdades, todas particulares, não conseguiram aprovar um aluno ou bacharel sequer no Exame de Ordem, com destaque para as faculdades São Salvador, Apoio (FA) e Metropolitana de Camaçari (Famec). O curso de Direito da Faculdade de Ilhéus também teve aprovação zero.

RANKING BAIANO NO EXAME DA OAB
(Nº de participantes / Aprovados / % Aprovação)

1º) Universidade Federal da Bahia (Ufba) – 123 / 87 / 70,73%

2º) Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb) – 45 / 24 / 53,33%

3º) Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) – 33 / 17 / 51,51%

4º) Universidade Salvador (Unifacs) – 134 / 62 / 46,26%

5º)  Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) – 68 / 30 / 44,11%

6º) Universidade do Estado da Bahia (Uneb) – 112 / 44 / 39,28%

7º) Faculdade Ruy Barbosa – 177 / 56 / 31,63%

8º) Faculdade Maurício de Nassau/Salvador – 7 / 2 / 28,57%

9º) Universidade Católica do Salvador (Ucsal) – 668 / 186 / 27,84%

10º) Faculdade Baiana de Direito e Gestão – 15 / 4 / 26,66%

11º) Faculdade de Tecnologia Empresarial (FTE) – 4 / 1 / 25%

12º) Centro Universitário Jorge Amado (UNIJORGE) – 231 / 55 / 23,8%

13º) Faculdade AGES – 37 / 7 / 18,91%

14º) Faculdade Social da Bahia – 27 / 5 / 18,51%

15º) Faculdade do Sul (Facsul/Itabuna) – 6 / 1 / 16,66%

16º) Faculdade de Guanambi – 48 / 7 / 14,58%

17º) Faculdade Unime (Lauro de Freitas) – 275 / 41 / 14,9%

18º) Faculdade do Sul da Bahia (FASB) – 110 / 16 / 14,54%

19º) Faculdade Dom Pedro II – 43 / 6 / 13,95%

20º) Faculdade Dois de Julho (F2J) – 195 / 25 / 12,82%

21º) FTC Itabuna – 174 / 22 / 12,64%

22º) Faculdade Regional de Alagoinhas (Faral) – 8 / 1 / 12,5%

23º) UnisulBahia – 80 / 10 / 12,5%

24º) Universidade Salgado de Oliveira (Universo) – 113 / 14 / 12,38%

25º) Unyahna de Barreiras – 75 / 9 / 12%

26º) Faculdade Regional da Bahia (FARB)- 89 / 10 / 11,23%

27º) Faculdade Sete de Setembro – 9 / 1 / 11,11%

28º) Faculdade Anísio Teixeira de Feira de Santana (FAT) – 165 / 18 / 10,9%

29º) Faculdade Independente do Nordeste (Fainor) – 127 / 13 / 10,23%

30º) Centro Universitário da Bahia (FIB) – 362 / 36 / 9,94%

:: LEIA MAIS »

PROFESSORES DEFINEM RUMOS DA GREVE NAS UNIVERSIDADES BAIANAS

Professores de três das quatro universidades estaduais baianas terão assembleia nesta tarde de terça-feira (7) para definir se retornam ou não às salas de aula. O fim da greve dependerá da resposta do governo à contraproposta apresentada pelos docentes em encontro ocorrido ao final da tarde desta segunda (6) na Secretaria Estadual de Educação (SEC).

Os docentes querem que o governo defina como 8 de janeiro de 2013 a data de retomada das negociações salariais. Antes, governo, reitores e comando de greve acordaram o “congelamento” de salário até 2012.

A categoria também reivindica do governo o envio imediato de projeto de lei que incorpore a gratificação por Condições Especiais de Trabalho ao salário-base e quer assegurar a discussão do contingenciamento do orçamento estadual.

O governo promete responder às reivindicações até o início da tarde, momentos antes das assembleias da universidades estaduais de Santa Cruz (Uesc), Feira de Santana (Uefs) e Sudoeste da Bahia (Uesb), que estão há quase dois meses sem aulas. Somente os professores da Universidade Estadual da Bahia (Uneb) deixaram para decidir amanhã (quarta, 8).

GREVE NAS UNIVERSIDADES PODE ACABAR NA 3ª

O governo recuou e a greve dos professores das universidades estaduais baianas pode chegar ao fim nesta segunda (6), à tarde. Professores, reitores e governo sentam-se à mesa, na Secretaria de Educação, para discutir nova proposta, apresentada na última sexta (3).

O governo acena com a incorporação de gratificação por Condições Especiais de Trabalho (CET) em mais ou menos 51%, parcelados. As primeiras quatro parcelas de 8% seriam pagas em março e outubro de 2011 (com retroativo) e 2012.

O ponto que emperra as negociação é o veto a reajustes acima da inflação até o próximo ano, além da manutenção do decreto de contingenciamento de recursos em toda a esfera estadual – o que, no entendimento dos professores, afeta a autonomia universitária.

A proposta que sair da reunião de amanhã será votada em assembléia nas universidades na próxima terça (7).

QUE VERGONHA, GOVERNADOR!

Manu Berbert | manuelaberbert@yahoo.com.br

Escrevo como alguém que acompanha a frustração daqueles que traçaram metas na vida acadêmica e pessoal, e hoje se encontram sem rumo e sem salário.

Educação é a base de tudo. Não consigo encontrar uma outra forma de começar esse texto. Porque é a educação que norteia um indivíduo, uma família, uma cidade, um estado. Educação é, e deve ser, prioridade em qualquer governo sério. O grande problema é que as palavras seriedade e governabilidade não andam caminhando juntas na minha Bahia. E isso me deixa envergonhada.

Desde quando os professores das universidades públicas entraram em greve, venho lendo e acompanhando muita coisa: fatos, argumentos, dados, manifestações, corte de salário etc. O que me incomoda, sinceramente, é o silêncio do governador. É a arrogância velada de um homem que investiu milhões em propaganda para se reeleger, e agora é incapaz de aparecer dando uma explicação à população que acreditou nele. O que me incomoda é esse visível coronelismo tão criticado anos atrás, do qual nós acreditávamos estar livres.

Acho que o nobre governador não está honrando o cargo que exerce. Na cátedra do poder, parece ignorar a batalha daqueles precisam de uma formação superior para ser inseridos no mercado de trabalho. Parece desconhecer a luta daqueles que mantém aluguéis e demais despesas residenciais, na esperança de um retorno às atividades. Parece não saber que educação é o alicerce para a democracia e para o crescimento do estado que dirige.

Afasto-me de toda e qualquer regra jornalística para escrever esse artigo. Escrevo como alguém que observa milhares de jovens e adultos se humilhando por uma vaga naquelas salas de aula. Escrevo como alguém que acompanha a frustração daqueles que traçaram metas na vida acadêmica e pessoal, e hoje se encontram sem rumo e sem salário. Escrevo como alguém que está arrasada com a insolência do governante do próprio estado. Escrevo, acima de tudo, como cidadã, ciente dos meus direitos e dos seus deveres, governador! E, na minha humildade opinião, acredito que o senhor precisa saber o que é EDUCAÇÃO!

Manu Berbert é jornalista e colunista da Contudo.

JW PEDE FIM DA GREVE NAS UNIVERSIDADES

Wagner: fim de greve nas universidades.

Depois de alegar aumento de 81% no orçamento das universidades estaduais baianas, o governador Jaques Wagner voltou a pedir o fim da greve dos professores. A paralisação completará dois meses no início da próxima semana.

Os docentes exigem que o governo rediscuta a política de reajuste salarial para o quadriênio e revogue decreto que suspende contratações de professores e novos investimentos nas universidades estaduais. Para a categoria, o decreto afeta a autonomia universitária.

O governador diz que melhorou “muito as condições de trabalho nas universidades” e assegurou ganho real de 18% à categoria nas discussões de reajuste salarial para os próximos quatro anos. Os docentes, no entanto, alegam que o governo incluiu uma cláusula, de última hora, que promoveria o congelamento dos salários.

Ontem, o juiz da 8ª Vara da Fazenda Pública em Salvador, Mário Soares Caymmi Gomes, considerou ilegal a greve na Universidade Estadual da Bahia (Uneb) e determinou a imediata volta dos trabalhos aos professores, sob pena de multa diária de R$ 5 mil à Associação dos Docentes da Uneb (Aduneb).

A greve na Uneb é “abusiva”, segundo entendimento do magistrado. A decisão não atinge as demais universidades estaduais (Uesc-Ilhéus, Uesb-Vitória da Conquista, Itapetinga e Jequié, e Uefs-Feira de Santana). Desde ontem (31), docentes e estudantes universitários ocupam a Assembleia Legislativa baiana.

GREVE (LONGE DO FIM) NAS UNIVERSIDADES

Wagner: contingenciamento continua, companheiros.

O governador Jaques Wagner não parece disposto a ceder em relação à proposta dos professores de excluir as universidades do rol de atingidos pelo contingenciamento orçamentário de aproximadamente R$ 1,5 bilhão.

Wagner afirma que a medida não tem como foco apenas o ensino superior, mas todos os setores do governo. Ele disse que não vê argumento sólido, por parte dos professores, que justifique o fim do contingenciamento. Ou seja, a batata asssou e periga queimar…

CONGELAMENTO DE SALÁRIO
“Fizemos uma previsão de aumento real de 18% até 2014. Não é verdade que há congelamento.  A questão salarial foi negociada, inclusive negociada até 2014. Eu não posso dar uma perna além do alcance. Temos que administrar o orçamento com serenidade.”

DECRETO DE CONTINGENCIAMENTO
“O decreto não está voltado especificamente para as universidades, servidores. Estamos num ano mais apertado de orçamento. É normal fazer decreto de contingenciamento, pois temos limite de gasto em função da previsão de arrecadação menor. Estamos apertando cinto para todo mundo.”

SEM NOVAS OBRAS
“(O contingenciamento…) Não é específico para as universidade. Não estou iniciando novas obras. Estou concluindo obras iniciadas no ano passado. À medida que o orçamento for melhorando, retomamos. O próprio decreto prevê a possibilidade de discussões. O contingenciamento foi para todo mundo.”

ORÇAMENTO DAS UNIVERSIDADES
“Nesses quatro anos do nosso governo, incluindo o início de 2011, o orçamento das universidades foi ampliando em 81%. Tirada a inflação oficial, vai dar um aumento real entre 45%, 50% de aumento. Não é pouca coisa em período de economia estabilizada.”

unisa






WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia