unime

al-ba
agosto 2015
D S T Q Q S S
« jul    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  




:: ‘Uesc’

PROFESSORES DAS UNIVERSIDADES ESTADUAIS MANTÊM GREVE

Professores da Uesc em assembleia que decidiu pela continuidade da greve (Foto Adusc).

Professores da Uesc em assembleia que decidiu pela continuidade da greve (Foto Adusc).

Os docentes das quatro universidades estaduais baianas (Uesc, Uesb, Uefs e Uneb) rejeitaram a proposta de acordo definida entre representantes dos professores e do governo baiano, no último sábado (18). A decisão foi tomada em assembleias realizadas ao longo da tarde desta quinta (23). A greve nas universidades foi iniciada em 13 de maio e chegou hoje aos 70 dias.

Os professores querem garantias de que o governo cumprirá acordo discutido no último final de semana. O acordo prevê revogação da Lei 7176/97 (que retirou a autonomia universitária), promoção de professores e garantia de que não haverá mais corte no orçamento, dentre outros pontos da pauta.

Governo e professores sentam-se à mesa, novamente, nesta sexta (24). Nova assembleia está prevista para 30 de julho.

PROFESSORES DAS UNIVERSIDADES ESTADUAIS OCUPAM SECRETARIA DE EDUCAÇÃO

Professores ocuparam a sede da secretaria hoje pela manhã (Foto Divulgação).

Professores ocuparam a sede da secretaria hoje pela manhã (Foto Divulgação).

O prédio da Secretaria Estadual de Educação, em Salvador, foi ocupado, nesta manhã (15), por professores, estudantes e técnicos das quatro universidades estaduais baianas. Os docentes estão em greve há 62 dias e reivindicam maior orçamento para as universidades e fim de restrição à promoção de professores.

Desde o dia 13 de maio, são mais de 60 mil alunos sem aula nas universidades estaduais (Uesc, Uefs, Uesb e Uneb). Os docentes pedem autonomia orçamentária às universidades e que o orçamento das UEBAs corresponda a 7% das Receitas Líquidas de Impostos (RLI).

O governo estadual alega que, há mais de 40 dias, os professores não respondem à contraproposta para aumento de orçamento e promoção dos professores.

Uma audiência estava prevista para esta quarta, pela manhã, mas não ocorreu. A ocupação do prédio da Secretaria de Educação, no Centro Administrativo da Bahia (CAB), é or tempo indeterminado.

BANDIDOS FAZEM ARRASTÃO EM FRENTE À UESC

Arrastão ocorreu em frente ao campus da Uesc, na Rodovia Ilhéus-Itabuna (Foto Robson Duarte).

Arrastão ocorreu em frente ao campus da Uesc, na Rodovia Ilhéus-Itabuna (Foto Robson Duarte).

Um assalto ocorrido por volta das 10h de ontem, segunda (13), no ponto de ônibus de onde saem centenas de estudantes da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) para Itabuna, deixou a todos que dependem do transporte público preocupados. A universidade está situada no Salobrinho, na Rodovia Ilhéus-Itabuna.

Dois homens armados, usando uma moto, fizeram cerca de dez vítimas. Celulares, computadores, carteiras e relógios foram levados pela dupla, que fugiu sentido Ilhéus, segundo informações de pessoas que presenciaram o crime. A rota foi escolhida, talvez, de forma calculada: da universidade até o centro da cidade, não há sequer um posto policial.

Numa rede social, Lucimara Magalhães, estudante da Uesc e uma das vítimas, contou que todos os seus pertences foram levados. “Fui uma das vítimas do assalto de hoje pela manhã. Levaram tudo meu, minha bolsa, meu celular, todos os meus documentos e meu dinheiro. Pra voltar pra casa, eu pedi dinheiro e uma senhora pagou minha passagem”, contou ela.

Também na rede social, outros estudantes recomendavam cautela, principalmente à noite. A Uesc está em greve há dois meses, diminuindo o fluxo de pessoas no local, cenário propício aos mal intencionados.

A segurança, dentro do campus da Uesc, é feita por homens armados. Na guarita, localizada a 30 metros do local do assalto, ficam, em média, 5 vigilantes, o que não intimidou os assaltantes.

“TRANCAÇO”: PROFESSORES DA UESC BLOQUEIAM RODOVIA ILHÉUS-ITABUNA. GREVE JÁ DURA 56 DIAS

Professores bloquearam a Rodovia Ilhéus-Itabuna nesta manhã.

Professores bloquearam a Rodovia Ilhéus-Itabuna nesta manhã.

Os professores da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) bloquearam, nesta manhã de quinta (9), o trecho da Rodovia Ilhéus-Itabuna em frente ao campus Soane Nazaré de Andrade, no Salobrinho. Os docente estão em greve há 56 dias. A paralisação por tempo indeterminado também atinge a Uesb, Uefs e Uneb.

Manifestações também ocorrem em Eunápolis, Vitória da Conquista e Feira de Santana. A coordenação do movimento docente das universidades estaduais tem audiência nesta quinta (9) com representantes do governo para discutir contrapropostas, dentre elas o aumento do orçamento das universidades, de 5% para 7% das Receitas Líquidas de Impostos (RLI) do estado.

O aumento do orçamento é uma das reivindicações dos grevistas. Existem outros como a devolução da autonomia universitária, usurpada em 1997, cumprimento de direitos trabalhistas (promoções, progressões e mudanças de regime de trabalho) e a falta de cumprimento do plano de carreira da categoria. De acordo com os grevistas, o plano foi aprovado em 2012, mas não é cumprido pelos governos.

Professores e estudantes instalam barricada na rodovia.

Professores e estudantes instalam barricada na rodovia.

A SOCIEDADE NA UNIVERSIDADE

Naomar-de-AlmeidaNaomar Almeida | naomaralmeida@gmail.com

Vamos precisar do apoio de toda a sociedade sul-baiana para a realização desse complexo experimento de integração social territorial. Sabemos que experiências similares foram bem sucedidas em outros países, em outras regiões do Brasil,

O Conselho Estratégico Social (CES) é um órgão consultivo que tem a função de apreciar os planos de desenvolvimento institucional da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB). Faz parte do Colégio Eleitoral para a Reitoria e tem papel importante na eleição dos futuros reitores.

Contamos com participação de todos os segmentos da sociedade sul-baiana: universidades públicas (UESC em destaque), parceiros institucionais (Ceplac à frente), empresários (os CEOs das maiores empresas que atuam na região), as duas associações de Prefeitos da região (presentes os Presidentes da AMURC e da APES), representantes dos estudantes secundaristas (ABES e UBES presente), dos professores da educação básica, dos sindicatos, dos quilombolas, dos povos indígenas, dos movimentos sociais, das ONGs ecológicas.

Ao que sabemos, somos a primeira universidade brasileira a contar com tão relevante dispositivo de governança democrática, empoderado a ponto de participar do processo de escolha do dirigente máximo da instituição.

A posse dos conselheiros foi um evento marcante e as reuniões são momentos muito enriquecedores e participativos, coroando o dedicado trabalho de mobilização da Pró-Reitoria de Sustentabilidade e Integração Social (PROSIS). A equipe da Pró-Reitoria de Tecnologia de Informação e Comunicação (PROTIC) tem contribuído com impecável link webconf (que permite a presença virtual de quem se encontra em sítios remotos, como por exemplo o Conselheiro Walter Schalka, CEO da Suzano Celulose, desde São Paulo) e com o registro em vídeo de alta qualidade de todos os eventos. Nossos conselheiros sociais elogiam muito essa iniciativa e reconhecem sua legitimidade política como espaço de integração social. Joelson do MST, Tidinha, liderança do Quilombo de Helvécia, e o Cacique Aruã foram eleitos como representantes (titular e suplentes) do CES no Consuni da UFSB.

Aprovamos a realização do I Fórum Social da Região Sul da Bahia, no mês de setembro, em Porto Seguro. Grupos de Trabalho foram compostos para seu planejamento e organização, sob a liderança dos representantes empresariais e institucionais. Será um evento de grande porte.

Nossos conselheiros estimam que, das organizações e entidades por eles representadas e capilarizadas, devem comparecer entre 800 e 900 delegados. Vamos precisar do apoio de toda a sociedade sul-baiana para a realização desse complexo experimento de integração social territorial. Sabemos que experiências similares foram bem sucedidas em outros países, em outras regiões do Brasil, e que esta, com o apoio dos governos estadual e municipais, poderá ser estendida a outras regiões do Estado da Bahia. Faremos audiências públicas durante os encontros preparatórios do Fórum Social da UFSB: no Campus Jorge Amado, aqui em Itabuna, será em 24 de Julho, abrindo o calendário dos festejos do aniversário da cidade.

Muito tem se discutido sobre integração social da universidade, porém realizações concretas nesse sentido são limitadas: em geral cursos e atividades extra-muros chamadas de extensão como modelo de abertura da instituição de ensino superior à diversidade social e política. Nossa UFSB lida com essa importante questão de um modo mais radical.

Por um lado, através da Rede Anísio Teixeira de Colégios Universitários, capilariza no território seus cursos e programas de ensino. Em vez de obrigar a juventude da região a vir para dentro dos campi, levamos a Universidade aonde a juventude está, nos pequenos municípios, nas áreas de baixa renda, nos quilombos, aldeias e assentamentos.

Por outro lado, por meio do Conselho Estratégico Social e do Fórum Social, traz os diferentes setores e segmentos sociais para dentro da Universidade, empoderando-os efetivamente, visando a uma verdadeira e responsável participação da sociedade na governança institucional da instituição pública de ensino superior. Afinal, não é sempre que se encontra a sociedade na universidade.

Naomar Almeida Filho é reitor da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB).

GREVE NAS UNIVERSIDADES ESTADUAIS

Professores da Uesc entram em greve na quarta (13).

Professores da Uesc entram em greve na quarta (13).

Professores das quatro universidades estaduais baianas entrarão em greve na próxima quarta-feira (13) para forçar o governo a dialogar quanto a temas como autonomia universitária e maior orçamento para o ensino superior. A paralisação por tempo indeterminado foi aprovada em assembleias realizadas ontem (7).

Os docentes exigem, do estado, orçamento que equivalente a 7% das Receitas Líquidas de Impostos (RLI), hoje em 5,1%. Os professores afirmam que os cortes orçamentários nas universidades estaduais baianas (Uesc, Uesb, Uneb e Uefs) atingem R$ 19 milhões. O governo nega que tenha havido corte.

Outro ponto é a autonomia universitária, retirada em 1997, ainda no período carlista. A perda foi mantida nos governos Wagner e, agora, os docentes pressionam para que o estado derrube a lei. De acordo com as associações docentes, cortes em verbas de custeio atingem tanto a pesquisa como a extensão e, consequentemente, o ensino.

GOVERNO DIZ QUE ORÇAMENTO AUMENTOU 10%

O Governo do Estado emitiu nota em que fala em aumento de 10,3% no orçamento para as universidades estaduais neste ano, que, conforme as secretarias de Educação e Administração, saltou de R$ 1.021.537.000,00 para R$ 1.126.500.000,00. No período de 2007 a 2015, conforme o governo, o orçamento das instituições superiores estaduais saltou de R$ 460.726.000,00 para R$ 1.126.500.000,00.

“O Governo informa que não há possibilidade para o atual exercício de atender a reivindicação das Associações dos Docentes em destinar 7% da receita líquida do Estado para as universidades. No entanto, atende as outras reivindicações do movimento, como as promoções e progressões dos docentes e a contratação de professores substitutos”.

“A CONTRAPARTIDA” RETRATA ESTADUALIZAÇÃO DA UESC

Visão panorâmica do campus Soane Nazaré de AndradeUesc (Foto José Nazal).

Visão panorâmica do campus Soane Nazaré de AndradeUesc (Foto José Nazal).

Personagens, fatos e versões do processo de estadualização da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) são resgatados em um documentário produzido pela jornalista Mariana Ferreira. A contrapartida traz revelações como a forma de escolha do professor Altamirando Marques para o cargo de reitor, após a renúncia de Aurélio Macêdo.

O documentário está disponível no Youtube e também aborda a economia sul-baiana nas décadas de 70 e 80 na leitura de personagens como José Adervan, do Jornal Agora, e o ex-secretário de Governo de Itabuna Moacir Smith Lima. Ambos apontam as causas do declínio da economia regional.

Estudantes da Uesc à época, Wenceslau Júnior e Rosivaldo Pinheiro falam da estratégia regional que levou à estadualização. O ex-reitor Aurélio Macedo ainda fala de como era o diálogo com o governador à época, Waldir Pires, e do sonho (que não se efetivou) de federalização da então Fespi. Confira o documentário.

PARALISAÇÃO NAS UNIVERSIDADES ESTADUAIS

Universidades estaduais têm dia de paralisação de docentes (Divulgação).

Universidades estaduais têm dia de paralisação de docentes (Divulgação).

Professores das quatro universidades estaduais baianas fazem, nesta quarta (8), paralisação de 24 horas. Em Salvador, o fórum de associações docentes promove atos na Governadoria e na Assembleia Legislativa. Os professores têm em pauta reivindicações como restituição da autonomia das universidades e aplicação de 7% das receitas líquidas de impostos no ensino superior.

A pauta mais controversa é a que aponta corte de R$ 20 milhões no orçamento das instituições. Os professores falam em corte, mas o governo estadual nega que tenha havido cortes.

Ainda segundo o governo, o orçamento para as universidades em 2015 é 3,8% superior ao do ano passado. Numa nota enviada aos veículos nesta manhã, a Secretaria Estadual de Educação informa que o orçamento para as universidades neste ano é R$ 1,1 bilhão.

PROFESSOR DA UESC É BALEADO EM ILHÉUS

Professor foi baleado em assalto.

Professor foi baleado em assalto.

O professor Paulo Sávio, da área de computação da Uesc (Universidade Estadual de Santa Cruz), foi assaltado por volta das 19h de ontem (26), na Sapetinga, bairro da zona sul de Ilhéus.

O assaltante fez um disparo de arma de fogo, que atingiu o maxilar do docente. Com o impacto, Sávio perdeu alguns dentes e foi levado para o Hospital Regional.

Após uma pequena cirurgia, ele foi encaminhado ao Hospital Calixto Midlej, em Itabuna, onde concluirá o tratamento. Segundo informações de funcionário do Regional de Ilhéus, o estado de saúde do professor é estável. Informações do Blog de Ilhéus.

PESQUISADORES DA UESC FIGURAM ENTRE OS MAIS CITADOS NO GOOGLE SCHOLAR

Jaques e Henri

Jaques Delabie e Henri Pierre aparecem na lista dos mais citados do GS (Montagem Pimenta).

O Webometrics Ranking of World Universities publicou uma lista com o nome de cientistas de instituições brasileiras mais citados pelo Google Scholar (GS), em várias áreas do conhecimento. Entre estes, dois pesquisadores da Universidade Estadual de Santa Cruz – UESC  estão entre os brasileiros mais citados no Google Scholar. Os professores Jacques Hubert Charles Delabie (Departamento de Ciências Agrárias e Ambientais -DCAA/UESC) e Henri Michel Pierre Plana (Departamento de Ciências Exatas e Tecnológicas (DCET/UESC).

O GS é um grande banco livre de dados bibliográficos, em que os pesquisadores podem criar seus perfis e divulgar seus trabalhos, artigos e demais publicações. Por meio desta ferramenta, é possível identificar quantas vezes os artigos incluídos foram citados.

No ranking deste ano, entre os 3000 brasileiros mais citados no Google Scholar, constam 31 pesquisadores de instituições baianas, sendo 24 da Universidade Federal da Bahia (UFBA), 4 da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), 2 da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC) e 1 da Universidade Federal do Oeste da Bahia (UFOB). Dentre eles, está o diretor-geral da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (Fapesb), Eduardo Almeida, e vários pesquisadores apoiados pela Fundação.

CONFIRA A LISTA COMPLETA DO GOOGLE SCHOLAR

Confira os nomes dos 31 pesquisadores baianos citados na lista e suas posições no ranking no “leia mais”.

:: LEIA MAIS »

ALUNOS DA UESC COBRAM RESULTADO DA SELEÇÃO DE AUXÍLIOS ESTUDANTIS

Universidade atrasa divulgação de auxílio estudantil (Divulgação).

Universidade atrasa divulgação de auxílio estudantil (Divulgação).

Marcos Paulo Pinheiro

A Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) atrasou a divulgação do resultado preliminar dos auxílios permanência e moradia, prejudicando centenas de alunos. O auxílio é concedido, pelo Governo do Estado, a universitários de baixa renda.

Para participar do programa, o aluno deve está matriculado na universidade, e possuir renda de até um salário mínimo por membro da família. Na Uesc, são concedidos 1000 auxílios permanência, no valor de R$ 320,00, e 80 auxílios moradia, no valor de R$ 245,00.

A seleção para concorrer ao benefício ocorreu no início deste mês e até o momento nenhum resultado. O atraso prejudica inúmeras pessoas que dependem desse benefício para arcar com despesas como transporte, alimentação e gastos com fotocópias.

A coordenadora da Assistência Estudantil (Assest) da Uesc, Márcia Azevedo, informou que, devido ao número muito grande de inscritos, a comissão ainda está em processo de apuração dos documentos, trabalhando inclusive aos fins de semana para poder agilizar ao máximo a divulgação dos resultados.

Segundo Márcia não consta no edital um prazo estipulado para a divulgação do resultado, e que mesmo que já tivesse sido divulgado, o montante referente ao mês de Março ainda não estaria disponível, pois o governo não paga a parcela do beneficio antecipadamente, aguardando o fechamento do mês para poder fazer o faturamento.

Márcia ainda informou que a previsão para a divulgação do resultado é até o dia 30.  Os alunos devem acompanhar o resultado pelo site oficial da universidade.

PROFESSORES DA UESC FAZEM PARALISAÇÃO E APROVAM ESTADO DE GREVE

Professores da Uesc aprovam estado de greve.

Professores da Uesc aprovam estado de greve.

Os professores da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) aprovaram ontem (25) estado de greve em assembleia encerrada à tarde. Os docentes seguem decisão semelhante tomada pelos colegas das demais universidades estaduais de Feira de Santana (Uefs) e do Sudoeste da Bahia (Uesb). Haverá, também, paralisação das atividades, por 24 horas, em 8 de abril em todas as universidades, incluindo a Uneb.

A direção da Associação dos Docentes da Uesc (Adusc) informou que, dia 8, será lançado o Comitê Estadual em Defesa da Educação Pública e protesto na Secretaria Estadual de Educação e na Assembleia Legislativa, em Salvador.

Os docentes tanto da Uesc como das outras três universidades estaduais baianas reivindicam a revogação da Lei 7.176/97, que retira a autonomia das instituições de ensino superior, destinação de 7% das receitas líquidas de impostos para a educação superior, contratação de professores e respeito a direitos trabalhistas, além de suspensão do corte de R$ 20 milhões do orçamento das universidades baianas. Outro ponto importante que consta da pauta é a reposição salarial em parcela única.

Os professores reclamam que, até o momento, o governo estadual não abriu diálogo para negociações destes pontos. Com a aprovação do estado de greve, uma paralisação por tempo indeterminado pode ocorrer já em abril. A decisão dependerá de como o governo reagirá à pauta.

SOSSEGA, DRAGÃO…

dragão inflação

O monstrinho da inflação despertou com força em fevereiro nas prateleiras dos supermercados e feiras livres de Itabuna, segundo pesquisa do curso de Economia da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc).

Enquanto em Ilhéus o custo da cesta básica teve alta de 1,46% (saiu de R$ 237,56 para R$ 241,03) na comparação com janeiro, em Itabuna a maquininha remarcadora operou sem parcimônia. Por aqui, a elevação foi 12,47%, saltando de R$ 246,36 para R$ 277,07.

Os vilões do mês foram o tomate (alta de 23,18%), banana (21,12%) e carne (18,06%).

 

DE OLHO NAS BOLSAS-PERMANÊNCIA

UescEstudantes da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) preparam uma “varredura” na concessão de auxílios permanência e moradia. Os benefícios devem ser concedidos a quem possui renda familiar per capita de até um salário mínimo, mas há casos suspeitos de privilégio por parte da instituição.

Ano passado, a comissão que concede o auxílio negou a uma estudante o auxílio a uma estudante que a família possui renda inferior a um salário mínimo. Ao questionar a comissão, a estudante ouviu que era impossível “viver com um salário mínimo”. Se tivesse investigado a situação da estudante, veria o esforço da família.

 

VOLTA POR CIMA

Curso da Uesc conseguiu boa média de aprovação em residências médicas.

Curso da Uesc conseguiu boa média de aprovação em residências médicas.

Acadêmicos de Medicina da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) tiveram o que comemorar, após alunos adotarem tática que prejudicou o curso no último Enade, obtendo média 2.

De uma turma de 40 alunos, 34 foram aprovados em processos seletivos de residências médicas em todo o país, segundo o Centro Acadêmico de Medicina. Veja a relação de aprovados abaixo, no “leia mais”.

:: LEIA MAIS »

REITORA COBRA DO DNIT NOVA LOMBADA EM FRENTE À UESC

Adélia pede redutor de velocidade em frente ao campus da Uesc.

Adélia pede redutor de velocidade em frente ao campus da Uesc.

A reitora da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), Adélia Pinheiro, cobrou ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), por meio de ofício, a reconstrução da lombada que foi retirada em frente ao campus Professor Soane Nazaré de Andrade, na Rodovia Ilhéus-Itabuna.

Das 14 lombadas instaladas na rodovia, enfatiza Adélia, o Dnit só retirou a que estava localizado em frente ao campus da Uesc, no bairro de Salobrinho. Alunos, professores, servidores, idosos, crianças e portadores de necessidades especiais cruzam a rodovia Jorge Amado para pegar o transporte público e fazer refeições nos estabelecimentos locais.

A comunidade acadêmica da Uesc tem um contingente de mais de 11 mil pessoas que trafegam diariamente no local. A lombada foi instalada com o objetivo de reduzir a velocidade de um fluxo intenso de veículos que trafegam pela rodovia, em resposta aos graves acidentes com vítimas.

A lombada foi retirada e em seu lugar foi instalado um “pardal”, que, avalia a reitora, não protege os alunos, servidores, professores e transeuntes em geral que atravessam a rodovia para chegar à Uesc ou para pegar o transporte público do outro lado da rodovia.

PRAZO DE INSCRIÇÃO NO SISU TERMINA HOJE

UFSB oferece 360 vagas pelo Sisu neste semestre (Foto Gabriel Oliveira).

UFSB oferece 360 vagas pelo Sisu neste semestre (Foto Gabriel Oliveira).

Termina às 23h59min (horário de Brasília) desta quinta (22) o prazo de inscrição no Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Podem concorrer às mais de 205 mil vagas em cursos superiores e técnicos estudantes que fizeram o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) do ano passado e não zeraram a redação.

Somente no eixo Ilhéus-Itabuna são quase duas mil vagas nas universidades Estadual de Santa Cruz (Uesc) e Federal do Sul da Bahia (UFSB). As notas de corte podem ser conferidas no site do Sisu (sisu.mec.gov.br). São mais de 1,6 mil vagas na Uesc e 360 na UFSB.

UESC FORMA NOVOS QUÍMICOS

Sayonara Lima é nova bacharel em Química.

Sayonara Lima está entre novos bacharéis em Química formados pela Uesc.

A Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) formou ontem (15) novos bacharéis em Química. A solenidade de colação de grau ocorreu no auditório central do campus Soane Nazaré, na Rodovia Ilhéus-Itabuna. Além de novos bacharéis em química, houve colação de grau de formandos dos cursos de Física, Ciências da Computação e Engenharia de Produção.

CURSO DE MEDICINA DA UESC OBTÉM NOTA 2 NO ENADE E PODE SER SUSPENSO

Curso da Uesc obtém conceito 2 no Enade.

Curso da Uesc obtém conceito 2 no Enade.

Do Blog de Ilhéus

O curso de medicina da Universidade Estadual de Santa Cruz pode ser suspenso caso repita no próximo Enade o resultado ruim obtido no índice do Conceito Preliminar de Curso (CPC) de 2013, elaborado pelo MEC e divulgado nesta quarta (17). A faculdade foi reprovada com nota 2, assim como o curso da FTC de Salvador.

Ao todo, 154 cursos foram avaliados em todo o Brasil através do Enade. Destes, 17,5% foram reprovados por tiraram uma nota inferior a 3 na escala de números da avaliação, que vai de 1 a 5.

Nenhum curso obteve a nota máxima. Todas as instituições que tiveram o conceito considerado “insatisfatório”tiraram nota 2. Os cursos que forem reprovados duas vezes consecutivas, com notas 1 ou 2, têm os vestibulares suspensos.

A composição da nota tem três pesos: 55% corresponde ao desempenho dos estudantes concluintes do curso no Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade), 30% equivale à titulação dos professores e ao seu regime laboral, e 15% da nota é composta dos índices de infraestrutura e organização didático-pedagógica da instituição.

SINDICÂNCIA NA UESC APURA “CASO NÁTALI”

Uma comissão de sindicância foi formada para investigar denúncia da estudante Nátali Mendes contra o professor André Rosa, da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc). A reitora da Uesc, Adélia Pinheiro, designou os professores Wilma Vivas, Zeneide Silva e Álvaro Vinícius Coelho para apurar a denúncia classificada como machismo praticado pelo professor contra Nátali.

A estudante diz ter sido constrangida pelo professor, publicamente, em um evento do núcleo Kawé de Estudos Afro-Baianos Regionais, em 5 de novembro, ao ser cantada e segurada pelo braço. O caso teve ampla repercussão no meio acadêmico e na imprensa (relembre aqui).

A comissão de sindicância tem até dia 28 para concluir a investigação.