WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
festival chocolate


alba










julho 2019
D S T Q Q S S
« jun    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

editorias






:: ‘Ufsulba’

SEDE DA UFSULBA SERÁ EM ITABUNA, DIZ WAGNER

Wagner: sede da Ufsulba em Itabuna.

A edição desta semana do programa Conversa com o Governador antecipa que a sede administrativa (reitoria) da Universidade Federal do Sul da Bahia (Ufsulba ou Unisulba) será mesmo em Itabuna.

De acordo com o governo baiano, a universidade federal do “Oeste terá sede em Barreiras e campi em Luís Eduardo Magalhães e Bom Jesus da Lapa e, a segunda [Ufsulba], com sede em Itabuna e campi em Porto Seguro e Teixeira de Freitas”.

No programa, Wagner ressalta a expansão do ensino superior federal no estado. “Dilma está fazendo justiça com a Bahia, que tinha um número de escolas de nível superior do governo federal, muito aquém do que a nossa população precisa e muito aquém do que a Bahia merece”.

A presidente Dilma Rousseff anunciará as quatro novas universidades federais brasileiras, duas delas na Bahia. Nos bastidores, políticos baianos davam como certo a sede da Ufsulba em Itabuna devido ao forte apoio da bancada federal. Mas não se posicionaram temendo “puxão de orelha” da presidente.

A UNIVERSIDADE E O GANSO

Vale o esforço, a intenção, mas o anúncio institucional (filme, diriam os publicitários) de clubes de serviço conclamando políticos, empresários e sociedade a reivindicar a reitoria da Ufsulba ou Unisulba (Universidade Federal do Sul da Bahia) soou forçado. Veiculado nas tevês locais, lembra aquela velha história dos gansinhos unidos. O problema é que texto, imagens e voz não estão, digamos, harmônicos. Culpa da correria necessária para pressionar a fim de que o sul da Bahia seja (fosse) ouvido.

Quanto à universidade, o anúncio de criação será feito nesta terça (16) pela presidente Dilma Rousseff, acompanhada pelo governador Jaques Wagner.

 

UMA QUESTÃO DE JUSTIÇA

Gerson Menezes | publixcriativo1987@hotmail.com

Geraldo via a conquista desse empreendimento como sendo a educação de nível universitário a principal conquista e da consolidação das vocações de Itabuna.

A criação da Universidade Federal do Sul da Bahia (Ufsulba) é uma dessas paternidades assumidas por muitos que mal conheciam ou tiveram qualquer relacionamento com a “ideia-mãe”.

Ao ser feito o anúncio da decisão do Ministério da Educação, sobre a criação de mais duas universidades federais na Bahia – uma no Oeste, com sede em Luís Eduardo Magalhães, e outra no Sul da Bahia, com sede na cidade histórica de Porto Seguro ou Itabuna, omitiram que o verdadeiro “pai” da ideia foi o deputado federal Geraldo Simões.

Em 2002, a pedido de Geraldo, quando era prefeito de Itabuna, o então candidato a presidente, Luiz Inácio Lula da Silva, se comprometeu publicamente em criar a Ufsulba, reconhecendo a dívida que o governo federal tinha com a Bahia, que só dispunha de uma universidade federal, a UFBA, em Salvador.

No seu pedido a Lula, Geraldo via a conquista desse empreendimento como sendo a educação de nível universitário a principal conquista e da consolidação das vocações de Itabuna, ao lado do comércio; da medicina e da prestação de serviços.

A vitória agora anunciada com a decisão do MEC em implantar a Universidade Federal do Sul da Bahia, foi fruto, mais uma vez, da luta silenciosa do deputado Geraldo Simões, ao solicitar ao deputado Nelson Pellegrino, líder da bancada baiana no Congresso Nacional, a reunião realizada no MEC, que contou com a presença de 22 deputados baianos em apoio à medida.

Vinte e um deputados presentes apoiaram o pleito de Geraldo para que a sede (Reitoria) seja instalada no campus de Itabuna ao invés de Porto Seguro, como havia sido definido pelo MEC, apenas levando em conta a questão histórica, ligada ao Descobrimento do Brasil.

Quando for concretizada, a luta iniciada por Geraldo deverá ser vista e considerada como o maior presente recebido por Itabuna, pelo seu centenário. Representará verdadeiramente a consolidação de Itabuna, como polo estadual e regional de educação universitária, abrindo as portas para a criação de um novo polo de desenvolvimento de excelência.

Gerson Menezes é publicitário.

DEPUTADOS PRESSIONAM MEC PELA CRIAÇÃO DA UFSULBA

Representantes da bancada federal baiana tiveram audiência, hoje, com o secretário de Educação Superior (Sesu), Luiz Cláudio Costa, Ministério da Educação. Na pauta, a criação da Universidade Federal do Sul da Bahia (Ufsulba).

O governo federal está convencido da necessidade da universidade federal na região, tendo campi nas cidades de Itabuna, Teixeira de Freitas e Porto Seguro, sendo esta última a sede (reitoria) da Ufsulba, segundo a deputada federal Alice Portugal (PCdoB). A mobilização é para que a Ufsulba seja anunciada ainda neste ano, provavelmente na próxima terça (16)

Alice Portugal diz que gestões foram feitas para que a reitoria seja em Itabuna e não em Porto Seguro. A bancada federal, liderada pelo deputado Nelson Pelegrino, acrescentou, além de ter Itabuna como sede, a necessidade de campus em Eunápolis.

O vereador Wenceslau Júnior acredita no esforço regional pela criação da Ufsulba ainda neste ano. “Teremos também de nos mobilizar para que a reitoria seja em Itabuna, até pelo seu histórico e liderança regional”, acrescentou. Os estudos do MEC apontavam a reitoria em Porto Seguro. A pressão inicial dos parlamentares levou a Secretaria de Educação Superior (Sesu) a reavaliar o caso.

MUDOU A DATA

Os organizadores da sessão especial que irá debater a proposta de criação de uma universidade federal no sul da Bahia alteraram a data do evento, que inicialmente foi marcado para 14 de agosto, que é domingo e Dia dos Pais.

A sessão será realizada no auditório da FTC, em Itabuna, às 8h30min do dia 15.

Atualizado às 12h12min do dia 06.08.11

EM PLENO DIA DOS PAIS


É sem dúvida da maior importância a luta pela implantação de uma universidade federal no sul da Bahia, mas faltou um mínimo de bom senso para quem agendou uma sessão especial com a finalidade de debater o tema em Itabuna para as 8 horas da manhã do dia 14 de agosto. Que é um domingo! E dia dos pais!

Está aí uma sessão que corre o sério risco de ser cancelada por falta de quorum…

RETORNA O DEBATE SOBRE A UFSULBA

Durante o governo Lula, foram criadas 14 novas universidades federais no Brasil, uma expansão que compensou o total abandono do ensino superior federal verificado na gestão tucana. E o crescimento deve continuar com Dilma Rousseff na presidência.

A Bahia, por exemplo, deverá receber mais duas universidades federais e é praticamente certo que uma delas irá para a região oeste. Uma forma de contemplar os municípios do chamado Além São Francisco, que vivem se queixando de isolamento, a ponto de se fomentar um movimento separatista naquela porção do território baiano.

Resta saber para onde irá a outra universidade.

Deputado eleito, o petista Josias Gomes acredita que chegou a hora de retomar o debate sobre a Universidade Federal do Sul da Bahia, que esfriou desde fevereiro, quando o vereador itabunense Wenceslau Júnior (PCdoB) chegou a tratar do tema com a então presidenciável Dilma.

Gomes quer aproveitar tudo o que já foi discutido, levantar o resultado das audiências públicas realizadas em diversos municípios sul-baianos e voltar à tona com força total. Uma das ideias defendidas pelo deputado eleito é a de que a Ufsulba poderia ter campus em municípios estrategicamente escolhidos no sul e extremo-sul, porém com sede em Itabuna.

O petista quer agendar audiência para breve com o ministro da Educação, com o objetivo de colocar a Ufsulba na agenda do governo.

UFSULBA

Lideranças sindicais ligadas à Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) querem aproveitar a presença do presidente Lula em Itabuna, nesta sexta-feira (26), para engrossar o movimento pela Universidade Federal da Bahia.

O “grito” será amanhã, mas a turma já fez um aquecimento nesta quinta-feira, com manifestações na Praça Adami, centro da cidade.

O CAVALO ESTÁ PASSANDO SELADO!

Wenceslau Jr.

Durante cerca de 30 anos a região cacaueira amargou uma longa crise que desenhou o atual e cruel retrato dos nossos municípios. A derrocada da monocultura do cacau expulsou milhares de pessoas do campo, inchou a periferia das cidades e esvaziou economicamente uma boa parte dos pequenos e médios  municípios  do Sul da Bahia.

Crescimento desordenado, altos índices de analfabetismo, desemprego, fome, miséria, moradias precárias e saneamento zero são marcas do processo de migração do campo para as cidades ocorrido, principalmente, durante os últimos trinta anos.

Os crescentes índices de violência têm raízes históricas no empobrecimento econômico, bem como no fosso social que foi fruto de uma lógica de concentração de renda e poder predominantemente da era de ouro do cacau, que tem como expressão política o coronelismo.

Embora alguns argumentos insistam em torcer contra o sucesso dos investimentos que estão sendo implementados pelos governos Lula e Wagner, nos parece irreversível o processo de mudanças econômicas em curso no Sul do Estado.

Mesmo com os agouros daqueles que diziam que era “promessa eleitoreira”, o Gás Natural já é uma realidade.  O Porto Sul, juntamente com a Ferrovia Leste-Oeste, a ZPE e o Aeroporto Internacional, com certeza também serão realidade. Só resta debatermos com responsabilidade qual a melhor forma de implantarmos tais projetos com o mínimo de agressão ao meio ambiente, utilizando medidas mitigadoras e compensações ambientais capazes de reduzir tais impactos.

Por outro lado, temos que cuidar para que o desenvolvimento econômico propiciado por estas obras estruturantes desenvolva uma relação econômica que distribua renda, reduzindo as desigualdades sociais e propiciando qualidade de vida para a maioria das pessoas que aqui moram.

__________

“Participe do esforço de coleta de assinaturas em defesa da Ufsulba”.

__________

Está posto o desafio para os municípios. Mais do que nunca é necessário planejamento, investimento em qualificação e requalificação urbanística. É imprescindível investir em saneamento básico, ampliação do abastecimento de água potável, políticas habitacionais, melhoria do trânsito, transportes coletivos, serviços de saúde, educação, assistência social, cultura, esporte, lazer. Enfim, o momento é propício, principalmente para Itabuna, que completa 100 anos de emancipação política.

O futuro está sendo construído no presente. Porém, precisamos assegurar a continuidade do projeto iniciado pelo Governo Lula, juntamente com a democrática reconstrução da Bahia, comandada por Wagner. Além do mais, é fundamental repensarmos do ponto de vista quantitativo e qualitativo a nossa representação parlamentar na Assembléia Legislativa, como forma de assegurar que tais avanços sejam sustentados ao longo do tempo, sobretudo investindo em educação, ciência e tecnologia.

É por isso que insisto em bandeiras como o fortalecimento da Uesc, democratização dos debates sobre o perfil do nosso Ifet e, principalmente, a criação da Universidade Federal do Sul da Bahia (Ufsulba) para que possamos desenvolver na região um grande parque de desenvolvimento tecnológico.

Dia 26 de Março teremos a visita de Lula, Dilma e Wagner à nossa região. Participe do esforço de coleta de assinaturas em defesa da UFSULBA. Não vamos deixar o cavalo passar selado pela nossa frente.

Wenceslau Jr. é vereador, professor universitário é presidente do PCdoB de Itabuna.

WENCESLAU FALA DE UFSULBA COM DILMA

Wenceslau fala de Ufsulba para Dilma.

Wenceslau e Dilma Rousseff.

O cururu Wenceslau Júnior não perdeu as esperanças de fazer decolar o projeto de instalação da Universidade Federal do Sul da Bahia (Ufsulba).

O vereador assegura ter conversado sobre a iniciativa com a ministra da Casa Civil, Dilma Roussef, pré-candidata a presidenta do Brasil. Para Wenceslau, já passou da hora do sul da Bahia contar com uma universidade federal.

Wenceslau lembra das perspectivas para a região com os investimentos estaduais e federais. Ele também teve dois dedos de prosa com secretários estaduais e o governador Jaques Wagner, além do camarada Davidson Magalhães, presidente da Bahiagás.

O dirigente estará em Itabuna na próxima quinta, 25, para discutir a implantação da central de gás natural em Itabuna. Wenceslau fez a ponte com o município para agilizar a área de distribuição da Bahiagás.

SÍNDROME DA VAIA

Marco Wense

A primeira caminhada em prol de uma universidade federal para o sul da Bahia, a tão desejada UFSULBA, não contou com a presença de nenhum parlamentar da Câmara Federal e da Assembleia Legislativa do Estado.

Um deles teria dito que não participaria de um evento coordenado pelo Partido Comunista do Brasil. E mais: que o movimento é para “engordar” a pré-candidatura de Wenceslau Júnior, vereador do PCdoB.

Ora, até as freiras do Convento das Carmelitas sabem que a decisão de não participar da caminhada foi assentada na “síndrome da vaia”. Ou seja, o deputado ficou com medo de receber uma histórica e estrondosa vaia.

O vereador Wenceslau Júnior está de parabéns.

Viva a UFSULBA!

JUÇARA

Petistas defensores da pré-candidatura de Juçara Feitosa já admitem que a ex-primeira dama não vai mais disputar uma vaga na Assembleia Legislativa do Estado na eleição de 2010.

Depois que Geraldo Simões, na inauguração do seu escritório político, pediu votos para o deputado Capitão Fábio, o resto da esperança foi para o beleléu. São poucas pessoas que ainda acreditam na candidatura da petista.

Os fabistas, na sua maioria, estão entusiasmados. Mas há também os que preferem colocar as barbas de molho. Para o Capitão, candidato a reeleição pelo PRP, o apoio de Geraldo é irreversível. É fato consumado.

Uma pergunta, no entanto, castiga os correligionários mais lúcidos do deputado Fábio Santana: Será que Geraldo Simões está tapeando o Capitão?

DEM VERSUS PSDB

O DEM, ex-PFL, é o mais importante parceiro do PSDB na sucessão presidencial. Essa parceria, no entanto, pode deixar de ser estável em decorrência do escândalo que envolve o democrata José Arruda, governador do DF.

O bafafá entre democratas e tucanos preocupa o presidenciável José Serra. O deputado Rodrigo Maia, presidente nacional do DEM, quando soube da decisão do PSDB de abandonar o governo Arruda, fez a seguinte ironia: “Que governo eles estão falando, o da Yeda Crusis (PSDB- RS) ?”

Rodrigo se referia ao pedido de impeachment contra a governadora gaúcha na Assembleia Legislativa. O pedido de afastamento só não seguiu em frente porque a tucana tem a maioria dos deputados sob seu controle.

DEM versus PSDB. O PT, Lula e a pré-candidata Dilma Rousseff agradecem. Como as picuinhas entre democratas e tucanos respingam nos Estados, o governador Jaques Wagner também agradece.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

LUTA PELA UFSULBA GANHA BLOG E ABAIXO-ASSINADO

Quem quiser apoiar a luta pela implantação de uma universidade federal no sul da Bahia já pode dar sua contribuição. Para contribuir basta assinar o abaixo-assinado que está disponível no blog da campanha pró-Ufsulba, lançado recentemente (www.ufsulba.blogspot.com).

Você pode clicar aqui para ir ao blog e aqui para deixar sua assinatura. A causa é nobre.

ELES SUMIRAM

Caminhada levou centenas de pessoas à avenida do Cinquentenário.

Caminhada levou centenas de pessoas à avenida do Cinquentenário.

A caminhada em defesa da instalação da Universidade Federal do Sul da Bahia (Ufsulba) levou centenas de pessoas às ruas centrais de Itabuna, no final da manhã de hoje, dia 30.

E quem foi sentiu a falta de, pelo menos, duas lideranças políticas municipais. Apesar de defender a instalação da Ufsulba, o prefeito Capitão Azevedo (DEM) não esteve por lá. Nem ele nem o deputado federal Geraldo Simões.

CAMINHADA, HOJE, EM DEFESA DA UFSULBA

Está na hora de caminhar pela implantação da Universidade Federal do Sul da Bahia. A caminhada em defesa da instalação da Ufsulba deve reunir, daqui a pouco, milhares de pessoas na avenida do Cinquentenário. A concentração já começou no Jardim do Ó. O encerramento será na praça Adami.

A implantação da universidade federal está mobilizando diversas entidades, a exemplo da Associação dos Municípios do Sul, Extremo Sul e Sudoeste da Bahia (Amurc), Associação Comercial de Itabuna, prefeituras regionais e políticos. Um dos líderes do movimento é o vereador Wenceslau Júnior (PCdoB).

VIOLÊNCIA X EDUCAÇÃO: POR QUE MERECEMOS A UFSULBA?

O Ministério da Justiça, juntamente com a Unesco, acabam de divulgar o novo IVJ (Índice de Vulnerabilidade da Juventude). Tal indicador analisa o índice de homicídios que acometem os jovens brasileiros em municípios com mais de 100 mil habitantes.
Infelizmente, tivemos o dissabor de tomar conhecimento de que a nossa Itabuna ficou em primeiro lugar. Nossa cidade é o local mais perigoso para a juventude.
Se a notícia nos choca e nos deixa indignados, temos que transformar indignação em luta, vez que a “pesquisa identifica uma relação direta entre violência e participação no mercado de trabalho e escolaridade, uma vez que os jovens de 18 a 24 anos que não realizam funções remuneradas e não estudam formam o grupo no qual o IVJ é mais elevado. O indicador também confirma o “senso comum” de que aqueles que residem em domicílios com assentamentos precários, caso de favelas, são os mais expostos à violência” (sitio do Ministério da Justiça).
Esses dados só vêm reforçar a luta empreendida pela criação de uma Universidade Federal do Sul da Bahia, que tenha obviamente cursos a serem oferecidos em Itabuna.
Das 10 cidades com piores IVJ, três ficam na Bahia (Itabuna; Camaçari e Teixeira de Freitas). Observem que duas ficam localizadas na região que o Comitê Pró UFSULBA pretende beneficiar.
Tal dado reflete a ausência de investimentos em educação no estado da Bahia ao longo dos anos.
A UFBA foi criada em 08 de abril de 1946. Somente quase 60 anos depois, ou seja, em 25 de julho de 2005, foi criada a segunda Universidade Federal no Estado, a UFRB, que teve como embrião a Escola de Agronomia da UFBA em Cruz das Almas. Hoje, a UFRB conta com 26 cursos de graduação, espalhados nos municípios de Cruz das Almas, Amargosa, Santo Antônio de Jesus e Cachoeira, além de contar com 04 cursos de mestrado e 01 doutorado.
Novas perspectivas e oportunidades foram abertas para aqueles jovens que vivem nos municípios do recôncavo baiano.
Por outro lado, não é mera coincidência o fato dos estados de Minas Gerais e São Paulo aparecerem em situação privilegiada em relação aos dados da pesquisa. Com certeza, existe uma relação com o nível investimento em educação.
Enquanto amargamos o fato de termos apenas duas universidades federais, uma criada há menos de cinco anos, contra 11 no estado de Minas Gerais e 05 no Estado de São Paulo com 14 campi, espalhados em 11 municípios.
No que se refere à pesquisa que mediu o Índice de Vulnerabilidade Juvenil à Violência, a Bahia aparece com 03 municípios, entre os 10 piores IVJ, Minas aparece apenas com 01 (Governador Valadares) e São Paulo com nenhum. Porém, quando se fala dos 10 melhores índices, São Paulo aparece com 04 (São Carlos, São Caetano do Sul, Franca e Bauru). Minas Gerais aparece com 03 municípios, entre os menos violentos (Juiz de Fora, Poços de Caldas e Divinópolis) e a Bahia com nenhum.
Não pretendo fazer da UFSULBA uma panacéia que resolverá o problema da violência juvenil de Itabuna e Teixeira de Freitas, mas, sem sombra de dúvida, abrirá novos horizontes para os jovens sem perspectivas de vida.
Claro que outros fatores são importantes, a exemplo de políticas de atração de investimentos que gerem empregos; a melhoria da educação pública; a melhor estruturação da cidade; investimentos em esporte, cultura e lazer.
Observem que os bairros mais violentos da cidade não dispõem de equipamentos esportivos públicos (quadras, ginásios, campos de futebol)
Vivemos numa região que, embora ainda com uma atividade industrial pequena, possui forte base econômica no setor de serviços. São serviços de comércio, turismo, saúde, educação e outros que consolidam o Sul da Bahia como importante região do estado.
É bom salientar que os investimentos, alguns em andamento e outros previstos para iniciar no próximo ano – me refiro ao Complexo Porto Sul; ao novo aeroporto de Internacional, à ZPE, à ferrovia oeste-leste e ao GASENE- Cacimbas\Catu, com a instalação de um CITYGATE em Itabuna – irão mudar completamente o perfil socioeconômico da região. Fato que reforça o nosso pleito de que o Sul da Bahia merece ver ampliado o número de instituições públicas de ensino superior e, consequentemente, o número de vagas na região.
A demanda por profissionais nas áreas das engenharias (mecânica, elétrica, mecatrônica, civil, eletrônica) é algo imprescindível, não só pelos investimentos acima mencionados, como pela explosão econômica prevista em razão das obras exigidas pela Copa do Mundo em 2014, os Jogos Olímpicos de 2016 e a exploração do pré-sal.
Somente a Copa e os Jogos devem injetar R$ 130 bilhões na economia brasileira, gerando 120 mil empregos por ano até 2016, impactando 55 setores da economia, segundo pesquisa encomendada pelo Ministério do Esporte à FIA (Fundação Instituto de Administração) de São Paulo.
Já o pré-sal implicará em 174 bilhões de dólares em investimentos somente da Petrobras até 2013, sendo 29 bilhões diretamente no pré-sal. O número de empregos crescerá velozmente. Hoje, o setor de gás e petróleo emprega 209 mil pessoas, sendo 74 mil na Petrobras.
A previsão é de que esses números cresçam para 700 mil e 262 mil até 2013. A influência do setor no PIB deve saltar de 10 para 20% até 2020, em razão do crescimento de 2,5 milhões para 5,7 milhões de barris de petróleo por dia. (dados da revista Você S/A, edição 137, novembro de 2009). Isso sem falar no incremento que está sendo dado à construção civil e à produção de alimentos e biocombustíveis, que também crescem fortemente nos últimos anos.
Não tenho dúvida de que a criação da Universidade Federal do Sul da Bahia, juntamente com os Institutos Federais de Educação Tecnológica (IFETS) de
Ilhéus e Uruçuca mudarão o perfil da nossa região e contribuirá para que Itabuna deixe de nos envergonhar com os atuais índices de violência. Abrirá caminho para um circulo virtuoso de desenvolvimento do sul, baixo-sul e extremo sul da Bahia.
Dia 30 de novembro, segunda-feira, às 8 horas vamos invadir a Avenida do Cinquentenário em defesa da UFSULBA.

Wenceslau Augusto dos Santos Junior é advogado, professor do curso

de direito da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia e vereador pelo PCdoB no município de Itabuna.

Wenceslau Júnior

.

O Ministério da Justiça, juntamente com a Unesco, acaba de divulgar o novo IVJ (Índice de Vulnerabilidade da Juventude). Tal indicador analisa o índice de homicídios que acometem os jovens brasileiros em municípios com mais de 100 mil habitantes.

Infelizmente, tivemos o dissabor de tomar conhecimento de que a nossa Itabuna ficou em primeiro lugar. Nossa cidade é o local mais perigoso para a juventude.

Se a notícia nos choca e nos deixa indignados, temos que transformar indignação em luta, já que a “pesquisa identifica uma relação direta entre violência e participação no mercado de trabalho e escolaridade, uma vez que os jovens de 18 a 24 anos que não realizam funções remuneradas e não estudam formam o grupo no qual o IVJ é mais elevado. O indicador também confirma o “senso comum” de que aqueles que residem em domicílios com assentamentos precários, caso de favelas, são os mais expostos à violência” (sitio do Ministério da Justiça).

Esses dados só vêm reforçar a luta empreendida pela criação de uma Universidade Federal do Sul da Bahia, que tenha obviamente cursos a serem oferecidos em Itabuna.

Das 12 cidades com piores IVJs, quatro ficam na Bahia (Itabuna, Camaçari, Teixeira de Freitas e Ilhéus). Observem que três ficam localizadas na região que o Comitê Pró UFSULBA pretende beneficiar. Tal dado reflete a ausência de investimentos em educação no estado da Bahia ao longo dos anos.

A UFBA foi criada em 08 de abril de 1946. Somente quase 60 anos depois, ou seja, em 25 de julho de 2005, foi criada a segunda universidade federal no Estado, a UFRB, que teve como embrião a Escola de Agronomia da UFBA em Cruz das Almas. Hoje, a UFRB conta com 26 cursos de graduação, espalhados nos municípios de Cruz das Almas, Amargosa, Santo Antônio de Jesus e Cachoeira, além de contar com 04 cursos de mestrado e 01 doutorado.

Novas perspectivas e oportunidades foram abertas para aqueles jovens que vivem nos municípios do recôncavo baiano.

Por outro lado, não é mera coincidência o fato dos estados de Minas Gerais e São Paulo aparecerem em situação privilegiada em relação aos dados da pesquisa. Com certeza, existe uma relação com o nível investimento em educação.

Enquanto amargamos o fato de termos apenas duas universidades federais, uma criada há menos de cinco anos, contra 11 no estado de Minas Gerais e 05 no Estado de São Paulo com 14 campi, espalhados em 11 municípios.

No que se refere à pesquisa que mediu o Índice de Vulnerabilidade Juvenil à Violência, a Bahia aparece com 03 municípios, entre os 10 piores IVJ, Minas aparece apenas com 01 (Governador Valadares) e São Paulo com nenhum. Porém, quando se fala dos 10 melhores índices, São Paulo aparece com 04 (São Carlos, São Caetano do Sul, Franca e Bauru). Minas Gerais aparece com 03 municípios, entre os menos violentos (Juiz de Fora, Poços de Caldas e Divinópolis) e a Bahia com nenhum.

Não pretendo fazer da UFSULBA uma panacéia que resolverá o problema da violência juvenil de Itabuna e Teixeira de Freitas, mas, sem sombra de dúvida, abrirá novos horizontes para os jovens sem perspectivas de vida.

Claro que outros fatores são importantes, a exemplo de políticas de atração de investimentos que gerem empregos; a melhoria da educação pública; a melhor estruturação da cidade; investimentos em esporte, cultura e lazer. Observem que os bairros mais violentos da cidade não dispõem de equipamentos esportivos públicos (quadras, ginásios, campos de futebol).

Vivemos numa região que, embora ainda com uma atividade industrial pequena, possui forte base econômica no setor de serviços. São serviços de comércio, turismo, saúde, educação e outros que consolidam o Sul da Bahia como importante região do estado.

É bom salientar que os investimentos, alguns em andamento e outros previstos para iniciar no próximo ano – me refiro ao Complexo Porto Sul; ao novo aeroporto de Internacional, à ZPE, à ferrovia oeste-leste e ao GASENE- Cacimbas\Catu, com a instalação de um city gate em Itabuna – irão mudar completamente o perfil socioeconômico da região. Fato que reforça o nosso pleito de que o Sul da Bahia merece ver ampliado o número de instituições públicas de ensino superior e, consequentemente, o número de vagas na região.

A demanda por profissionais nas áreas das engenharias (mecânica, elétrica, mecatrônica, civil, eletrônica) é algo imprescindível, não só pelos investimentos acima mencionados, como pela explosão econômica prevista em razão das obras exigidas pela Copa do Mundo em 2014, os Jogos Olímpicos de 2016 e a exploração do pré-sal.

Somente a Copa e os Jogos devem injetar R$ 130 bilhões na economia brasileira, gerando 120 mil empregos por ano até 2016, impactando 55 setores da economia, segundo pesquisa encomendada pelo Ministério do Esporte à FIA (Fundação Instituto de Administração) de São Paulo.

Já o pré-sal implicará em 174 bilhões de dólares em investimentos somente da Petrobras até 2013, sendo 29 bilhões diretamente no pré-sal. O número de empregos crescerá velozmente. Hoje, o setor de gás e petróleo emprega 209 mil pessoas, sendo 74 mil na Petrobras.  A previsão é de que esses números cresçam para 700 mil e 262 mil até 2013.

A influência do setor no PIB deve saltar de 10 para 20% até 2020, em razão do crescimento de 2,5 milhões para 5,7 milhões de barris de petróleo por dia. (dados da revista Você S/A, edição 137, novembro de 2009). Isso sem falar no incremento que está sendo dado à construção civil e à produção de alimentos e biocombustíveis, que também crescem fortemente nos últimos anos.

Não tenho dúvida de que a criação da Universidade Federal do Sul da Bahia, juntamente com os Institutos Federais de Educação Tecnológica (IFETS) de Ilhéus e Uruçuca mudarão o perfil da nossa região e contribuirá para que Itabuna deixe de nos envergonhar com os atuais índices de violência. Abrirá caminho para um circulo virtuoso de desenvolvimento do sul, baixo-sul e extremo sul da Bahia.

Dia 30 de novembro, segunda-feira, às 8 horas vamos invadir a Avenida do Cinquentenário em defesa da UFSULBA.

Wenceslau Augusto dos Santos Junior é advogado, professor do curso de direito da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia e vereador pelo PCdoB no município de Itabuna.

PASSEATA PELA UFSULBA SERÁ NO DIA 30

COMUNIDADE SUL-BAIANA SE MOBILIZA

PELA CRIAÇÃO DE UNIVERSIDADE FEDERAL

Wenceslau defende universidade federal no sul da BA.

Wenceslau defende universidade federal no sul da BA.

As mobilizações pela criação da Universidade Federal do Sul da Bahia (Ufsulba) começaram ontem, em Ibicaraí, e vão ocorrer em diversos municípios da região cacaueira. A pressão é para que o governo Lula assegure ao sul da Bahia a criação de uma universidade federal. E logo.

A questão será discutida com empresários nesta quarta, às 19h, no auditório da Associação Comercial e Empresarial de Itabuna (Acei). Antes, às 10h, defensores do projeto têm encontro com estudantes da Emarc-Uruçuca, às 10h.

De acordo com um dos líderes do movimentação pela criação da Ufsulba, o vereador Wenceslau Júnior (PCdoB), a ideia é divulgar ao máximo a proposta que conta com o apoio declarado da Associação dos Municípios do Sul, Extremo-Sul e Sudoeste da Bahia (Amurc) e de prefeituras como as de Itabuna e Ibicaraí.

A programação de eventos que visam mobilizar a comunidade regional prevê encontro em Canavieiras, na próxima sexta. A discussão também será levada para os municípios de Jussari no dia 20. Camacan, Itacaré e Ubatã também participam com eventos programados para a segunda, 23.

Nestes encontros, a população de cada cidade é chamada a se engajar no projeto, que terá grande passeata, no dia 30 de novembro, em Itabuna, às 8h. Um dos empolgados com a iniciativa, o advogado Leonício Guimarães ressaltou a qualidade das discussões ocorridas em Ibicaraí e Itajuípe, ontem e hoje, respectivamente.

AUSENTES DA CAUSA

Enquanto diversos setores da sociedade se reuniam na Câmara de Vereadores, ontem à noite, para discutir ações pela instalação de uma universidade federal no sul da Bahia, algumas importantes ausências eram sentidas por lá: a diretora da Direc 7, Miralva Moitinho; o secretário de Educação de Itabuna, Gustavo Lisboa; o prefeito Capitão Azevedo; e os deputados Ângela Sousa, Capitão Fábio, Geraldo Simões e Raymundo Veloso.

O SUL DA BAHIA QUER A SUA UNIVERSIDADE FEDERAL

O movimento começou pequeno, já recebe adesões e vai ganhar as ruas neste mês de novembro. É a mobilização para assegurar ao sul da Bahia a sua primeira universidade federal. Um cronograma  foi fechado em reunião nesta terça, 3, na Câmara de Vereadores de Itabuna.

As mobilizações começam no dia 12 em Camacan e Buerarema e envolvem os municípios circunvizinhos. A ideia é sacudir a população sul-baiana. O cronograma inclui ainda mobilizações em Canavieiras, Coaraci, Ibicaraí, Itajuípe, Uruçuca, Ubaitaba e Jussari, entre os dias 13 e 19 deste mês.

As populações destes municípios vão ser chamadas a participar da luta e, também, de uma grande caminhada pela instalação da Universidade Federal do Sul da Bahia (Ufsulba), no dia 27, em Itabuna, com concentração no Jardim do Ó, a partir das 15h.

Na reunião, o vereador Wenceslau Júnior (PCdoB) observou que a Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), desde a estadualização, em 1991, conseguiu criar 1.440 vagas. A Universidade Federal do Recôncavo Baiano (UFRB) foi instalada há cinco anos e já oferece 1.450 vagas em cursos de graduação.

O vereador citou o dado para mostrar o peso de uma federal na região. Ainda nos cálculos de Wenceslau, a Uesc consegue absorver apenas 10% dos candidatos que disputam vagas no seu vestibular, anualmente.

A reunião conseguiu reunir representantes do governo municipal (secretário Fernando Vita e o presidente da FICC, Cyro de Mattos) e da sociedade civil, além dos vereadores Solon Pinheiro, Ricardo Bacelar e Claudevane Leite. Claudevane defendeu audiência com Jaques Wagner, para incluir o governador na luta por uma universidade federal no sul da Bahia.








WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia