festival chocolate cacau
buriti
camara itabuna
maio 2015
D S T Q Q S S
« abr    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  



:: ‘Unime Itabuna’

UNIME PROMETE À OAB SANAR DEFICIÊNCIAS DO CURSO DE DIREITO

OAB e UnimeO superintendente da Regional Norte/Nordeste da Unime, Edemilson Marques, prometeu soluções para deficiências apontadas no curso de Direito da instituição em Itabuna. Durante encontro, o presidente da OAB Itabuna, Andirlei Nascimento, e o tesoureiro da entidade, Ariovaldo Barboza, expuseram questões como superlotação de sala de aula e falta de condições de trabalho docente e higienização dos banheiros.

Edemilson disse que a superlotação vinha ocorrendo porque muitos dos alunos assistiam à aula, mas não estavam matriculados no curso. As mudanças, segundo ele, teriam sido aprovadas pelo Ministério da Educação (MEC), conforme relato do presidente da OAB itabunense. Andirlei Nascimento sugeriu melhoria o acervo da biblioteca de Direito.

A reunião, realizada na quarta, teve também a participação de Carlos Alan Lima, representante dos alunos, além da gerente de contencioso do grupo Kroton, Priscila Duarte, e da advogada do grupo, Rosana Macedo.

Segundo o presidente da OAB, Andirlei Nascimento, a Ordem aguardará relatório da Unime, previsto para ser entregue em 60 dias, e observará se as melhorias foram implementadas. Caso contrário, disse ele, irá tomar as medidas institucionais e judiciais cabíveis, que garantam o acesso do estudante a um ensino de qualidade.

DIRETOR DA UNIME DE ITABUNA É DEMITIDO APÓS MANIFESTAÇÕES

Manifestações derrubaram diretor do cargo em Itabuna.

Manifestações derrubaram diretor do cargo em Itabuna.

Luiz Brogiatto, diretor da Unime de Itabuna, foi demitido do cargo nesta sexta-feira (27) depois de três dias de manifestações de estudantes nos campus da faculdade, segundo o Plantão Itabuna.

Brogiatto cai após insatisfações de professores e alunos de cursos como Direito e Serviço Social. Ainda não foi anunciado o nome do novo titular do cargo. Brogiato era funcionário da Kroton e da Anhanguera há vários anos.

A situação do ex-diretor ficou insustentável após as manifestações. Há menos de duas semanas, o presidente da OAB de Itabuna, Andirlei Nascimento, após ouvir docentes e alunos do curso de Direito classificou como graves as denúncias.

OAB DIZ QUE DENÚNCIAS CONTRA UNIME “SÃO GRAVES”

Presidente da OAB considera graves denúncias contra a Unime Itabuna.

Presidente da OAB considera graves denúncias contra a Unime Itabuna.

Andirlei Nascimento, presidente da subseção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), classificou como graves as denúncias contra a Unime de Itabuna, principalmente as relacionadas ao Curso de Direito da faculdade particular. “As denúncias apresentadas são graves e atentam contra a saúde ocupacional dos professores e a qualidade do ensino prestado pela instituição”, disse o presidente da OAB local.

A Unime, segundo o presidente da OAB, negou as acusações que incluem falta de estrutura, superlotação de salas de aula e queda na qualidade do ensino. Uma reunião, no próximo dia 23, uma segunda-feira, tratará das denúncias contra a instituição de ensino superior. O encontro reunirá representantes da OAB, Ministério da Educação, alunos e professores.

Os problemas enfrentados pelos alunos e professores serão tratados em sessão especial na Câmara de Vereadores, segundo o vereador Jairo Araújo. Alguns cursos, como Serviço Social, chegam a reunir 80 alunos por sala, o que dificulta o aprendizado e provoca queda na qualidade de ensino.

UNIME TORNA-SE ALVO DA OAB E CÂMARA POR FALTA DE ESTRUTURA

Alunos da Unime fazem protestos desde a quarta (11) no campus II (Foto Divulgação).

Alunos da Unime fazem protestos desde a quarta (11) no campus II (Foto Divulgação).

A falta de estrutura para atender os seus alunos colocou a Unime de Itabuna no alvo da subseção itabunense da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e da Câmara de Vereadores local. A OAB Itabuna discute com a direção da faculdade alternativas para a superlotação de salas de aula do curso de Direito. Turmas têm até 80 alunos.

Hoje, o vereador Jairo Araújo anunciou sessão especial para tratar de problemas como superlotação de salas, falta de estrutura e escuridão no estacionamento do campus II da faculdade. Para o vereador, é um absurdo o que os alunos estão passando”.

O vereador lembra que a Unime é parte do maior grupo de ensino do país. “Não justifica a completa falta de estrutura, prejudicando a aprendizagem dos estudantes e comprometendo a segurança dos que trabalham aqui”.

Desde a quarta-feira (11), alunos da Unime promovem manifestações na entrada do campus II da faculdade, na Avenida J.S. Pinheiro. Outra queixa dos alunos é contra a lentidão no atendimento a alunos que buscam financiamento dos estudos pelo Fies.

MEC AUTORIZA 5 NOVOS CURSOS NA MADRE THAÍS E UNIME

Madre Thaís oferecerá três novos cursos.

Madre Thaís oferecerá três  novos cursos.

O Ministério da Educação autorizou três novos cursos na Faculdade Madre Thaís, de Ilhéus. A instituição oferecerá bacharelado em Fisioterapia e os cursos tecnológicos de Gestão Comercial e de Gestão de Recursos Humanos.

As portarias com as autorizações foram publicadas no Diário Oficial da União do dia 28.

Segundo o diretor-geral da Madre Thaís, os novos cursos serão oferecidos após análise das características regionais e da realidade socieconômica de Ilhéus e municípios de influência.

UNIME

O MEC também autorizou novos cursos superiores em Itabuna. A Unime já pode oferecer vagas para os cursos de Logística e Gestão de Recursos Humanos. As autorizações para a Unime foram publicadas na edição de sexta do DOU.

ESTUDANTES E FARMACÊUTICOS PROTESTAM CONTRA O MPF-BA EM ITABUNA

Com faixas, cartazes e nariz de palhaço, estudantes e profissionais protestam em Itabuna (Foto Pimenta).

Com faixas, cartazes e nariz de palhaço, estudantes e profissionais protestam em Itabuna (Foto Pimenta).

Farmacêuticos e estudantes do curso superior de farmácia participaram de manifestação na Cinquentenário, em Itabuna, contra o Ministério Público Federal na Bahia. O MPF ingressou com ação civil pública para que o Conselho Regional de Farmácia conceda registro a técnicos em farmácia.

Com nariz de palhaço, apitos, faixas e cartazes, cerca de 200 estudantes e farmacêuticos criticaram a ação do MPF. A coordenação do movimento informa que existem cerca de 230 farmacêuticos em Itabuna e a faculdade particular que oferece o curso de Farmácia, a Unime,  possui quase 500 alunos, além de já ter formado mais de 100 profissionais.

Manifestação estudantes e farmacêuticos2 Foto PimentaA manifestação, também, visou reforçar a importância do farmacêutico, segundo Vanusa da Glória, uma das líderes do movimento. “Nós estamos aqui enquanto profissionais e estudantes de farmácia para mostrar à população que o profissional farmacêutico tem que estar dentro da farmácia, sim, seja ela comunitária, hospitalar”, disse.

Os estudantes ressaltam que o farmacêutico tem nível superior, mais de 4 mil horas de aula, contado com seis disciplinas de farmacologia clínica, e patologias. “São cinco anos de estudos. Aprendemos todos os mecanismos de ação dos medicamentos e todas as reações adversas”, diz Vanusa, frisando que o técnico não tem essa preparação.

Um dos embates dos alunos é interno. A própria Unime poderá abrir espaço para aulas do curso técnico em farmácia, de nível médio, oferecido pelo Pronatec, do Governo Federal.

Manifestação estudantes e farmacêuticos3 Foto Pimenta

JUSTIÇA AUTORIZA ALUNO DA UNIME A COLAR GRAU ANTES DE CONCLUIR CURSO

Pavilhão da Unime em Itabuna.

Pavilhão da Unime em Itabuna.

Um aluno da Unime Itabuna conseguiu, na Justiça, o direito a participar da colação de grau, embora ainda não tenha concluído o curso de Fisioterapia. Em sua decisão, a juíza federal Maizia Carvalho Pamponet autorizou a colação simbólica.

A Unime até apresentou recurso à decisão, mas foi entendido como medida protelatória. O mandado de segurança foi impetrado pelo estudante Jeudes Alves de Oliveira. A decisão da juíza restringiu a participação de Jeudes à colação de grau.

No recurso, a direção da Unime apontava que a sentença não informava da obrigação do aluno de concluir o curso, mesmo participando da colação.

Disse a magistrada que o pedido de Jeudes era pela “participação simbólica na colação de grau sem qualquer efeito legal daí advindo, e neste sentido foi concedida a liminar por este Juízo”.

SEMINÁRIO DISCUTE POLÍTICAS PÚBLICAS NA ASSISTÊNCIA SOCIAL

Professora Saskya Lopes é conferencista do seminário na Unime (Foto Divulgação).

Professora Saskya Lopes é conferencista do seminário na Unime (Foto Divulgação).

Direito, políticas públicas e perspectivas contemporâneas na área da assistência social serão discutidos no seminário promovido pelos estudantes do 8º semestre de Serviço Social da Unime-Itabuna e Formandus Formaturas. O evento está programado para o dia 31, no auditório do campus II da faculdade, na Avenida J.S. Pinheiro, reunindo especialistas como Saskya Lopes e Guilhardes Júnior.

O seminário será aberto, às 19 horas, com palestra da psicóloga Maria Inês da Costa, que apresentará as atividades desenvolvidas no Centro de Humanização e Ação Social (Cehas) de Vila Nazaré, em Ilhéus. Na sequência, a mestre em Ciências Sociais Saskya Lopes falará sobre direitos, políticas públicas e perspectivas contemporâneas. Saskya atua em projetos de pesquisa e extensão sobre os temas de gênero, raça e geração e é vice-coordenadora do SER-Mulher

O professor e coordenador do curso de Direito da Uesc, Guilhardes Júnior, encerra a programação de palestras ao abordar a violência doméstica contra a mulher e a aplicação do violentômetro. Guilhardes é mestre em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente e coordenador dos projetos de extensão Núcleo do Observatório Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Nobeca) e Centro de Referência dos Direitos da Mulher (SER-Mulher).

As inscrições no seminário são limitadas e informações podem ser obtidas na Unime ou pelo fone 73-2102.3031.

APENAS 2 CURSOS CONSEGUEM NOTA 4 NO ENADE EM ILHÉUS E ITABUNA

Uesc teve um curso com conceito 4 no Enade 2012.

Uesc teve um curso com conceito 4 no Enade 2012.

A maioria dos cursos superiores avaliados na edição 2013 do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) em Ilhéus e Itabuna obteve nota satisfatória (3) e somente dois conseguiram conceito 4, numa escala que vai de 0 a 5. Os dados foram divulgados pelo Ministério da Educação (MEC).

Os cursos com conceito 4 foram os de Psicologia, da Unime Itabuna, e Ciências Contábeis, da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc). O levantamento feito pelo PIMENTA leva em conta apenas os cursos das duas maiores cidades sul-baianas.

Quando avaliados por áreas, três dos cinco cursos de Administração obtiveram conceito médio e os demais registraram média 2 (insatisfatória). Uesc, FTC e Unime registraram nota 3 e Madre Thaís e Faculdade de Ilhéus, 2.

O curso de Direito, da Uesc, obteve 3, assim como os da Unime e Faculdade de Ilhéus. A FTC ficou com 2. A Uesc oferece o único curso de Economia na modalidade presencial, ficando com conceito 2.

Os dois cursos de Psicologia no eixo são oferecidos em Itabuna: o da Unime obteve 4 e o da FTC, 3. A Faculdade de Jornalismo da Unime foi avaliada e ficou com conceito 3. Já os cursos de Ciências Contábeis da Unime e Faculdade de Ilhéus ficaram com 3 e o da Uesc atingiu 4.

Desempenho das faculdades de Ilhéus e Itabuna no Enade 2012

Enade – Administração
Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) – 3
FTC Itabuna – 3
Faculdade de Ilhéus – 2
Faculdade Madre Thaís – 2
Unime – 3

Enade – Direito
Uesc – 3
FTC – 2
Unime – 3
Faculdade de Ilhéus – 3

Enade – Economia
Uesc – 2

Enade – Psicologia
FTC Itabuna – 3
Unime Itabuna – 4

Enade – Ciências Contábeis
Uesc – 4
Faculdade de Ilhéus – 3
Unime Itabuna – 3

Enade – Jornalismo
Unime Itabuna – 3

 

CURSOS DA FTC E UNIME SÃO RECONHECIDOS

O Ministério da Educação (MEC) divulgou nesta quinta, 27, relação de 4.370 cursos de nível superior que tiveram reconhecimento renovado. Na lista, estão cursos de instituições privadas de Itabuna. Os cursos são os de licenciatura em Educação Física, oferecido pela Unime, e de Sistema de Informação, da FTC.

A portaria 286/2012 determina que a FTC pode oferecer até 100 vagas por ano neste curso. Já a Unime, foi autorizada a ofertar o máximo de 400 vagas em Educação Física.

MEC RECONHECE CURSO DE JORNALISMO DA UNIME

Depois de quase quatro anos, a Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior do Ministério da Educação (MEC) publicou portaria reconhecendo o curso de Comunicação Social com habilitação em Jornalismo da Unime em Itabuna.

O curso oferece 100 vagas por ano. Cerca de 100 bacharéis aguardavam o reconhecimento para registrar seus diplomas. A primeira turma do curso foi formada no segundo semestre de 2009.

ALUNOS DO CURSO DE FARMÁCIA DA UNIME FAZEM PROTESTO

Faixa exibida por estudantes de Farmácia da Unime em protesto contra condições do curso.

Alunos do curso de Farmácia da Unime-Itabuna iniciaram protesto contra as condições oferecidas pela faculdade. Eles exigem ampliação do número de docentes e revisão dos valores cobrados nas chamadas “salas especiais”. Segundo a estudante Ruth Apóstolo, um professor leciona sete disciplinas diferentes no curso e o índice de reprovação nestas matérias é superior a 70%. “Não está havendo preocupação com a qualidade, a formação profissional”, queixa-se a estudante.

Outros estudantes reclamam da “fábrica de dinheiro” em que se transformaram as reprovações no curso de Farmácia. Ruth cursa o oitavo semestre e afirma que de uma mensalidade de R$ 800,00 teve que pagar R$ 1.410,00 no mês passado, por causa dos métodos da faculdade.

A Unime rebate queixas de alunos contra a alta concentração de disciplinas nas mãos de um só professor. A diretoria da instituição diz aos alunos que o curso é complexo e aponta a formação deficitária da maioria como causa do alto índice de reprovação.

Os estudantes rebatem ao afirmar que “a peneira” ocorre já nos primeiros semestres. Para eles, a faculdade está falhando. “Nada justifica estarmos nesta situação. Temos casos de colega de oitavo semestre reprovado seis vezes em disciplinas ministrados por este professor”, diz um dos alunos.

UMA FORCINHA NA DECLARAÇÃO DO IR

O prazo de declaração do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) vai até o dia 30 de abril. Para auxiliar os retardatários, alunos e professores do curso de Ciências Contábeis da Unime-Itabuna vão dar uma forcinha a quem ainda não prestou contas ao Leão da Receita.

O atendimento gratuito será nos dias 14 e 28, das 8h às 12h e das 14h às 18h, no campus II da Unime, na avenida J.S. Pinheiro. O interessado deverá levar documentos pessoais e de dependentes, além de informes de rendimentos em 2011 para fazer a declaração do IR. A iniciativa conta com parceria do Conselho Regional de Contabilidade, delegacia de Itabuna.

“MELHORAÊ, UNIME!”

Alunos da Faculdade Unime em Itabuna prometem fazer grande manifestação, hoje à noite, caso a direção da faculdade não responda a uma pauta de reivindicações apresentadas por email. Dentre elas, estão salas com ar-condicionado, data-show, conserto de portas e colocação de fechaduras em salas de aula e colocação de quadros (lousas). “A gente pede, pede e eles não respondem. Se não derem resposta, fecharemos a faculdade hoje à noite”, diz um dos líderes do movimento.

UNIME CANCELA CRÉDITO EDUCATIVO PELO INSTITUTO EDUCAR E ALUNOS RECLAMAM

Protesto fechou entrada da faculdade em 2010 (Foto Pimenta/Arquivo).

Alunos da Unime Itabuna afirmam que a faculdade quebrou acordo assinado em setembro de 2010 e não mais renovará matrícula pela linha de crédito educativo do Instituto Educar.

O acordo foi assinado entre instituição e alunos em 2010, quando o corpo discente fechou a entrada do pavilhão 2 da Unime Itabuna e a avenida J.S.Pinheiro exigindo o retorno de descontos e linhas de crédito (relembre).

A direção da faculdade decidiu então que, a partir daquela data, a linha de crédito valeria apenas para os alunos já matriculados. “Estão descumprindo o acordo. Vão prejudicar dezenas de estudantes”, diz uma aluna.

A Unime Itabuna oferece aos alunos outras opções de crédito educativo: o Fies (federal) e o Pra valer, do Itaú. “Se eu mudar agora para outra linha de crédito educativo, quando terminar o curso eu terei de pagar dois financiamentos ao mesmo tempo”, reclama aluna do curso de pedagogia também afetada pela medida.

Os alunos prometem novos protestos caso a faculdade corte o crédito educativo pelo Instituto Educar. “As condições de financiamento para mim são melhores do que pelo Fies. Pelo Educar, não há juros, mas apenas correção”, explica.

O PIMENTA entrou em contato com a Unime Itabuna. A direção da faculdade promete se pronunciar nesta segunda-feira (30) quanto ao rompimento de acordo com os alunos.