WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
unime


março 2017
D S T Q Q S S
« fev    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

editorias


:: ‘Vane’

AUGUSTO: “VONTADE DO ELEITOR DEVE SER RESPEITADA”

Augusto defende que se respeite vontade do eleitor.

Augusto defende que se respeite vontade do eleitor.

Num discurso semelhante ao do prefeito Claudevane Leite, o deputado estadual Augusto Castro (PSDB) disse há pouco “que a vontade do eleitor deve ser respeitada”. Terceiro mais votado na disputa pela Prefeitura de Itabuna, Augusto diz ter acolhido o resultado do pleito “com humildade e respeito”.

O tucano lembrou ter alertado para o quadro de indefinição política se o eleito fosse Fernando Gomes (DEM). Agora, ele considera o mais correto e democrático “respeitar o desejo do eleitor, que livremente escolheu seu prefeito”.

Augusto faz menção, ainda, à tática do candidato mais votado. “Todos diziam que os votos de Fernando não seriam computados, mas ele alegava que era mentira e muitas pessoas acreditaram”.

O tucano defende o respeito à vontade popular. “Isso faz parte da democracia, mas vamos ver o que o judiciário irá definir, porque a situação é mais complexa do que muitos imaginam”, finalizou.

VANE FALA DE TRANSIÇÃO E DIZ QUE “VONTADE POPULAR DEVE SER RESPEITADA”

Vane promete transparência na transição de governo (Foto Gabriel Oliveira).

Vane promete transparência na transição de governo (Foto Gabriel Oliveira).

O itabunense ainda não sabe quem será o próximo gestor de Itabuna, mas o prefeito Claudevane Leite (Vane do Renascer) prometeu, hoje (4), uma transição “transparente e democrática”. Para ele, “a vontade popular deve ser respeitada”. O candidato mais votado no município, Fernando Gomes (DEM), está com o pedido de candidatura indeferido e pode não assumir por ter contas rejeitadas nos tribunais de contas do Estado (TCE) e da União (TCU). Com 32,4% dos votos, Fernando depende de efeito suspensivo contra estas decisões para assumir em 1º de janeiro.

Vane diz ter orientado sua equipe a “manter as ações e programas até dia 31 de dezembro”. Avalia que entregará ao sucessor “uma cidade melhor do que encontrou”. E explica: “fizemos uma gestão baseada na austeridade, no zelo pelos recursos públicos e investimentos em obras prioritárias”.

– O processo (de transição) se dará de forma transparente e democrática, com a participação de representantes da atual e da futura administração, de maneira que os serviços básicos e os compromissos com servidores e fornecedores da Prefeitura não sejam prejudicados”.

MANUAL DE TRANSIÇÃO

A Controladoria-Geral do Município, disse o prefeito, já vem trabalhando nesse sentido, “inclusive com a preparação de um Manual de Transição Governamental do Poder Executivo Municipal”. Publicado em 29 de junho, no Diário Oficial do Município, o documento foi elaborado pelo diretor do Departamento de Controle Interno, Alex Souza, e aprovado pela Comissão Permanente de Controle Interno (Copeci) da Controladoria.

Segundo o controlador-geral do Município, Oton Matos, o Manual regulamenta um dispositivo expresso no artigo 87 da Lei Orgânica do Município de Itabuna (LOMI) e atende as providências recomendadas pela Resolução nº. 1.311/2012 do Tribunal de Contas dos Municípios da Bahia (TCM-BA).

DEFINIDA DATA DE REABERTURA DO RESTAURANTE POPULAR DO CENTRO

Vane vistoriou obras de reforma do restaurante central (Foto Wilson Oliveira).

Vane vistoriou obras de reforma do restaurante central (Foto Wilson Oliveira).

Após oito meses fechada por causa de vandalismo e embargo da Vigilância Sanitária, a unidade do Restaurante Popular de Itabuna no centro será reaberta no dia 18, segundo o prefeito Claudevane Leite (Vane do Renascer).

O município havia prometido reabrir em junho, mas houve atraso nas obras de reforma e aquisição de equipamentos do restaurante. A unidade do RP é a maior de Itabuna e deverá oferecer, por dia, mil refeições a R$ 3,00. O restaurante do Fátima foi reaberto em junho, oferecendo 600 refeições diárias.

A partir deste ano, as unidades passaram a ser administradas por uma empresa terceirizada. O prefeito e os secretários Gilvan Rodrigues (Comunicação), Evandro Santos (Assistência Social), Marcos Cerqueira (Fazenda) e Marcos Monteiro (Desenvolvimento Urbano) vistoriaram as obras de reforma do RP.

VANE CONFIRMA CONCESSÃO E DIZ QUE “CRISE HÍDRICA INVIABILIZOU A EMASA”

Prefeito ao anunciar, hoje, que fará concessão da Emasa.

Prefeito ao anunciar, hoje, que fará concessão da Emasa.


A crise hídrica tornou a Emasa inviável, segundo disse o prefeito Claudevane Leite (Vane do Renascer) em entrevista exclusiva ao PIMENTA. O baque financeiro provocado pela falta d´água e a forte queda na arrecadação da empresa seriam os motivos para decidir passá-la à iniciativa privada por meio de concessão.

Durante a entrevista, o prefeito rejeita especulações que ligam o interesse na privatização à campanha eleitoral e disse que medidas serão tomadas para garantir tarifa de água justa, mesmo diante da necessidade de investimentos de R$ 500 milhões no sistema. De acordo com ele, haverá reajuste, mas não aumento da conta de água.

Vane também explica porque considerou inviável repassar a Emasa para o comando do governo estadual, via Embasa. Conforme disse na entrevista, a empresa estadual não teria, neste momento, como assegurar a manutenção dos empregos e os investimentos necessários. Confira a íntegra da entrevista abaixo.

Blog Pimenta – O senhor disse em artigo que não privatizaria a empresa. Acabou optando pela concessão. Por que não devolvê-la à Embasa?

Vane do Renascer – Desde 2013, o governo estadual solicitava que nós repassássemos os serviços de água e esgoto para a Embasa. Quando a unidade estava com o Estado, era a terceira da Bahia. Só perdia [em arrecadação] para as unidades de Feira de Santana e de Salvador. Em 2013, quando assumimos, a Emasa devia R$ 85 milhões. A cidade tinha zero por cento de esgoto tratado. Mesmo assim, não desistimos dela. Fizemos investimentos, reduzimos gastos e o número de comissionados para 60%. A crise hídrica inviabilizou a empresa.

A situação está muito difícil. O sindicato [Sindae] é contrário. Mas, como prefeito, tenho que pensar nos funcionários e na cidade também, no que é melhor para o município.

Pimenta – Inviabilizou de que forma?

Vane – Com a água salobra, muitos [consumidores] deixaram de pagar a conta de água. A empresa ficou fragilizada financeiramente. Arrecadávamos R$ 3,8 milhões por mês. Hoje, não passa de R$ 2,6 milhões. Porém, os gastos aumentaram demais. Decretamos situação de emergência, mas esse decreto leva algum tempo para ser reconhecido. Os primeiros meses da crise nós tivemos que assumir sozinhos.

Pimenta – Quais as garantias de que a concessão vai melhorar o sistema de abastecimento e como ficam os funcionários da Emasa?

Vane – Conversamos com o servidor hoje. Para fazer a concessão, primeiro queremos a garantia de que a nova empresa vai absorver esse pessoal. Se a empresa [que ganhar a licitação] não assumir, [parte dos funcionários] ficará com a Emasa, que não deixará de existir. Vai atuar como agência  [de saneamento]. A empresa vencedora terá que investir R$ 500 milhões e isso estará no edital. A situação da cidade está muito difícil. O sindicato [Sindae] é contrário. Mas, como prefeito, tenho que pensar nos funcionários e e na cidade também, no que é melhor para o município.

Não houve garantia [da Embasa] para os funcionários nem para os investimentos necessários. A cidade não pode continuar nessa crise [de falta de água].

Pimenta – Voltando à questão Embasa. Devolver o sistema para o estado não seria a melhor solução?

Vane – Não, pois não houve garantia para os funcionários nem para os investimentos necessários. A cidade não pode continuar nessa crise [de falta de água].

Pimenta – Quais são os prazos com os quais o senhor trabalha para esta licitação?

Vane – A empresa será conhecida 90 ou, no máximo, 120 dias. Precisaremos de aprovação da Câmara. A cidade não está pensando em outra coisa que não seja a água.

Pimenta – Quais são as interessadas?

Vane – Participarão da PMI (Proposta de Manifestação de Interesse) quatro empresas. A Embasa, a Cana Nova, Águas do Brasil e a Odebrecht. A licitação é aberta. Outras empresas poderão participar.

Pimenta – Hoje, a questão é de onde captar, de onde virá a água. A empresa vencedora participará da construção e captação de água da Barragem do Colônia?

Vane – O processo da barragem é outro. A gente não vai poder esperar três, quatro anos até a barragem encher. A previsão é que a barragem fique pronta em novembro do ano que vem. Mas tem a captação de água, o desvio da estrada e das redes de transmissão. O governador [Rui Costa] está trabalhando muito por isso.

Para dessalinizar 200 litros por segundo, gasta R$ 2 milhões por mês. Itabuna precisa de 800 litros por segundos. Então, a gente não tem esse dinheiro.

Pimenta – Então, de onde virá a água até lá? 

Vane – A empresa que ganhar vai poder investir em dessalinização, captar em outros mananciais. Para dessalinizar 200 litros por segundo, gasta R$ 2 milhões por mês. Itabuna precisa de 800 litros por segundos. Então, a gente não tem esse dinheiro. A empresa que ganhar a licitação terá que fazer isso. Vamos colocar no edital.

Pimenta – Estamos em período de pré-campanha, justamente quando é anunciada a concessão do sistema. As especulações são de toda ordem, inclusive de que essa concessão poderá bancar campanhas. Como o senhor vê estes comentários?

Vane – Como prefeito, pensamos na cidade. Quando assumi a prefeitura, fizemos uma cerimônia modesta. Gastamos só R$ 1,2 mil com água. Disseram que eu tinha gastado R$ 40 mil. Então, a gente já se acostumou [com as especulações e boatos]. O que tenho que pensar é que, com a concessão, a mudança será imediata, com a dessalinização, pequenas barragens, novos mananciais.

Itabuna tem potencial. Já foi a terceira em arrecadação. O que precisamos é ganhar eficiência, reduzir as perdas de água. Hoje, a gente perde de 55% a 60% da água captada.

Pimenta – Qual o custo estimado para estas obras iniciais?

Vane – Será feito um estudo e isso estará no edital. É muito recurso.

Itabuna é atrativa para um empresa investir os R$ 500 milhões da concessão? Quais são as garantias de execução [das obras]?

Vane – Itabuna tem potencial. Já foi a terceira em arrecadação. O que precisamos é ganhar eficiência, reduzir as perdas de água. Hoje, a gente perde de 55% a 60% da água captada. A Emasa é uma empresa viável, desde que tenha investimento. Não conseguimos por causa dessa crise hídrica.

VANE PROMETE PAGAMENTO ATÉ SEXTA E CARROS-PIPA VOLTAM A OPERAR EM ITABUNA

Carros-pipa voltam a abastecer tanques comunitários, após negociação com o prefeito de Itabuna (foto Lucas França)

Carros-pipa voltam a abastecer tanques comunitários, após negociação com o prefeito de Itabuna (foto Lucas França)

Após suspender os trabalhos devido a um atraso nos pagamentos, os motoristas de carros-pipa retomaram hoje (25) o abastecimento dos 130 tanques comunitários instalados em Itabuna. Devido à estiagem, a cidade hoje depende dessa operação, que traz água de reservatórios da Embasa em Ubaitaba e São José da Vitória. A despesa é custeada com recursos do Estado, o que foi viabilizado após o decreto que reconheceu a situação de emergência em Itabuna.

De acordo com a Secretaria de Comunicação do Município, o prefeito Claudevane Leite participou da negociação com os motoristas, e prometeu pagamento até sexta-feira (29). A informação da Coordenação Municipal da Defesa Civil é de que os recursos já estão em uma conta bancária, mas a liberação só pode ser feita por meio do Cartão de Pagamento de Defesa Civil.

A Secom informa que o cartão foi solicitado no dia 23 de março, mas o município ainda não o recebeu. Essa forma de pagamento é estabelecida pelo decreto que regulamenta o Sistema Nacional de Defesa Civil (Sindec).

MENINO SABIDO

Na fila do desembarque, um dos ocupantes de cargo comissionado na Prefeitura de Itabuna faz planos para não ficar ao sol após a despedida. A ideia é viabilizar um contrato com o município, como forma de substituir o polpudo salário.

Para quem sabe lidar com as regras, há sempre um jeitinho pra tudo.

PREFEITO CONFIRMA CONCURSO PÚBLICO

Vane diz que edital do concurso será publicado até quinta-feira (24)

Vane diz que edital do concurso será publicado até quinta-feira (24)

O prefeito de Itabuna, Claudevane Leite (PRB), confirmou hoje (22) que seu governo realizará um concurso público ainda neste semestre. Ele deu essa informação durante entrevista ao programa Balanço Geral (TV Cabrália).

Segundo o gestor, o edital do certame será publicado amanhã ou quinta-feira (24). A previsão, segundo ele, é de que sejam oferecidas cerca de 800 vagas para diversas áreas.

Como este é um ano de eleições, qualquer nomeação estará impedida nos três meses anteriores ao pleito. Ou seja, a data limite para convocar os aprovados será 5 de julho. Depois, só em 2017.

EMENDA DE R$ 1 MILHÃO ASSEGURA OBRAS E EQUIPAMENTOS PARA O HOSPITAL DE BASE

Vane, Davidson, vereadores e superintendente da Caixa assinaram convênio (Foto Lucas França-Secom).

Vane, Davidson e superintendente da Caixa assinaram convênio (Foto Lucas França-Secom).

O Hospital de Base de Itabuna ganhará mais 22 leitos nos próximos dias, elevando para 184 a sua capacidade de internações simultâneas de pacientes, anunciou o prefeito Claudevane Leite (Vane do Renascer). O novo espaço de atendimento será utilizado para desafogar o pronto socorro.

A obra será tocada com recursos próprios e inclui, segundo Vane, reforma completa do espaço que está sendo preparado para os novos leitos, a instalação de um sistema central de climatização e de equipamentos de última geração que garantam mais segurança no acompanhamento clínico dos pacientes.

O hospital também adquiriu dois aparelhos para hemodiálise. São seminovos e vieram do Hospital Ana Nery, em Salvador, por meio de uma parceria da Secretaria de Saúde da Bahia com a Prefeitura de Itabuna. “Agora passaremos a fazer aqui o atendimento a pacientes renais crônicos, com um dos aparelhos ficando na UTI do hospital”, disse o prefeito. Antes, o paciente precisava ser encaminhado para hospital da Santa Casa ou para Salvador para o tratamento.

Bicalho, Nascimento, Vane e Davidson assinam convênio (Foto Lucas França).

Bicalho, Nascimento, Vane e Davidson assinam convênio (Foto Lucas França).

EMENDA ASSEGURA R$ 1 MILHÃO PARA HOSPITAL

Ainda ontem, o prefeito, acompanhado de vereadores, secretários e do deputado Davidson Magalhães (PCdoB-BA), participou de assinatura de convênio que destina R$ 750 mil para reforma da UTI ou do centro cirúrgico do Hospital de Base, além de R$ 250 mil para aquisição de novos equipamentos.

A verba total de R$ 1 milhão foi obtida por meio de emenda do deputado Davidson Magalhães. O superintendente regional da Caixa Econômica, Marcus Vinícius Nascimento, disse que o governo federal “tudo fará para agilizar a licitação da obra”, principalmente por este se tratar de um setor sensível.

OPERAÇÃO VASSOURAS

vassouraFoi deflagrada na Prefeitura de Itabuna a Operação Vassouras, que consiste em aplicar a velha mandinga de colocar o utensílio de limpeza atrás da porta como sinal para mandar embora visitas indesejadas.

No caso da Prefeitura, não se trata exatamente de visitas, mas dos ocupantes de cargos comissionados que não comungam da decisão do prefeito Claudevane Leite (PRB) de apoiar o deputado federal Davidson Magalhães (PCdoB) como seu sucessor.

Segundo um comunista, a ordem é espalhar vassouras atrás das portas de diversos gabinetes do centro administrativo. Associada à mandinga, foi recomendada muita oração para fazer o prefeito cumprir a própria determinação de exonerar os rebeldes.

PREFEITO VANE MANTÉM DISSIDENTES NO GOVERNO

Prefeito mantém a caneta no bolso

Prefeito mantém a caneta no bolso

Pouco mais de uma semana após a reunião em que anunciou apoio oficial à pré-candidatura do deputado federal Davidson Magalhães (PCdoB) a prefeito de Itabuna, o prefeito Claudevane Leite (PRB) mantém sua gestão sem alterações.

Há dez dias, Vane reuniu o secretariado e informou que somente permaneceriam no governo aqueles que aceitassem apoiar o comunista. Na administração, entretanto, há vários titulares de cargos de confiança, inclusive no primeiro escalão, que não acompanharão o prefeito nesse apoio.

No governo, apesar da orientação do chefe, acredita-se ele manterá os dissidentes nos cargos até vencer o prazo de desincompatibilização para aqueles que serão candidatos. Depois disso, é possível que Vane faça outras mudanças, mas nada é certo.

A situação é tão indefinida, que até comunista está botando o joelho no chão. “O jeito é orar”, afirma um discípulo de Marx.

TOM RIBEIRO CONFIRMA PRÉ-CANDIDATURA

Apresentador é a aposta do PRB na sucessão itabunense

Apresentador é a aposta do PRB na sucessão itabunense

Depois de oficializar apoio à pré-candidatura do deputado federal Davidson Magalhães (PCdoB), o prefeito de Itabuna, Claudevane Leite (PRB), entrou em rota de colisão com seu próprio partido.

Nesta sexta-feira (11), o apresentador da TV Cabrália, Tom Ribeiro, confirmou que é pré-candidato à sucessão pelo PRB. Ele foi convidado pela presidente estadual da sigla, a deputada Tia Eron, e aceitou o desafio de entrar na disputa.

A deputada teme ver sua legenda perder o comando de uma das maiores cidades da Bahia e decidiu jogar areia no piquenique de Vane com os comunistas. Dono de grande popularidade, graças à exposição no programa Balanço Geral, o apresentador é a aposta de Tia Eron e já aquece o discurso para a campanha.

Em entrevista concedida recentemente a um programa da rádio Jornal, Tom Ribeiro criticou o correligionário Vane, afirmando que ele não tem comando. Por tabela, alfinetou o PCdoB, que segundo ele controla a gestão por intermédio do vice Wenceslau Júnior.

Ribeiro se diz animado com pesquisas de consumo interno e aposta no crescimento de seu nome, inclusive com o apoio de alguns dos atuais secretários do governo municipal.

Em matéria de sucessão, o prefeito Vane demonstra total falta de harmonia com seu partido. Com o perdão pelo trocadilho, pode-se dizer que ele segue absolutamente fora do tom.

 

SECA: GOVERNO DO ESTADO LIBERA R$ 3,8 MILHÕES PARA ITABUNA

Nível do Rio Cachoeira voltou a cair, após nova estiagem (Foto Martone Badaró).

Nível do Rio Cachoeira voltou a cair, após nova estiagem (Foto Martone Badaró).

Após decreto em que reconhece a situação de emergência em Itabuna, o governo baiano anunciou hoje (10) a liberação de R$ 3,8 milhões para ações de enfrentamento à seca no município. Itabuna é dos mais castigados pela estiagem de mais de 180 dias na região sul do Estado.

“Há 15 dias estive com o governador Rui Costa e o secretário Cássio Peixoto, que não mediram esforços em nos ajudar a enfrentar a crise hídrica”, disse o prefeito Claudevane Leite. O dinheiro ajudará a ampliar de 48 para 100 litros por segundo a vazão no Rio Cachoeira, um dos mananciais do sistema de abastecimento de água em Itabuna. O sistema é municipalizado e está sob a responsabilidade da Emasa.

Há mais de 20 dias, o itabunense voltou a receber água salgada nas torneiras. Isso, porque a maior parte da água captada pela Emasa vem do Rio Almada, mas o ponto do manancial que não sofre o efeito da maré, em Rio do Braço (Ilhéus), a vazão é mínima. A Emasa retornou a captação em Castelo Novo, onde a água tem alto teor de cloreto, deixando-a salgada.

Além de obras para transferir o ponto de captação de água no Cachoeira, os mais de R$ 3,8 milhões também serão aplicados em ações emergenciais, como a contratação de mais carros-pipas. “Também vai nos dar a condição de retirada de baronesas e melhorar a qualidade da água fornecida para a cidade”, afirma Vane, que agradeceu o empenho do governador Rui Costa e do secretário de Infraestrutura Hídrica e Saneamento (SIHS).

LÍDERES DO PCdoB ELOGIAM POSTURA DE VANE

Daniel Almeida destaca papel de liderança do prefeito Vane.

Daniel Almeida destaca papel de liderança do prefeito Vane.

Líderes nacionais do PCdoB reconheceram o papel do prefeito de Itabuna, Claudevane Leite, no processo de consolidação da pré-candidatura de Davidson Magalhães, ontem (7), no salão nobre da AABB, diante de público estimado em 800 pessoas.

“Vane dá demonstração pública de desapego ao poder, maturidade política e compromisso com um projeto que tirou Itabuna do caos e eleva a autoestima das pessoas”, disse a deputada federal Luciana Santos (PCdoB-PE), presidente nacional do Partido Comunista do Brasil.

O deputado federal Daniel Almeida, presidente estadual da legenda, também enfatizou o papel de lealdade de Vane ao projeto político iniciado em 2012. “Ao apoiar a candidatura de Davidson Magalhães à sua sucessão, Vane se projeta como um político que põe os interesses coletivos acima dos interesses pessoais”, disse.

Davidson Magalhães destacou a necessidade de o grupo político no entorno de Vane manter-se coeso. “Os atuais secretários e dirigentes municipais devem permanecer unidos para defender os avanços do governo Vane que requalificou 31 escolas da rede municipal de ensino, mais de 20 unidades de saúde e constrói duas Unidades de Pronto-Atendimento (UPA) 24 Horas”, afirmou.

:: LEIA MAIS »

DEM ORQUESTROU VAIAS A VANE, DIZ WENCESLAU

Wenceslau diz que vaias foram orquestradas pelo DEM.

Wenceslau: vaias foram orquestradas pelo DEM.

O vice-prefeito Wenceslau Júnior (PCdoB) disse que o princípio de vaias ao prefeito Claudevane Leite (PRB) foi orquestrado pelo diretório do DEM itabunense. Ontem (7) à noite, Vane foi alvo de hostilidade ao ser anunciado para compor a mesa do evento que lançou a pré-candidatura de Davidson Magalhães (PCdoB) a prefeito de Itabuna.

Em contato com o Pimenta, Wenceslau apontou: “O DEM infiltrou pessoas com o objetivo de ensaiar a vaia e criar constrangimento ao prefeito para causar dificuldades na relação com o partido”.

Os democratas, adversários de Davidson e de Vane, teriam ido ao local para “saudar” o deputado federal.

Wenceslau disse que o PCdoB repudia esta prática e “reafirma a importância da figura de Vane no processo sucessório” municipal de 2016. O vice-prefeito ainda observa não fazer sentido no convite ao prefeito para que ele fosse hostilizado em um momento em que Vane anuncia apoio a Davidson.

VANE PARA UM LADO, O PRB PARA O OUTRO

Prefeito apoia pré-candidato do PCdoB, mas seu partido busca outros caminhos

Prefeito apoia pré-candidato do PCdoB, mas seu partido busca outros caminhos

Após a solicitação do prefeito de Itabuna para que os cargos de confiança sejam desocupados por aqueles que não apoiam a pré-candidatura do deputado federal Davidson Magalhães (PCdoB), aguarda-se com expectativa as próximas edições do Diário Oficial do Município.

Pelas movimentações de grande parte dos servidores indicados politicamente, haverá uma debandada geral. Curiosamente, a rejeição ao comunista se dá com maior força entre os aliados mais próximos do prefeito, e especialmente de seu partido, o PRB.

O Pastor Francisco Edes, que comanda a Secretaria de Assistência Social, é um que deverá pedir o boné para reassumir sua cadeira na Câmara de Vereadores. Francisco não só rejeita a candidatura de Davidson, como já tem mantido conversas com outros pré-candidatos. Por ele, o nome pode ser o do apresentador Tom Ribeiro, do professor Roberto José e até do deputado Augusto Castro. Seu cardápio só não inclui antepasto de cururu.

Não é de hoje que o prefeito tem enfrentado rebelião em sua cozinha. Há alguns meses, o vereador Manoel Júnior (PRB), suplente do Pastor Francisco, assinou requerimento para abertura de uma Comissão Especial de Inquérito com o objetivo de investigar um caso de plágio na produção do Plano Municipal de Saneamento. A CEI não vingou, mas por esse episódio Claudevane já teve uma ideia de que possui correligionários de comportamento pior que o dos adversários.

Possível pré-candidato pelo PRB, Tom Ribeiro tem feito críticas duras ao governo e acusado o prefeito de não saber comandar. “Existem erros na administração, pois o prefeito não tomou a iniciativa como deveria ter feito e a caneta ficou o tempo todo na mão do vice (Wenceslau Júnior, do PCdoB)”, dispara Ribeiro. Ou seja, com uma cajadada só, o apresentador bateu no “irmão” Claudevane e no comunista.

Alguns analistas acreditam que o apoio pessoal de Claudevane, em um governo sem coesão, é pouco significativo para Davidson. Aliás, a situação faz lembrar um episódio relado por Lira Neto na biografia do ex-presidente Getúlio Vargas, quando este venceu as eleições de 1950 com apoio do velho PSD. Detalhe: o PSD tinha candidato oficial, o mineiro Cristiano Machado, porém as alas mais influentes do partido eram ligadas a Getúlio.

Segundo Lira Neto, surgiu daí na política brasileira um novo sentido para o verbo “cristianizar”, quando uma legenda declara apoio formal a determinado candidato, enquanto na prática seus correligionários passam a trabalhar por outro. No caso de Davidson, não há sequer apoio da legenda, apenas do prefeito, mas ele corre o sério risco de ser “cristianizado”.

VANE ANUNCIA PRÉ-CANDIDATO NA SEGUNDA

davidson - pimentaDepois de reunir secretários e demais ocupantes de cargos de confiança para informar que Davidson Magalhães (foto), deputado federal do PCdoB, será o candidato oficial à sucessão, o prefeito de Itabuna, Claudevane Leite (PRB), fará o mesmo anúncio nesta segunda-feira (07), dessa vez em um “encontro de lideranças”.

O evento acontece às 18 horas, no salão social da Associação Atlética Banco do Brasil (AABB). Segundo o convite, que está sendo distribuído via redes sociais, estarão no encontro os presidentes do PCdoB nas esferas nacional e estadual, respectivamente, os deputados federais Luciana Santos e Daniel Almeida.

Será uma verdadeira festa comunista.



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia