WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
cenoe
prefeitura de ilheus





setembro 2018
D S T Q Q S S
« ago    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  

editorias






:: ‘Vane’

VANE PROMETE REABRIR RESTAURANTE POPULAR EM JULHO

Vane anuncia reabertura de restaurante.

Vane anuncia reabertura de restaurante.

Após 18 meses fechado, o Restaurante Popular de Itabuna deverá ser reaberto no aniversário de Itabuna, dia 28 de julho. Pelo menos, essa é a promessa feita hoje (21) pelo prefeito Claudevane Leite.

O município também vai inaugurar novos restaurantes populares nos bairros São Caetano e Fátima nos próximos meses. A unidade do Fátima será instalada na Rua Saturnino José Soares. Segundo Vane, falta definir a localização do restaurante do São Caetano.

O Restaurante Popular central, que funciona na Rua São Vicente de Paulo, próximo ao antigo Divina Providência, foi construído há seis anos e fechou em dezembro de 2011. Atendia a cerca de mil pessoas, por dia, servindo refeição a R$ 2,00.

EM NOTA, VANE DIZ QUE AUMENTO DE TARIFA ‘NÃO TEM DATA PARA ACONTECER”

O prefeito Claudevane Leite emitiu nota de esclarecimento, há pouco, na qual não descarta o reajuste da passagem em Itabuna. A nota informa que “o reajuste na tarifa de ônibus está condicionado à melhoria dos serviços prestados” e “não tem data marcada para acontecer”.

Vane terá, pelo menos, até 3 de julho para se posicionar, oficialmente, quanto à sugestão do Conselho Municipal de Transportes de reajustar a tarifa de R$ 2,20 para R$ 2,50. É o prazo legal para o prefeito informar se concede ou não o reajuste de 13,64%.

A nota emitida pelo município informa que o prefeito ainda não se posicionou pela concessão de reajuste. No início do mês, Vane rejeitou a ideia de aumento para R$ 2,50 e dito que R$ 2,40 seria tarifa aceitável.

Antes de emitir nota de esclarecimento, o prefeito disse o seguinte: – As duas empresas colocaram em circulação cinco ônibus novos, cada, mas isso ainda é pouco. É preciso que a prestação de serviço melhore continuamente. A Secretaria de Transporte e Trânsito está fazendo a fiscalização e o acompanhamento das medidas tomadas pelas empresas, para que, efetivamente, as mudanças ocorram.  (Atualizada às 15h39min)

Confira a íntegra da nota de esclarecimento clicando no “leia mais”.

:: LEIA MAIS »

ALDENES DIZ QUE CÂMARA REJEITOU CONVOCAÇÃO DE VANE

Aldenes: sem blindagem.

Aldenes: sem blindagem.

Numa nota enviada pela assessoria de comunicação da Câmara, a presidência da Casa explica que o evento de hoje (18) não se tratou de audiência pública, mas uma sessão especial (clique aqui para entender). Segundo Aldenes Meira (PCdoB), na sessão do dia 12 o vereador Solon Pinheiro (DEM) solicitou a convocação do prefeito, o que foi rejeitado pela maioria na Casa.

– Desde então, a Mesa Diretora fez o convite ao prefeito Claudevane Leite, e sua agenda só permitiu para que pudesse comparecer na manhã desta terça-feira (18). Ressaltando que ontem ainda foi publicado em prazo regimental e o plenário hoje se encontrava lotado.

A nota diz ainda que a intenção do legislativo “foi aproveitar a vinda do prefeito com a data e horário que ele tinha disponível”. Segundo Aldenes, “pior seria se a Câmara não tivesse feito o convite”.

Vane, segundo o presidente da Casa, “não precisou ser blindado”. “Esse não é o papel do legislativo. O prefeito não precisa disso”.

PRÉDIO DO MESSIAS ABRIGARÁ REITORIA DA UFESBA

Vane (c) e o secretário Marcos Cerqueira vistoriam condomínio em Ferradas (Foto Gabriel Oliveira)

Vane (c) e o secretário Marcos Cerqueira vistoriam condomínio em Ferradas (Foto Gabriel Oliveira)

O prédio da central de distribuição da antiga rede de supermercados Messias, em Ferradas, vai abrigar, provisoriamente, a sede da reitoria e o campus da Universidade Federal do Sul da Bahia (Ufesba), em Itabuna, segundo anunciou o prefeito Claudevane Leite. O prédio fica na margem esquerda do trecho Itabuna-Ibicaraí da BR-415.

De acordo com a assessoria do município, a coordenação de implantação da universidade considerou o local o melhor para abrigar a Ufesba enquanto não é construída a estrutura definitiva. A previsão é de aula inaugural da instituição em setembro do próximo ano, após realização de concurso e contratação de pessoal administrativo e professores.

PC DO B ACERTOU QUEDA DE MÉDICO NO SÁBADO

A queda do médico Humberto Barreto foi decidida pelo PCdoB no último sábado (8) numa reunião com os “cabeças” do partido. Liga daqui, liga dali, definiu-se no encontro dos capas-pretas uma linha de ação.

A estratégia primordial era derrubar o médico do cargo de diretor de Planejamento. E, na sequência, fazer aprovar a lei que redefine a composição do Conselho Municipal de Saúde, mas ao gosto do freguês. E o freguês não é o cidadão, obviamente.

(Aqui, um adendo: o Ministério Público está de olhos bem atentos à jogada envolvendo o Conselho. E o governo conhece muito bem o trabalho do MP. E aqui não vai nenhum juízo de valor, obviamente).

Foi no sábado que o secretário de Saúde, Renan Araújo, disse ao prefeito Claudevane Leite que era ele ou Humberto na Saúde. Vane titubeou.

O PCdoB local entrou no circuito e acionou os capas-pretas de Salvador, dentre eles o presidente da Bahiagás, Davidson Magalhães.

Agora, a mensagem era outra. Ou Renan ou Humberto. Com um complemento: se Humberto ficar, o PCdoB rompe com a administração.

Entre a seriedade de Humberto e a aliança política com os comunistas, Vane fez a escolha de todos (ou quase todos) já conhecida.

Os comunas até alegaram que o prefeito já havia retirado, do partido, o comando do financeiro da Saúde, quando exonerou Almeciano Maia, cunhado do secretário de Saúde.

Para completar as pressões, o presidente da Câmara, Aldenes Meira, também foi acionado. Vane, literalmente, viu-se encurralado.

RIO, SÃO PAULO, NATAL… PROTESTOS CONTRA AUMENTO DE PASSAGEM GANHAM O PAÍS


Estudantes e trabalhadores estão promovendo onda de protestos em várias cidades do país contra uma outra onda,  a dos aumentos até abusivos de tarifa do transporte urbano.

Nos últimos dias, explodiram manifestações em capitais como Natal, São Paulo, Goiânia e Rio de Janeiro. Ontem (6), mais de 30 pessoas ficaram feridas no maior centro financeiro do país, a Avenida Paulista, em um protesto contra o aumento de passagem em São Paulo.

A polícia militar paulista usou balas de borracha, bombas de efeito moral e gás de pimenta contra manifestantes. Cerca de mil pessoas participaram do protesto. A passagem em São Paulo saltou de R$ 3,00 para R$ 3,20.

O aumento seria de 10%, mas caiu para 6,7% após o governo federal zerar as alíquotas de PIS e Cofins para as empresas do transporte urbano em todo o país. No Estado de São Paulo, pelo menos cinco cidades baixaram o valor da tarifa de ônibus.

Os manifestantes gritaram palavras de ordem com a chegada da polícia (“Ei, polícia, recua, é o poder popular que tá na rua”) e também lembrava que os rodoviários não haviam recebido aumento (“Ô motorista, ô cobrador, o seu salário também não aumentou”).

COM FROTA SUCATEADA, EMPRESAS COBRAM REAJUSTE EM ITABUNA

Reunião do conselho que sugeriu tarifa a R$ 2,50 (Foto Pedro Augusto).

Reunião do conselho que sugeriu tarifa a R$ 2,50 (Foto Pedro Augusto).

Vane diz que passagem vai a R$ 2,40.

Vane diz que passagem vai a R$ 2,40.

Em Itabuna, as empresas de ônibus pediram aumento de R$ 2,20 para R$ 2,70. O Conselho de Transporte Público fez estudos e votou pela tarifa a R$ 2,50, na segunda (3) (relembre aqui), o que representa reajuste de 13,63%. O percentual é mais que duas vezes superior ao concedido em São Paulo (6,7%), a cidade mais rica do país.

O Conselho de Transporte é dominado por representantes dos poderes Executivo e Legislativo, além de sindicatos. Na quarta (5), o prefeito Claudevane Leite anunciou que haverá aumento, mas não definiu o valor.

Vane antecipou que estuda a possibilidade de reajuste para R$ 2,40. Dirigentes do DCE da Uesc já se posicionaram publicamente contra o reajuste em Itabuna (confira artigo abaixo).

Itabuna possui uma das frotas mais antigas do transporte urbano do Estado. De acordo com levantamento feito pela Secretaria Municipal de Transporte e Trânsito, a média de idade da frota é superior a 11 anos (relembre aqui). O serviço é operado pelas empresas São Miguel e Expresso Rio Cachoeira.

MEIA-PASSAGEM AOS DOMINGOS

A qualidade do serviço é motivo de queixa dos usuários, que encontraram voz na Câmara de Vereadores. O vereador Nadson Monteiro (MD) usou a tribuna, em fevereiro, para resumir a situação do transporte coletivo. “São ônibus que não trazem conforto aos usuários, além da redução da frota em horários de pico, o que implica em uma demora maior nos pontos”.

Aldenes: meia-passagem.

Aldenes: meia-passagem.

Além das queixas na Câmara, há quem proponha que o Itabuna adote tarifa social aos domingos e feriados. A proposta é do presidente do legislativo municipal, Aldenes Meira (PCdoB).

A experiência da meia-passagem já foi utilizada em Itabuna no governo do ex-prefeito Geraldo Simões. Municípios como Salvador e Fortaleza (CE) praticam a meia aos domingos e feriados.

EMPRESAS ALEGAM “DEFASAGEM”

As empresas de ônibus, ao solicitarem aumento de de R$ 2,20 para R$ 2,70, apresentaram fatores como aumento de “insumos básicos” do transporte coletivo. E, também, reclamaram que a tarifa não é reajustada há dois anos.

As empresas são representadas por uma entidade, a Associação das Empresas de Transporte Urbano (Aetu). O último reajuste foi concedido na gestão de Capitão Azevedo, em 2011, quando a tarifa saiu de R$ 2,00 para R$ 2,20.

A associação apresenta outra queixa: o alto índice de gratuidade no serviço. Beira os 33% o percentual de usuários que não pagam passagem, segundo os dirigentes da associação. As empresas acenam com renovação da frota para obter aumento.

ENQUANTO ISSO, EM BRASÍLIA…

dilma, geraldo e vane

 

VANE ESTUDA TARIFA DE ÔNIBUS A R$ 2,40

Vane estuda conceder reajuste menor que autorizado pelo Conselho (Foto Gabriel Oliveira).

Vane estuda conceder reajuste menor que autorizado pelo Conselho (Foto Gabriel Oliveira).

Por meio de sua assessoria, o prefeito Claudevane Leite (PRB) disse que estuda a possibilidade de reajustar a passagem de ônibus em Itabuna de R$ 2,20 para R$ 2,40. Na segunda passada, o Conselho de Transporte havia aprovado reajuste de 13,63%, o que faria com que a tarifa saltasse para R$ 2,50.

Segundo o prefeito, deve-se considerar que o último reajuste ocorreu em 2011 e as empresas tiveram aumento real de custos nos últimos dois anos. Ainda em nota distribuída pela sua assessoria, Vane também citou condicionantes como renovação da frota, cumprimento de itinerários e horários para conceder reajuste.

O contrato de concessão pública do serviço operado pelas empresas Expresso Rio Cachoeira e São Miguel vence no próximo ano. O município somente fará licitação das concessões, no próximo ano, se as empresas não melhorarem os serviços. O município nunca realizou licitação de suas linhas de ônibus urbano.

PIMENTA(S) DO DIA – HABEMUS PREFEITO…

Comentário do leitores Osvaldo Palmeira Júnior e Comunista da Sibéria ao post “Vane rejeita nomes do PCdoB para o financeiro da saúde”:

Será que agora, 150 dias após a posse, vamos ter fumaça branca na Prefeitura de Itabuna? Já temos prefeito de direito? Se o nome de Edmar Sodré for confirmado para a Saúde, na área administrativa, teremos de fato um competente profissional cuidando de um setor tão importante.

Leitor (a) Comunista da Sibéria comenta “Vane rejeita nomes do PCdoB para o financeiro da Saúde”:

É o que diz a fonte. As torneiras gotejantes espalhadas pelos quatro cantos da cidade dão conta de que se não há Coitus Interruptus os problemas de “disfunção erétil” continuarão existindo. E não adianta vir a público fingir orgasmo.

VANE REJEITA NOMES DO PC DO B PARA O FINANCEIRO DA SAÚDE

Vane bateu pé (Foto Gabriel Oliveira).

Vane bateu pé (Foto Gabriel Oliveira).

A lua de mel do prefeito Claudevane Leite com o PCdoB registra momentos de turbulência. Ontem, Vane rejeitou as indicações de Ramon Cardoso e Wellington Rodrigues, respectivamente, para os cargos de diretor financeiro e diretor administrativo da Secretaria da Saúde.

Os nomes foram levados ao prefeito pelo próprio secretário Renan Araújo, o vice-prefeito Wenceslau Júnior e o presidente da Bahiagás, Davidson Magalhães. Vane bateu pé, rejeitou as indicações e disse que ele escolheria os nomes.

Vane não aceitou a argumentação do titular da Pasta. Renan explicou ao prefeito que precisava de um nome de sua confiança para o financeiro. O prefeito rebateu afirmando que confiava nos nomes escolhidos por ele próprio (Adenilson Ramos, da Marimbeta, e Edmar Sodré, ex-Uesc).

Os dois cargos eram acumulados, até o início deste mês, por Almeciano Maia. Como revelou o Pimenta em primeira mão, Maia pediu exoneração do cargo (relembre aqui). Antes de apresentar os nomes de Ramon e Wellington, o trio comunista tentou o retorno de Almeciano. Vane não aceitou.

AZEVEDO NO PSDB

Azevedo foto Pimenta www.pimenta.blog.brO ex-prefeito de Itabuna, Capitão Azevedo, terá conversa de pé-de-ouvido com o prefeito de Salvador, ACM Neto, na próxima quinta-feira, 25. Deverá anunciar a sua (a dele, claro!) saída do DEM.

Azevedo, o escorregadio, está de malas prontas para ingressar no PSDB, por onde deve concorrer a uma vaga à Câmara Federal. Mas tudo dependerá da conversa da próxima quinta.

O ex-prefeito acredita que o cenário em Itabuna lhe é propício. Avalia que, passados 100 dias de Governo Vane, o clima na cidade é de frustração eleitoral.

 

PRETENSÕES POLÍTICAS

marcowenseMarco Wense

Já temos um bom número de pré-candidatos a deputado estadual. Todos querendo marcar posição e de olho na sucessão do prefeito Claudevane Leite (PRB).

Aposta bem quem diz que o pretenso candidato é um, digamos, aspirante de prefeiturável. Sonha diariamente com a cobiçada prefeitura de Itabuna.

É evidente que entre os “prefeituráveis” tem os que entram na disputa só para negociar a pré-candidatura. São conhecidos como prostitutas do processo eleitoral.

Não é o caso, por exemplo, citando apenas quatro nomes, da professora Acácia Pinho e dos médicos Renato Costa, Antonio Vieira e Edson Dantas, respectivamente pelo PDT, PMDB, DEM e PSB.

Cabe ao eleitor, além de votar em candidatos da região, principalmente com domicílio eleitoral em Itabuna, separar o joio do trigo, sob pena de enterrar de vez a tão lamentada falta de representatividade política.

A eleição de 2014 passa a ser uma espécie de teste para a sucessão municipal de 2016. Quem tiver uma votação bem abaixo do esperado fica automaticamente descartado.

O governo Vane será também um importante indicador. Um prefeito forte, disputando o segundo mandato, inibe os pretendentes. Os mais vistosos são os ex-alcaides Fernando Gomes e Geraldo Simões.

PS – Para alguns leitores, a discussão sobre a sucessão de Claudevane Leite é prematura e intempestiva. Para outros, não. O processo sucessório já começou.

VANE E O PODER

(Foto Pimenta)

(Foto Pimenta)

Confesso que torço – e muito – para que o prefeito Claudevane Leite faça um bom governo. E o motivo é um só: Itabuna não suporta mais uma administração desastrosa e irresponsável. Seria o caos.

O problema é que fica parecendo que o chefe do Executivo não está gostando do que faz. Fazer gostando, seja na vida pública ou privada, é imprescindível.

A prova maior da falta de apetite político do prefeito é a dúvida em relação a sua presença nos eventos. Se Vane vai comparecer ou vai mandar o vice Wenceslau representá-lo.

Força, Vane. Acreditamos em você. Que Deus te ilumine.

ENQUETE: COMO VOCÊ AVALIA O GOVERNO VANE?

O Governo Vane completou, hoje, 100 dias. Queremos saber a sua opinião sobre a gestão do prefeito Claudevane Leite em uma enquete que está disponível na lateral direita superior do blog. O resultado será publicado ainda hoje.

SÓ NA ALEGRIA

marcowenseMarco Wense

Quem faz política no governo Vane é o PCdoB. Faz política com pragmatismo, disciplina e perseverança. O próximo passo é a eleição de Davidson Magalhães para deputado federal. Outras metas virão.

O prefeito Claudevane Leite precisa formar um grupo político de sua inteira confiança, sob pena de ficar “amarrado” ao Partido Comunista do Brasil, o PCdoB.

Não vai também entrar no jogo da oposição, ávida por um rompimento entre o prefeito e o vice Wenceslau Júnior. A possibilidade de uma cisão é remota.

Como é remota – e não inexistente ou impossível –, o pega-pega pode acontecer. Quem sabe em 2015 ou no ano eleitoral de 2016. A torcida é para que o racha aconteça já, agora em 2013.

Quem são os oposicionistas ansiosos por um Vane versus PCdoB? A resposta é mais que óbvia: os petistas de Geraldo Simões, os demistas de Azevedo e alguns tucanos ligados ao prefeiturável Augusto Castro.

Todo chefe de Executivo tem o seu staff político, que funciona como uma capa protetora. Os ex-Fernando Gomes, Geraldo Simões e Azevedo tinham suas armaduras.

E mais: quem faz política no governo Vane é o PCdoB. Faz política com pragmatismo, disciplina e perseverança. O próximo passo é a eleição de Davidson Magalhães para deputado federal. Outras metas virão.

Hoje, o PCdoB é fiel a Vane. Amanhã, é uma grande incógnita. O apoio da legenda comunista vai depender da avaliação do governo pela opinião pública.

Não existe nenhum compromisso do PCdoB com o segundo mandato do prefeito Vane (reeleição). Outro caminho na sucessão municipal de 2016 não é descartado.

O casamento entre Claudevane Leite e o PCdoB pode até ser duradouro. Mesmo sem a promessa de fidelidade na alegria e na tristeza.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

A CAMPANHA E O ELEITOR. O GOVERNO E O “CIDADÃO”

ricardo artigosRicardo Ribeiro | ricardo_rb10@hotmail.com

 

Não obstante as evidentes e inegáveis diferenças no aspecto pessoal, a semelhança que vai se revelando entre Vane e Azevedo encontra-se no vácuo existente no gabinete do prefeito.

 

O eleitor itabunense optou pela moral ao escolher seu prefeito em outubro de 2012. Não preferiu o mais competente, se é que havia alguém com esse perfil no cardápio, mas sim o que era ou parecia ser mais correto, no sentido de probo, honesto, homem de família e princípios.

Vane do Renascer oferecia-se como o exato contraponto ao então prefeito e candidato à reeleição, José Nilton Azevedo. Hoje, porém, parecem surgir semelhanças indesejáveis no que pertine à gestão. Ou à falta desta.

Como símbolo, a espessa fumaça negra que subiu aos céus nesta quinta-feira, 4, em um incêndio no “canteiro de obras” da Prefeitura, falou por si. Um internauta brincou no Facebook: “ainda não habemus prefeito”.

O engraçado é que em nenhum momento, durante a campanha, Vane procurou evidenciar que seria um gestor eficiente. Sua propaganda destacou de maneira mais forte a defesa de bons valores e a construção de uma onírica “cidade de paz”. Falava a um eleitor que aprova os bons costumes, embora nem sempre os pratique, e que está cansado de viver em uma cidade dominada pela desordem e a violência. Sobre o “como fazer”, nada disse nem lhe foi perguntado.

Não obstante as evidentes e inegáveis diferenças no aspecto pessoal, a semelhança que vai se revelando entre Vane e Azevedo encontra-se no vácuo existente no gabinete do prefeito. Assim como o ex-gestor, o atual aparenta ser alguém que não tem efetivamente as rédeas do poder nas mãos. Há certa dispersão no campo das responsabilidades, mas o precipitado desgaste do eleito junto à opinião pública indica que o eleitor já decidiu a quem condenar.

Quem votou no certinho, hoje exige o competente e nem se preocupa se a imagem apresentada em campanha deixa de corresponder à realidade em algumas situações. Prova disso é a pequena repercussão do ato pelo qual o prefeito agraciou o próprio filho, servidor efetivo do município, com uma função gratificada.

Não é incomum o eleitor aquiescer a tais práticas, admitindo inclusive que “se estivesse lá, faria o mesmo”. O que irrita de fato o sujeito é a deficiência da coleta de lixo, o buraco na rua, a falta de água na torneira, o salário e o ônibus atrasados. Uma prova inequívoca de que os critérios das cobranças diferem dos critérios do voto e se aproximam dos valores efetivamente vivenciados pelo eleitor. Na campanha, ele sonha como a vida poderia ser; depois do voto, preocupa-se com as mazelas da vida como ela é.

Ricardo Ribeiro é advogado e blogueiro.

VEREADOR DO PRB MANDA VANE “TOMAR AS RÉDEAS” DO GOVERNO

Durante pronunciamento na Câmara de Itabuna, o vereador Pastor Francisco, que pertence ao mesmo partido do prefeito Claudevane Leite, o PRB, aconselhou o gestor a “tomar as rédeas” de seu governo. O puxão de orelha reverberou e virou crítica contundente em discurso do vereador Carlito do Sarinha (PTN).

O vereador do PTN declarou que a população votou em Vane – como o prefeito é mais conhecido – e não em secretários. A queixa tem a ver com um alegado desempenho insatisfatório de ocupantes do primeiro escalão do governo.

Apesar de concordarem no principal, Carlito e o Pastor Francisco acabaram divergindo em outro ponto: quando o primeiro afirmou que o PRB “pertence” à Igreja Universal. O xará do Papa estrilou.

Confira em vídeo gravado pelo blog Nachapaquente:

VAI OU NÃO VAI?

Vane foi ao bispo Dom Ceslau quando ainda era candidato a prefeito.

Vane foi ao bispo Dom Ceslau quando ainda era candidato a prefeito.

Durante a campanha eleitoral, o então candidato Vane do Renascer foi ao bispo Dom Ceslau Stanula pedir o apoio do religioso a políticas sociais e de segurança pública. Se como candidato ele pode ir até a Igreja Católica, como prefeito torna-se compromisso. Por esse prisma, não há como explicar uma possível ausência de Vane da tradicional procissão de São José, amanhã, em Itabuna.

O fato de ser evangélico não é explicação aceitável. Judeu, o governador Jaques Wagner dá exemplo respeitando todos os credos e não deixa de participar de eventos desta ou daquela denominação. Políticos, geralmente, deixam de participar destes atos quando têm medo da resposta popular.

BRANDÃO DIZ QUE VANE “NÃO DECEPCIONARÁ”

césar brandãoLíder do Governo Vane na Câmara, César Brandão (PPS) tem uma avaliação diferente do constatado na pesquisa da Sócio-Estatística sobre os primeiros 70 dias da gestão municipal. O vereador considera “positivo” o saldo dos dois meses e meio de gestão e disse que “muita coisa boa ainda vai acontecer neste primeiro semestre de 2013”.

Para César Brandão, a opção do itabunense pela eleição de Vane do Renascer (PRB) representou o cansaço da população com as formas de administrar experimentadas até o ano passado.

O líder até repete mantra vanista: a cidade se transformará em canteiro de obras em 60 dias. E acrescenta: o novo governo “não decepcionará”.

Os primeiros dias, no entanto, têm provocado outra sensação. O vice-prefeito Wenceslau Júnior, por exemplo, sentiu isso na pele, no sábado, 9, quando tentou dar um “boa noite” a quem foi à Lavagem do Beco do Fuxico…

PESQUISA REVELA QUE SÓ 23,2% DOS ITABUNENSES APROVAM GOVERNO VANE

Vane obtém aprovação de 23,5% em início de governo.

Vane obtém aprovação de 23,5% em início de governo.

A Sócio-Estatística fez levantamento com 808 itabunenses, no período de 1 a 8 de março. Os resultados levam preocupação ao prefeito Claudevane Leite (PRB) e – mais ainda – ao ex-prefeito Capitão Azevedo (DEM).

Com pouco mais de dois meses de gestão, o Governo Vane obteve apenas 23,2% de avaliação positiva, percentual praticamente igual ao dos que consideram a gestão ruim ou péssima: 20,8%.

A margem de erro do levantamento é de 4 pontos percentuais.

O percentual dos que avaliam o governo como regular atingiu 21,5%. Dos eleitores ouvidos,  34,5% não quiseram emitir opinião.

Para Agenor Gasparetto, da Sócio-Estatística, a avaliação do governo tende levemente ao positivo, mas a administração “terá que provar que será capaz de ir além de boas intenções e bons propósitos”. O itabunense, diz Gasparetto, está mais exigente.

Gestão de Azevedo obteve reprovação de 52,1% dos itabunenses.

Gestão de Azevedo obteve reprovação de 52,1% dos itabunenses (Foto Bahia Online).

A pesquisa também aferiu o humor do eleitorado em relação ao finado governo de José Nilton Azevedo (DEM).

Exatos 52,1% dos pesquisados avaliaram como negativa a administração do ex-prefeito, sendo que, destes, 42,9% cravaram como “péssima” a gestão do democrata. A aprovação ficou em 21,1%.

Palavras de Gasparetto: “Essa avaliação praticamente sela a sorte de Azevedo como político no curto prazo. Saiu mal do governo e sair mal não é uma boa notícia e não emite sinais alvissareiros para o futuro, muito pelo contrário”.

A Sócio-Estatística ainda perguntou ao eleitor itabunense sobre as gestões de Dilma (muito bem avaliada) e de Wagner (tendendo ao negativo) e mandatos de deputados itabunenses: os estaduais Augusto Castro e Gilberto Santana têm avaliação tendendo ao positivo, enquanto o federal Geraldo Simões é mais conhecido (está no terceiro mandato de deputado e foi duas vezes prefeito de Itabuna), mas a visão que o itabunense tem dele, no geral, tende ao negativo. Atualizado às 13h37min.

O GOVERNO PRECISA OLHAR PARA FRENTE

Este blog concorda com a necessidade de tempo razoável para que o novo governo itabunense resolva todos os problemas deixados pela administração passada e, quando faz cobranças, não é por desconhecer ou ignorar o quanto a administração passada prejudicou a cidade. É, simplesmente, porque só há um governo ao qual hoje a população pode recorrer, e não se trata, claro, da gestão finada em dezembro.

É óbvio e não precisa ser repetido a todo momento que o prefeito Claudevane Leite recebeu uma “herança maldita”, mas é preciso ter muito cuidado para que a exaustiva repetição de um fato notório não se transforme em pretexto para a falta de ações. A população está sendo até econômica na bronca, pois tem simpatia pelo prefeito e grande parte dos itabunenses certamente ainda confia nele.

O que se exige não é solução imediata para tudo, num ilusório passe de mágica. Mas as cobranças não podem ser vistas por certos setores do governo como negativismo ou apedrejamento. Por mais que a crítica incomode, ela deve servir – quando justa e correta – para indicar correções que precisam ser feitas.

Em vez de lembrar a todo momento da óbvia herança maldita, por que não se concentrar no principal lema do prefeito em campanha, que foi a palavra “mudança”? Um motorista, quando pretende mudar de direção, olha num primeiro momento o retrovisor para ter a segurança do que irá fazer. Depois, segue em frente e não precisa ficar o tempo todo mirando o que já passou. É essa a atitude que a população quer ver o governo adotar.

Se as condições não permitem grandes mudanças imediatas, que pelo menos o governo dê sinais claros de que ela ocorrerá em algum momento não tão distante. Evitar e combater velhos vícios, buscar soluções criativas para administrar com eficiência os recursos disponíveis e ter a transparência como princípio são posturas extremamente necessárias para que se vislumbre que há algo realmente novo na política local. Por outro lado, discursos e práticas repetidos, e bastante conhecidos, tendem a produzir uma frustração que Itabuna não merece viver mais uma vez.

unisa






WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia