WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
cenoe





novembro 2018
D S T Q Q S S
« out    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  

editorias






:: ‘Vigilância Sanitária’

ILHÉUS PODE TER VERBAS BLOQUEADAS POR CAUSA DE IRREGULARIDADES EM SISTEMA

Ilhéus pode ter verbas da saúde bloqueadas

Ilhéus deixou de alimentar o banco de dados do Ministério da Saúde com informações sobre nascidos vivos no município e poderá ter parte dos recursos para área de saúde suspenso a  partir de maio. De acordo com relatório do MS, a Secretaria de Saúde de Ilhéus deixou de transmitir os dados referentes a setembro e outubro do ano passado.

O envio dos dados para o Sistema de Informação de Nascidos Vivos (Sinasc) é uma das exigências do Ministério da Saúde para repasses mensais de verbas  do Fundo Nacional de Saúde para ações na área de vigilância sanitária.  Se a situação não for regularizada, o município do sul da Bahia ficará sem receber recursos do Piso Fixo de Vigilância em Saúde (PFVS) e Piso Variável de Vigilância em Saúde (PVVS).

O relatório do Ministério da Saúde informa a síntese da avaliação de municípios, quanto à regularidade na alimentação do Sinasc, a partir do banco de dados da base federal do período de avaliação de junho de 2016 a outubro de 2017, consolidados em 8 de janeiro de 2018. Os dados foram atualizados até 31 de outubro de 2017 para as finalidades da Portaria 47/2016 do MS.

RELATÓRIO DO MS

O relatório traz a lista de municípios para o primeiro alerta de bloqueio a partir de maio de 2018, para aqueles que mantiverem as irregularidades apontadas nos relatórios até 31 de março deste ano. Caso resolvam as irregularidades identificadas, e não acumulem novas falhas, os municípios poderão sair da lista de alerta e não terão o recurso bloqueado.

Na Bahia, além de Ilhéus estão na lista de ameaçados os municípios de Itiúba (referência janeiro/fevereiro de 2017), São Gonçalo dos Campos  (dezembro de 2016 e janeiro de 2017)  e Rio Real (outubro e novembro de 2016).

ESTUDANTES PASSAM MAL APÓS REFEIÇÃO EM RESTAURANTE DA UESC

Restaurante Universitário é alvo de novas reclamações de alunos || Foto DCE Uesc

Restaurante Universitário é alvo de novas reclamações de alunos || Foto Robson Duarte

Vários estudantes que fizeram refeição no Restaurante Universitário da Uesc (Universidade Estadual de Santa Cruz), no sábado (14), reclamaram de dores estomacais neste final de semana. A maioria usou as redes sociais para se queixar da qualidade da comida e relatar problemas de saúde durante a noite de sábado e a madrugada do ontem (15).

Um dos estudantes disse ter passado mal. “Meu estômago ficou estranho. O que eu percebi é que carne de hambúrguer e salada era da sexta-feira, não sei se as demais opções de comida também eram, mas acredito que sim”, relatou por meio do Facebook.

Outro reclamou da salada. “Até congelada tava“. Um terceiro estudante diz ter passado mal. E desconfia do arroz branco. “Tava com cara de ser de outro dia, mas eu, inocente, imaginei que apenas tinha passado do ponto”.

Trechos de relatos feitos por estudantes da Uesc

Trechos de relatos feitos por estudantes da Uesc

SEM QUEIXA FORMALIZADA

Apesar das dezenas de queixas registradas por estudantes em redes sociais, ainda não houve queixa formal tanto na Reitoria como na Ouvidoria da Uesc, segundo informou ao PIMENTA a assessoria de comunicação da universidade.

O estudante que se sentiu mal após fazer refeição no RU deve formalizar reclamação por meio de um dos três canais possíveis (Reitoria, Ouvidoria e Pró-Reitoria de Administração).

Ainda de acordo com a universidade, “funcionários técnicos-administrativos” também fizeram refeição no RU no sábado “e ninguém apresentou problema por causa da alimentação”. Segundo a universidade, “também não houve registrou de ocorrência no posto de saúde” relacionada ao problema, o que é compreensível, já que a refeição foi feita ao meio-dia de sábado.

INTERDIÇÃO

Não é a primeira vez que o Restaurante Universitário é alvo de queixas relacionadas à qualidade da comida. Em julho de 2016, a Vigilância Sanitária de Ilhéus interditou o RU depois que dezenas de estudantes passaram mal após fazer refeição no estabelecimento (relembre aqui). O restaurante é administrado por uma empresa privada.

CARNE CLANDESTINA É APREENDIDA EM ITABUNA

Carne apreendida na Juracy Magalhães.

Carne apreendida pela Vigilância.

Uma equipe da Vigilância Sanitária apreendeu 155 quilos de carne dianteira bovina mais dois quilos de rabada em um frigorífico na Avenida Juracy Magalhães, no Fátima, em Itabuna. A apreensão ocorreu nesta segunda (18). A carne havia sido abatida em matadouro clandestino. O produto foi incinerado em Nova Ferradas.

HIPERMERCADO VENDIA TORTAS CONGELADAS VENCIDAS HÁ TRÊS ANOS

Tortinha estava com prazo de validade vencido desde 2011

Tortinha estava com prazo de validade vencido desde 2011

Fiscais da Vigilância Sanitária de Itabuna apreenderam 100 quilos de produtos estragados no Hiper Bompreço, no Shopping Jequitibá, em Itabuna. De acordo com o chefe da Vigilância, Antônio Carvalho, a maioria estava com a data de validade fraudada.

Tortas congeladas estavam vencidas desde 16 de junho de 2011, segundo Carvalho. Os produtos estavam com etiquetas de validade sobrepostas para tentar esconder a fraude.

– Nesse caso, será aberto um processo administrativo e aplicada multa como determina a legislação sanitária federal – afirma o chefe da vigilância.

Segundo Carvalho, na padaria e no setor de congelados do Bompreço foram apreendidos frangos congelados, pizzas pré-prontas, gema de ovo pasteurizado, biscoitos, mistura para confecção de bolo, espetinho de frango e fermento com validade vencida ou estragado.

VIGILÂNCIA SANITÁRIA INTERDITA CHURRASCARIA EM ITABUNA

Uma churrascaria que funciona no Posto Atalaia, às margens da BR-101, na região do São Lourenço e Vila Paloma, foi interditada pela Vigilância Sanitária. De acordo com o órgão da Secretaria de Saúde de Itabuna, o estabelecimento armazenava alimentos irregularmente e foram encontrados 53 quilos de carne bovina imprópria para consumo humano.

Durante a “batida”, os fiscais da vigilância também apreenderam dez litros de leite e 12 copos de açaí. O estabelecimento seria reincidente e sofreu, segundo o comando da vigilância, várias notificações em dois anos, principalmente quando a freezers avariados e com ferrugem, utilizados para armazenar produtos alimentícios.

VIGILÂNCIA SANITÁRIA INTERDITA 3 ACADEMIAS EM ITABUNA

As academias de ginástica Performe, Forma Física e Impacto foram interditadas pela Vigilância Sanitária de Itabuna nesta segunda (11). Os estabelecimentos possuíam profissional de Educação Física sem registro no Conselho Regional de Educação Física (Cref) e não tinham autorização para funcionar, segundo a Vigilância Sanitária. A Performe funciona no Pontalzinho, a Forma Física no São Caetano e a Impacto na Avenida do Cinquentenário.

O coordenador da Vigilância, Antonio Carlos Carvalho, justificou a medida como reação a duas notificações para que as academias se adequassem à legislação. Os estabelecimentos também não estavam credenciados, segundo Carvalho. As interdições cumprem determinação do Ministério Público Estadual (MP-BA), conforme a autoridade sanitária.

Carvalho acrescentou que, anteriormente, quatro academias foram notificadas. Apenas a Ildo Fitness, na Rua São Sebastião, no Fátima, apresentou documentos obrigatórios. As medidas tomadas pelo MP e Vigilância Sanitária seguem as leis 9.696/1998, que regulamenta o exercício do profissional em Educação Física, e 6.839/1980. Esta última determina a obrigatoriedade do registro que, segundo a Lei 5.782/1980, deve ser feito com autorização da Secretaria Estadual de Educação.

Leia também
DONO DA FORMA FÍSICA DIZ QUE
PROFISSIONAIS TÊM REGISTRO NO CREF

VIGILÂNCIA SANITÁRIA INTERDITA CENTRO DE SAÚDE EM ITABUNA

Atendimento no Centro de Saúde está suspenso até o início de dezembro (Foto Pimenta).

Atendimento no Centro de Saúde está suspenso até o início de dezembro (Foto Pimenta).

O Centro de Saúde José Maria de Magalhães Neto (antigo Sesp) foi interditado pela Vigilância Sanitária de Itabuna ao final da tarde de ontem (11). No local, há uma placa que anuncia o fechamento temporário da unidade para reforma da estrutura física.

Nesta manhã de terça (12) os funcionários fazem mobilização em frente à unidade para cobrar da Secretaria de Saúde informações sobre onde vão trabalhar no período até a reabertura do Centro de Saúde.

“Estão todos sem saber para onde vão”, disse uma funcionária ao PIMENTA. Os funcionários concordam que havia necessidade de interdição do centro. “A rede de frios, que trabalha com vacinação especial, estava funcionando ao lado de um banheiro. É uma fedentina que nem urubu se arrisca a baixar aqui’, afirmou funcionário que preferiu não ser identificado.

REABERTURA EM DEZEMBRO

Por meio de assessoria, o secretário Plínio Adry informou que os serviços serão remanejados a partir de hoje. A previsão de retorno é a primeira semana de dezembro, quando deverão ser concluídas as obras de reparo. De acordo com o município, a unidade não passava por obra de reforma há dez anos.

Pacientes dos programas de Tuberculose e Hanseníase e do Programa de Atenção ao Idoso (Prosi) serão atendidos na Policlínica Dois de Julho, em frente ao centro de saúde. Os pacientes do Hiperdia (hipertensão e diabetes) terão atendimento suspenso até início de dezembro. O secretário prometeu disponibilizar um servidor para dar informações aos pacientes na unidade de saúde.

VIGILÂNCIA SANITÁRIA APREENDE 1.800 QUILOS DE ALIMENTOS ESTRAGADOS EM SUPERMERCADOS

Vigilância aumentou ações de fiscalização em Itabuna (Pimenta).

Vigilância aumentou ações de fiscalização em Itabuna (Pimenta).

A Vigilância Sanitária de Itabuna apreendeu 1,8 mil quilos de carnes e queijo impróprios para consumo humano. As apreensões ocorreram em três supermercados do centro de Itabuna. A ação foi divulgada nesta sexta, mas os flagrantes ocorreram na quinta, 4.

A Vigilância, no entanto, adota orientação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e não divulga os nomes dos estabelecimentos onde ocorreram os flagrantes.

Dentre os produtos estragados, foram apreendidos carne bovina, frango, queijo, calabresa e peixe. Segundo Antônio Carlos Carvalho, diretor da Vigilância Sanitária, 1.150 quilos de peixe miraguaia foram recolhidos em dois dos supermercados.

O terceiro supermercado estocava, aproximadamente, 650 quilos de carne bovina, frango congelado, calabresa e queijo fora do prazo de validade.

A Secretaria de Saúde reforçou as ações de fiscalização de estabelecimentos que comercializam gêneros alimentícios ou refeições. Há duas semanas, foram apreendidos 310 quilos de queijo, presunto e carne estragados e 115 litros de óleo de soja saturado (reutilizado) em uma fábrica clandestina de salgados, que eram vendidos em uma barraca de pastel ao lado do Fórum Ruy Barbosa.

FÁBRICA DE SALGADOS É INTERDITADA NO SÃO CAETANO

Queijo, óleo saturado, carne e presunto vencidos ou clandestinos foram encontrados na fábrica localizada no São Caetano (Pimenta).

Queijo, óleo saturado, carne e presunto vencidos ou clandestinos foram encontrados na fábrica localizada no São Caetano (Pimenta).

Fermento com validade vencida e presunto estragado representavam riscos à saúde (Pimenta).

Fermento com validade vencida e presunto estragado representavam riscos à saúde (Pimenta).

A Vigilância Sanitária interditou, hoje, uma fábrica de salgados que funcionava clandestinamente na Avenida Manoel Chaves (Kennedy), no Bairro São Caetano, em Itabuna.

A falta de higiene e as condições de fabricação de salgadinhos surpeenderam os fiscais da Vigilância Sanitária. Os salgados eram produzidos numa garagem, em meio a pneus, bicicletas e lixo.

No local, os fiscais apreenderam 200 quilos de mussarela clandestina, 20 quilos de fermento biológico com validade vencida, 20 quilos de presunto deteriorado e 70 quilos de carne bovina imprópria para consumo, além de 115 litros de óleo de soja saturado.

ADES COM SOJA: SUPERMERCADOS DESRESPEITAM DETERMINAÇÃO DA ANVISA

Proibidos, sucos Ades com soja estão à venda em supermercado de Itabuna (Foto Pimenta).

Proibidos, sucos Ades com soja estão à venda em supermercado de Itabuna (Foto Pimenta).

Apesar da determinação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), grandes redes de supermercados de Itabuna não suspenderam a venda de sucos com soja da Ades. A resolução da Anvisa foi publicada ontem, 18, no Diário Oficial da União e teve ampla divulgação nacional (confira aqui).

A resolução vem sendo desrespeitada. Ainda hoje é possível ver produtos expostos e à venda em supermercados na área central de Itabuna. Hoje à tarde, o PIMENTA conferiu que mais da metade dos sucos Ades à venda em um supermercado na Avenida Juracy Magalhães era da linha que leva soja.

A proibição começou a valer ontem, após a Anvisa constatar que sucos de maçã da Ades fabricados em Pouso Alegre (MG) foram fabricados misturados a produtos de limpeza.

A Unilever Brasil, detentora da marca Ades, disse que houve falha no processo de higienização das máquinas. Quase 100 embalagens foram distribuídas em São Paulo, no Rio de Janeiro e no Paraná com o produto impróprio para consumo.

O blog não conseguiu contato com a Vigilância Sanitária de Itabuna para saber das medidas adotadas para que a resolução da Anvisa seja respeitada pelos supermercados.

FISCAIS APREENDEM 250 KG DE CARNE ESTRAGRADA EM ITABUNA

A maior apreensão de carne ocorreu em janeiro deste ano (Foto Wilson Oliveira).

Maior apreensão de carne ocorreu em janeiro deste ano (Foto Wilson Oliveira).

A Vigilância Sanitária promete apertar o cerco contra a venda de carne clandestina após a interdição do matadouro de Itabuna. Os comerciantes têm agora como alternativa para abate os frigoríficos de Itapetinga, Jequié e Ilhéus.

No final de semana, a Vigilância apreendeu cerca de 250 quilos de carne imprópria para consumo humano. A apreensão ocorreu nas feiras livres dos bairros São Caetano e Califórnia e no Centro Comercial. Desde o início do ano, aproximadamente 900 quilos de carne estragada foram apreendidos no município, 650 deles no final de janeiro.

Segundo o diretor da Vigilância Sanitária de Itabuna, Antônio Carvalho, a equipe de agentes de fiscalização foi reforçada com seis profissionais treinados “para exigir o cumprimento da legislação pelos abatedores e comerciantes de carnes nas feiras livres, Centro Comercial e açougues”. Carvalho diz que a ação do município visa garantir venda de produtos de qualidade.

VIGILÂNCIA APREENDE 650 QUILOS DE CARNE CLANDESTINA

Carne imprópria para consumo foi apreendida no centro comercial (Foto Wilson Oliveira).

Carne imprópria para consumo foi apreendida no centro comercial (Foto Wilson Oliveira).

A Vigilância Sanitária apreendeu ontem, 30, cerca de 650 quilos de carne clandestina em Itabuna. O produto estava impróprio para consumo. No momento da apreensão, a carne estava exposta em duas barracas no centro comercial. Segundo técnicos da vigilância, o produto apresentava “coloração esverdeada, odor forte e muita mosca”.

A carne era de animais que estavam sendo transportados para o matadouro municipal de Itabuna, quando houve acidente. O gado morto foi levado para pontos clandestinos para serem despostados e a carne comercializada de forma clandestina, segundo Antônio Carvalho, da Vigilância Sanitária.

MINISTÉRIO DA SAÚDE SUSPENDE REPASSE A MUNICÍPIOS BAIANOS

O Ministério da Saúde decidiu suspender repasse de recursos para a área de vigilância sanitária a 96 municípios baianos. A decisão está publicada na edição de hoje do Diário Oficial da União e atinge outros 1,3 mil municípios brasileiros que deixaram de abastecer o Sistema de Informação Ambulatorial.

CONFIRA LISTA COMPLETA

Dentre os municípios baianos atingidos, estão Camamu, Caravelas, Dário Meira, Itagi, Itamaraju, Itapitanga, Mascote, Maraú, Valença e Ubatá, localizados na macrorregião sul-baiana.

As verbas somente serão liberadas quando os municípios atualizarem os dados. De acordo com a portaria, os municípios não repassavam informações de vigilância sanitária há, pelo menos, dois meses.

MINISTÉRIO SUSPENDE VERBAS PARA ILHÉUS E ITABUNA

Pelo menos 162 municípios baianos tiveram suspensas as transferências dos recursos financeiros voltados à Vigilância Sanitária. O corte de repasses ocorre a partir deste mês. A medida atinge municípios como Ilhéus, Itabuna e Vitória da Conquista. A lista está publicada na edição desta sexta-feira, 1º, do Diário Oficial da União.

A decisão do Ministério da Saúde decorre de irregularidades na prestação de contas ao Sistema de Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (SCNES) e Sistema de Informação Ambulatorial (SIA/SUS).

FALTA DE HIGIENE

Um alerta à Vigilância Sanitária em Itabuna. É preciso ficar de olho nos chamados “sacolões”, aqueles estabelecimentos comerciais especializados na venda de frutas e verduras. Em grande parte deles, a limpeza é um mero e esquecido detalhe.

O perigo para o consumidor pode ser verificado nos cestos imundos, prateleiras idem, além da falta de limpeza adequada de alguns utensílios. Facas usadas no corte de abóboras e melancias, por exemplo, ficam expostas às moscas e, no momento de utilizá-las, não se emprega água e detergente. Quando muito, passa-se um pouco de álcool (que não limpa absolutamente nada).

É grave.






WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia