WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
festival chocolate






alba










junho 2019
D S T Q Q S S
« maio    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  

editorias






:: ‘violência’

ROBERTO JOSÉ: “COM A CULTURA, NÓS PODEMOS FAZER UMA REVOLUÇÃO NA CIDADE”

Roberto José da Silva - foto Thiago Pereira

Presidente da Ficc aposta na cultura para reduzir violência em Itabuna (foto Thiago Pereira)

Roberto José da Silva tem um currículo diversificado. Presidente da Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (Ficc) desde janeiro, ele é geógrafo com pós-graduação em Planejamento de Cidades e mestrado em Geografia com ênfase em Criminologia de Ambientes. Estudioso da questão da violência, Roberto José afirma ver a cultura como instrumento de transformação e defende a tese de que muitos jovens se perdem no chamado mundo do crime porque não vislumbram outras opções. Para Roberto, em algumas comunidades o traficante está se tornando o ídolo, o modelo perseguido pela criança. Ele propõe estratégias para que o agente de cultura assuma esse papel e se torne a referência.

Leia abaixo os principais trechos da entrevista concedida pelo presidente da Ficc ao PIMENTA:

 

PIMENTA – Qual é a realidade do cenário cultural hoje em Itabuna e que projetos a Ficc tem desenvolvido para o setor?

 Roberto José  –  Primeiro eu tenho que dizer que a gente precisou dar um freio de arrumação na casa, não só no contexto estético da fundação, mas também na funcionabilidade, na mecânica dos projetos da fundação. Hoje temos aqui uma equipe de projetos, que eu diria que é uma equipe de excelência. Nós já temos dezenas de projetos cadastrados no Siconv (Sistema de Convênios do Governo Federal) e alguns em instituições como Banco do Brasil e Itaú. Conseguimos recentemente aprovar um projeto de leitura da embaixada da Alemanha e possivelmente em novembro a gente bote esse projeto para andar.

PIMENTA – Como vai funcionar esse projeto de leitura?

RJ –  Na verdade, a gente tem a intenção de promover a Feira Literária Internacional do Cacau,  trazer essa marca para Itabuna e vamos iniciar com uma célula, que é esse projeto de leitura. O projeto já tem um corpo e está na fase final de formatação. A Uesc entrou também na organização e inclusive uma parte da feira vai acontecer no Centro de Arte e Cultura Paulo Souto, no campus da universidade. É possível que a feira seja realizada ainda este ano, em dezembro.

PIMENTA – Quando se fala em eventos desse tipo, logo lembramos de que Itabuna carece de espaços adequados. Como a Ficc encara esse problema?

RJ – Nós estamos arrumando isso e temos alguns projetos andando, mas precisamos organizar a política pública cultural do município. O primeiro passo foi alinhar Itabuna à política nacional de cultura, para facilitar a vinda de recursos fundo a fundo. Nossa minuta de fundo já está criada e estamos encaminhando esse documento à Procuradoria Geral, para em seguida ser enviado para votação na Câmara. Esse fundo vai receber recursos de três fontes, no mínimo, que são os governos federal, estadual e municipal. No município, o repasse se dá por meio de um percentual do ISS e do IPTU. Fizemos o processo de adesão do município, que deu muito trabalho. Foi publicada agora no Diário Oficial da União, no dia 31 de julho, a adesão de Itabuna ao Sistema Nacional de Cultura, que se constitui na nova política de gestão do Governo Federal, que é participativa e ouve as bases. As ideias que se tem de política cultural são múltiplas, mas quem mais entende do assunto são as pessoas que estão na base e essas pessoas precisam ser ouvidas quando a gente vai propor algum tipo de política.

PIMENTA – A entidade se propõe a cobrar a conclusão das obras do Teatro e Centro de Convenções, paradas há sete anos?

RJ – O governo municipal quer que o Estado conclua aquele centro, mas o Estado em tese não tem interesse porque não quer fazer a gestão do espaço, talvez por julgar que o equipamento não terá um retorno econômico. O que eu reitero é que nem sempre deve haver essa visão economicista com relação a equipamentos culturais. A visão deve ser humanista e a nossa proposta é a de que, uma vez concluído o Centro de Convenções, a Ficc faça a gestão, que pode ser compartilhada. Acreditamos que é um equipamento que pode se manter com a promoção de eventos. Naquele espaço existe uma questão judicial. O Ministério Público entrou para rever a cláusula de reversão, já que, como se sabe, o ex-prefeito Fernando Gomes acabou pleiteando o terreno de volta. Não obstante, o município já reiterou ao Estado seu interesse de ver aquele espaço concluído e colaborar com a gestão.

PIMENTA – E com relação a outros espaços, há algo em vista?

RJ – Temos alguns projetos já encaminhados. Por exemplo, um de cinema e teatro, com forte possibilidade da verba chegar ainda este ano, e até meados de 2014 nós finalizarmos a obra. Há um espaço no centro da cidade, com boas condições de mobilidade, mas ainda não podemos dar mais detalhes, pois ainda estamos negociando. É importante dizer que estamos construindo uma política de adquirir, construir e reformar equipamentos culturais. Por exemplo, a Praça Laura Conceição, aqui em frente à Ficc, nós temos um projeto para requalificá-la. Vamos dotar essa praça de uma conotação cultural, então ela terá um anfiteatro ou uma concha acústica. A área no entorno da Ficc será transformada em um “quarteirão cultural”. No imóvel onde hoje está o Samu, que vai se tornar regional e precisará de uma nova central, será instalada a biblioteca infantil Monteiro Lobato. O espaço atualmente ocupado pela Ficc será o museu da cidade, com salas temáticas que demonstrem a construção dos signos de Itabuna, e a sede da Ficc irá para o Espaço Cultural Josué Brandão, após a transferência da Câmara de Vereadores para outro local.

Foto Thiago Pereira

Foto Thiago Pereira

 

É impossível extinguir a violência da convivência humana, mas é possível reduzi-la a índices aceitáveis, e a cultura é um forte instrumento nesse sentido porque ela alimenta a alma.

 

 

PIMENTA – E o Conselho de Cultura, que ainda não está organizado no município?

RJ – O Conselho de Cultura do Município não existia. Há mais de dez anos ele não tinha uma reunião, estava inativo. Nós montamos a minuta do Conselho de Cultura. Em novembro do ano passado, foi criado um Fórum Municipal de Cultura, encabeçado por vários artistas, a exemplo do pessoal da Acate (Associação Cultural Amigos do Teatro), e nós ouvimos as propostas e as trouxemos para a mesa de discussão. A partir daí, montamos a minuta e agora estamos fazendo os diálogos das mesas setoriais para que elas elejam seus representantes. O conselho estará constituído e funcionando até o final do ano, inclusive para que o fundo comece a ser movimentado.

PIMENTA – Há um projeto de longo prazo para o setor?

RJ – Está em formatação o um plano decenal, que vai além dos governos que passaram e que passarão, e acena para uma política permanente, feita na base, democraticamente. Para fazer esse plano, nós precisamos do diagnóstico da situação cultural do município, porque não podemos apresentar propostas culturais sem conhecer o “paciente”. Estamos fazendo um levantamento dos equipamentos culturais da cidade, considerando a cultura material e imaterial, além dos equipamentos de apoio. Estamos levantando isso para ter um norte para os editais de fomento à cultura que iremos lançar.

:: LEIA MAIS »

TAXISTA MORRE APÓS SER BALEADO EM ITABUNA

Um taxista identificado como Nei morreu na noite deste sábado, 21, no Hospital de Base de Itabuna, após ter sido baleado no bairro Sarinha Alcântara. A polícia informa que o homem atendeu chamado de jovens que iriam a uma festa, quando sofreu o ataque de bandidos que fariam parte de uma gangue do bairro Banco Raso. Um rapaz de prenome Madson foi baleado e está internado no Base.

Ainda segundo a polícia, os atiradores não pareciam ter um alvo específico. Eles atiravam a esmo e, para os policiais, poderiam ter atingido qualquer pessoa.

DISCUSSÃO SOBRE VIOLÊNCIA MOSTRA COMUNIDADE ACUADA

foto

A Câmara de Vereadores de Itabuna realizou, nesta terça-feira, 17, sessão especial para debater a violência nas escolas da cidade. A discussão foi proposta pelo vereador Júnior Brandão (PT) e reuniu representantes das polícias civil e militar, Conselho Tutelar, professores e pais. Destaque negativo para a ausência dos próprios vereadores: dos 21 membros do legislativo municipal, a sessão começou com 12 presentes e terminou com 9.

Outro aspecto notado foi a falta de propostas concretas para combater a violência. Os participantes – do Capitão Lemos, da PM, à secretária municipal da Educação, Dinalva Melo – reconheceram a gravidade do problema, mas não vislumbraram soluções. Dinalva observou: “a escola é um microcosmo da sociedade e a desestruturação das famílias é um dado fundamental”. E acrescentou: “não há mais limites depois que fomos bombardeados com a história de que tudo traumatiza”.

A maioria das falas destacou essa questão da falta de limites e o esfacelamento da estrutura familiar como grandes responsáveis pelo avanço da violência. Outros pontos também foram considerados, como a falta de perspectivas para o jovem no mercado de trabalho. Mas o tráfico de drogas ficou no centro do debate.

Com 65 anos de vida e mais de 40 dedicados à educação, a professora Júvia Dantas acredita que as escolas são mal construídas e isso também influencia na violência (leia aqui). Do lado de fora, a polícia reclama da falta de condições para atuar. A delegada Katiana Amorim, que representou o coordenador da 6ª Coordenadoria de Polícia do Interior (Corpin) na sessão, lamentou a desativação da seção especializada na apuração de atos cometidos por menores em conflito com a lei.

Ao final da sessão, o vereador César Brandão (PPS) propôs a criação de um grupo  de trabalho para dar sequência à discussão do tema visando à formatação de propostas. Já o vereador Júnior Brandão disse que “a questão da violência nas escolas passa a ser assunto permanente na Câmara”.

 

JÚVIA: “A ESCOLA ESTÁ ESTRESSADA”

Júvia, precursora do handebol no sul da Bahia, é a homenageada de 2011.

Júvia Dantas acha que o ambiente das escolas não inspira a paz

A professora Júvia Dantas é uma das lideranças mais respeitadas do magistério em Itabuna. Na sessão que debateu a violência nas escolas, nesta terça-feira, 17 (leia aqui), ela deu um depoimento contundente sobre o que considera como um dos principais fatores desse problema.

Para Júvia, as escolas são construídas com uma estrutura mínima, na qual faltam espaço para o convívio social, o esporte e até mesmo para o descanso. “A parte física deixa a desejar. O aluno que estuda à noite, por exemplo, sai do trabalho e encontra uma escola estressada, sem conforto”, observou a professora.

A situação, na opinião da educadora, não é diferente na cidade como um todo. “Itabuna não tem parque, cinema, não tem espaços onde nossas crianças possam caminhar felizes. Para muitas, o que acaba sobrando é o caminho do mal”, constatou.

O grau de stress pode ser medido por uma informação da presidente do Sindicato dos Professores, Norma Guimarães. Segundo ela, o quadro de violência nas salas de aula é tão alarmante, que hoje há mais casos de professores com transtornos mentais do que acometidos por LER (Lesão por Esforço Repetitivo).

VIOLÊNCIA NAS ESCOLAS

A violência nas escolas será debatida em sessão especial agendada para esta terça-feira, 17, no plenário da Câmara de Vereadores de Itabuna. Foram convidados professores, estudantes, pais, representantes do judiciário, Ministério Público e OAB, entre outros.

A iniciativa é do vereador Júnior Brandão (PT).

BANDIDO MATA CADELA EM LAURO DE FREITAS

Um crime bárbaro causou comoção neste fim de semana na cidade de Lauro de Freitas, Região Metropolitana de Salvador, e mostrou que nem mesmo os animais estão livres da violência. A vítima nesse caso foi uma cadela “vira lata” (sem raça definida), atingida por um golpe de facão desferido por um homem identificado como Marcelo.

Segundo testemunhas, o agressor resolveu matar o animal simplesmente porque não gostava dele. A lâmina do facão causou um ferimento de 20 centímetros de comprimento por 15 centímetros de profundidade na cadela e atingiu órgãos internos, levando a uma forte hemorragia.

A vítima chegou a ser levada a uma clínica veterinária, mas não foi possível salvá-la. O autor da barbaridade, descrito como um “monstro”, poderá responder pelo delito de maus tratos contra animais, previsto na Lei de Crimes Ambientais. A advogada e vereadora Ana Rita Tavares (PV), de Salvador, que tem como principal bandeira a defesa dos animais, apresentou notícia crime sobre o caso no Juizado Especial Criminal de Lauro de Freitas.

NOITE VIOLENTA COM 2 MORTES EM ITABUNA

Jovem foi assassinado na Rua Felícia de Novaes (foto Plantão Itabuna)

Após um período relativamente tranquilo em Itabuna, o mês de setembro chegou com a violência voltando a fazer parte da rotina da cidade. De acordo com o site Plantão Itabuna, dois homicídios foram registrados na noite desta quinta-feira, 12, nos bairros São Caetano e Fátima.

No São Caetano, próximo à feira livre, um rapaz de aproximadamente 18 anos, ainda não identificado, foi executado a tiros. O jovem era negro e trajava camisa branca e bermuda colorida.

A outra vítima foi Rafael Santos Gomes, de 24 anos. Ele passava de moto pela rua Felícia de Novaes, no bairro de Fátima, quando dois homens em outra motocicleta se aproximaram e fizeram os disparos. O Samu chegou a ser acionado, mas não houve tempo de salvar o rapaz. Um amigo que estava na garupa, mas não foi atingido, disse que Rafael agonizou no asfalto até morrer.

CASO NEW HIT: JULGAMENTO COMEÇA AMANHÃ

Pagodeiros acusados de estupro gostam de se exibir como "garanhões" durante os shows

Pagodeiros acusados de estupro gostam de se exibir como “garanhões” durante os shows

Integrantes da banda de pagode New Hit, acusados de estuprar duas adolescentes em agosto de 2012, irão a julgamento a partir desta terça-feira, 3, na cidade de Ruy Barbosa, a 320 quilômetros de Salvador. A expectativa é de que a sentença seja divulgada no dia seguinte.

O crime de que os músicos são acusados teria sido cometido logo após um show da banda. As duas adolescentes, de 16 anos, acompanharam a apresentação e depois pediram para tirar fotos com os componentes, sendo orientadas a entrar no ônibus do grupo. Foi no interior do veículo que teria ocorrido o estupro, com a conivência de um policial militar que trabalhava como segurança dos pagodeiros.

Além da possível violência sexual, os integrantes da New Hit são acusados por grupos feministas de desrespeitar a mulher nas letras das músicas, bem como nas coreografias apresentadas no palco. O julgamento dos réus em Ruy Barbosa será acompanhado pela Marcha Mundial das Mulheres, que combate a violência de gênero.

Maíra Guedes, militante da Marcha, diz que “a luta pelo fim da violência contra as mulheres é parte da luta por liberdade, que só virá com a destruição de todo um sistema que se alimenta da exploração e opressão das mulheres”.

 

ADVOGADO SOFRE AGRESSÃO

Chaves (direita), ao lado do presidente da OAB/Itabuna, Andirlei Nascimento

O advogado José Henrique Chaves foi agredido fisicamente nesta quinta-feira, 29, quando se encontrava no Fórum Epaminondas Berbert de Castro, em Ilhéus. A violência foi cometida por um homem que move ação contra a administradora dos cartões Hipercard. Chaves é advogado da empresa.

O agressor do advogado foi detido no local por um soldado da Polícia Militar e levado para a sede da 7ª Coordenadoria de Polícia do Interior (Corpin). O caso foi comunicado à Ordem dos Advogados do Brasil.

Em novembro do ano passado, José Henrique Chaves disputou o comando da subseção da OAB de Itabuna, perdendo para Andirlei Nascimento, que foi reeleito para a presidência da entidade.

PROJETO VEDA COMÉRCIO DE ARMA DE BRINQUEDO

Um projeto de lei aprovado esta semana pela Câmara Legislativa do Distrito Federal proíbe a venda de armas de brinquedo. É primeiro projeto sobre a matéria no país, respaldado na estatística segundo a qual 12% das armas apreendidas com criminosos no DF em 2012 saíram de lojas que vendem artigos para a diversão de crianças. A expectativa é de que o projeto leve à redução da criminalidade.

As penas para o comerciante que descumprir a lei, caso ela seja sancionada, irão variar de mera advertência até multa de R$ 100 mil.

Em Ilhéus, nesta quinta-feira, 22, um menor foi apreendido após vários assaltos nos quais utilizava uma pistola de brinquedo (confira aqui).

MENOR ASSALTAVA COM ARMA DE PLÁSTICO

Jovem usava essa pistola de brinquedo para intimidar suas vítimas

Jovem usava essa pistola de brinquedo para intimidar suas vítimas

A Polícia Militar apreendeu na noite desta quinta-feira, 22, o menor de iniciais M.W.S.S., apontado como autor de vários assaltos no Alto da Piedade e no Centro de Ilhéus. As vítimas preferenciais eram estudantes.

Os policiais chegaram ao menor a partir de denúncia anônima. Com ele, foi encontrada uma arma de plástico, de grande semelhança com uma pistola verdadeira. Além do brinquedo que usava para ameaçar suas vítimas, o jovem estava com dois aparelhos de telefone celular.

Após a apreensão, o menor foi levado para a 7ª Coordenadoria de Polícia do Interior (Coorpin). A mãe do infrator foi avisada e acompanhou o registro da ocorrência.

MENOR SUSPEITA DE PLANEJAR HOMICÍDIO

Uma adolescente de 14 anos foi assassinada nesta segunda-feira, 5, em Eunápolis, extremo-sul da Bahia. A menor levou um tiro pelas costas, crime ocorrido na Rua Nossa Senhora Aparecida, bairro Moisés Reis, local com forte presença do tráfico de drogas.

Segundo a polícia, a principal suspeita de planejar o homicídio é outra menor, também de 14 anos. A possível autora intelectual teve um relacionamento com o atual namorado da vítima, por isso uma das hipóteses é de que o crime foi motivado por ciúmes.

Outra possibilidade que a polícia investiga é a de que o homicídio esteja relacionado à disputa de gangues rivais. Há informações é de que as duas jovens anteriormente pertenciam ao mesmo grupo de traficantes, mas haviam brigado.

A polícia ainda não solicitou a apreensão da suspeita.

VIOLÊNCIA NAS ESCOLAS: CÂMARA AGENDA DEBATE

violencia_na_escolaA Câmara de Vereadores definiu a data da sessão especial que debaterá os casos de violência em escolas de Itabuna. O evento foi agendado para o dia 17 de setembro, às 18h30, no Plenário Raymundo Lima.

A proposta de realizar a discussão é do vereador Júnior Brandão (PT), que alerta para o aumento das ocorrências em que professores são agredidos por alunos  em Itabuna. Um dos casos mais recentes se deu na semana passada, no Colégio Estadual Sesquicentenário, instalado nas dependências do Centro de Integração Social (Ciso), no Bairro de Fátima (relembre).

Brandão diz que pretende um debate amplo, envolvendo professores, pais, alunos, judiciário, Ministério Público, OAB, entre outros setores da sociedade. A ideia, segundo ele, é elaborar um documento com propostas concretas para combater a violência nos estabelecimentos de ensino.

BRANDÃO QUER DEBATE SOBRE VIOLÊNCIA NAS ESCOLAS

Brandão quer debate amplo sobre a violência nas escolas

Vereador quer debate amplo sobre a violência nas escolas

As agressões de que professores têm sido vítimas em escolas de Itabuna deverão ser tema de discussão na Câmara Municipal. A intenção é do vereador Júnior Brandão (PT), que a manifestou neste sábado, 3, ao PIMENTA.

Brandão pretende agendar sessão especial para o mês de setembro, reunindo Ministério Público, Conselho Tutelar, Poder Judiciário, OAB, pais, professores, estudantes e imprensa.

“Vamos debater ações práticas contra as agressões que profissionais da educação têm sofrido”, adianta o vereador. Ele afirma que defenderá a elaboração de uma carta de intenções, com a proposta de medidas concretas.

O petista é educador e filho do professor e ex-vereador Josué Brandão, que fundou o Centro de Integração Social (Ciso). Neste estabelecimento, funciona o Colégio Estadual Sesquicentenário, onde, na quarta-feira, 31, um aluno da 7ª série chutou a mão de uma monitora e agrediu verbalmente a diretora (leia aqui).

Não se trata de caso isolado, mas de uma situação que tem sido vivenciada com frequência cada vez maior em escolas públicas de Itabuna. Brandão defende que o problema seja debatido de maneira ampla. “São famílias desestruturadas, filhos que não obedecem os pais, poder público e privado que não oferecem oportunidades para esses adolescentes”, aponta o vereador.

SSP ANUNCIA QUEDA DA VIOLÊNCIA NA BAHIA

Itabuna terá diagnóstico socioeconômico viabilizado pelo Sebrae (Foto José Nazal).

Itabuna teve redução de 20% nos crimes violentos (Foto José Nazal).

Números divulgados nesta quinta-feira, 25, pelo secretário da Segurança Pública da Bahia, Maurício Barbosa, atestam que houve queda no índice de crimes violentos no Estado durante o primeiro semestre de 2013. Os números foram apresentados na Assembleia Legislativa.

Segundo os registros oficiais, houve queda de 10,8% na ocorrência de “crimes violentos letais intencionais”. Nessa definição, estão incluídos homicídios, latrocínios e lesões corporais seguidas de morte. A redução no índice se deu na comparação com o primeiro semestre de 2012.

O interior baiano contribui significativamente para a redução. A cidade de Bom Jesus da Lapa foi a que teve a maior queda nos registros, com 58%, à frente de Juazeiro, com 45%. Itabuna também apresentou uma diminuição significativa nos homicídios e crimes afins: 20%, coincidindo o resultado com a transferência de internos do Conjunto Penal da cidade, de onde tem sido ordenada grande parte dos assassinatos.

Na Região Metropolitana de Salvador, a queda no primeiro semestre ficou em 20,5%.

ITABUNA É A 22ª CIDADE MAIS VIOLENTA DO PAÍS; ILHÉUS APARECE NA 38ª POSIÇÃO

Itabuna é a 22ª mais violenta, segundo estudo (Foto Tarso Soares).

Itabuna é a 22ª mais violenta, segundo estudo (Foto Tarso Soares).

– 16% DAS CIDADES MAIS VIOLENTAS DO PAÍS SÃO BAIANAS

– A PEQUENA UBAITABA, NO SUL DA BAHIA, É A 20ª

Itabuna caiu no ranking das cidades mais violentas do país e agora aparece em 22ª posição – era a 8ª. Os dados estão no “Mapa da Violência 2013” divulgado hoje pelo Ministério da Justiça e Instituto Sangari. O município apresentou taxa de 92,6 homicídios a cada grupo de cem mil habitantes.

A surpresa negativa é o município de Ubaitaba, também no sul da Bahia, que aparece em 20º no ranking nacional. Com taxa de 81,8 homicídios, Ilhéus aparece em 38ª posição.

O ranking traz 47 cidades baianas entre as 300 mais violentas do País. A campeão nacional continua sendo Simões Filho, também na Bahia. A maioria das cidades mais violentas da Bahia, presentes no ranking, é das regiões sul e extremo-sul, entre as quais lideram Porto Seguro (12ª), Teixeira de Freitas (19ª).

Quase todas as cidades da Costa do Cacau figuram nesta lista (Itabuna, Ilhéus, Itacaré e Canavieiras).

O ranking foi elaborado levando em conta apenas a taxa de homicídios de municípios com mais de 20 mil habitantes em 2011. E aparecem, ainda do sul da Bahia, Itajuípe, Gandu, Coaraci e Ibirapitanga.

O Mapa da Violência é elaborado, anualmente, pelo Instituto Sangari e Ministério da Justiça. Pelo levantamento, 16% das cidades com as maiores taxas de homicídio no Brasil estão na Bahia. É o estado que detém o maior número de municípios dentre os mais violentos.

Confira o ranking completo abaixo, no “leia mais”.

:: LEIA MAIS »

REGIÃO DE JEQUIÉ VÊ REDUÇÃO DOS HOMICÍDIOS

jequie

Dados informados pelo 19º Batalhão da Polícia Militar, cuja sede fica na cidade de Jequié, sudoeste baiano, indicam uma significativa redução do número de homicídios cometidos no primeiro semestre de 2013, se comparado ao mesmo período do ano anterior.

Segundo a estatística do 19º BPM, houve 26 assassinatos de janeiro a junho de 2013, enquanto em 2012 o número chegou a 39. A queda nos registros desse tipo de crime, que atinge principalmente os jovens do sexo masculino, é de 33,3%.

Comandante daquele batalhão, o Tenente-Coronel Valci Serpa atribui o resultado ao reforço no combate ao tráfico de drogas e ao porte ilegal de armas.

DVD ERA “EQUIPADO” COM ARMA DE FOGO

Presídio de Itabuna, onde ocorreram as apreensões.

Presídio de Itabuna, onde ocorreram as apreensões.

Uma revista realizada nesta quinta-feira, 11, em celas do Conjunto Penal de Itabuna resultou na apreensão de uma pistola 6.35. Segundo o Plantão Itabuna, a arma estava escondida no interior de uma carcaça de aparelho de DVD.  Junto à pistola, havia pequena quantidade de droga.

A apreensão foi feita por policiais militares e agentes penitenciários. O site informa que, durante esta semana, outra revista encontrou um grande volume de pólvora, que supostamente seria utilizada em armas artesanais.

LÍDER COMUNITÁRIO É SEPULTADO EM ITABUNA

A vítima é descrita como uma pessoa de paz e sem inimigos (reprodução do Plantão Itabuna)

O líder comunitário Evandro Silva dos Santos, o Bô, de 38 anos, foi sepultado na tarde desta terça-feira, 2, no cemitério do Campo Santo, em Itabuna. Presidente da Associação de Moradores do bairro Novo Fonseca, na periferia da cidade, Bô foi assassinado com dois tiros na noite desta segunda, 1º.

Segundo o site Plantão Itabuna, Bô tomava cerveja com amigos em frente a um bar no Novo Fonseca, quando dois homens apareceram e começaram a atirar. O líder comunitário chegou a receber os primeiros socorros, mas não resistiu.

A polícia ainda não tem pistas dos assassinos nem dos motivos do homicídio. Parentes e amigos dizem que o líder comunitário não tinha desafetos e era uma pessoa que dedicava boa parte de seu tempo ao trabalho comunitário.

Uma suspeita é de que o crime tenha sido cometido por traficantes de drogas que atuam no bairro. Bô vinha reivindicando a pavimentação das ruas do Novo Fonseca, o que, segundo ele, facilitaria o acesso das viaturas da polícia à comunidade.








WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia