WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
festival chocolate






alba










junho 2019
D S T Q Q S S
« maio    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  

editorias






:: ‘violência’

MARANHÃO RECEBEU RECURSOS PARA CONSTRUIR PRESÍDIOS, MAS DEVOLVEU

Charge do Blog do Eliomar

Charge do Blog do Eliomar

Alex Rodrigues | Agência Brasil

Apesar de enfrentar, há anos, o problema da falta de vagas em suas prisões, o governo do Maranhão devolveu quase R$ 24 milhões à União por não ter conseguido executar, em tempo hábil, os projetos de construção de um presídio e de duas cadeias públicas. Juntas, as cadeias de Pinheiro e de Santa Inês e o Presídio Regional de Pinheiro acrescentariam 681 vagas ao sistema carcerário maranhense.

De 1998 a 2012, o Departamento Penitenciário Nacional (Depen), do Ministério da Justiça, e o governo do estado assinaram nove convênios para construção de presídios, entre eles os três que tiveram os projetos cancelados. Juntos, os nove convênios totalizam R$ 50.749.830,00. Subtraídos os R$ 23.962.399,00 devolvidos ao Depen, o governo estadual aplicou pouco mais de R$ 26 milhões dos recursos federais recebidos por meio de contratos assinados nos últimos 15 anos – alguns deles ainda estão em vigor e há obras em andamento. Existem ainda contratos que beneficiam o sistema carcerário maranhense, com o aparelhamento de unidades prisionais, realização de mutirões de execução penal e instalação de centrais de acompanhamento de penas alternativas.

Os contratos não cancelados destinam recursos para as seguintes obras: construção das penitenciárias de João Lisboa (R$ 1 milhão, em 1998) e de São Luís (R$ 2,061 milhões, em 2000); do Presídio Regional de Pedreiras (R$ 1,581 milhão, entre 2001 e 2002). Em 2007, foram assinados os contratos para a construção da Penitenciária de Imperatriz (R$ 6,508 milhões), da Penitenciária Feminina de Pedrinhas, em São Luís (R$ 9,446 milhões), e para ampliação do Presídio de São Luís (R$ 5,641 milhões).

Leia mais

ORDEM PARA MATAR PEDREIRO VEIO DO PRESÍDIO. FILHA DE 5 ANOS TAMBÉM FOI ASSASSINADA

Do A Região Online

O titular da Delegacia de Homicídios de Itabuna, Marlos Macedo, afirmou que a ordem para assassinar o pedreiro Cristino Silva de Oliveira partiu de dentro do Conjunto Penal.Além do pedreiro, os bandidos assassinaram Larissa Nunes, de apenas 5 anos.

O delegado disse que os criminosos já foram identificados e que a polícia trabalha para prendê-los.De acordo com Marlos Macedo, os bandidos que fizeram os disparos são envolvidos com o tráfico de drogas.

Larissa e o pai foram assassinados na noite do último domingo, na Rua K, no bairro Monte Cristo. Segundo testemunhas, dois homens chegaram à residência de Cristiano em uma moto. Um deles já desceu atirando. O primeiro disparo foi feito quando a vítima ainda estava na porta da casa.

ITACARÉ: CHACINA DEIXA 4 PESSOAS MORTAS

Casa onde ocorreu chacina nesta madrugada de quinta (Reprodução TV Santa Cruz).

Casa onde ocorreu chacina nesta madrugada de quinta (Reprodução TV Santa Cruz).

Quatro pessoas foram executadas e os corpos carbonizados nesta madrugada de quinta-feira (9) no Bairro Ladeira Grande, em Itacaré, no sul da Bahia.

José Orlando dos Santos, Renildo Neres dos Santos, José Valter Santos do Rosário e uma quarta vítima, identificada apenas como Romário, receberam tiros na cabeça. Os corpos foram encaminhados para o Departamento de Polícia Técnica (DPT) em Ilhéus.

As execuções ocorreram dentro de uma casa, incendiada em seguida pelos executores. A polícia ainda não descobriu a autoria dos crimes nem prendeu os executores.

DEPUTADO PREOCUPADO COM VIOLÊNCIA EM ITABUNA

Augusto Castro sugeriu implantação de outra Base Comunitária de Segurança

Augusto Castro sugeriu implantação de outra Base Comunitária de Segurança

Repercutiu na Assembleia Legislativa a violência que voltou a assustar Itabuna no último fim de semana. Entre sábado e domingo, a cidade registrou  seis assassinatos, inclusive o crime bárbaro no qual foram vítimas a menina Clarissa Mendes Nunes, de 5 anos, e o pai dela, o pedreiro Cristiano Silva Oliveira, 25.

Em discurso no plenário do legislativo baiano, o deputado Augusto Castro (PSDB) cobrou providências do Governo do Estado para apurar os crimes e punir o responsável. O tucano criticou “o clima de insegurança que assusta as famílias do Sul da Bahia, em especial de Itabuna”.

Referindo-se especialmente ao crime que vitimou a criança, Castro afirmou considerar “um absurdo que um crime como esse, de grande comoção social, tenha acontecido justamente no bairro Monte Cristo, onde está a Base Comunitária de Segurança em Itabuna”.

A base foi instalada em sede provisória em setembro de 2012 e passou a ocupar um local definitivo no último dia 12 de dezembro, contando com 80 policiais.  “Se uma Base Comunitária não é suficiente para garantir a segurança dos cidadãos de Itabuna, que seja implantada outra Base no município”, cobrou o deputado.

PEDREIRO E FILHA DE 5 ANOS SÃO EXECUTADOS NO MONTE CRISTO

Larissa foi assassinada nos braços do pai, segundo relatos (Reprodução Plantão Itabuna).

Larissa foi assassinada nos braços do pai, segundo relatos (Reprodução Plantão Itabuna).

Uma criança de cinco anos e o pai, de 25, foram assassinados neste domingo (5) no Bairro Monte Cristo, em Itabuna. Larissa Nunes e o pai, Cristiano Oliveira, foram executados por um homem que desceu de uma moto, perseguiu o pedreiro e efetuou os disparos mesmo com a vítima estando com a filha nos braços, conforme relatos colhidos pela polícia.

Cristiano e Clarissa foram levados com vida para o Hospital de Base e Hospital Manoel Novaes, respectivamente, mas não resistiram aos ferimentos, conta o site Plantão Itabuna.  Tião, como era conhecido Cristiano, levou um tiro ainda na porta da casa.

O pedreiro correu com a filha nos braços. O atirador, ainda não identificado, invadiu a residência e continuou a disparar em direção ao homem, quando atingiu também a criança.

O crime ocorreu na Rua K. O executor contou com a ajuda de um outro homem, que pilotava a moto usada no crime. Uma discussão em um bar, minutos antes, teria motivado os disparos contra Cristiano, segundo o site.

FIM DE SEMANA VIOLENTO EM ITABUNA

violênciaItabuna está tendo um fim de semana marcado pela violência e já contabiliza quatro homicídios neste ano que se inicia.

Pela manhã, conforme já noticiado neste blog, foram mortos no bairro São Roque os irmãos Israel e Eliel Simões, o primeiro de 22 e o segundo de 19 anos. À noite, outro homicídio: no bairro Nova Califórnia, a vítima foi Vanildo Bispo dos Santos, de 27 anos, atingido por vários tiros disparados por homens ainda não identificados. Vizinhos tentaram socorrê-lo, mas ele não resistiu aos ferimentos.

No bairro Fonseca, também na noite deste sábado (04), um homem identificado como Esmeraldo, de 19 anos, morreu em troca de tiros com policiais militares. Há informações de que outra morte ocorreu no mesmo bairro, já na madrugada deste domingo.

O 1º HOMICÍDIO DO ANO EM ITABUNA

Chama-se Lucas Dias dos Santos a primeira vítima de assassinato em Itabuna no ano de 2014. Segundo o Plantão Itabuna, o rapaz de 24 anos foi morto a tiros na Rua Beira-Rio, em Nova Ferradas. As balas atingiram o rosto, a cabeça e o peito do jovem. Os autores do crime ainda são desconhecidos.

As estatísticas da polícia mostram que o número de homicídios na cidade em 2013 caiu 25%. Ao longo de todo o ano, houve 129 crimes contra a vida, ante 172 em 2012. Em contrapartida, houve crescimento do índice de crimes como furtos e roubos no mesmo período.

COMERCIANTE ASSALTADO 21 VEZES DESABAFA: “EU NÃO AGUENTO MAIS”

Carlos Xavier protestou hoje em frente ao estabelecimento arrombado ontem à noite. Confira o desabafo e veja matéria nesta página, abaixo.

ESTABELECIMENTO COMERCIAL É RESPONSÁVEL PELA SEGURANÇA DE CLIENTE

Da coluna de Mônica Bergamo (FSP):

Estabelecimentos comerciais que falham na garantia de segurança, expondo os clientes à violência, podem ser obrigados a indenizá-los em caso de alguma ocorrência. A decisão é do STJ.

O tema foi discutido sobre um caso específico que ocorreu num shopping center na Paraíba. Na saída do estacionamento, uma consumidora foi surpreendida por assaltantes com revólveres que ordenaram que ela saísse do carro. O marido deu marcha a ré e fugiu.

Desarmado, o segurança do shopping saiu correndo. As duas vítimas receberão R$ 8.000 cada uma por danos morais. Com juros e correção monetária.

CORRETOR É ASSASSINADO EM ITABUNA

Piu-Piu foi executado no Centro Comercial (Reprodução Diário Bahia).

Piu-Piu foi executado no Centro Comercial (Reprodução Diário Bahia).

Do Diário Bahia

Um corretor de veículos foi executado na tarde de ontem, 20, nas imediações do Centro Comercial de Itabuna. Segundo testemunhas, Eleison Santos Paiva, o “Piu-Piu”, de 25 anos, tinha acabado de estacionar o veículo Gol, de cor preta, placa NYN 3026.

Quando ele descia do carro foi surpreendido pelos criminosos. O homem, atingido nas pernas e cabeça, ainda chegou a correr cerca 10 metros do local onde foi alvejado, mas acabou caindo morto no meio da rua.

A vítima morava em Barro Preto.

HOMEM JOGOU NAMORADA NO BUEIRO

Uma discussão com o companheiro não acabou bem para Luciene Sá de Deus, 37 anos, que foi jogada em um bueiro de quatro metros de profundidade pelo homem com quem vivia. O fato ocorreu na manhã deste domingo (10), em Ilhéus.

Luciene contou que propôs o fim do relacionamento, o que revoltou o companheiro. Ele a atingiu com um golpe na cabeça, fazendo-a  desmaiar. Em seguida, jogou-a no bueiro.

A vítima foi resgatada pelos Bombeiros, acionados por vizinhos que ouviram os gritos e o choro de Luciene. O caso foi acompanhado pelo blog A Guilhotina, que filmou o resgate da mulher.

Assista:

HOMEM É MORTO NO BAIRRO SÃO LOURENÇO

Rafael Gomes de Jesus, 22 anos, foi assassinado na manhã desta terça-feira (29), às margens da BR-101, no bairro São Lourenço. Segundo o Plantão Itabuna, o rapaz foi atingido por tiros disparados por dois homens, que estavam em uma moto de placa não informada.

A vítima andava pelo acostamento da pista em companhia do irmão, Antônio de Jesus, 32, que nada sofreu. Com eles, a polícia encontrou uma faca tipo peixeira, um facão e um cachimbo usado para o consumo de crack.

Antônio de Jesus foi levado para o Complexo Policial de Itabuna para prestar esclarecimentos.

SP: CORONEL DA PM TEM CLAVÍCULA QUEBRADA E ARMA ROUBADA EM PROTESTO

De arma em punho, soldado tenta evitar novas agressões (foto Lacio Teixeira - Coperphoto/Estadão Conteúdo)

De arma em punho, soldado tenta evitar novas agressões (foto Lacio Teixeira – Coperphoto/Estadão Conteúdo)

Do G1

A Polícia Militar (PM) afirma que o coronel Reynaldo Simões Rossi, comandante do policiamento da área Centro, teve a clavícula quebrada em agressão cometida por um grupo de black blocs na noite de sexta-feira (25). Além disso, o oficial teve a sua pistola .40 e um rádio comunicador roubados, segundo nota da PM (veja íntegra abaixo).

O delegado-geral da Polícia Civil de São Paulo, Luiz Maurício Souza Blazeck, disse ao G1 que aos menos duas pessoas foram presas suspeitas da agresão ao oficial. A Secretaria da Segurança Pública (SSP) informou que o homem de arma em punho e sem máscara que aparece em fotografias do tumulto (como a publicada acima) é um soldado que o auxiliava e dirigia o carro do coronel no momento da confusão.

A agressão ocorreu durante protesto organizado pelo Movimento Passe Livre (MPL) que terminou com invasão do Terminal Parque Dom Pedro II e vandalismo contra ônibus. Agências bancárias de ruas do Centro também foram depredadas.

TENTATIVA DE ASSALTO ACABA EM MORTE

Luiz Felipe Silva de Queiroz, 19 anos, foi baleado e morto na noite desta quarta-feira, 16, na Rua da Linha, centro de Ilhéus. Segundo informações do site Ilhéus 24h, o rapaz tentou assaltar um salão de beleza, mas foi surpreendido com a presença de um policial militar no local.

O PM deu voz de prisão, mas o assaltante teria reagido e atirado, sem atingir o policial. Este, contudo, acertou um tiro no abdome do assaltante.

Segundo o site, o policial, que não foi identificado, aguardou o registro da ocorrência no local.

DELEGADA NEGA QUE MÉDICA TENHA TENTADO FUGIR DE HOSPITAL

De acordo com a reportagem do Correio da Bahia, a delegada Jussara Souza, da 7ª Delegacia Territorial de Salvador, negou que a médica Kátia Vargas Leal tenha tentado fugir na noite desta quarta-feira, 16. A médica permanece internada no Hospital Aliança e deverá ser presa assim que receber alta, por força de uma preventiva decretada pela justiça.

Kátia Leal é investigada pela autoria de duplo homicídio, cometido contra os irmãos Emanuel e Emanuelle Gomes Dias. Na sexta-feira, 11, os dois seguiam em uma moto pela Avenida Oceânica, na capital, quando quando foram perseguidos pela médica, que dirigia uma Sportage. A perseguição teria ocorrido após um incidente no trânsito e acabou com o carro atingindo a traseira da moto, de maneira proposital, segundo afirmam testemunhas e sugerem as imagens do sistema de monitoramento do tráfego.

A delegada disse ao Correio que o mandado de prisão contra a médica não tem prazo para ser cumprido. Um laudo do Departamento de Polícia Técnica afirma que Kátia Leal já poderia ter recebido alta, mas o boletim médico do Aliança recomendou ontem (16) um período de observação de 24 a 48 horas.

DONA DE LOJA DIZ TER SIDO AGREDIDA

Em contato com o PIMENTA, a empresária Taísa Moitinho, dona da loja de brinquedos Sonho Azul, afirmou ter sido agredida por Erivaldo Batista, diretor do Sindicato dos Comerciários. O fato ocorreu neste sábado, 12, quando dirigentes da entidade protestavam contra a abertura do estabelecimento no feriado.

Segundo a empresária, imagens de câmeras de segurança comprovam a agressão e já foram apresentadas à Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam). Ela afirma que, na tentativa de impedir que a loja fosse aberta, o dirigente sindical baixou a porta com violência, atingindo seu ombro. Taísa Moitinho diz ainda ter recebido um soco.

A dona da loja de brinquedos também afirmou que os sindicalistas chutaram o carro de um cliente, estacionado em frente à loja. Ela explicou que todos os anos abre a empresa no Dia das Crianças, compensando com folgas em períodos que não interessam ao seu ramo de atividade, como os dias das mães e dos pais. De acordo com ela, outras lojas de brinquedos também abriram em Itabuna no feriado. “Os funcionários não foram obrigados a trabalhar, nós chamamos parentes”, declarou a empresária.

POLÍCIA PRENDE 17 SUSPEITOS DE TRÁFICO E HOMICÍDIOS EM ITABUNA

Operação envolveu cerca de 100 policiais (foto Plantão Itabuna)

Delegado Evy Paternostro comandou a operação (foto Plantão Itabuna)

Cerca de 100 policiais civis e militares participaram na manhã desta sexta-feira, 11, em Itabuna, da Operação Plutão, deflagrada para tirar de circulação elementos suspeitos de envolvimento com o tráfico de drogas e homicídios cometidos na cidade. O saldo da ação foi de 17 prisões, além da apreensão de armas e uma moto que seria usada para entrega de entorpecentes.

Segundo o Plantão Itabuna, as prisões ocorreram nos bairros Nova Itabuna, Lomanto e Jorge Amado. Entre os presos, está o bandido conhecido como “Pica-Pau”, apontado como autor de homicídios.

A operação foi comandada pelo coordenador da 6ª Coordenadoria de Polícia do Interior (Corpin), delegado Evy Paternostro.

CLAMOR PELA PAZ NO SÃO PEDRO

Um grupo de cristãos promove no próximo dia 19, a partir das 19 horas, na praça do bairro São Pedro, em Itabuna, um culto no qual irão pedir proteção a Deus contra a violência na cidade. A reunião é uma iniciativa da diretoria itabunense do Conselho de Pastores, Teólogos e Oficiais Evangélicos do Brasil e Exterior (CPEBE).

Segundo os organizadores, a intenção do evento é emitir “um grande clamor ao nosso Deus pela paz”. Estão programadas palestras e ministrações voltadas a pais e filhos, enfatizando valores da família.

ROBERTO JOSÉ: “COM A CULTURA, NÓS PODEMOS FAZER UMA REVOLUÇÃO NA CIDADE”

Roberto José da Silva - foto Thiago Pereira

Presidente da Ficc aposta na cultura para reduzir violência em Itabuna (foto Thiago Pereira)

Roberto José da Silva tem um currículo diversificado. Presidente da Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (Ficc) desde janeiro, ele é geógrafo com pós-graduação em Planejamento de Cidades e mestrado em Geografia com ênfase em Criminologia de Ambientes. Estudioso da questão da violência, Roberto José afirma ver a cultura como instrumento de transformação e defende a tese de que muitos jovens se perdem no chamado mundo do crime porque não vislumbram outras opções. Para Roberto, em algumas comunidades o traficante está se tornando o ídolo, o modelo perseguido pela criança. Ele propõe estratégias para que o agente de cultura assuma esse papel e se torne a referência.

Leia abaixo os principais trechos da entrevista concedida pelo presidente da Ficc ao PIMENTA:

 

PIMENTA – Qual é a realidade do cenário cultural hoje em Itabuna e que projetos a Ficc tem desenvolvido para o setor?

 Roberto José  –  Primeiro eu tenho que dizer que a gente precisou dar um freio de arrumação na casa, não só no contexto estético da fundação, mas também na funcionabilidade, na mecânica dos projetos da fundação. Hoje temos aqui uma equipe de projetos, que eu diria que é uma equipe de excelência. Nós já temos dezenas de projetos cadastrados no Siconv (Sistema de Convênios do Governo Federal) e alguns em instituições como Banco do Brasil e Itaú. Conseguimos recentemente aprovar um projeto de leitura da embaixada da Alemanha e possivelmente em novembro a gente bote esse projeto para andar.

PIMENTA – Como vai funcionar esse projeto de leitura?

RJ –  Na verdade, a gente tem a intenção de promover a Feira Literária Internacional do Cacau,  trazer essa marca para Itabuna e vamos iniciar com uma célula, que é esse projeto de leitura. O projeto já tem um corpo e está na fase final de formatação. A Uesc entrou também na organização e inclusive uma parte da feira vai acontecer no Centro de Arte e Cultura Paulo Souto, no campus da universidade. É possível que a feira seja realizada ainda este ano, em dezembro.

PIMENTA – Quando se fala em eventos desse tipo, logo lembramos de que Itabuna carece de espaços adequados. Como a Ficc encara esse problema?

RJ – Nós estamos arrumando isso e temos alguns projetos andando, mas precisamos organizar a política pública cultural do município. O primeiro passo foi alinhar Itabuna à política nacional de cultura, para facilitar a vinda de recursos fundo a fundo. Nossa minuta de fundo já está criada e estamos encaminhando esse documento à Procuradoria Geral, para em seguida ser enviado para votação na Câmara. Esse fundo vai receber recursos de três fontes, no mínimo, que são os governos federal, estadual e municipal. No município, o repasse se dá por meio de um percentual do ISS e do IPTU. Fizemos o processo de adesão do município, que deu muito trabalho. Foi publicada agora no Diário Oficial da União, no dia 31 de julho, a adesão de Itabuna ao Sistema Nacional de Cultura, que se constitui na nova política de gestão do Governo Federal, que é participativa e ouve as bases. As ideias que se tem de política cultural são múltiplas, mas quem mais entende do assunto são as pessoas que estão na base e essas pessoas precisam ser ouvidas quando a gente vai propor algum tipo de política.

PIMENTA – A entidade se propõe a cobrar a conclusão das obras do Teatro e Centro de Convenções, paradas há sete anos?

RJ – O governo municipal quer que o Estado conclua aquele centro, mas o Estado em tese não tem interesse porque não quer fazer a gestão do espaço, talvez por julgar que o equipamento não terá um retorno econômico. O que eu reitero é que nem sempre deve haver essa visão economicista com relação a equipamentos culturais. A visão deve ser humanista e a nossa proposta é a de que, uma vez concluído o Centro de Convenções, a Ficc faça a gestão, que pode ser compartilhada. Acreditamos que é um equipamento que pode se manter com a promoção de eventos. Naquele espaço existe uma questão judicial. O Ministério Público entrou para rever a cláusula de reversão, já que, como se sabe, o ex-prefeito Fernando Gomes acabou pleiteando o terreno de volta. Não obstante, o município já reiterou ao Estado seu interesse de ver aquele espaço concluído e colaborar com a gestão.

PIMENTA – E com relação a outros espaços, há algo em vista?

RJ – Temos alguns projetos já encaminhados. Por exemplo, um de cinema e teatro, com forte possibilidade da verba chegar ainda este ano, e até meados de 2014 nós finalizarmos a obra. Há um espaço no centro da cidade, com boas condições de mobilidade, mas ainda não podemos dar mais detalhes, pois ainda estamos negociando. É importante dizer que estamos construindo uma política de adquirir, construir e reformar equipamentos culturais. Por exemplo, a Praça Laura Conceição, aqui em frente à Ficc, nós temos um projeto para requalificá-la. Vamos dotar essa praça de uma conotação cultural, então ela terá um anfiteatro ou uma concha acústica. A área no entorno da Ficc será transformada em um “quarteirão cultural”. No imóvel onde hoje está o Samu, que vai se tornar regional e precisará de uma nova central, será instalada a biblioteca infantil Monteiro Lobato. O espaço atualmente ocupado pela Ficc será o museu da cidade, com salas temáticas que demonstrem a construção dos signos de Itabuna, e a sede da Ficc irá para o Espaço Cultural Josué Brandão, após a transferência da Câmara de Vereadores para outro local.

Foto Thiago Pereira

Foto Thiago Pereira

 

É impossível extinguir a violência da convivência humana, mas é possível reduzi-la a índices aceitáveis, e a cultura é um forte instrumento nesse sentido porque ela alimenta a alma.

 

 

PIMENTA – E o Conselho de Cultura, que ainda não está organizado no município?

RJ – O Conselho de Cultura do Município não existia. Há mais de dez anos ele não tinha uma reunião, estava inativo. Nós montamos a minuta do Conselho de Cultura. Em novembro do ano passado, foi criado um Fórum Municipal de Cultura, encabeçado por vários artistas, a exemplo do pessoal da Acate (Associação Cultural Amigos do Teatro), e nós ouvimos as propostas e as trouxemos para a mesa de discussão. A partir daí, montamos a minuta e agora estamos fazendo os diálogos das mesas setoriais para que elas elejam seus representantes. O conselho estará constituído e funcionando até o final do ano, inclusive para que o fundo comece a ser movimentado.

PIMENTA – Há um projeto de longo prazo para o setor?

RJ – Está em formatação o um plano decenal, que vai além dos governos que passaram e que passarão, e acena para uma política permanente, feita na base, democraticamente. Para fazer esse plano, nós precisamos do diagnóstico da situação cultural do município, porque não podemos apresentar propostas culturais sem conhecer o “paciente”. Estamos fazendo um levantamento dos equipamentos culturais da cidade, considerando a cultura material e imaterial, além dos equipamentos de apoio. Estamos levantando isso para ter um norte para os editais de fomento à cultura que iremos lançar.

:: LEIA MAIS »

TAXISTA MORRE APÓS SER BALEADO EM ITABUNA

Um taxista identificado como Nei morreu na noite deste sábado, 21, no Hospital de Base de Itabuna, após ter sido baleado no bairro Sarinha Alcântara. A polícia informa que o homem atendeu chamado de jovens que iriam a uma festa, quando sofreu o ataque de bandidos que fariam parte de uma gangue do bairro Banco Raso. Um rapaz de prenome Madson foi baleado e está internado no Base.

Ainda segundo a polícia, os atiradores não pareciam ter um alvo específico. Eles atiravam a esmo e, para os policiais, poderiam ter atingido qualquer pessoa.

DISCUSSÃO SOBRE VIOLÊNCIA MOSTRA COMUNIDADE ACUADA

foto

A Câmara de Vereadores de Itabuna realizou, nesta terça-feira, 17, sessão especial para debater a violência nas escolas da cidade. A discussão foi proposta pelo vereador Júnior Brandão (PT) e reuniu representantes das polícias civil e militar, Conselho Tutelar, professores e pais. Destaque negativo para a ausência dos próprios vereadores: dos 21 membros do legislativo municipal, a sessão começou com 12 presentes e terminou com 9.

Outro aspecto notado foi a falta de propostas concretas para combater a violência. Os participantes – do Capitão Lemos, da PM, à secretária municipal da Educação, Dinalva Melo – reconheceram a gravidade do problema, mas não vislumbraram soluções. Dinalva observou: “a escola é um microcosmo da sociedade e a desestruturação das famílias é um dado fundamental”. E acrescentou: “não há mais limites depois que fomos bombardeados com a história de que tudo traumatiza”.

A maioria das falas destacou essa questão da falta de limites e o esfacelamento da estrutura familiar como grandes responsáveis pelo avanço da violência. Outros pontos também foram considerados, como a falta de perspectivas para o jovem no mercado de trabalho. Mas o tráfico de drogas ficou no centro do debate.

Com 65 anos de vida e mais de 40 dedicados à educação, a professora Júvia Dantas acredita que as escolas são mal construídas e isso também influencia na violência (leia aqui). Do lado de fora, a polícia reclama da falta de condições para atuar. A delegada Katiana Amorim, que representou o coordenador da 6ª Coordenadoria de Polícia do Interior (Corpin) na sessão, lamentou a desativação da seção especializada na apuração de atos cometidos por menores em conflito com a lei.

Ao final da sessão, o vereador César Brandão (PPS) propôs a criação de um grupo  de trabalho para dar sequência à discussão do tema visando à formatação de propostas. Já o vereador Júnior Brandão disse que “a questão da violência nas escolas passa a ser assunto permanente na Câmara”.

 

JÚVIA: “A ESCOLA ESTÁ ESTRESSADA”

Júvia, precursora do handebol no sul da Bahia, é a homenageada de 2011.

Júvia Dantas acha que o ambiente das escolas não inspira a paz

A professora Júvia Dantas é uma das lideranças mais respeitadas do magistério em Itabuna. Na sessão que debateu a violência nas escolas, nesta terça-feira, 17 (leia aqui), ela deu um depoimento contundente sobre o que considera como um dos principais fatores desse problema.

Para Júvia, as escolas são construídas com uma estrutura mínima, na qual faltam espaço para o convívio social, o esporte e até mesmo para o descanso. “A parte física deixa a desejar. O aluno que estuda à noite, por exemplo, sai do trabalho e encontra uma escola estressada, sem conforto”, observou a professora.

A situação, na opinião da educadora, não é diferente na cidade como um todo. “Itabuna não tem parque, cinema, não tem espaços onde nossas crianças possam caminhar felizes. Para muitas, o que acaba sobrando é o caminho do mal”, constatou.

O grau de stress pode ser medido por uma informação da presidente do Sindicato dos Professores, Norma Guimarães. Segundo ela, o quadro de violência nas salas de aula é tão alarmante, que hoje há mais casos de professores com transtornos mentais do que acometidos por LER (Lesão por Esforço Repetitivo).








WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia