WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


alba










dezembro 2019
D S T Q Q S S
« nov    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

editorias






:: ‘Wagner’

WAGNER DIZ NÃO TER A PRETENSÃO DE CONCORRER AO GOVERNO BAIANO EM 2022

Wagner diz não ter pretensão de disputar 2022 || Foto Antonio Cruz/Agência Brasil

O senador Jaques Wagner (PT) disse, nesta segunda (2), não ter a pretensão de concorrer ao governo da Bahia em 2022. Durante entrevista ao programa Isso é Bahia, d´A Tarde FM, o ex-governador mostrou preferência pela renovação política do partido.

– Essa é uma crítica que eu faço, vejo uma carência de formação de novos quadros. Digo que não é a minha pretensão ser candidato em 2022. Mas se for para o bem do grupo, meu nome está à disposição – disse.

Também falou de nomes naturais do campo de esquerda para 2022 no plano nacional, por ordem, Fernando Haddad, Rui Costa, governador da Bahia, e Flávio Dino, governador do Maranhão. Mas, observa, se Lula estiver impedido de disputar o pleito.

WAGNER SE CONSOLIDA COMO O MAIOR ARTICULISTA PARA ELEIÇÕES BAIANAS DE 2022

Jerberson Josué

 

 

Os petistas propõem para as eleições de 2022 uma chapa com Wagner governador, tendo um pepista como vice e Otto assegurado na chapa para reeleição ao Senado Federal.

 

O senador Jaques Wagner é, reconhecidamente, incansável em suas movimentações políticas e este fato resultou na convergência de um arco de alianças entre correntes internas do PT, que acabou elegendo um aliado seu para o comando do partido no estado, Eden Valadares, embora o grupo do deputado federal licenciado, Josias Gomes, seja mais sólido e detenha prerrogativas para debates e decisões da Executiva do partido.

O placar ficou 14 a 12 pra o ampliado grupo de Wagner, na Executiva Estadual do PT. Quase que simultaneamente, um movimento assertivo foi feito e o nome do ex-governador Wagner virou quase que unanimidade na base e um trunfo internamente no PT. Foi praticamente alijada qualquer possibilidade de convergência à candidatura majoritária do senador Otto Alencar (PSD), para unificação do situacionismo na sucessão de Rui Costa.

Até o deputado federal Otto filho (PSD) considera impertinente o alinhamento do PSD ao grupo da oposição, tendo em vista os laços do prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), com o governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL).

Os petistas propõem para as eleições de 2022 uma chapa com Wagner governador, tendo um pepista como vice e Otto assegurado na chapa para reeleição ao Senado Federal. Para os aliados do PSB e PC do B, os esforços sinalizariam para viabilizar-se a eleição de um maior número de seus representantes para o Congresso Nacional e Assembleia Legislativa da Bahia.

Este processo eleitoral tem sido, meticulosamente, bem articulado e capitaneado pelo habilidoso Jaques Wagner. Sua desenvoltura assegura favoritismo para a permanência do petismo no comando de mais quatro anos de governo estadual na Bahia e tem merecido reconhecimento, até de adversários políticos, e este é o caso do senador Flávio Bolsonaro, que vê em Wagner um dos mais inteligentes políticos do país.

Jerberson Josué se define como um estudante na escola da vida.

ROSEMBERG CITA O LEGADO DO CONTERRÂNEO EUJÁCIO SIMÕES

Rosemberg lembra história do conterrâneo Eujácio Simões

O deputado estadual e líder do Governo Rui Costa na Assembleia Legislativa, Rosemberg Pinto, assim como o ex-deputado federal e estadual Eujácio Simões, é de Itororó. O parlamentar lamentou a morte de Eujácio, que, dentre outros cargos de relevância na política baiana, também presidiu a Assembleia Legislativa.

O político do Médio Sudoeste faleceu no domingo (18), após travar luta contra o câncer.

“Eujácio era um conterrâneo e amigo. Uma pessoa sempre firme em suas decisões, contribuindo muito, não só para Itororó, sua terra natal, mas para toda a Bahia. Que Deus conforte o coração dos familiares e amigos neste momento”, lembra Rosemberg.

O deputado e líder do Governo citou destacada passagem de Eujácio como superintendente de Política do Agronegócio, na Seagri, durante o Governo Wagner. O corpo de Eujácio foi sepultado na tarde de ontem, no Jardim da Saudade, em Salvador.

PARA WAGNER, DIÁLOGOS REVELAM ARMAÇÃO E QUE A OPERAÇÃO LAVA JATO ATROPELOU A LEI

Wagner vê armação e intenção da Lava Jato de prejudicar pessoas || Foto Pimenta

O vazamento de conversas de procuradores federais e o ex-juiz Sérgio Moro revela, na opinião do senador Jaques Wagner (PT-BA), uma armação e atropelo da lei de atores da Operação Lava Jato para prejudicar, deliberadamente, algumas pessoas, dentre elas o ex-presidente Lula.

Wagner esteve na abertura do Festival Internacional do Chocolate e Cacau, em Ilhéus, nesta quinta (18). Os diálogos de procuradores com o ex-juiz e hoje ministro da Justiça no Governo Bolsonaro vêm sendo revelados em reportagens do The Intercept, Folha de São Paulo e a revista Veja, além da Rádio Band.

Para o ex-governador baiano e senador, a revelação das conversas de procuradores federais, como Deltan Dallagnol, com Moro deixa claro que “a lei foi atropelada” e a “armação” contra pessoas, notadamente políticos do PT ou próximos à legenda. Ontem (18), novos trechos de diálogos de Moro e procuradores revelam a interferência do ex-juiz e hoje ministro na negociação de delações, segundo a Folha.

O senador citou, ainda, a tentativa de Dallagnol de promover uma operação da Lava Jato contra ele, às vésperas do segundo turno da eleição presidencial do ano passado, para prejudicar o petista Fernando Haddad.

– Não tenho nenhuma dúvida de que todo esse processo foi feito para prejudicar algumas pessoas e não para fazer justiça –  disse ao PIMENTA durante a visita ao festival em Ilhéus, no sul da Bahia.

Para o senador baiano, com o que já foi divulgado das conversas, mostrando diálogos de combinações entre procuradores federais e o então juiz da Operação Lava Jato, Sergio Moro,  a Justiça não terá outra opção a não ser soltar o ex-presidente Lula. “Esses fatos são inquestionáveis”, afirmou Wagner.

DISPUTA PELO COMANDO DO PT BAIANO

Marco Wense

 

O pega-pega entre Wagner e o atual comando do PT vem de priscas eras, quando o senador não conseguiu eleger o deputado federal Valdenor Pereira para o cobiçado cargo de presidente do PT da Bahia.

 

A disputa pelo comando estadual do Partido dos Trabalhadores pode provocar um acirramento entre Jaques Wagner e a atual cúpula da legenda, sob a batuta de Everaldo Anunciação.

O ex-governador, hoje senador da República, apoia a candidatura de Eden Valadares, seu ex-assessor e pessoa de sua inteira confiança.

O problema é que Anunciação, que já foi vereador em Itabuna e geraldista de carteirinha, se juntou com Josias Gomes, secretário de Desenvolvimento Rural, para enfraquecer a postulação de Valadares.

Wagner nunca teve um bom relacionamento político com Josias, cujo sonho é ser prefeito de Itabuna. O que se comenta nos bastidores do Palácio de Ondina é que o governador Rui Costa estaria dando corda a Everaldo e a Josias.

Wagner pretende ter uma conversa com Rui. Quer saber quais os motivos que estão provocando essa recusa em relação a Valadares, principalmente por parte da executiva da legenda.

Vale lembrar que o pega-pega entre Wagner e o atual comando do PT vem de priscas eras, quando o senador não conseguiu eleger o deputado federal Valdenor Pereira para o cobiçado cargo de presidente do PT da Bahia.

É óbvio que a causa de Josias e Everaldo serem contra a Valadares na direção-mor do partido salta aos olhos. Até as freiras do convento das Carmelitas sabem que é continuar dando às cartas no PT.

Mas o que intriga os correligionários mais próximos de Wagner, é Rui Costa. Ou seja, por que o governador não quer Eden Valadares no comando da legenda?

O chefe do Executivo ficaria do lado de Josias e Everaldo em detrimento do criador político, aquele que lutou contra tudo e todos para lançá-lo candidato a governador?

Seria muita ingratidão. Confesso que não acredito na possibilidade de um Wagner versus Rui nessa disputa pelo controle do partido.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

MARCELO NILO SE QUEIXA DE RUI E WAGNER: “MINHA LEALDADE CANINA NÃO FOI RETRIBUÍDA”

Marcelo Nilo: lealdade canina não retribuída

Ganhou repercussão em Salvador e no interior do Estado as declarações de Marcelo Nilo (PSB-BA), deputado federal e ex-presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (Alba), em entrevista à Rádio Metrópole, de Salvador. Nilo se mostrou arrependido pelo que chama de “lealdade canina” ao então governador Jaques Wagner e a Rui Costa quando ainda estava no comando da Alba.

– Na Assembleia, o projeto chegava em dois minutos e já estávamos votando. Lá eu conhecia. Apesar de ser presidente e ter o apoio da oposição, eu era de uma lealdade canina aos governadores Jaques Wagner e Rui Costa. Uma coisa que hoje me arrependi. Minha lealdade canina não foi retribuída.

O queixume aumenta quando se refere ao governador Rui Costa, agora no segundo mandato:

– O governador Wagner só me apoiou uma vez. Minha lealdade, quando saí, fui tratado como deputado do baixo clero. Passei oito meses sem uma audiência com o governador Rui Costa. Passei quatro horas para ser recebido pelo governador Rui Costa e não fui recebido. O governador não me ajudou em nada. Fui eleito pelo povo da Bahia. Não tenho nenhuma intimidade. Só vou no palácio quando vou com outros deputados”, disse o deputado.

RUI EM ILHÉUS E ITABUNA

Rui Costa (centro) fará campanha em Itabuna na próxima quinta

Candidato à reeleição, o governador Rui Costa fará campanha no sul da Bahia, na próxima quinta (6), véspera do Feriado da Independência. Às 15h, Rui, acompanhado do vice, João Leão, e dos candidatos ao Senado pela chapa, Jaques Wagner (PT) e Angelo Coronel (PSD) fazem caminhada na Avenida do Cinquentenário, em Itabuna. Antes, pela manhã, Rui cumpre agenda em Ilhéus, a partir das 9h. Será o primeiro ato da chapa majoritária com a presença de Rui nos dois municípios sul-baianos. Atualizado às 9h10min.

WAGNER GANHA APOIO DE DIRIGENTE DO PSOL NA CORRIDA AO SENADO

Wagner ganha apoio de dirigente do PSOL na corrida ao Senado Federal || Foto Pimenta

O ex-governador da Bahia e candidato ao Senado Federal pelo PT, Jaques Wagner, ganhou apoio do secretário de organização do PSOL na Bahia e membro da coordenação geral de campanha do partido em 2018, Danilo Moura.

Por meio de nota divulgada pelo PSOL, Danilo falou de diferenças, mas reforçou características que unem Wagner e PSOL. Os pessolistas têm apenas Fábio Nogueira como candidato ao Senado em corrida eleitoral com duas vagas ao Senado.

– Temos um conjunto de diferenças mas sabemos da importância de eleger senadores que atuem na luta contra o golpe e considero Jaques Wagner a única opção mais a esquerda depois da nossa – disse Danilo, observando que apoia, também, Marcos Mendes ao governo baiano.

A chapa majoritária do PSOL é composta por Mendes na corrida ao governo e Fábio Nogueira ao Senado, enquanto a chapa de Wagner tem o ex-governador e o deputado estadual Angelo Coronel (PSD) como nomes ao Senado e o governador Rui Costa como candidato à reeleição.

WAGNER COORDENARÁ CAMPANHA DE LULA NA BAHIA

Wagner assumirá coordenação-geral da campanha de Lula na Bahia || Foto Pimenta

O ex-governador da Bahia e ex-ministro Jaques Wagner será o coordenador-geral da campanha de Lula na Bahia, de acordo com a direção estadual do PT. Já o presidente do diretório estadual do partido, Everaldo Anunciação, assumirá a coordenação executiva da campanha. A escolha dos dois petistas teve o aval dos partidos aliados. Wagner também será candidato ao Senado Federal pela Bahia.

Nesta quarta-feira (15) Wagner e Everaldo participam do ato de registro da candidatura do ex-presidente Lula em Brasília. Também estarão presentes no ato o governador Rui Costa, parlamentares e movimentos sociais e sindicais.

Segundo Everaldo, cerca de 20 ônibus saem da Bahia com destino à Brasília para o ato de registro da candidatura do melhor presidente da história do Brasil. Os petistas e aliados prometem um “grande ato” na capital federal.

POPÓ E OS “JABS” EM WAGNER E EM JUTAHY

Popó dispara alguns golpes contra o até agora adversário Wagner || Foto Dida Sampaio/AE

Cotado para ser o segundo suplente na vaga a senador na chapa governista, Acelino Popó (PDT) elegeu o ex-governador e pré-candidato ao Senado pelo PT, Jaques Wagner, como alvo. Nas redes sociais e grupos de WhatsApp, o ex-pugilista tem desferido jabs contra o ex-petista. Os jabs são golpes utilizados pelo pugilista, na maioria das vezes, para afastar o oponente, golpeando-o, mas sem tanta força.

Invariavelmente, os jabs são críticas acompanhadas de reprodução de denúncias ligadas à Operação Lava Jato. Na última, reprodução de notícia na qual Wagner aparece como suspeito de receber R$ 12 milhões não declarados da Odebrecht para a campanha eleitoral. Ou um suposto pagamento de R$ 82 milhões. Outro que é alvo do ex-pugilista é Jutahy Jr. (PSDB), contra quem foi apurada suspeita de caixa dois de R$ 850 mil. Jutahy também é pré-candidato ao Senado.

“DEFINIÇÃO DA CHAPA LEVARÁ EM CONTA CENÁRIO ESTADUAL”, AFIRMA RUI COSTA

Rui deve anunciar chapa até a próxima semana

A chapa com a qual Rui Costa disputará a reeleição deverá ser anunciada na próxima semana, segundo o próprio governador baiano adiantou em entrevista há pouco. “Já tem [chapa]. Chegou momento de finalizar isso. Vou conversar com João Leão quando ele chegar [de viagem] e anunciar a chapa até a segunda ou terça [da próxima semana]”, disse Rui.

A chapa encabeçada pelo governador deverá ter Leão (PP) novamente como vice. Jaques Wagner (PT) disputará uma das vagas a senador. A outra está entre a senadora Lídice da Mata (PSB) e o deputado estadual Ângelo Coronel (PSD). Com maior número de prefeitos e de deputados, o PSD é favorito para levar a vaga, mas partidos da base aliada pressionam por Lídice.

O petista disse considerar naturais as pressões por vaga na chapa. “Na política e na vida, quem não faz pressão por aquilo que quer… Até a torcida, na arquibancada, faz pressão pro seu time ganhar. E muita vezes essa pressão cria ambiente favorável ao time. A vida real não é um cemitério. A mim, cabe, com muita serenidade, tomar decisão”.

A composição, segundo Rui, vai levar em conta o cenário estadual. “Até porque, o cenário nacional está indefinido. Deve ser definido em julho e eu não quero esperar até lá”. O governador prevê dedicar, ao menos, cinco semanas para a campanha política. “Quero percorrer todas as regiões do Estado [para a construção do programa de governo]”, disse.

DATAFOLHA: “LULA SERIA IMBATÍVEL NO SEGUNDO TURNO”

Lula seria imbatível no segundo turno, aponta Datafolha || Foto Agência Brasil

Nova pesquisa Datafolha revela um Lula imbatível em cenários de segundo turno na corrida presidencial de 2018, mesmo preso e sem poder fazer campanha há dois meses. O levantamento foi publicado, há pouco, pela Folha. No cenário de primeiro turno, o ex-presidente mantém 30% das intenções de voto.

A pesquisa foi feita nos últimos dias 6 e 7, segundo o instituto, quando foram ouvidos 2.824 eleitores em 174 municípios. A margem de erro é de 2 pontos percentuais, segundo o Datafolha. O levantamento foi registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Arte Folha

A mesma pesquisa revela que o apoio do ex-presidente Lula pode aumentar a chance de um candidato chegar ao segundo turno da disputa presidencial. Segundo o Datafolha, 30% votariam em um nome apoiado por Lula. Outros 17% poderiam votar. Na outra margem, 51% disseram não votar em nome apoiado pelo petista.

Em cenário de primeiro turno com Lula, o petista mantém 30%, enquanto Bolsonaro fica com 17%. Marina chega a 10%. Ciro Gomes (PDT) e Alckmin atingem 6% cada um. Álvaro Dias (Podemos) chega a 4%. Manuela D´Ávila (PCdoB) e Rodrigo Maia (DEM) oscilam entre 2% e 1%. Os demais nomes oscilam entre 1% e 0%.

Sem Lula na disputa, os demais nomes não conseguem fisgar o eleitor. Bolsonaro chega a 19%. Marina oscila entre 14% e 15%, no que depende da presença ou não de nomes do PT (Wagner ou Haddad, ambos com 1%). Ciro oscila entre 10% e 11%. Alckmin atinge 7%. Álvaro Dias mantém os 4% do cenário com Lula.

A INCÓGNITA PRESIDENCIAL DE 2018

Áureo Júnior | aureojunior1996@gmail.com

 

 

Neste sentido podemos inferir que, se Lula não puder registrar sua candidatura, a alternativa mais racional para o PT chegar ao poder novamente é ser vice em uma dobradinha Ciro-Haddad (PT) ou Ciro-Wagner(PT).

 

No presente ano podemos ter uma disputa presidencial sem a polarização PT x PSDB que foi constante nas últimas eleições. Se com Lula na disputa só resta saber quem será o seu adversário no segundo turno, sem ele a competição fica muito embolada entre Jair Bolsonaro (PSL), Marina Silva (Rede), Joaquim Barbosa (PSB), Geraldo Alckmin (PSDB) e Ciro Gomes (PDT). Como todos os citados estão pontuando razoavelmente bem, dificilmente abrirão mão de candidatura própria.

Neste sentido podemos inferir que, se Lula não puder registrar sua candidatura, a alternativa mais racional para o PT chegar ao poder novamente é ser vice em uma dobradinha Ciro-Haddad (PT) ou Ciro-Wagner(PT), pois esses dois nomes citados pelo partido para uma eventual candidatura atingiram somente 2% dos votos na última pesquisa do Datafolha.

Podemos também notar que o deputado Bolsonaro vem há muito tempo mantendo sua base de votos, que gira em torno de 15%, porém não consegue decolar. Situação essa que tende a piorar com o início dos debates, pois o mesmo tem limitações para argumentar sobre alguns assuntos como economia, por exemplo.

Também é importante lembrar que, embora não sejam protagonistas, temos outros candidatos muito interessantes, com uma boa oratória e que certamente vão enriquecer os debates, como Guilherme Boulos(PSOL), Manuela D’ávila(PCdoB), João Amoêdo(NOVO), Flávio Rocha(PRB) e o próprio presidente Michel Temer(MDB).

Áureo Júnior é estudante de Pedagogia na Faculdade Educacional da Lapa (Fael).

LULA PARA WAGNER: “NÃO RECUE”

Lula com Wagner durante visita a Cruz das Almas (BA) em 2017 || Foto Gilvan Rodrigues

O ex-presidente Lula telefonou para o secretário de Desenvolvimento Econômico da Bahia, o ex-governador Jaques Wagner, ainda na segunda-feira (26), momentos após a Operação Cartão Vermelho, da Polícia Federal, vasculhar o apartamento do “Galego”, como o líder do PT chama o petista que derrotou o carlismo nas urnas por três vezes seguidas.

“Não recue”, foi o conselho passado por Lula ao amigo Wagner, revelou a Folha nesta noite de terça (27).

A mensagem tornada pública, na verdade, é mais dor de cabeça para o PT, que detonou a superintendência baiana da PF e acusou a corporação de conluio com a TV Bahia, emissora pertencente à família de ACM Neto (DEM), prefeito de Salvador.

Ainda de acordo com a matéria, o ex-presidente orientou o amigo e Plano B do PT nacional a não desistir de seus projetos políticos. Wagner é pré-candidato ao Senado pelo PT baiano, mas poderia concorrer à presidência da República, caso Lula não tivesse nome confirmado na disputa de outubro deste ano.

PF DEFLAGRA OPERAÇÃO PARA INVESTIGAR OBRAS DA FONTE NOVA; WAGNER É UM DOS ALVOS

Nova Arena Fonte Nova é alvo de investigação || Foto Elói Corrêa/GovBA

A Polícia Federal deflagrou operação para apurar irregularidades nas obras do Estádio Fonte Nova, em Salvador. Desde as primeiras horas da manhã de hoje (26), são cumpridos mandados de busca e apreensão em vários endereços, dentre os quais do ex-governador e secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Jaques Wagner. O superfaturamento total pode chegar a R$ 450 milhões.

A Operação Cartão Vermelho apura irregularidades na contratação de serviços de demolição, reconstrução e gestão da Fonte Nova. A PF informou haver evidências de fraude na licitação, superfaturamento, desvio de verbas públicas, corrupção e lavagem de dinheiro.

A Nova Fonte Nova foi erguida por um consórcio que reuniu as empreiteiras Odebrecht e OAS, investigadas na Lava Jato. Os mandados de busca e apreensão foram autorizados pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1).

WAGNER: “EU NÃO SOU CANDIDATO A PRESIDENTE”

Wagner, que aparece em pesquisa Datafolha, diz não disputar presidência || Foto Antonio Cruz/A.Brasil-Arquivo

O secretário estadual de Desenvolvimento Econômico (SDE), Jaques Wagner, voltou a negar qualquer intenção de disputar a eleição para Presidência da República este ano. Nesta quarta-feira (31), ele apareceu com 2% das intenções de voto em uma pesquisa divulgada pelo Datafolha.

Wagner foi colocado na lista de candidatos em um cenário sem a presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como representante do PT. “Eu não sou candidato a presidente. O Datafolha está simulando nomes. Tenho quase certeza que esses votos são basicamente votos de baianos e nordestinos, mas eu definitivamente não trabalho com essa hipótese. Meu candidato é Lula”, garantiu o secretário em entrevista ao Bahia Notícias nesta quarta.

Ele reforçou que Lula deve tentar viabilizar sua candidatura até não poder mais apresentar recursos à Justiça. “Eu fico grato por quem se lembra do meu nome, mas não é real. Sou candidato a senador e meu candidato a presidente é ele [Lula]”, disse o secretário estadual. Ele disse ainda que o PT “não necessariamente” vai lançar um candidato ao Palácio do Planalto caso Lula fique impedido e cogitou a hipótese de apoiar um nome de um partido aliado. No entanto, Wagner ressaltou que o cenário pode mudar daqui até a eleição. “É muito difícil pensar num cenário porque está muito longe”, explicou. Informações do Bahia Notícias.








WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia