WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
festival chocolate






alba










junho 2019
D S T Q Q S S
« maio    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  

editorias






:: ‘Wagner’

PREFEITO DE ALAGOINHAS APOIARÁ WAGNER

Há pouco, em praça pública, o prefeito de Alagoinhas, Paulo César (PSDB), anunciou que apoiará a reeleição do governador Jaques Wagner (PT).

Se a decisão pega de surpresa o diretório estadual do PSDB (que apoiará o democrata Paulo Souto), o que dizer do ex-prefeito Joseildo Ramos (PT)?

Ele foi simplesmente chamado ao palanque para comemorar a aliança “em favor da cidade”. E o convite partiu do próprio Paulo César (prefeito reeeleito em 2004, Joseildo apoiou outro candidato em 2008, o também petista Elionaldo).

Wagner visita Alagoinhas para inauguração de um centro de referência em saúde do trabalhador (Cerest) e também anuncia obras como a duplicação da estrada de acesso ao município. Não contava com a boa nova vinda do PSDB.

CÉSAR BORGES NA CHAPA DE WAGNER

César e Jabes, em Ilhéus (Foto IlhéusAmado).

César e Jabes, em Ilhéus (Foto IlhéusAmado).

O secretário-geral do PP baiano também falou sobre a sucessão estadual. Para ele, o PT baiano compreendeu que se deve formar uma chapa forte para a disputa eleitoral deste ano. E qual seria essa chapa? A ideal, acredita, será aquela que muito se discute e encontra resistência em petistas orgânicos: Wagner candidato à reeleição, tendo Otto Alencar (PP) e César Borges (PR) como candidatos ao Senado.

A quem critica a presença de Borges na chapa do governador petista, Jabes tem defesa prontinha: “A dicotomia política acabou na Bahia. César Borges se tornou um político moderno, tranquilo e não está mais sob as ordens de ACM. Ele evoluiu e está fazendo um belíssimo mandato como senador”.

E quem seria o vice nesta chapa em que ex-carlistas dão o tom? Jabes, que curtiu um período na oposição, depois apoiou o carlismo e de lá saiu antes da morte do velho “Toinho Malvadeza”, rejeita o termo e afirma que a vice deve ir para um dos quadros do PSB ou PDT, por exemplo. “Só se ganha eleição com articulação”.

DESAFIO À LEI DE NEWTON

Newton: amarrações por apoio petista.

Newton: amarrações.

O acordo que selou o apoio do prefeito Newton Lima (PSB) ao governador Jaques Wagner e a presença do PT no governo ilheense teve algumas amarrações, que também podem ser perfeitamente entendidas como condicionantes do Palácio de Ondina.

O prefeito recebeu a missão de convencer o seu vice, Mário Alexandre (PSDB), a desembarcar da canoa do ex-governador Paulo Souto e apoiar a reeleição de Wagner. Nesse balaio de acordos (ou seria de gatos?), Marão deixaria o PSDB para embarcar em uma legenda da base aliada do governador petista.

Na mesma linha, o prefeito também abre mão do comando do PTB ilheense, hoje presidido pelo seu alterego Carlinhos Freitas, secretário de Serviços Urbanos. O PTB faz parte do arco de alianças do ministro Geddel Vieira Lima, devidamente brigado com Wagner. Então, faria bem desembarcar de projeto de terceiros…

Em resumo, a articulação política do governador Jaques Wagner quer de Newton sinais de fidelidade ao projeto ao qual se integrou. Marão está bem, obrigado!, no PSDB. A engenharia é tortuosa, dificílima, com certeza – mas nada que não possa ser superado com aquilo que sem o qual político nenhum sobrevive (cargos!). Quanto a Freitas, este faz tudo que Newton quiser.

As amarrações são estas, mas resta saber se Newton estaria disposto a tal, pois não é lá de fazer política. Ou seja, literalmente, é um desafio à principal lei do prefeito ilheense: governar sem fazer… política.

WAGNER LAMENTA MORTE DE ZILDA ARNS

“Em nome de todo o povo baiano queremos manifestar nosso profundo pesar com a tragédia que vitimou nossa querida Zilda Arns, símbolo de luta contra a desnutrição infantil e em favor da vida”. Este foi o conteúdo de telegrama enviado pelo governador Jaques Wagner e a primeira-dama Fátima Mendonça à Pastoral da Criança ao lamentar a morte da médica sanitarista e pediatra Zilda Arns.

Através de sua assessoria, Wagner lembrou da convivência com Zilda no período em que ele esteve à frente do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDS), quando o petista era ministro do CDS.

Na condição de governador, Wagner recebeu a médica para tratar da Pastoral da Criança e da criação da Pastoral da Pessoa Idosa da Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). A médica foi uma das vítimas do terremoto que matou centenas de pessoas, 12 delas brasileiras, no Haiti.

ISSO QUE É FOGO AMIGO

Um fato insólito aconteceu durante a visita de Jaques Wagner a Itapetinga, hoje. O mato da fazenda ao lado do aeroporto pegou fogo e provocou uma imensa cortina de fumaça e até o Corpo de Bombeiros teve que ser acionado.

Foi o suficiente para alguns petistas com propensões a teorias conspiratórias afirmar que o fogo havia sido provocado pela dona das terras, uma fazendeira ligada ao PMDB, para impedir a chegada de Wagner.

Não precisou nem de detetive para constatar que as chamas foram provocadas por faíscas do foguetório que saudava a visita do governador.

Era, digamos, fogo amigo, bem comum no próprio PT…

“LEITURA LABIAL…”

.

WAGNER ANUNCIA OBRA EM ITAPETINGA

Criticado pela ausência de ações em Itapetinga, o governador Jaques Wagner desembarca no município do sudoete nesta terça, 12, às 9h, para anunciar obras de reurbanização da entrada da cidade, convênio para compra de equipamentos e assinatura de  contrato de gestão do Hospital Cristo Redentor e assinatura de contrato para realização de cirurgias eletivas oftalmológicas.

ANTES DE FECHAR COM WAGNER, NEWTON PROCUROU GEDDEL

Essa é de bastidores e quem revela é o Jornal Bahia Online: Antes de fechar com o governador Jaques Wagner, com quem teve audiência na última terça-feira, 5, o prefeito Newton Lima (PSB) foi pedir ajuda ao ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima (PMDB).

O encontro ocorreu em Brasília. A viagem de Newton era para falar da sua situação política e administrativa e solicitar apoio à gestão. Como o encontro com o peemedebista rendeu poucos frutos, o prefeito ilheense resolveu acionar a presidente do PSB baiano, Lídice da Mata, e foi chorar no pé do “Galego” petista.

O encontro entre Newton e Geddel foi confirmado pelo próprio ministro da Integração Nacional ao editor do JBO, Maurício Maron, na manhã de hoje, através de contato telefônico. “Foi no final de dezembro”, disse Geddel. Leia mais no Bahia Online.

NEWTON FECHA APOIO A WAGNER E CONVIDA PT PARA O GOVERNO

Apaixonado por Geddel, Newton anuncia apoio a Wagner.

Apaixonado pelo peemedebista Geddel Vieira, Newton anunciará apoio a Wagner.

O prefeito Newton Lima (PSB) anunciará, publicamente, o seu apoio à reeleição de Jaques Wagner e convidará o PT ilheense a integrar o seu governo, informa o Jornal Bahia Online. A composição com o Partido dos Trabalhadores e o apoio a Wagner foram fechados ainda ontem, em Salvador, durante encontro entre o governador e a deputada federal e presidente do PSB baiano, Lídice da Mata.

Newton aproveitará viagem de Wagner a Ilhéus, em fevereiro, para fazer o anúncio. Quanto à participação do PT no Palácio Paranaguá, primeiro o presidente estadual Jonas Paulo fará uma consulta aos petistas. Após a sondagem de “campo”, Newton fará o convite oficialmente. Jonas estará em Ilhéus amanhã, dia 8.

PAUSA PARA OS COMERCIAIS

O governador Jaques Wagner jantou com o presidente Lula, ontem, na praia de Inema (BA). O cardápio teve mais que política baiana e nacional. Wagner fez questão de mostrar ao ‘hômi’ algumas das campanhas institucionais do seu governo, veiculadas na TV. E lá não faltou o vídeo de Dona Enedina, a estudante do Topa que sentou num banco escolar aos 100 anos de vida (confira). O vetê com a aluna-exemplo emocionou o presidente. Lula ainda teria elogiado Wagner, e reforçado que priorizar os mais humildes é o caminho.

SUCESSÃO ESTADUAL

Marco Wense

Wagner (centro) bateria Souto e Geddel ainda no primeiro turno.

Souto, Wagner e Geddel.

A pesquisa do instituto Datafolha, de inquestionável credibilidade, serviu para colocar um ponto final nas provocações entre petistas, democratas, tucanos e peemedebistas.

Antes do Datafolha, era um Deus nos acuda. Quando saia uma pesquisa do PT, com Wagner na dianteira, o PMDB soltava os cachorros. O DEM, por sua vez, dizia que Paulo Souto estava na frente.

Agora, não. Democratas, tucanos e peemedebistas já admitem à reeleição do governador Jaques Wagner logo no primeiro turno, até mesmo com uma boa diferença em relação ao segundo colocado.

A bola da vez, no sentido negativo, é Paulo Souto, que enfrenta dois pré-candidatos que ocupam importantes cargos na máquina pública: governador do Estado e ministro da Integração Nacional.

Das verbas destinadas à Bahia pelo ministério comandado por Geddel Vieira Lima, 68% vão para as prefeituras do PMDB. A legenda tem 115 Centros Administrativos de um total de 417.

Para colocar mais lenha na fogueira do desentendimento entre petistas e peemedebistas, o deputado Marcelo Nilo (PDT), presidente do Parlamento estadual, diz que “das 115 prefeituras do PMDB, 78 já declararam apoio à reeleição de Wagner”.

Geddel quer ser o herdeiro político do carlismo. Quer arrebanhar as ovelhas carlistas que não acreditam na eleição de Paulo Souto e, como consequência, assumir a segunda colocação nas pesquisas de intenção de voto.

Algumas lideranças do DEM já começam a ficar irritadas com a estratégia do PMDB de minar à pré-candidatura de Souto, dizendo até que o democrata vai desistir para concorrer ao Senado da República.

A pesquisa do Datafolha, para os democratas, foi um alerta. Para os peemedebistas, uma esperança. Para os petistas, a possibilidade cada vez mais concreta de uma vitória de Wagner no primeiro turno.

A DÚVIDA DE IMBASSAHY

.

Li no jornal Agora, salvo engano na coluna de José Adervan, que o presidente do PSDB da Bahia, Antônio Imbassahy, ex-prefeito de Salvador, estaria indeciso em relação ao seu futuro político.

É evidente que a indecisão do tucano não diz respeito a uma candidatura à Assembleia Legislativa do Estado e, muito menos, de candidato à sucessão do governador Jaques Wagner (PT).

Nem oito e nem 80. Como postulante a deputado estadual seria um nada para o seu passado político. Como candidato ao Palácio de Ondina, uma pretensão totalmente descabida.

Sinceramente, não entendo a dúvida de Imbassahy. O tucano só tem o caminho do Congresso Nacional, especificamente da Câmara dos Deputados. Qualquer um outro é a prova inconteste de que seus pés estão fora do chão.

E o Senado da República? Democratas, tucanos, petistas e peemedebistas concordam que uma das duas vagas é de César Borges, presidente estadual do Partido da República (PR). A outra, com certeza, não seria de Imbassahy.

Pelo sim, pelo não, é melhor o ex-prefeito de Salvador não correr o risco de ficar sem mandato. A eleição para o Parlamento, com a perspectiva de ser um bom deputado, é um ótimo conselho.

PPS

É público e notório que entre César Brandão e Clóvis Loiola, do Partido Popular Progressista, o PPS do deputado federal Roberto Freire, existe um atrito em torno da eleição de 2010.

Os dois são pré-candidatos à Assembleia Legislativa do Estado. O problema é que o comando estadual da legenda só quer uma candidatura. Loiola, como é o atual presidente da Câmara de Vereadores, tem mais chances do que Brandão.

A presidente do PPS de Itabuna, a simpática Mariana Alcântara, trata os companheiros na mesma medida, sem fazer qualquer tipo de insinuação que possa ser interpretada como um sinal de preferência.

Mariana, portanto, age com democracia e sabedoria. Como sabe que a decisão final sobre o imbróglio é da cúpula estadual do partido, procura manter o diálogo com os dois postulantes.

O saudoso papai, Anísio Alcântara, que era apaixonado pelo processo político, foi um bom professor. Lá de cima, lá do céu, vibra com a filha, com a companheira Mariana.

PS – Um bom 2010 para todos. Para o pessoal do DEM, PSDB, PT, PMDB, PSB, PTB, PSB, PV, PR, PP, PCdoB, PPS, PDT, PSC, PT do B, PSOL, PTN, PRP e todas as outras agremiações partidárias.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

SAI QUE É SUA, OTTO!

.

O governador Jaques Wagner concedeu entrevista ao Bahia Meio-Dia, da Rede Bahia, hoje. Além de falar sobre temas como vacinação contra a meningite e investimentos no estado, o governador petista afirmou que uma das vagas na sua chapa em 2010 será do conselheiro do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), Otto Alencar, como candidato ao Senado Federal.

Para concorrer, basta ao pré-candidato pedir o chapéu no TCM. É o tal “sai que é sua, Otto!”, como diria aquele narrador-escândalo. Sobre a segunda vaga ao Senado, Wagner deixou claro que ainda vai rolar muita água por baixo da ponte. E, até, deixou escapar nas entrelinhas não mais acreditar em César Borges na chapa.

Enquanto isso, um grupo petista vem se articulando, desde fins de novembro, para lançar o nome do deputado federal e secretário de Justiça, Nelson Pellegrino. Se colar, colou. Mas está difícil.

EM REUNIÃO, WAGNER COMEMORA DATAFOLHA

Hoje, o governo estadual conseguiu reunir o Conselho Político pela terceira vez desde 2007. Jaques Wagner comemorou resultados da sua gestão em 2009, e apesar da crise econômica, e também avaliou os percentuais obtidos na pesquisa Datafolha, publicada na semana passada.

Wagner também falou em reforma do secretariado em 2010, devido às eleições. Alguns dos secretários estaduais que almejam disputar eleição em 2010 devem entregar os cargos já em janeiro. Outros, em março. O clima era de confraternização e não propriamente de reunião de trabalho.

JÁ PENSOU?

...

ACM Neto... na chapa de Jaques Wagner (Foto Divulgação).

“Agora só falta ele (Jaques Wagner) me chamar para vice

e será a chapa mais carlista da Bahia”

ACM Neto, no jornal O Globo, ao analisar a possibilidade do governador petista ter em sua chapa a senador César Borges (PR) e Otto Alencar (PP), crias do carlismo. Faltou “Grampinho” dizer se aceitaria o convite.

QUE COISA, HEIN?

Marco Wense

eleitorO eleitor, cada vez mais descrente com a classe política, começa a ficar sobressaltado e perplexo com o desenrolar do processo sucessório.

Na convenção estadual do PMDB, todos – aí incluindo Paulo Souto, João Henrique, Imbassahy e várias lideranças tucanas e democratas – foram unânimes em afirmar que a Bahia “precisa de um novo caminho, um novo projeto”.

Essas pessoas que hoje se aproximam do carlismo e do DEM são as mesmas que diziam horrores do então candidato Paulo Souto na sucessão estadual de 2006. Agora, o democrata é a salvação.

Que coisa, hein! Os políticos, com algumas raríssimas e honrosas exceções, adoram comer no prato que cuspiram. Depois ficam se queixando dos votos brancos e nulos que são depositados na urna como sinal de protesto.

DATAFOLHA

.

Acabou a dúvida de quem estaria na dianteira da sucessão estadual. O resultado não foi bom para os democratas e tucanos. Se a eleição fosse hoje, o governador Jaques Wagner venceria no primeiro turno.

Ninguém, pelo menos em sã consciência, pode dizer que o Datafolha é suspeito ou coisa parecida. O Datafolha é um dos poucos institutos que ainda continua com a credibilidade inabalável.

Jaques Wagner tem 39%, Paulo Souto 24% e Geddel 11%. O democrata e o peemedebista vão ter que andar de mãos dadas. Na convenção estadual do PMDB trocaram efusivos elogios.

Em relação à sucessão presidencial, a pesquisa do Datafolha diz que 15% dos eleitores, que estariam dispostos a votar no candidato do presidente Lula, ainda não sabem que Dilma é a sua candidata.

A óbvia conclusão é que a capacidade de transferência de votos de Lula para Dilma Rousseff não foi exaurida. Esse preocupante detalhe provoca constantes arrepios na vistosa plumagem tucana.

VICE DE DILMA

indefinição

O deputado federal Michel Temer, presidente nacional do PMDB, como perdeu a esperança de ser o vice de Dilma Rousseff, pré-candidata do PT à sucessão de Lula, passou a defender a aproximação do partido com o DEM e o PSDB.

Antes, Temer era um ferrenho defensor do apoio formal do PMDB à candidatura de Dilma. Agora, depois da tal da lista tríplice, diz que o partido tem, coincidentemente, três caminhos: 1) candidatura própria. 2) apoiar o tucano José Serra. 3) indicar o vice de Dilma.

A opção pelo comandante-mor da legenda é a mais desastrosa para Dilma. O nome mais forte do PMDB é, sem dúvida, o do ministro das Comunicações, Hélio Costa, que pela pesquisa do Datafolha é o primeiro colocado na disputa pelo governo de Minas.

Henrique Meirelles, presidente do Banco Central, também está cotado. A favor de Hélio, o domicílio eleitoral no segundo colégio eleitoral do país. A favor de Meirelles, o argumento do bom desempenho da economia.

É evidente que a exigência de uma lista tríplice, com o PMDB apontando três nomes para que Dilma escolha o seu companheiro de chapa, foi uma maneira democrática de dar um chega-pra-lá em Temer.

Aliás, o jornalista da Folha de São Paulo, Jânio de Freitas, tem toda razão quando diz que “o vice de Dilma não é assunto dela nem do PT, é de Lula”.

WAGNER É O 6º EM RANKING DO DATAFOLHA

Bahia Notícias

Uma pesquisa do Datafolha revelada nesta sexta-feira (25) mostra a popularidade de 10 governadores das principais unidades federativas do país. O estudo dá um reforço ainda maior aos que defendem a chamada chapa tucana “puro sangue”, uma vez que Aécio Neves (PSDB-MG) lidera o ranking, com 73% de aprovação e nota 7,5, e José Serra (SP) é o quarto com 55% e média de 6,6.

O chefe do Executivo baiano, Jaques Wagner (PT), com 6,5, aparece em 6º, uma casa acima da última avaliação realizada. Curiosamente, ou não, os dois piores são José Roberto Arruda (ex-DEM-DF), com 4,8, e Yeda Crusius (PSDB-RS), com 3,9, ambos envolvidos em denúncias de corrupção. Veja a lista completa:

1° Aécio Neves (PSDB) – Minas Gerais – 7,5
2º Eduardo Campos (PSB) – Pernambuco – 7,5
3º Cid Gomes (PSB) – Ceará – 6,7
4º José Serra (PSDB) – São Paulo – 6,6
5º Luiz Henrique da Silveira (PMDB) – Santa Catarina – 6,5
6º Jaques Wagner (PT) – Bahia – 6,5
7º Roberto Requião (PMDB) – Paraná – 6,4
8º Sérgio Cabral (PMDB) – Rio de Janeiro – 6,1
9º José Roberto Arruda (sem partido, ex-DEM) – Distrito Federal – 4,8
10° Yeda Crusius (PSDB) – Rio Grande do Sul – 3,9

WAGNER PRESENTEIA, E AZEVEDO ARROCHA EM PLENO NATAL

.

Luís Sena

Enquanto o governador Jaques Wagner anuncia presentes estratégicos para nossa cidade, o prefeito José Nilton Azevedo envia para a Câmara uma atualização no Código Tributário, arrochando os munícipes com aumento super-significativo no IPTU, Contribuição de Iluminação Pública (CIP), a antiga Taxa de Iluminação, e outros.

Que o municipio necessita de uma revisão no Código Tributário, isso todos nós reconhecemos, mas a proposta elaborada eleva e, com certeza, achaca o cidadão, principalmente os contribuintes do IPTU e da taxa de iluminação, justamente a grande parcela da sociedade que clama por beneficamentos nas suas ruas e bairros e convive com a falta do serviço de iluminação pública eficiente.

O município necessita adotar uma política de aumento de arrecadação baseados em alguns princípios e a realidade do perfil da massa de seus contribuintes. Assim, deve buscar formas atualizadas de novas contribuições, aumentando sua receita própria, sem com isso afugentar empreendendores éticos e compromissados com o objetivo social e taxando exemplarmente o especulador.

O envio da proposta em questão, no final dos trabalhos legislativo,no pleno clima natalino, escamoteia e dificulta a participação da sociedade no debate e aprimoração de uma proposta ideal. Os vereadores estão com uma bomba no colo e a responsabilidade de ainda este ano aprovar tais medidas para que elas possam ser colocadas em prática em 2010.

Minha intenção neste artigo é conclamar maior participação da comunidade no sentido de conhecer o que está sendo proposto pelo gestor e que, com certeza, irá influenciar no bolso de cada itabunense em 2010, justamente no centenário de nossa cidade.

Luís Sena é professor, bancário e ex-vereador de Itabuna

ESPONTÂNEA DO DATAFOLHA: WAGNER TEM 20% E SOUTO, 5%

O Datafolha que revelou a liderança de Jaques Wagner (PT) na pesquisa estimulada também trouxe o governador na frente dos adversários na espontânea, quando nenhum nome é apresentado ao leitor.

Na espontânea, Wagner atinge 20%, Paulo Souto (DEM) chega a 5%, Geddel Vieira Lima (PMDB) e ACM Neto (DEM) alcançam 2%, cada um, e César Borges (PR) atinge 1%. Abaixo, confira todos os cenários testados pelo Datafolha (estimulada).

intvoto_gov_ba_22122009_cen1

intvoto_gov_ba_22122009_cen3

A pesquisa Datafolha também mostra que as intenções de voto em Wagner na capital e no interior apresentam percentuais semelhantes, “com exceção do primeiro cenário, em que obtém 42% entre os moradores metropolitanos e 38% dos que moram no interior do Estado”.

O levantamento ainda revela o perfil do eleitor de Wagner, que apresenta melhor desempenho entre os homens (“diferenças que variam de 41% entre elas e 46%, entre eles, para 36% e 43%, respectivamente”). Entre os eleitores de 16 e 34 anos de idade, Wagner apresenta entre 39% e 50% das intenções de voto.

Quando se leva em conta a renda, seu desempenho é melhor entre aqueles que recebem entre dois e cinco salários mínimos (taxas de 45% a 50% nos quatro cenários testados).

Paulo Souto apresenta taxas de intenção de voto equivalentes entre os moradores da região metropolitana e do interior, assim como entre os homens e mulheres, enquanto tem ligeiro destaque na faixa etária de 25 a 59 anos de idade, e tendência a se destacar entre os moradores do Estado com renda familiar entre cinco e dez salários mínimos.

PM AMEAÇA FAZER GREVE; ESTADO NEGOCIA

As associações de policiais militares da Bahia decidiram pressionar o governador Jaques Wagner. A ameaça real é de uma greve em janeiro e durante o carnaval (imagine folia sem policiamento…). Os militares falam em descumprimento de acordo, por parte do governo, fechado em agosto, quando foi deflagrada uma “greve branca”.

Naquele mês, o Estado acenou com a contratação de equipamentos, viaturas, concessão de reajustes e melhores condições de trabalho para os PMs. Na avaliação das associações de praças e de uma sociedade beneficente que congrega as mais de 20 associações militares, o governo prometeu, mas cumprir que é bom…

Através da Assessoria Geral de Comunicação (Agecom), o coronel Mascarenhas, comandante da PM baiana, disse que o estado evoluiu, sim, na reorganização da carreira militar. Mascarenhas sustenta que a categoria terá reajuste médio de 13,5% (“variando de 8,5% a 18%).

Ele sustentou ainda que, nos próximos meses, a polícia receberá mais 811 novas viaturas, “dos quais 459 veículos, incluindo 400 camionetes fechadas para policiamento ostensivo, e 352 motos”. Neste ano, o comando adquiriu 4.285 coletes à prova de bala, 427 policiais participaram do curso de condutores de veículos de emergência e em janeiro ocorre curso para uso de pistola Taser (arma não letal, usada em eventos como partidas de futebol).








WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia