skip to Main Content
26 de setembro de 2020 | 11:07 am

UESC PROÍBE TROTES E PROPRÕE TROCA SOLIDÁRIA

Tempo de leitura: 2 minutos
Uesc proíbe trote e estimula doação de sangue

Uesc proíbe trote e estimula doação de sangue

As aulas na Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) começam no dia 2 e a instituição decidiu proibir a prática do trotes. A punição a quem desrespeitar a resolução aprovada pelo Conselho Universitário (Consu), no segundo semestre do ano passado, vai de advertência escrita a suspensão de 3 a 30 dias e até desligamento da Uesc.
Em vez de trote, a pró-reitoria de graduação e os colegiados e departamentos de curso vão realizar a “troca solidária”, entre os dias 4 e 5. Calouros e veteranos serão estimulados a doar sangue, roupas, alimentos, brinquedos e livros.
Todo o sangue coletado será doado para o Hemocentro de Ilhéus, mas parte poderá ser revertida para o Banco de Sangue de Itabuna, que enfrenta enormes dificuldades e atende a mais de 120 municípios baianos.
O trote é prática comum na recepção aos calouros nas universidades e escolas técnicas. Embora não registre incidentes de maiores proporções, a Uesc resolveu adotar a prevenção. Ano passado, estudantes da área de agrárias recepcionaram os novos colegas em trotes que contaram com auxílio de facões.
Os veteranos, de facão em punho, levaram os calouros para sala de aula, onde soltaram bomba de fabricação artesanal. Apesar do enorme estrondo causado pela explosão da bomba, ninguém se feriu. Nem o professor que estava na sala.
A resolução do Consu proíbe a utilização de “elementos ou substâncias, gêneros alimentícios ou não, em especial os podres ou deteriorados, dejetos de animais ou humanos, bebidas alcoólicas e quaisquer substâncias ou elementos repugnantes ou malcheirosos, que possam constranger ou causar danos à saúde e à integridade física a quem quer que seja”.
P.S: Projeto da Câmara Federal torna crime o trote violento nas universidades e co-responsabiliza os dirigentes da instituição superior. O trote seria enquadrado como crime de constrangimento ilegal. A pena varia entre três meses a um  ano de prisão ou multa.

Esta publicação possui 6 comentários
  1. A melhor coisa que se pode fazer é se antecipar a essas coisas.
    Bem fez a UESC, pelo menos se livra de processos intempestivos e, também, já criou condições sólidas, comprovadas e irrefutáveis de julgar quem cometer tais excessos dentro do Campus, pois na rua, a polícia é que terá que coibir, …!!!

  2. Em muito boa ora, a UESC, proibiu os abusos praticados pelos veteranos ao calouros.Os alunos devem saber que estão frequentando uma UNIVERSIDADE, para se tornar homens instruidos e capazes e não uns moleques transvestidos de estudantes Universitários.
    Parabéns ao Reitor, e ao Corpo de Docentes da Universidade, por poibir tamanho absurdo, praticado ao calouros!
    Att.
    Melck Rabelo

  3. Leidy….
    a novidade é que agora a proibição do “Trote” é oficial, de acordo com uma portaria lançada no segundo semestre do ano passado, portanto pela gestão atual.

  4. Ao que parece a UESC não está se preocupando em fiscalizar o cumprimento da Resolução 05/2008, pois hoje, 02 de Março de 2009, foram aplicados trotes abusivos com corte de cabelo e pinturas com esmalte de unha nas faces dos calouros. E para amanhã, estão previstos trotes ainda mais pesados, com utilização de gêneros alimentícios, no Pavilhão Jorge Amado e na portaria da universidade.

  5. Jun18 Claro que me lembro!! Aula da Angela, 7:30h! rsLembra-se dos almoe7os no MC Donald’s no Catete, antes das aulas exanerts? Faz muitoooooooooooo tempoooo Estamos muito distantes daquela e9poca, ne3o e9 mesmo?Lembrei-me de vc he1 algunas dias: vi uma assinatura parecida com a sua, com o final do nome prolongado aquela linha que continua depois da faltima letra Sere1 que ainda somos as mesmas daquele primeiro dia de aula? rsbeijossssssssssssss

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top