skip to Main Content
28 de maio de 2020 | 12:23 pm

PREFEITURA FAZ O 'RAPA' NO PONTALZINHO

Tempo de leitura: < 1 minuto

Os comerciantes do Pontalzinho estão irritados com o ‘rapa’ que fiscais da prefeitura fizeram nesta sexta, à noite, nos bares  da praça do Trabalho. A ação, além de arbitrária, foi discriminatória.
Acompanhados de policiais militares, primeiro eles fecharam o popular ‘Bar do Bigode’ e jogaram mesas e cadeiras no ‘caminhão do rapa’.
Os fiscais já iam embora quando um cerco se formou em torno deles, questionando os motivos da ação. A resposta foi de que estariam cumprindo uma ordem do Ministério Público.
Quando questionados porque só fechar um bar e não todos, os fiscais agiram sobre outros estabelecimentos. Somente quem escaparia ileso seria o Katikero, visitado pela nata da política itabunense.
A grita foi geral e os fiscais decidiram “democratizar” o rapa. E fecharam também o tradicional bar mantido por Zequinha.
Até agora ninguém entendeu a ação dos fiscais da prefeitura e espera-se o dia raiar para pedir explicações à promotoria. E ao prefeito Capitão Azevedo.

Esta publicação possui 26 comentários
  1. Não gostei da atitude…Imdagine uma praça dessa vazia de segunda a segunda…o Pontazinho ficaria fazio. Dobraria o número de risco de assaltos, não que com movimento iria parar. Com movimento já tem imagine sem.

  2. Que coisa não… me lembro da eleição, estavamos sentados em perna bar e o srº BIGODE de uma maneira bastante chata cantava musiquinhas do “capitão azevedo é o homem do povão”, eu lembrei de um quadro do ZORRA TOTAL e brinquei: “espeeraaa!” pelo visto nao demorou muito!
    Parabéns a policia militar, MPE e CAPITÃO AZEVEDO… mostrou pro Seu Bigode que quem nasce pra prego, só leva marretada!

  3. Deveriam era se preocupar com outras coisas que acontecem no Pontalzinho, como por exemplo, o ponto de moto táxi, que ali sim, é um verdadeiro ponto de venda de drogas, cuidar da praça, que hoje esta degradada, hoje não conseguimos andar na mesma por conta dos ambulantes ali presentes. E realmente eliminar as cadeiras e mesas sob a nossa querida Praça do Trabalho.

  4. É amigo Euller, eu ia dizer quase o mesmo: a maioria ali elegeu, por mais uma vez, esse grupo. O mesmo caso do quase fechado Centro São Judas. Portanto: RECEBAM!

  5. Não sei se continua a mesma coisa, mas me lembro dos moradores do pontalzinho reclamando de barulho, de carros de “playboy” com som alto e os idiotas fazendo demonstrações ridículas de quem é o estúpido que tem o som mais alto ou coisa que o valha. Além disso, mesas em cima dos passeios (calçadas), obrigando as pessoas a andarem pela rua, no espaço que seria destinado a carros, motocicletas e bicicletas.
    Com a aglomeração de babacas, uma coisa seria inevitável: Brigas, confusões e tiros, …!!!
    Muita gente foi, inclusive, ao MP, à imprensa, na época, tentar solicitar medidas para disciplinar a anarquia (no pior sentido da palavra), pois quem tinha que acordar cedo, levantar e trabalhar no outro dia (que não é o caso dos bebuns de todos os dias), sentiam dificuldades para conseguir dormir, assistir televisão, conversar com algum familiar, atender telefone, coisas que nós, (pessoas civilizadas) fazemos normalmente dentro de nossas casas, tudo isso por causa de meia dúzia de baderneirtos, …!!!
    Me lembro que não fui morar lá, apesar de achar a localização do bairro excelente, (preferi o Zildolândia) pois muitas pessoas me disseram, na época: Vocês com criança pequena, será um problema, pois não terão paz, morando próximos à praça. Por lá, ninguém respeita os moradores, está uma verdadeira confusão, …!!!
    Aliás, aqui em Itabuna, ao procurar um imóvel, as pessoas têm que tomar alguns cuidados, a saber: Verificar se não está localizado em baixadas, pois pode ser completamente alagado nas cheias anuais do rio. Não pode ser em lugar muito alto, pois há dificuldades no abastecimento de água. Não pode ser em lugar muito deserto, por causa da falta de segurança pública. Não pode ser próximo aos bares, pois os incovenientes chegam com carros portando som alto e disparam músicas de péssica qualidade com o volume máximo e ninguém tem mais direito a nada, …!!!
    Por aqui qualquer dono de bar se acha no dierito de encher passeios, praças, calçadão, tudo que tiver pela frente para melhorar seus lucros. Quantp às pessoas, às favas, pois o que interessa é vender mais uma garrafa de cerveja. É o “lucro predatório”, …!!!
    Depois que passa o “modismo” daquele lugar, ou mesmo que alguns tiros são disparados, após uma bela confusão, estilo “far west”, o movimento despenca, fecha o bar, e começam a reclamar da cidade, que nada vai à frente, que aqui não presta, …!!!
    O que eu acho interessante é que alguns lugares bons aqui não são frequentados, pois as pessoas prefer4em ficar em cima dospasseios, sem o mínimo conforte. Alguns exemplos: O Baby beef fechou, sei as particularidades, mas nunca tivemos um lugar do mesmo nível. O Barzinho mais charmoso da cidade, o Encontro, na Paulino Vieira, também fechou, e não temos outros do mesmo nível, para variar e por aí vai. Agora, os “cacetes armados”, improvisados, de péssima qualidade, todos os dias surgem e as pessoas gostam de frequentá-los, desde que tenham muito barulho e as mesas fiquem em cima das calçadas alheias, das praças, e por aí vai, …!!!
    se o município adotasse um código de postura claramente, de forma séria mas sem discriminação. Errou, está enquadrado, a coisa seria outra, …!!!
    O que não pode haver são “dois pesos e duas medidas”, …!!!

  6. Tomamos por surpresa tal ação ,sou fiscal ,trabalho no setor ,e até sexta nenhum fiscal digo do grupo de 12 foi comunicado de tal operação, como se fosse uma coisa clandestina ou algum golpe o chefe que ainda vive no tempo em que ações desse tipo era decidida no braço. ficamos sabendo pela população que ele escolheu três fiscais, de sua confiança para fazer o serviço secreto,digo isso por que estavamos lá a semana toda e ele em nada comunicou aos fiscais do setor. Não só Azevedo como Prefeito e Gilson como secretário de administração tem que tomar uma atitude severa de apuração como também verificar que num universo de 12( doze fiscais ) o porque ele escolheu 3 e não avisou os outros no minimo os outros fiscais prescisam saber se já existe a p2 na fiscalização…

  7. Não sou contra os bares, sou contra os bares tomarem espaço publico para colocar mesas.
    Por mim PROIBE todos !! Todos mesmo sem excessões.
    So existe isso aqui na Bahia mesmo, Zequinha e cia colocam as mesas no passeio, como se ele fosse dono.

  8. gente,nem na epoca da ditadura vi coisa iqual,os fiscais da prefeitura chegaram com a PM alegando que o ministerio publico havia ordenado a retirada de todas as mesas e cadeiras da praça e dos passeios;quando foram solicitados os documentos ou a presença do oficial de justiça,eles alegavam não os ter,somente cumpriam “ordens superiores”.Ora,eles não estavam tratando com marginais e sim com comerciantes,que pagam funcionarios,alvara,aqua,luz,aluquel,fornecedores,enfim,movimentam a ecomomia municipal.No dia 26/02/09,uma quinta feira,o secretario de industria e comercio,o Sr.carlos leahy este na praça do Pontalzinho,por volta das 17:30,chegando até a conversar com os mototaxi e alguns donos de bar;nesta ocasião ,disse que faria uma reunião na prefeitura para procurar solucionar o problema,já que o aniversario da cidade estava proximo;só que não fez nada disso!!!simplesmente mandou os fiscais e os PM passarem pôr cima de tudo e de todos!!!.

  9. Quero tambem dizer que o problema do som alto é facilimo de se resolver,é só aplicar a lei,algo que não esta acontecendo,já que a policia ao flagar carros com o som alto não os guicham,como esta advertido em varias placas na praça.acredito que deveria ter havido uma reunião,aviso, acordo ou coisa que o valha.Ainda mais aplicar uma ação dessas em plena sexta-feira.Que arcara com os prejuizos financeiros de tal atitude!!!sera o começo de um governo de persequição e arbitrariedades???Lutemos para que não!!!Sera que FG esta com a razão ao declarar inumeras vezes que Azevedo não esta preparado para governar???Espero que não!!!Quem foi eleito para mandar é o prefeito e não um secretario falso!!!espero que este problema seja resolvido e o Pontalzinho volte a ser o bairro da bôemia e ponto de encontro dos itabunenses de todas as classes sociais,pois aqui é a praia de itabuna.Cadê os vereadores!!!Unam-se!!!

  10. Sera que o carnaval e sua alegria vale a vida de tantos inocentes mortos pela dengue?Poderia ser qualquer pessoa se sua familia!!!Elejamos prioridades reais para os cofres publicos e não atitudes eleitoreiras e insensatas.Pensem bem,a proxima vitima pode ser alquem que võce AME!!!

  11. Essa atitude era para ser tomada anos atrais, os moradores sofrem a anos com barulho de som de carro as alturas, odores horríveis de urina dos bêbados, brigas entre os cachaceiros, trafico de drogas…… Enfim uma bagunça. Os donos de bares não estão nem ai para os morados eles querem e so lucrar com suas vendas e os morados que se dane. Fico esperançoso que o bairro Pontalzinho volte a ter paz e tranquilidade.

  12. Porque o MP nao toma alguma providencia contra a prefeitura no caso DEMgue.? Porque ao inves de usar a ditadura, cria-se regras para o funcionamento destes e outros bares.? Mas, isso e impossivel em se tratando de um governo do DEM. Afinal, se trata de um partido remanesçente da ditadura( ex-PFL, ex-PDS, ex-ARENA ).

  13. Há gente para tudo, inclusice os que se dizem “conscientes”, que “votam certo”, mas que defendem a “baderna generalizada”, …!!!
    Vá entender, …!!!

  14. Para quem não mora no Pontalzinho e só vem aqui “encher a cara”, conseguir paquera, ou algo do gênero, achou a medida ruim.
    Peça para que seus vizinhos coloquem em seus passeios um som alto, pessoas embriagadas sem o minimo de educação, coloquem ainda uma mesa… e quando vc quiser sair de sua casa, não atrapalhe quem estiver se “divertindo”, passe pelo meio da rua e tome cuidado com os carros.
    Os donos de bares do Pontalzinho entende calçada como Direito Adquirido !
    Pelo que me consta, passeio é e sempre foi local PUBLICO !!! Aprendi isso desde de criança.
    Bom, resumindo… quando quero levar meu filho para passear eu tenho que passar pelo meio da rua ja que a PRAÇA tem cadeiras de um lado, motos de outro…
    Katiquero entao, parece o MDBSE (Movimento dos Donos de Bar Sem Espaço) acha pouco tomar toda a calçada, ainda toma posse de parte da RUA.
    Se ITABUNA fosse uma cidade séria isso jamais aconteceria.
    Muitos que aqui discordam da ação da Prefeitura é pq o problema esta longe de si…
    Pensem na coletividade….
    Seu direito termina onde começa o MEU.
    Morador

  15. Joao Santos, vc deve apenas usufruir da praça correto?
    More no Pontalzinho em veja o que nos moradores passamos, principalmente quem mora na Uniao Operaria e na Bartolomeu Mariano.

  16. Esses caras que estam defendendo a continuidade da baderna generalizada que existem no Pontalzinho, são pessoas que moram fora do bairro, e que so aparecem la para encher a cara de cachaça, e depois sai fora para sua casinha e dormem o sono dos inocentes sem nenhum barulho. Senão eles próprio chamam a policia. Porque na sua porta não pode ter barulho. Agora não vamos culpar nem um político isto e questão educação.

  17. Eu moro no Pontalzinho e achei que a atitude dos policiais e dos fiscais foi justa por dois motivos. 1) A praça é pública e não pode ser utilizada para fins comerciais da iniciativa privada, sejam eles quais forem. Não importa se essas iniciativas geram renda ou não. Se tem lei, ela deve ser cumprida. Se não for assim, qualquer pessoa vai se sentir no direito de burlar a lei em nome de seus próprios interesses. 2) Havia uma verdadeira “guerra” entre os donos de bares no processo de territorialização da Praça do Trabalho. O comerciante com mais tempo de praça, tinha o suposto direito de ter uma quantidade maior de mesas. Não havia nenhuma democratização nisso. Wembley, por exemplo, só faltou “escurraçar” Marama, a dona do Magno’s Bar que foi inaugurado recentemente. Ele dizia que tinha direito às 15, 20 ou 30 mesas dele, e Marama tinha que se contentar com as duas mesas que ele, em sua infinita “bondade” e “misericórdia” deixava ela colocar lá. Agora, sim, houve JUSTIÇA. Quem quiser se manter como dono de bar, que invista em infra-estrutura adequada, sem tomar espaços públicos alheios e sem incomodar os moradores.

  18. eu achei uma ideia ótima de fechar o bar do bigode porque ele fazia muita zuada, rolava trafico de drogas e encomodava demais agente que mora ali perto

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top