skip to Main Content
11 de maio de 2021 | 08:27 am

MELHOR SEPARAR, SENÃO APANHA

Tempo de leitura: < 1 minuto
DÓI? Irmão de Geddel diz que daria um tapinha no governo do PT

DÓI? Irmão de Geddel diz que daria um tapinha no governo do PT

Agora lascou de vez! Em entrevista à rádio Tudo FM, de Salvador, o presidente estadual do PMDB, Lúcio Vieira Lima afirmou que, se fosse uma professora das antigas, daria “umas palmadas” no governo do PT.

A frase do irmão de Geddel acendeu a ira no partido do governador Jaques Wagner e hoje, quando serão retomados os trabalhos na Assembleia Legislativa, é provável que a bancada petista peça o rompimento imediato da relação, com separação de corpos.

O deputado estadual Zé Neto (PT) perdeu o humor com a história. “A escola das palmadas e do chicote acabou. Hoje, na Bahia, as coisas se resolvem com diálogo e com bom senso”, disse o petista.

A partir de agora, a briga que se ensaiava tomará contornos mais definidos. E com tapinha então, pense! Como tem gente que gosta (e até se excita), as consequências serão imprevisíveis.

Aguardem o próximo capítulo.

Esta publicação possui 0 comentários
  1. Não sei o que Wagner está esperando para exonerar o pessoal de Geddel.Outra demora é para chamar o pessoal aprovado nas seleções REDA e concursos.Ano que vem a coisa vai ser feia !

  2. INCONSISTENTE
    Os petistas ainda não se separaram dos peemedebistas por absoluta falta de competência de governar.
    Se antes era o chicote, agora somam-se a inércia, a pressão, a chantagem, o imobilismo e todas as formas de assédios imorais praticados pelos petistas.
    Foi-se o chicote, vieram outros métodos de tortura.

  3. Aqui em Itabuna Engenheiro do Derba pode entregar o cargo. Você já estava perto de receber uma bicuda pela incompetencia.

    Geddel pode entregar os cargos

    Secretaria de INfraestrutura de Antonio Batista Neves.
    Secretaria de Ciências e Tecnologia e ainda sem o Ministerio da Integração Nacional.
    Geddel vai ter o que para oferecer aos 115 prefeitos do PMDB.
    Geddel poderia ser Senador com facilidade

  4. Como se vê, os glutões Vieiras, aos poucos, por mais que tentem maquiar suas imagem e pousem de milagreiros, não negam seu DNA de truculentos. Desconhecem que não há mais espaço para arroubos e demagogias, mas continuam com o mesmo discurso. O eleitor baiano sabe que o diálogo já substituiu os açoites das chibatadas e apenas os que se intitulam coronéis, os que pregam o voto de cabresto é quem insistem em resolver questões políticas na porrada, na palmada. Beira o ridículo, contudo eles mesmos hão de se engasgarem com a própria língua. O PMDB dos glutões faz gentilezas com chapéu alheio, não falam de implementação de políticas publicas quer na área industrial, comercial e, muito menos social. Para eles não existe a figura do eleitor e sim a do prefeito, o que comprova o ideário de formação de currais. Mas será que é essa a forma que nós baianos queremos ser tratados? Será que somos de fato carneiros que seguem seu “pastor” (leia-se prefeito) mesmo sabendo que nos conduz para o abismo? Não obstante! Somos afeitos à participação, ao dialogo, ao comprometimento do olho-no-olho e não aos acordos feitos por baixo dos panos, na calada da noite. Enganam-se os prefeitos que embarcaram na companhia do capitão do mato em busca de pretensa alforria oferecida pelos glutões.

  5. A mão que hoje quer bater, espancar os companheiros é a mesma que outrora andava estendida a pedir espaço. Muitos diriam que na política é assim mesmo. Nós do Partido Progressista discordamos. Tanto que nossa atitude é a da generosidade, da gratidão. Empenhamos nossa palavra e a honramos, pois jamais cuspiremos no prato que comemos. Se hoje dão “bolada nas costas” de quem soube dialogar e convidar para assentarem-se no sofá da sala, amanhã certamente o farão com seus seguidores, não por outro motivo senão a veia truculenta e falta de compromisso com a Bahia. Os prefeitos que desembarcaram na campanha dos Vieiras são a maior vítima, pois estão sendo iludidos com o discurso da existência de dois palanques para Dilma, o que é mais fácil ser o dos tucanos e do DEM de ACM Neto que o de Geddel.

  6. Prezados senhores peemedebistas ocupantes de cargos na administração Wagner, é fato que a presença de vossas senhorias no Governo certamente se deu por reconhecida capacidade administrativa como gestores públicos capazes de honrar o compromisso avalizado pelo eleitor e a soberania das urnas. A política do quanto pior melhor, implementada pelos senhores, é retroagir no tempo e tudo que não precisamos nesse momento econômico turbulento. Sejamos homens, na essência da palavra, para encararmos nossas diferenças sem revanchismo, sem valorizarmos esse ou aquele ego:a Bahia não tem ego. Ela é de todos os santos. Se a proposta é bancar uma eleição majoritária de oposição ao morador do Palácio de Ondina, pois que seja, todavia sem punhalada pelas costas como vêm fazendo. Isso é vergonhoso. É golpismo. A Bahia não merece essa política rasteira. O correto seria a clareza de caminhar com as próprias pernas, contudo entregando os cargos e não acendendo uma vela para Deus e outra para as trevas. Definitivamente não é a forma de se fazer política na Bahia. Por aqui sempre tivemos políticos sensatos, lúcidos e por mais que a vaidade de um ator ou grupo despontasse no cenário, oportunamente seria convidado a calçar os chinelos franciscanos. Os que se reúnem (nos finais de semana) para conspirar contra Jaques Wagner e gozam da estrutura de ministérios, secretarias, dos cargos fruto de uma aliança, para esses não existe oura classificação se não a de traidores, cujos não serão perdoados pela voz rouca das urnas.

  7. O presidente do PMDB, conhecido como “o irmão de Geddel” e não por seu nome,partiu sim para desqualificar o governo Wagner sem meias palavras. Resta saber se para os próximos dias, por mais pragmático que seja nosso Governador, a sigla será definitivamente enquadrada e obrigada a pedir pra sair, ao estilo capitão Nascimento do “Tropa de Elite”. E se assim o companheiro galego agir, não haverá momento mais oportuno, pois as pesquisas apontam forte rejeição à candidatura Geddel Vieira, inclusive colocando-o atrás do DEM rachado internamente entre Paulo Souto e ACM Neto. Ademais é sabido que o PMDB esta blefando e tenta salgar carne podre.

  8. Um sujeito inconsequente,sem-vergonha.Devia ter mais respeito pelo nosso grande governador.Com certeza vai ter a resposta que procura nas urnas`´E muito rico,mas sem poder não é ninguém.Parece gente de um ex-xerife

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top