skip to Main Content
27 de setembro de 2020 | 07:48 am

AS BARONESAS ESTÃO DE VOLTA

Tempo de leitura: 2 minutos

Como acontece de tempos em tempos, a planta aquática conhecida como “baronesa” volta a se proliferar no trecho do Rio Cachoeira que corta Itabuna.

Na parte que atravessa a área central da cidade, especificamente entre a barragem e a “Ilha do Jegue”, a vegetação forma um tapete verde, que aumenta a cada dia.

A presença da planta no rio seria positiva, pois ela absorve parte da poluição. Mas em excesso as baronesas provocam a morte das plantas subaquáticas e dos peixes que ainda teimam em viver no Cachoeira.

Ver o rio morrendo é algo que deveria incomodar a cada itabunense e, principalmente, forçar o poder público adotar providências urgentes. Mas não, ninguém faz nada.

Alias, faz sim. Todos os dias, despejamos toneladas de esgoto sem tratamento no Cachoeira para ver se ele morre mais rápido. É o nosso tiro de m… (*) diário num rio que já foi uma rica e generosa fonte de sobrevivência para tanta gente.

* misericórdia.

Mais uma vez, as baronesas invadem o rio...

Mais uma vez, as baronesas invadem o Cachoeira...

... e aceleram a morte do rio

... e aceleram a morte do rio (fotos Pimenta na Muqueca)

Esta publicação possui 0 comentários
  1. Claro que todos nós queremos um rio limpo e saudável, …!!!

    O problema do rio cachoeira não é dos piores de se resolver, pois não temos indústria pesada por aqui (não há metais pesados no rio), …, são materiais orgânicos, na sua maioria, ue são despejados no rio, …!!!

    Desconfio, entretanto, que algumas usinas de leite, aí para cima, lavam latões (tanques) de leite com ácido sulfúrico e jogam tudo dentro de córregos que atingem o rio, sem tratamento prévio algum. O Enxofre realmente é muito tóxico e causa mau cheiro, (gás sulfídrico), semelhante ao sentido por todos nós no ano anterior, quando houve uma estiagem no segundo semestre, …!!!

    Outro problema são matadouros, criações de suínos ou coisa que o valha, que jogam tudo dentro do rio, …!!!

    Quanto a poluição com metais, com a crise do cacau, nem cobre está sendo mais jogado no rio, resultado de “lavagem” de resíduos das lavouras pela chuva, …!!!

    Quanto ao problema das baronesas, creio que deva ser uma preocupação regional, não apenas de Itabuna, pois o rio não banha apenas a nossa cidade, …!!!

    Se cada município limpasse a sua parte, inclusive Itabuna, seria muito melhor o ambiente para todos, …!!!

    Só nos resta torcer para que a população tenha cionsciência (é difícil, mas não impossível), …!!!

  2. “…num rio que já foi uma rica e generosa fonte de sobrevivência para tanta gente.” Olha você errado! O Rio Cachoeira hoje é mais generoso. Muito mais… Viviam antigamente do rio: lavadeiras, pescadores, areieiros e aguadeiros. Hoje, me corrijam se estiver errado ou se esqueci de alguém, a casta e a conta bancária das pessoas que “sobrevivem” do Rio são maiores. São eles: Ongueiros, ocupantes de cargos públicos de confiança, professores universitários com suas teses e mestrados, diretores de empresas controladoras de água, hospitais e profissionais da saúde que atendem aos doentes com moléstias veiculadas pelo rio, hotéis que hospedam palestrantes com suas sabedorias de “como se salvar o rio”, etc etc e etc.
    Então, O Rio Cachoeira hoje não é mais generoso?

  3. Faltam políticas públicas(sejam municipais, estaduais ou federais) voltadas única e exclusivamente para o rio Cachoeira, já que ele corta a cidade.
    Itabuna assiste parada ao desastre de seu mais bonito cartão postal natural (senão o único, me corrijam se estiver errada.
    Será que vai ter que vir gente de fora pra dizer como administrá-lo e pegar alguns cargos, que poderiam ser fonte de empregos pra gente de nossa cidade?? Com tanta gente inteligente nesse setor, nesse ramo por aqui!!
    ACOOOOOORDAAAA, gente!!Tem um rio morrendo!! (Quando lá fora falam que o baiano é preguiçoso, nessa hora me dá aflição, pois vejo que é verdade!!)Eu não sou do ramo mas estou disposta a ajudar no trabalho por ele, basta que me ensinem! Quem mais se habilita?? Cadê os estudiosos? Arregacem as mangas também!!
    Além dessa morte aparente, que a maioria presencia calado e parado, tem o problema das muriçocas que não dão trégua(ficamos famosos por causa delas, não se esqueçam!!):trazem doenças, alergias, “mordidas”,infestam a cidade, colocando em quem passa por aqui, um bota-fora, a péssima impressão de que a cidade é horrível à noite…e não voltam mais,quando não são do comércio…quem perde?? Não faz diferença?? temos que andar pra trás ou parar na era medieval??
    ACOOOOOOOOOORDA, Itabuna preguiçosa!!

  4. Não sei se serve como primeiro passo, mas colocaram algumas placas co dizeres a respeito da conservação do meio ambiente e do próprio rio, ao longo da beira rio, entre as pontes do São Caetano e do Marabá, do lado do centro da cidade, …!!!

  5. uM RIO NUNCCA SERÁ RECUPERADO COM TEORIAS, E SIM COM PRÁTICAS.
    OUT-DOR, PLACAS, REUNIÕES, ENQUETES,DISCURSOS E OUTRAS BALELAS MAIS, NÃO LIMPAM RIOS.
    0 PROBLEMA É AÇÃO.
    ME AJUDA AI GENTWE!!!!!

  6. E olha o mosquito da dengue se proliferando…

    Quem mora às margens do morimbundo rio sente que os mosquitos aumentaram, sensivelmente, neste inverno quente.

    Às 17h30min a que se fechar janelas e portas; às 19 horas aplicar inseticida; e às 23 horas, baixar mosquiteiros.

    Caso contrário, os insetos não deixam ninguém dormir.

    A não ser as autoridades municipais…

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top