skip to Main Content
10 de maio de 2021 | 07:13 pm

EXPULSÃO

Tempo de leitura: < 1 minuto
PM foi preso em flagrante com dinheiro e celular da vítima (Foto A Região).

PM foi preso em flagrante com dinheiro e celular da vítima (Foto A Região).

Há uma opinião unânime no comando da Polícia Militar no sul da Bahia e até da corregedoria da corporação em Salvador: as provas reunidas contra o soldado Jackson dos Santos, preso na última quinta-feira, 10, após sequestrar um jovem, roubá-lo em R$ 2,76 mil e fazer ameaças, são elementos mais do que suficientes para a prisão e sua expulsão da PM.

O próprio Jackson teria confessado o crime, ocorrido em Itabuna. Ele foi preso em flagrante com o dinheiro e o celular tomados do jovem que trabalha num frigorífico do sul da Bahia.

Jackson está preso no presídio da PM em Salvador, para onde foi imediatamente transferido após tomada de depoimento pelo comando em Itabuna. Ele é lotado na 7ª Companhia Independente de Eunápolis, e trabalhava em Itagimirim, extremo-sul da Bahia.

A vitima, Fábio Souza, estava em frente à casa do policial no momento da falsa abordagem, numa marquise aguardando o patrão. Negro, de bermuda e bicicleta e com R$ 2,76 mil no bolso, Fábio foi presa fácil para Jackson.

Esta publicação possui 0 comentários
  1. No minimo esse miliante vinha cometendo alguns delitos, só que me parece que sua capivara era limpa.Um dia a casa cai meu camarada, a certeza que sempre vai se dar bem é f……meu amigo, agora é pagar sua divida com a justiça e seguir em frente,tomara que nao seja nessa linha.

  2. Isso não é novidade em qualquer orgão ou classe social. Mais a medida é essa mesmo de exoneração, tem que começar a ter esse tipo de postura para não virar bagunça.

  3. Só não entendo pq na foto o policial se encontra de kimono, roupa de artes marciais, e não de farda.
    A imagem de kimono associa o indivíduo a uma outra classe que não entra no mérito da questão.

    Nota da Redação: A foto foi a única conseguida para facilitar, ao leitor, a identificação do indivíduo em questão. Neste caso, problema seria divulgá-la se ele estivesse em condições impublicáveis, o que não é o caso.

  4. Quanto à questão da foto usando quimono, creio que seria de bom tom se vocês do blog tivessem o cuidado de fazer o recorte na foto e publicassem somente o rosto do acusado. Vocês devem saber fazer isso, não?

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top