skip to Main Content
10 de julho de 2020 | 10:48 am

ESCONDERAM O PAINEL, DE NOVO!

Tempo de leitura: < 1 minuto

Diz o senso comum que as esquinas foram reservadas a quem nada tem a fazer – ou a quem vive de fazer vida. Depende do lugar e do ângulo de quem fala do que se vê. Se for na esquina da praça Adami com a avenida do Cinquentenário, por exemplo, pode-se visualizar um belo e histórico painel que retrata a civilização cacaueira.

Ontem e hoje, por exemplo, a visão da obra de arte não se dá por inteiro, para desgosto de Genaro de Carvalho, Luiz Conceição, Cyro de Mattos e outros tantos. Não é camelô, ambulante ou qualquer outro “ante” nem banca de jornal. O que tira a visão é uma faixa (bem escrita que só!) colocada e autorizada pela prefeitura de Itabuna, aquela mesma que agiu para tornar o painel livre aos olhos de todos.

Uma pena.

Por que aquela faixa, logo ali, e justo da prefeitura?

Por que aquela faixa - logo ali e logo da prefeitura?

Esta publicação possui 11 comentários
  1. Olhando o portuguessssssssssssss.

    Isso ai é um pergunta ou uma esclamaçãooooooooooooooooo>

    Saúdeeeeeeeeeeeeeeee semmmmmmmmmmmm educação??????????????????????????????

  2. O pior, seu pimenta, foi a faixa da Beira Rio, onde está escrito perca ao invés de perda. Precisa tirar uma foto e dar uma aula ao analafabeto da prefeitura que escreveu aquilo.

  3. Detalhe,a faixa tem erro grosseiro de concordância. Deveria ter uma INTERROGAÇÃO e nunca três EXCLAMAÇÕES. A informação seria mais clara se trocasse o “QUE” por “SE”. Como sei SE estou com HANSENÍASE? Ou seja, além de feia “polui” também o bom português.

  4. Como é provisória, …!!!

    Como não é coisa alguma colada na parede (papéis, propaganda de políticos, inclusive de esquerda, como já houve), …!!!

    Como tem um apelo para que as pessoas cuidem da própria saúde, …!!!

    Até que, desta vez, passa, ..!!!

  5. quem publicou a matéria só quis ver o erro ou criticar, porque não fazem uma matéria sobre a doença? porque não divulgar como se causa a doença, como se deve cuidar, se tem cura ou não…!!! ao invés de ficar com politicagem!!!

    Da Redação: Quanta insensibilidade, “Madeira”.

  6. Sérgio cala a boca que cometárizinho mais besta esse seu viu, tá errado e acabou!!Quando se defende o errado é pq somos parte dele, já te falei contra fatos ñ existe argumentos, ver se aprende seu babaca!!

  7. Davidson, mais uma vez você mostra sua dor-de-cotovelo. Em vez de se apegar em fatos insignificantes (a faixa não está escondendo o painel), você deveria atentar-se ao real motivo que a mesma foi posta ali: evitar que as pessoas negligentes com sua própria saúde deixem de procurar auxílio médico, o qual, inclusive o tratamento para os doentes, encontra-se disponível nas unidades de saúde. NÃO SOU PARTIDÁRIO POLÍTICO, MAS A SUA FORMA TENDENCIOSA POLITIQUEIRA É IRRITANTE. CUIDADO COM ISSO!
    AH! Marcos Maurício, o erro é de pontuação, não de concordância.

    Da Redação: Wallace Sergio, aproveite e passe novamente pela Cinquentenário, hoje. Vai ver quem é o “politiqueiro” e age com ‘dor-de-cotovelo’ aqui.

    Ontem, era uma. Hoje, são duas faixas. Uma banca foi removida dali para que as pessoas visualizassem melhor o painel. A ação foi aqui elogiada. Mas, pelo visto, vale qualquer coisa vinda do governo para você. A faixa poderia muito bem ser colocada acima do painel. Bom, como a faixa não empata, não impede visualizar o painel, coloquemos mais.

  8. À redação: A informação, apesar de ter sido mal redigida, tem um valor enorme para a comunidade. O local é excelente, pois quase todo itabunense passa por ali. Se a mesma fosse colocada mais acima, as pessoas não a veriam,pelo simples fato que ninguém, em deslocamento, olha pro “céu”. Enquanto ao governo citado pelo senhor, não possuo qualquer tipo de relação política, mas me incomoda o fato de perceber a quantidade de notícias irônicas, desnecessárias e inúteis divulgadas neste blog, e só da situação. Obrigado.

    Da Redação: A questão aqui é outra. Se o município não respeita o próprio código de posturas, pouco podemos fazer. Mas, afinal, você mostrou qual o seu ponto mais sensível, ao defender “a situação” (governo). Olhar pro céu, àquela altura? Filosófico, não?

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top