skip to Main Content
20 de abril de 2021 | 09:36 am

HIPERTENSÃO

Tempo de leitura: < 1 minuto

O secretário da Saúde, Antônio Vieira, passa por dias mais do que agitados. Ontem, soltou nomes à altura do maior prédio do mundo e disse em alto e bom som, nos corredores da prefeitura, que iria sair daquela p… (prefeitura…).

Quando tudo parecia mais calmo, achou de comparecer ao programa de Bom Dia, Bahia, na rádio Nacional, hoje. O secretário até que desenvolvia bem. Só não contava com a participação especial de um radialista que lhe tem como ídolo.

E foi então provocado se seria capaz de despertar nos trabalhadores da saúde sentimento (e manifestação) igual ao da ameaça de exoneração de Gustavo Lisboa, da Educação, que assistiu ao “fica, secretário”. Vieira caiu no jogo, perdeu as estribeiras e usou adjetivos para qualificar o radialista.

E explicou o motivo de tanto desdém e futrica de Val Cabral. Nas palavras de Vieira, o radialista anda choroso em relação ao governo porque o prefeito Azevedo não lhe promoveu a coordenador do programa DST e Aids. E não esquecendo de acrescentar que Val não foi escolhido para o cargo e deveria respeitar a escolha do capitão.

Daí em diante, e como se diz na linguagem dos gramados, foi só chute na canela.

Esta publicação possui 6 comentários
  1. FOI POR ESTE MOTIVO QUE VAL CABRAL ODEIA GERALDO ATÉ HOJE O APELIDANDO DE CABEÇA DE PITÚ. E AGORA AZEVEDO SERÁ APELIDADO DO QUE.
    ESTE CARGO DE COORDENADOR DO DST E AIDS DEVE MANUSEAR MUITO DINHEIRO, PARA VAL BRIGAR TANTO POR ELE.

  2. esse Val Cabral não tem a mínima noção do que fala.
    Ele se acha o dono da verdade, no entanto rabo preso ele deve ter algum. so não sabemos.
    Enquanto isso ele discurssa como o incorruptível..
    Ainda bem que o cargo citado está nas mãos da Enfª. Vitória.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top