skip to Main Content
30 de maio de 2020 | 05:44 pm

GRAMACHO NA BERLINDA

Tempo de leitura: < 1 minuto

"Comprador de votos, eu?!"

Está programada para hoje mais uma sessão no Tribunal de Justiça da Bahia, na qual estará em pauta o processo por crime eleitoral contra o vereador itabunense Milton Gramacho (PRTB). Em ocasiões anteriores, ele foi beneficiado por sucessivos pedidos de vistas apresentados pelos desembargadores.

Ainda há quem acredite em alguma artimanha para preservar o mandato de Gramacho. Quem articula pela sua permanência é o partido Democratas, embora o suplente do vereador seja Wellington Rodrigues, o Leléu, que é do DEM.

Sabe-se que Leléu não está nada satisfeito com a trairagem, mas se encontra “na muda”, aguardando o desenrolar dos acontecimentos para futuramente tomar suas providências.

Quanto a Gramacho, sua tensão era visível ontem, na sessão de abertura da Câmara de Vereadores. Sinal de que as coisas podem não estar tão “amarradas” como se pensava.

Esta publicação possui 7 comentários
  1. Não vai acontecer nada, pois, a justiça não pode ser parcial. Ou pode? Se cassar o vereador, tem, obrigatoriamente, que cssar o prefeito. Ou nenhum dos dois.
    O que falei do prefeito de S. Paulo? “Cassa’ na 6a. e revoga na 2a. Essa justiça!!!

  2. ESSE CRIMINOSO PRECISA SOFRER AS PENAS DA JUSTIÇA E PERDER O MANDATO HOJE. SE NAO A JUSTIÇA NA BAHIA NÃO SERA SÉRIA. FALAVAM TANTO DO CABEÇA BRANCA, TONINHO MALVADEZA E AGORA DIZEM O QUE OS WAGNERS.

  3. Não irá acontecer nenhuma punição para Gramacho, assim como para câmara municipal, sobre a contratação de mais de 220 cargos comissionados. Loiola, Roberto de Souza & cia tem que vim esclarecer e solucionar de uma vez por todas essa sangria nos cofres públicos do municipio de Itabuna. Tá na hora da justiça intervir seriamente nessa câmara, porque se não…???

  4. Se tivessemos um MP atuante, já teríamos uma renovação no quadro da Câmara, com concurso para preenchimento de cargos, isso, reduziria as mordomias de alguns vereadores e acabaria com um feudo comandado por Margarete, Albenice e companhia. Só para informa-los, a Câmara de Itabuna nunca vez concurso público durante sua história, os funcionários que tem estabilidade se beneficiaram pela regra criada na Constituição de 1988, ou seja, quem já trabalhava nos órgãos públicos foi efetivado naquela oportunidade. È hora de moralizar o Poder Legislativo de Itabuna!

  5. QUEM VER ELE NESTA FOTO,
    PENSA QUE A POPULAÇÃO DE ITABUNA ESTÁ ERRADA,
    E ELE CHEIO DE RAZÃO.
    QUEM TIVER COM PENA LEVE PRA CASA.
    ESSE CAPTADOR DE SÚFLAGIO.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top