skip to Main Content
23 de janeiro de 2021 | 05:29 pm

QUESTÃO COM O INGÁ SERIA POLÍTICA?

Tempo de leitura: < 1 minuto

Na Prefeitura de Itabuna, há quem veja mais do que justificativas técnicas na negativa do Instituto de Gestão das Águas e Clima (Ingá) à cobertura do Canal do Lavapés. “É estranho que esse impedimento tenha surgido agora, quando a obra já está licitada”, inconforma-se um assessor do prefeito.

Alheio às inconformações, o Conselho Municipal de Desenvolvimento Urbano se reuniu nesta quinta-feira (25)  e deu razão ao Ingá. Os conselheiros acreditam que o projeto não considerou questões como a vazão do canal e a grande quantidade de sedimentos que costuma descer em suas águas.

Para os membros do Condur, é certeza que, se o canal for “encapsulado”, vai sobrar para as residências  e estabelecimentos comerciais às margens da Avenida Amélia Amado. Essa opinião foi manifestada pela unanimidade dos conselheiros, entre ele o engenheiro Jorge Ribeiro Carrillho.

Mesmo diante das negativas técnicas, persiste no governo a impressão de que tem dedo político n0 suspiro. “O Ingá poderia ter recomendado as alterações no projeto antes da obra ser licitada, para não comprometer o cronograma de execução. Parece realmente missa encomendada”, avalia a fonte palaciana, que acrescenta: “nunca é demais lembrar que a obra foi viabilizada com recursos do Ministério da Integração Nacional. Leia-se: Geddel Vieira Lima”.

Esta publicação possui 21 comentários
  1. É evidente que o embargo trata-se de politicalha do (des)governo da Bahia; Wagner ta usando o INGÁ e a obra do canal como moeada de troca para que Azevedo venha apoiá-lo. Usam como argumento que o canal é um Rio; E, se sabe que desde da construção da Rodoviário que por ali não passa nenhum véio de água natural, ali é puro esgoto correndo em pleno Centro da cidade.
    Itabuna ta sendo pejudicada por picuinhas por esse (des)governo que aqui nada fez.
    Firmeza Azevedo, busque junto a judiciário com um mandato de segurança para garantir a obra, que será em beneficio de todos os Itabunense.
    E, começa as obras para ver se eles terão peito de embargar.

    Itabuna, sabera dar uma resposta , nas eleições expulsando pelas urnas essas pragas que so vem prejudicando a região cacaueira(Wagner, geraldo e cia)

  2. Se realmente este imbróglio for resultado de divergência política, isso mostra bem a pequenez da nossa classe política, que ao invés de cuidar das necessidades da cidade ficam nessa briguinha de vaidade.

  3. O INGÁ (Instituto da Gestão de água e Climas), hoje funciona. Esse órgão teve o nome mudado no governo Wagner. Antes era SRH (Superintedencia de Recursos Hidricos), nos tempos do DEM, que não funcionava.
    Sabemos que as nossas bacias hidrograficas pertencem a UNIÃO OU ESTADO. Entretanto, qualquer órgão que queira explorar essas bacias precisa da outorga do órgão responsável por essa bacia.
    Em Itabuna, a Emasa retira água do rio Almada, ou seja bacia do Estado. Imagine que só agora o INGá descobriu que a EMASA não possui a ortorga para retirada da água.
    Resumo: Se essa obra da cobertura do canal do lava pés fosse no governo Paulo Souto , ela sairia e depois viria os problemas. Pois os governos do Dem é assim. Veja as obras do teatro e centro de convenções ( localização e o centro de convenções que não cabe 1.000 pessoas, isso não atende para eventos nacionais e internacionais).

    Enchentes em São Paulo( Governo do Dem)

  4. Pimenta seja mais claro. Voce sabe muito bem de quem e essa obra é o dedo Maligno do Cabêça de Pitu o famoso Vassoura de Bruxa . Não traz nada para Itabuna e impede que os outros realizem. E o centro de Convenções a cobertura do Canal Amelia Amado TUDO TUDO mesmo que for pra Itabuna ele procura travar. Esta na hora desses abestalhados Petistas pararem de puxar o saco e falarem no nome dessa coisa Geraldo Vassoura de Bruxa Simões. ATENÇÃO MUITA ATENÇÃO POVO DE ITORORO , IBICARAI , FLORESTA AZUL, BUERAREMA , ITAPETINGA ,IBIRAPITANGA , TRAVESSÃO ,COARACI ,
    ITAPITANGA, ALMADINA , UBAITABA , ITAJUIPE , ILHEUS UNA , CANAVIEIRAS, CAMAMU , URUÇUCA , PRESTE MUITA ATENÇÃO ANDA EM TODAS ESSAS CIDADES UM PSEUDO DEPUTADO GOLPISTA PROMETENDO OBRAS E MAIS OBRAS NÃO VÃO CAIR NESSA ARMADILHA COMO O POVO DE ITABUNA FORAM LUDIBRIADOS POR MUITOS ANOS. Se duvidarem podem fazer uma visita a Itabuna.

  5. NA VERDADE MEXEM DE UM LADO PRA OUTRO EM NINGUEM FAZ NADA , PRA TUDO TEM DESCULPA E A CHUVA E AS VERBAS. E ITABUNA CONTINUA COM ESTA IMUDICE . ESTE CANAL E UMA VERGONHA .TIRA ESTA FAVELA DAI.

  6. Essa situação é realmente lamentável e quem perde é a população de Itabuna, não sei se faltou comunicação por parte do governo aos órgãos competentes ou se houve de fato depois da obra licitada intervenção politica. Também e importante ressaltar que essa obra deve ser executada, pois a cidade pracisa melhorar seu fluxo de veiculos e pedestre, reforçando viabilizando uma maior mobilidade urbana, quanto as árvores, existem muitas áreas em Itabuna que podem receber novas árvores, substiduindo as horrozas amendoeiras que acabam sujando a cidade e não ventila nada.

  7. As imagens de 2006 mostram que é problemático fazer a cobertura do canal é complicado, pois a cidade cresceu e cresce desordenada e acontece essas barbaridades querer cobrir o canal para ganhar mais espaço.
    Notem que Itabuna parece que foi feita com enxadas e agora querem ampliar.. a troncos e barrancos, nas cidades em que há um crescimento notável como Itabuna tem que haver projetos para expansão na sua maioria cria-se Cidade Nova e Cidade Velha, aqui a Nova Itabuna só tem uma rua, também feita na moda antiquíssima.

  8. Com ou sem cobertura isso ai inunda,mas cai entre nois que essa obra vai beneficia a todos isso vai e principalmente para mudar de vez para melhor a infraestrutura desse lave-Pés então mão a obra JÁ e manda esse Ingá deixar de se aparecer e fazer palhaçada com o povo itabunense.

  9. Uma das razões “POLÍTICA” do INGÁ não autorizar cobrir o canal lava pés é “Por falta da devida manutenção exigida para seu perfeito funcionamento, estes canais tendem ao longo do tempo a acumular em seu interior lixo de variada natureza. Este material, por sua vez, diminui gradativamente a seção útil de escoamento, reduzindo, portanto a capacidade de fluxo, até um momento em que o escoamento se dará em seção plena. Em conseqüência disto, poderão ocorrer inundações nestes trechos”.
    Conversa!!!! A obra pode ser feita sim, afinal temos a EMASA e a Marquise (recebe R$ 1.509.919,38 por mês), para cuidar do canal. Acumulo de lixo no canal? Onde se ouviu dizer tamanho despautério, os técnicos que avaliaram o projeto não devem ter vindo olhar o canal, não há o menor vestígio de lixo nele, limpo como nem os canais de Veneza. Lixo nas ruas que poderiam ir para o canal? Em Itabuna não se vê, a população não joga lixo no chão, e se algum desavisado jogar, a Marquise ( de um milhão e quinhentos mil por mês) no ato recolhe.
    ACORDA ITABUNA!!!!!!!!!!!!!
    http://www.inga.ba.gov.br/modules/news/article.php?storyid=857

  10. Que estupidez esta politicagem. João Henrique cobriu o canal da centenário e ficou uma beleza, mudou o panorama do chame-chame. Itabuna não pode perder esta obra.

  11. Ora,porque tanta polémica??,Se a obra está irregular, a prefeitura se reune com o pessoal do INGÁ, e discuti qual é o melhor projeto.Aconteçe, que os prefeitos de Itabuna, estão acostumados a fazerem obras de acordo com suas cabeças, depois quem paga o prejuizo é a população. Veja por exemplo a cobertura do canal da feira do são caetano, feito de qualquer forma, e o resultado todo mundo sabe. Que o pessoal da prefeitura tenha a humildade de reconheçer que o projeto desta forma é prejudicial para todos, e que discuta com os orgãos competentes para que Itabuna tenha uma obra para vários anos.

  12. ORLANDO VAL CABRAL ;RSRSRSR ,COLOQUE SEU NOME;ESTA COM MEDO DE QUE?
    VOCE E ESSA TURMA DO DEM.SE E QUE VAI EXISTIR DEM.TERAO Q ENGOLIREM NAO SO AS CIDADES Q GERALDO TERAR NAS URNAS;MAIS VOCE ESQUECEU DE SALVADOR;ELE TEVE QUASE 20 MIL VOTOS.JOTA CARLOS AJUDOU LEMBRA.?133O GRAVOU??1330 1330 1330 NAO ESQUEÇA.SEU VAL CAPEÇA DE PICAPAU RSRSRSRSRS

  13. Zelão diz: – Política que doe no bolso

    Tem toda razão os membros do alto escalão do governo do “capitão prefeito,” no esperneio, contra a decisão do Ingá, em negar a autorização para o “encapsulamento” do Ribeirão do Lava-Pés.

    Segundo informações colhidas junto a membros do Conselho Municipal de Desenvolvimento Urbano, o verdadeiro custo da obra, se fosse realizada nos moldes proposto pela prefeitura, a preço de mercado, não ultrapassaria o valor de 6 mi. No entanto, a “tal licitação”, feita à toque de caixa, previa um custo de 13,2 mi, valor relativo a verba (a fundo perdido) doada pelo Ministério da Integração Nacional, que seria administrada pelo governo municipal.

    A nada desprezível “sobra de caixa,” ao que se comenta, já teria sido previamente rateada entre membros ilustres do governo. Dai, fica fácil se entender a “revolta” e a acusação de “interferência política,” por parte do Ingá.

    Essa política doeu… No bolso!

  14. Olha aqui bando de canalhas que não se identificam e se escondem com psdo-nomes ridículos: A obra tem que ser feita, mas dentro dos trâmites legais rebanho de cornos, imbecis e idiotas e anônimos. Oh Val (Patife) Cabral? Vá embora de Itabuna seu imbecil. Voce aqui não vai conseguir nada. Não deu pra notar ainda seu cabeça de marimbondo!

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top