skip to Main Content
19 de abril de 2021 | 03:51 am

AMEAÇA DE GREVE NA TRIFIL E NA PENALTY

Tempo de leitura: < 1 minuto

Vinculados ao mesmo sindicato – o Sintratec -, os trabalhadores das indústrias Trifil e Penalty, em Itabuna, ameaçam entrar em greve. Nas duas empresas, a justificativa para a insatisfação é a mesma: a resistência dos patrões em conceder um reajuste salarial que os operários considerem “digno”.

A Penalty, onde a pauta de reivindicações é extensa – incluindo até mesmo  fim do assédio moral e a redução da jornada de trabalho para 40 horas semanais -, segurou o pé na hora de definir a reposição salarial. A oferta é de um piso de R$ 532,40 de março a junho e de R$ 535,00 de julho a dezembro.

A empresa também ofereceu reajustes diferenciados: de 8% para quem ganha acima de R$ 600,00 e 4,11% para os demais funcionários. O valor estabelecido a título de Participação nos Lucros e Resultados (PLR) é de somente R$ 60,00.

Na Trifil, as condições não são muito diferentes e a direção do Sintratec afirma que o caminho poderá mesmo ser a greve. Nesta quinta-feira (04), cerca de 100 trabalhadores da Penalty fizeram duas horas de protesto no interior da fábrica.

Esta publicação possui 7 comentários
  1. Esse sindicato ja deu muitas provas de que come calado e esse ano não vai ser diferente, pois todo ano é a mesma coisa quando o patrão aperta o “sindicaro aceita aquela negociação entre o sindicato e o patrão”, e ai fica por isso mesmo, parecendo que os sindicalistas tem sangue de barata, acho que vocês deveriam fazer um estagio na sindcacau que esses sim se não tiver acorda tem greve.

  2. Essas empresas se instalam em determinadas regiões devido às inúmeras vantagens que lhes são oferecidas. Não esqueço que quando a Ford queria se instalar no Rio Grande do Sul o governador da época negou dar todas as facilidades solicitadas e a empresa veio se instalar em Camaçarí.
    Não tenho a menor dúvida que tão logo os benefícios oferecidos quando da instalação vencerem, elas fecham as portas, pegam o boné e vão procurar um lugar mais vantajoso para construir outra fábrica, seja no Brasil ou em outra república das bananas na América Latina ou mesmo na Ásia.
    E os operários, que ganham um salário irrisório, são constantemente humilhados, vão parar nas estatísticas de desemprego.

  3. VCS AGORA ESTÃO DESCOBRINDO OS REAIS MOTIVOS PELOS QUAIS ESTAS INDUSTRIAS DO SUL DO PAÍS VIERAM SE INSTALAR AQUI NOS INTERIORES DA BAHIA, INSENÇÃO FISCAL E MÃO DE OBRA BARATA, E SE VCS CONTINUAREM APERTADO AS MESMAS, ELAS VÃO FAZER O MESMO CAMINHO DE VOLTA COMO A KILDARE. ESTE É O RESULTADO DO GRANDE PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DO GRUPO CARLISTA, JÁ NASCEU COM PRAZO DE VALIDADE, ATÉ QUANDO DURAR A INSENÇÃO FISCAL, OU ENTÃO BAY BAY BAHIA.

  4. Olha,isso não é bom para a cidade,tudo bem que o trabalhador tem seus direitos mas acho que tudo se resolve na conversa,Itabuna não é uma Campinas que tem industria de peso entende?
    Geralmente o sindicato só ferra o trabalhador,acho que o único que não ferra é o do funcionalismo público.

  5. O que vai garantir a vitória deste movimento é a união dos trabalhadores. O sindicato representa a união de todos e é chato ouvir críticas de pessoas despolitizadas que não contribuem para luta e faz comentários vazios. Quer mudar seu ponto de vista, partipe, lute e conheça a realidade de perto para ter consistência e argumentação.
    Nosso alvo é o patrão, é ele que não quer melhorar as condições de trabalho.
    Viva a luta dos trabalhadores!

  6. vao lutando depois que a empresa for embora voces vao lutar com os ex funcinarios quando eles quiserem roubar a carteira de voces itabuna ja e violento imagina sem essas fabricas vai ser terrivel

  7. concodo com vc vio ecarlossb
    o povo ta ai desempregado a tanto tempo ninguem faz nada
    quando encontra um trabalho pra sair da miséria ainda fica reclamando quero ver se a penalty e a trifil fo embora de itabuna o caos que vai virar essa cidade vai fazer pior do que ja está

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top