skip to Main Content
31 de março de 2020 | 07:05 am

CONSTRUÇÃO CIVIL: OPERÁRIOS VIVEM PESADELO EM ITABUNA

Tempo de leitura: 2 minutos

Eles denunciam humilhação e fome

em obra do “Minha Casa, Minha Vida”

Nailton, desiludido, volta para casa(Foto Pimenta).

Trabalhadores arregimentados em pequenos vilarejos do sul da Bahia denunciam exploração, humilhação e fome em canteiro de obras do programa habitacional “Minha Casa, Minha Vida’, em Itabuna.

(Confira relatos no vídeo abaixo)

Atraídos para a obra com a promessa de salário compatível, hora extra, carteira assinada e despesas com hospedagem, alimentação, água e energia elétrica pagas pela empresa, os operários da construção civil conheceram o outro lado da moeda.

Cansados de não ver a cor do dinheiro ao final de mais de um mês de trabalho, cerca de 150 trabalhadores ocuparam o canteiro da prefeitura de Itabuna ao final da tarde da sexta-feira, 5, para protestar. Eles reclamavam da EMA Construtora, braço da FM Construtora no “Minha Casa, Minha Vida” em Itabuna.

O protesto gerou tumulto e a polícia foi acionada para controlar os trabalhadores. No outro dia, logo pela manhã, mais protestos, desta vez no canteiro da obra, entre o bairro São Roque e o semianel rodoviário, onde a FM Construtora ergue aproximadamente mil apartamentos. O contrato é de R$ 40 milhões.

Os operários receberam o dinheiro no outro dia, mas pago pela FM Construtora (alguns dos trabalhadores reclamavam que receberam apenas parte do devido). A polícia militar foi chamada para evitar maiores tumultos na hora do pagamento, feito em um refeitório.

De acordo com informações de funcionários da Caixa Econômica Federal, agente financeiro do programa, este não foi o primeiro protesto envolvendo trabalhadores da obra. Há cerca de 20 dias, a agência central do banco foi invadida por um grupo de operários da FM Construtora. Eles queriam receber salário. Houve quebra de objetos do banco, tumulto e agressões a funcionários da agência, mas tudo foi controlado.

Quase todos os trabalhadores que participaram da manifestação na última sexta-feira, 5, no canteiro da prefeitura (Adei), foram demitidos pela EMA Construtora. A empresa foi sublocada pela FM Construtora para erguer os apartamentos no São Roque.

O caso será levado à Procuradoria do Ministério Público Federal do Trabalho e à agência do Ministério do Trabalho e Emprego pela presidência da subseção itabunense da OAB. Todos os operários ouvidos pelo Pimenta, apesar de um mês de trabalho (e embora se trate de uma obra federal), não tinham a carteira assinada.

Confira vídeo em que operários reclamam das promessas não cumpridas pela EMA Construtora. Eles afirmam que passaram fome, foram humilhados pelo dono da empresa, Ernani Santana.

Esta publicação possui 16 comentários
  1. “Minha casa, minha vida” … Meu salário atrasado, minhas dívidas.
    Como vi outro dia, um rebanho de aproveitadores tomando cachaça e estampando nas camisetas: “2010 será Dilmais”. Até no trocadinho esse povo do PT é estúpido. Garant quem tem até dinheiro desviado para o povão encher a cara e eleger a coroa.

  2. Quem tem “companheiros” deste quilate não precisa de inimigos…

    Já está comprovado que não tem mais jeito. Agora é pedir a Deus força e perseverança para nunca se misturar com eles, porque a justiça chega para todo tipo de maldade.

  3. Absurdo…

    Mais uma cena do capitalismo voraz e devastador. Exploração da mão-de-obra pelo capitalismo de forma desumana.

    Cadê o Procurador do Trabalho??? MPT vamos trabalhar!!!!!

  4. Esse DemoTucanos são uns tapados mesmo, o programa minha casa monha vida, não contrata pedreiros ou qualquer tipo de proficinal da construção civil, o programa referido é para financiamento de Imóveis, sendo que 20% da aquizição é bancada pelo GOVERNO FEDERAL!!!

  5. A licitação foi através da prefeitura? Engraçado, o governo federal libera recursos para construir casas e consequentemente gerar renda e emprego e o responsável pela escolha da construtora ( prefeitura) admite uma empresa despreparada e alguns leigos ainda culpam o estado ou o governo federal. O que foi posto na teoria nas esferas federal e estadual o governo municipal mandou por água abaixo!

  6. a culpa e da empresa contratada ema que tem paceria com prefeitura de itabuna nao foi atoa que cham,ou o povo pra ser contratado na dei empresa de obras da prefeitura de itabuna,pois a empresa e frajunta o dinheiro foi repassado pelo governo federal,mais a ema nao repassou a os funcionarios dizendo que tinha problama nos documentos doi funcionarios,ai ficou pra fm construtora pagar,ai deu no que deu.eu sei disso porq trabalho lá na empresa minha casa minha vida

  7. A EMA é uma tercerizada da FM q tá costruindo as casas,para assinatura de contrato é festas e mais festas mas na hora de pagar quem pisa na lama e ñ anda de carro importado iventão mil e umas desculpas para iludir contratados de outras cidades q se revoltão e acabão fazendo atos de vandalismos dentro das agencias bancarias e alguns exaltados acabaão até pegando na bunda da s estagiarias dos bancos é uma verdadeira vrgonha mas tudo isso é politica corrupita e discarada pq tem prefeto ai cobrando até 4mil reais por casa construida das construtoras no minha casa minha vida ou minha ilusão …

  8. Isso tudo é de responsabilidade dos governos federal, estadual e municipal.Até quando essa roubalheira do dinheiro público e essa exploração da mão de obra vai continuar?Por que temos que seguir a legislação na contratação de funcionários e o governo não respeita as próprias leis?Até quando esse apadrinhamento, essa troca de favores vai impedir que nossas cidades progridam?A resposta é simples: até o dia em que a sociedade se organizar juntamente com as entidade civis, imprensa e Ministério Público e cobrar do governo postura ética e correta.Enquanto a sociedade não se mexer, nada mudará.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Back To Top