skip to Main Content
26 de fevereiro de 2020 | 07:03 am

NOME ESTADUAL

Tempo de leitura: < 1 minuto

Contra as vozes que se opõem ao lançamento de sua candidatura ao Senado, o deputado federal petista Walter Pinheiro (PT) gosta de lembrar que foi eleito com 200 mil votos em 2008. Desse quantitativo, 50 mil saíram da capital e 150 mil do interior do Estado.

Pinheiro disputa a indicação com o ex-governador Waldir Pires, também do PT. A outra vaga está reservada a Lídice da Mata (PSB), que pode desistir da chapa majoritária, a depender de quem estiver ao seu lado.

Esta publicação possui 2 comentários
  1. Wagner não poderá repetir a chapa que foi derrotada em Salvador para Gedel, será um erro clássico, a sabedoria na política é de fundamental importância, para derrotar as oligarquias.

    Waldir Pires reúne melhores condições do que qualquer outro no cenário da política baiana hoje e aglutina o campo democrático e popular e mais o centro progressista que resiste na Bahia. A chapa de Gedel com Cesar Borges representa umas volta ao passado e o povo baiano saberá quem e quem.

    Pinheiro deverá ser o homem para organizar essa disputa um bom estrategista. E poderá ser o nome da Bahia no ministério de Dilma e 2011 em Brasília.

  2. Eu queria que fosse WALTER & WALDIR !!!
    Se não puder os dois na majoritária, Walter deve colocar Waldir na Suplência e a posteriori, ceder o espaço ao ícone da eloquência política da Bahia. Assim o seu lugar estaria, sim restaurado! A Bahia pagaria uma dívida dos maldosos magalhães.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Back To Top