skip to Main Content
14 de julho de 2020 | 03:14 am

O TIME DE DUNGA

Tempo de leitura: 2 minutos

Ailson Oliveira

Arte GE.

Finalmente acabou a expectativa quanto à convocação de Neymar, Ganso e Ronaldinho Gaúcho, pelo técnico Dunga, da seleção brasileira.

Agora os comentários mais comuns são: “Dunga foi conservador”, “Dunga foi coerente”, “só tem Kaká de criativo no meio campo”, “teria que ter chamado Ganso” e “a surpresa foi Grafite”.

Que Dunga foi conservador, a lista comprova isso. Concordo com o comentarista Neto de que o Kaká é um jogador de velocidade e muito importante para o Brasil, mas não é criativo.

Nesse caso, acho que um jogador com a característica do Ganso cairia muito bem no meio de campo da seleção, junto com Kaká ou na ausência dele. Trata-se de um jogador criativo, que sabe segurar a bola, cadenciar o jogo em alguns momentos da partida. Enfim, um jogador moderno.

Grafite de fato foi uma surpresa na lista, mas não foi a única. Kleberson, que é reserva no Flamengo, foi menos testado do que Carlos Eduardo (opção de criação para a meia que se saiu muito bem na seleção, inclusive reconhecido por Dunga) e mesmo assim foi um dos escolhidos para a copa.

Dunga sempre disse que ficaria na seleção quem estivesse jogando bem. As convocações negam esse discurso.

Dunga sempre disse que ficaria na seleção quem estivesse jogando bem. As convocações negam esse discurso. Chamou alguns jogadores que são reservas nos seus times. Ganso e Neymar estão fora da lista.

O que me impressiona é que a imprensa critica agora a convocação de jogadores que são reservas no time de Dunga, para justificar o descontamento pela não-convocação de Ganso, Neymar ou Ronaldinho Gaúcho. Antes, o mais criticado era Gilberto Silva.

Acho injusta criticar jogadores que têm uma história de boas atuações na seleção, como Josué e Júlio Baptista, principalmente nos momentos críticos, e blindar jogadores que conseguem jogar muitas partidas ruins, como Ronaldinho Gaúcho e Robinho.

Se considerarmos o elogio de Dunga pelo futebol apresentado por Carlos Eduardo quando foi convocado, penso que o técnico não foi coerente na escolha de Kleberson.

E se considerarmos que a seleção tem Luís Fabiano e Nilmar como jogadores de área e que Grafite será reserva, o fenômeno, mesmo gordinho, seria uma alternativa para entrar e resolver uma partida no segundo tempo.

A seleção tem jogadores experientes, mas não é, na minha opinião, a favorita ao título. Mas isso pouco conta agora. Nem sempre ganha quem tem melhor elenco e joga melhor futebol. Então, vamos ao hexa.

Ailson Oliveira é professor e amante do futebol.

Este post tem um comentário

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top