skip to Main Content
25 de fevereiro de 2021 | 07:46 pm

CINQUENTENÁRIO: REUNIÃO TENSA NA CAIXA

Tempo de leitura: < 1 minuto

O prefeito Capitão Azevedo (DEM) ignorou avisos emitidos pelos engenheiros da Caixa Econômica Federal e tem, neste momento, uma reunião mais do que tensa no escritório de negócios da instituição financeira.

A Caixa afirmou que o piso adquirido para a nova calçada da avenida do Cinquentenário estava fora dos padrões e o município não receberia os R$ 1,52 milhão para a obra. Azevedo resolveu peitar a Caixa.

Neste momento, claro está que – pelas vias normais e respeitada a questão técnica – o dinheiro não sai.

Antes mesmo que a prefeitura iniciasse a colocação do piso, no mês passado, os técnicos do banco afirmaram que os ‘tijolinhos’ adquiridos pelo município eram inadequados para a avenida (relembre aqui).

Para pressionar o banco, o prefeito Capitão Azevedo ordenou aos operários que iniciassem a colocação do novo piso, há um mês. Nem esperou um laudo de avaliação do piso “sonrisal”. Quase 40% da avenida já está calçada com o piso reprovado pela instituição financeira.

A continuar do jeito que está, a prefeitura terá de buscar outra fonte para pagar o fornecedor. Segundo informações, a empresa estaria enfrentando dificuldades para suprir a demanda do município pelos “tijolinhos”.

Esta publicação possui 15 comentários
  1. Esse piso deve sair 10 vezes mais caro pro povo que vai pagar!
    Dali 25!!
    Esse é o verdadeiro prefeito do DEM, ou seja do demônio!!!

  2. E, afinal de contas, o laudo com o resultado da avaliação técnica sai quando, …?!?!?!

    Por enquanto, de lado a lado, tudo não passa de especulação, …!!!

    Se até mesmo o Engenheiros, que representam a Caixa Econômica, não tiveram competência suficiente para avaliar, e solicitaram uma avaliação externa, …, como alguém poderia dizer, de antemão, que o piso não é bom, …?!?!?!

    Pode até aparentar não ser bom, mas, nesse caso, como irá passar por uma perícia técnica, é necessário seguir o parecer técnico – contido no laudo técnico – para confirmar, ou não, …!!!

    Da Redação: Sérgio, a Caixa solicitou novo laudo – a prova dos nove – devido às contestações da prefeitura.

  3. Gostaria que vocês investigassem qual é o fornecedor da Prefeitura, porque já se ouviu falar que seria uma empresa de um secretário do municipio. As coisas devem ser claras, já que nessa gestão não há mutretagem!!

  4. Os engenheiros da Caixa são inexperientes … eles não têm competência para avaliar isto … O piso pode até ser ruim, tal como foi o que Geraldo colocou na Paulino Vieira … mas …
    Gostaria de saber o que pensa o eng. Francisco França, que tem experiência e isenção para tal … não aguento mais é os politiqueiros falando o que, naturalmente, não sabem.

  5. COMO É O NOME DA EMPRESA QUE ESTA NA FRENTE DAS OBRAS E QUEM É O ENGENHEIRO.
    A CAIXA ECONOMICA ATE QUE PROVE O CONTRARIO É UMA EMPRESA BANCARIA QUE ACHO EU QUE NAO IRIA DEIXARSE USADA POR PARTIDO POLITICO, EM UM CASO COMO ESTE. POREM QUEM TEM SEGUIDO AS NOTICIAS , O ENGENHEIRO AVISSOU ANTES DE COLOCAREM AA PRIMEIRA PEDRA, O PREFEITOCORREU E MANDOU COLOCAR SEGUNDO A EMPRESA LOCAL CHAMOU ATE O ENGENHEIRO DE INCOPETENTE, E ATE HOJE NAO VEJO UMA PLACA DIZENDO DE ONDE VEM AS VERBAS , QUEM ESTA FAZENDO A OBRA SE E O MUNICIPIO OU O ESTADO OU A UNIAO, NOME DO ENGENHEIRO DA OBRA,
    . FALTA SINALIZAÇAO DE SERVOCO.
    ATE HOJE NAO SABEMOS SE VAO COLOCAR VIAS PARA CADEIRANTE E CARINHOS DE BEBE. DALI 25252525
    NA AV ITAJUIPE , BAIRRO SANTO ANTONIO SEMPRE DEU VITORIA AO DEM.
    ESTAO ESQUECIDOS PELO CAPITAO PREFEITO.
    HE HEHE HE AZEVEDO DEU THAL PRO SANTO ANTONIO.

  6. para poder emitir a minha opinião, hoje andei sobre o piso. Como não sou perito no assunto, não sei informar sobre a qualidade dos tijolinhos. Porém, sobre o assentamento, com certeza vamos ter muitos problemas. Em algumas partes, os tijolinhos estão totalmente desalinhados, em outras partes, a calçada está ondulada.Mulheres de salto, carrinhos de bebês e cadeirantes, terão sérios problemas, principalmente se entre os tijolinhos for usado só areia( e não massa).Esperamos que até lá, estes problemas sejam solucionados, ou do contrário, será dinheiro jogado fora, pois a durabilidade será de pouco tempo.

  7. Veja bem! O piso ser bonitinho não quer dizer muita coisa não! Além de boa aparência tem que cumprir com as normas de segurança e resistência. Durabilidade, espessura adequada,porosidade etc. No caso de passeio de pedestres pode utilizar ni mínimo de 6cm de altura até 8cm.Deve-se fazer ensaios para medir resistência a tração, compressão e flexão além esforço de cisalhamento também.
    O pei ( resistência mecânica a abrasão) também deve atender as especificações.

  8. LULA
    O piso é “prático” para quem comprou e quem vendeu.

    Não para população.

    Em 1 ano os comerciantes terão que refazer suas calçadas.

  9. Continuo achando que a Caixa tá querendo complicar a única obra do nosso centenário.
    Será que a Caixa nunca financiou nenhuma obra em nenhum lugar do país que tivesse utilizado pedra portuguesa, por exemplo?
    Não tem nem o que comparar, o piso intertravado é muito melhor que as pedras portuguesas usadas na maioria das calçadas de Salvador por exemplo (av 7, corredor da vitória, etc).
    Se a implicancia fosse devido ao valor do piso, va lá, mas quanto a usabilidade, se não for incompetência dos engenheiros é implicância mesmo.

  10. Mas o povo não disse “SIM” para o Capitão ser prefeito do centánrio!
    Agora é degustar a sobremesa, amarga que nem tijolo de melância!
    Acorda povo, isso é só o começo

  11. “Azevedo resolveu peitar a Caixa.” Peitar: v. tr.; subornar com peitas; corromper com dádivas. Amigos, é de bom tom que se esclareça a acepção do verbo peitar no contexto, pois se foi no sentido mencionado, a situação fica ainda mais constrangedora para o nosso querido(?) alcaide!

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top