skip to Main Content
29 de outubro de 2020 | 07:31 am

VICE DE MARINA LUTA CONTRA O RELÓGIO

Tempo de leitura: < 1 minuto

O empresário Guilherme Leal tem até as 18 horas desta sexta-feira, 9, para apresentar – ao Ibama – a planta e as licenças ambientais do projeto privado que ele toca numa fazenda em Uruçuca, no sul da Bahia. A propriedade está cravada numa Área de Proteção Permanente (APP) e suspeita-se de que o investimento foi iniciado sem as licenças devidas.
Como o empreendimento ocupa uma área superior a 50 hectares, ele teria de apresentar o Estudo de Impacto Ambiental (EIA) e o Relatório de Impacto Ambiental (RIMA) ao Ibama, o que não aconteceu.
Leal se defende e disse que iniciou o projeto com autorizações da prefeitura de Uruçuca e do Governo Estadual, em 2007. Mas a informação é de que a prefeitura não possuía autonomia para conceder esta licença nem o estado poderia autorizá-la dissociado do Ibama.
A área é totalmente de restinga. Diretores da Modusvivendi Participações Ltda teriam dito que o empreendimento, voltado ao lazer e entretenimento, irá gerar 200 empregos. Guilherme Leal é candidato a vice-presidente da República pelo PV.
Ainda ontem, a presidenciável Marina Silva saiu em defesa do companheiro de chapa. Afirmou que as denúncias teriam o objetivo de tisnar Leal. Já o dona da Natura Cosméticos vê perseguição contra o projeto por ser ele um contrário ao Complexo Intermodal Porto Sul, um megaprojeto que prevê investimentos de R$ 6 bilhões na Bahia, a maioria concentrada na zona norte de Ilhéus.

Esta publicação possui 8 comentários
  1. o interessante é que somente agora, em plena campanha presidencial, é que se verificou todos esses fatos.
    Antes tudo isso estava despercebido………………………

  2. Srs. Jornalistas
    Se cavar mais um pouquinho vcs vão descobrir muito mais lama.
    A área que dizem ser 80 hectares passa de 200 Ha, Houve aterro de manguezal e mudança na paisagem local. Se vc pegarem o plano de zoneamento costeiro que esta no site da papa,os srs. vão entender melhor. O plano do cara não é refugio familiar e se uma forma de faturar alto em lotes que só milionários podem comprar. Analisem os documentos da Modusvivendi Participações e verão o quanto ele esta passando a perna no povo de Serra Grande. O Ruy Rocha e todos da Floresta Viva não passam de facilitadores de empresários que são atraídos para estas bandas.Investigue a relação do Sr. Ruy Rocha com Guilherme Leal. Tem muita gente disposta a falar.

  3. Acabei de ver uma matéria blog o sarrafo com o título mais apropriado para este sr.MOTOSSERA DE OURO. Para um milionário que se diz “defensor da natureza”, escondendo o jogo milionário que esta por trás das terras daquela região. Mesmo que ele tenha tido autorização, como bom cidadão e ambientalista jamais poderia fazer o que le faz numa área que mostyra visivelmente se tratar de uma restinga -rasteira,arbustiva e arborea e com agravante o angue cerca todo empreendimento caracterizando uma gano de marinha e dunas. Senhora Marina sua escolha foi infeliz. Aliás nenhum dos candidatos foi feliz com seus vices..vixe mainha.

  4. CAROS LEITORES,
    O EMPREENDIMENTO DA NATURA EM SERRA GRANDE É UM LUXO SÓ!
    O TAL GUILHERME FEZ UMA DUNA PRÓXIMO A PRAIA E COLOCOU A CASA DE PRAIA DELE EM CIMA. NÃO TEM IMPACTO AMBIENTAL???
    O EMPREENDIMENTO NA VERDADE, É UM CONDOMÍNIO DE LUXO, COM TERRENOS VALENDO NO MÍNIMO 1 MILHÃO!!!
    INCLUSIVE O HOTEL TXAI FAZ PARTE DESSA OBRA FARAÔNICA, TENDO CASA TAMBÉM NA BEIRA DA PRAIA!
    E A TURMA DA REDE GLOBO QUE TEM CASA NO CONDOMÍNO VILA SÃO JOSÉ EM ITACARÉ, QUE DE TÃO AVANÇADA PRA VCS TEREM IDÉIA, O PISO DA SALA DA CASA É DE VIDRO, VC VÊ O MAR EMBAIXO DA CASA BATENDO NAS PEDRAS!!!
    E AÍ, QUEM DEVE GERAR MAIS EMPREGO? O PORTO SUL OU AS MANSÕES DESSA TURMA?
    Q VENHA O PORTO SUL!!!

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top