skip to Main Content
22 de fevereiro de 2020 | 03:27 am

VITÓRIA PERDE EM BOMBARDEIO DO SANTOS

Tempo de leitura: < 1 minuto

Os “Meninos da Vila” estavam impossíveis em campo, mas abusavam de perder gols. Ao final, o Vitória pôde se dar por satisfeito ao levar apenas 2 a 0 na primeira partida das finais da Copa do Brasil.
Os gols foram assinalados por Neymar, numa “barrigada”, ainda no primeiro tempo, e Marquinhos, em cobrança de falta na etapa final do jogo. Neymar perdeu um pênalti ao dar uma cavadinha. O goleiro Lee, do Vitória, esperou a batida e conseguiu a defesa. O jogo ainda estava 1 a 0 para o Peixe.
O Vitória precisará vencer por uma diferença de três gols para sagrar-se campeão da Copa do Brasil. O jogo decisivo será na próxima quarta, dia 4, no Barradão, em Salvador, às 21h50min. Se terminar 2 a 0 para o rubro-negro, a disputa do título será resolvida em cobrança de penalidades.

ELEIÇÕES 2010: AZEVEDO DIZ QUE SE DEFINIRÁ "O MAIS BREVE POSSÍVEL"

Tempo de leitura: 2 minutos

Azevedo diz que apoio sai "o mais breve possível" (Foto Fábio Roberto/Pimenta).

Durante a inauguração das obras da Avenida do Cinquentenário, o prefeito Capitão Azevedo afirmou ao Pimenta que se definirá “o mais breve possível” sobre quem vai apoiar na corrida ao governo do estado. O prefeito confirmou que se reuniu, reservadamente, com Wagner ainda ontem, mas negou que tenha ido ao encontro do governador para conversar sobre apoio eleitoral.
Azevedo disse que foi apenas pedir agilidade nas obras de duplicação do trecho Ferradas-Nova Itabuna da BR-415 e a construção da barragem. “Até o momento, eu não declarei apoio a ninguém, mas chegou o momento”. Segundo ele, o anúncio sobre com quem marchará nas eleições ocorrerá “o mais breve possível, o mais breve possível”.
Sobre as promessas de Wagner, o prefeito disse que governador garantiu o cumprimento. “Então, vamos ver se ele vai ajudar”.
Essa é a versão pública e a dita por ambas as partes. Mas o Pimenta conversou com assessores tanto do prefeito como do governador. Azevedo evitou a todo momento ser fotografado ao lado de Wagner, tanto no estacionamento externo da AABB de Itabuna quanto no momento do voo do petista no retorno a Salvador, ontem.
Já distante das câmeras e dos olhares da imprensa, e acompanhado do deputado estadual Luiz Argôlo, Azevedo tentou fechar apoio a Wagner ainda dentro de um carro. O governador conversou em tom entusiasmado com o prefeito itabunense, mas observou a necessidade de esta aliança ser anunciada em evento público, não ali, no bólido.

ALELUIA CHAMA CÉSAR BORGES DE "AÉREO"

Tempo de leitura: < 1 minuto

Com entrada tardia na disputa por uma das duas vagas ao Senado Federal, o democrata José Carlos Aleluia vem fazendo pouco do antigo aliado César Borges, senador e candidato à reeleição.
Tido como excelente deputado, Aleluia, que hoje está em Itabuna, pontua entre 7% e 9% nas pesquisas ao Senado. Para ele, o baixo índice se deve ao desconhecimento de que é candidato à Câmara Alta do Congresso.
É neste ponto que Aleluia ataca o alegre e, palavras dele, “aéreo” César Borges. Afirma que o ex-aliado comemora pesquisas que o favorecem, mas esquece que a campanha está só no início e a maioria dos candidatos ao Senado ainda está se botando na peleja eleitoral – fala em defesa própria, aliás. Trocando em miúdos, acredita (ou quer fazer crer) no surrado “os últimos serão os primeiros”.
Impossível, Aleluia diz que César Borges faz malabarismos “para decolar o pesado Geddel”. Diz isso para, em seguida, classificar o senador de volúvel politicamente. “Na verdade, é o senador geleia geral”.
O que isso quer dizer? Aleluia explica: – Ele [Borges] tomou café da manhã com Paulo Souto, almoçou com Wagner, mas teve de dormir com Geddel, apoiando Dilma pela porta dos fundos”, diz, relembrando as articulações políticas na pré-campanha que levou o senador para os braços de Geddel.
De agora em diante, e com a lideranças nas pesquisas, vai ser assim: tiro ao Borges.

ALÔ E ANALGÉSICO

Tempo de leitura: < 1 minuto

O deputado estadual Luiz Argôlo teve uma leve dorzinha de cabeça, nesta madrugada, durante o show do Chiclete com Banana.
Tudo porque o vocalista Bell Marques, já no palco, mandou aquele alô para o parlamentar, que estava no camarote da Festa do Centenário.
Como é candidato a deputado federal, a dor de Argôlo atende pelo nome de Justiça Eleitoral. Mas amigos o deixaram mais calminho.

SHOW DO JAMMIL É ADIADO

Tempo de leitura: < 1 minuto

O show Jammil no Trio Elétrico não mais acontecerá nesta quarta-feira, 28. Devido às chuvas dos últimos dias e dificuldade de acesso ao Espora de Ouro, o evento foi adiado para o dia 15 de agosto, no Espora de Ouro, informa o produtor Nelsinho Lima.
Conforme o produtor, o Jammil e as demais bandas se apresentariam em um trio elétrico. Houve tentativa de acesso do veículo, mas a grande quantidade de lama no acesso ao Espora tornou impossível a festa. “Também não havia mais tempo hábil para montagem de estrutura de show em um palco”.
Quem já comprou o ingresso, diz o produtor, basta aguardar o dia 15, segundo Nelsinho. Como a produção prometia feijoada no camarote da festa e o produto já estava pronto, será servido num encontro no Grapiúna Tênis Clube, a partir das 13 horas.
_

VANDALISMO NA PEDRO JORGE

Tempo de leitura: < 1 minuto

Caixas de hidrômetro foram danificadas pelos vândalos

A poucas horas da inauguração das obras de reurbanização da Avenida Pedro Jorge, que liga o bairro São Judas ao São Caetano, a Prefeitura de Itabuna deparou com uma cena lamentável. Vândalos, não se sabe se por iniciativa própria ou a mando de alguém, passaram pelo local e destruíram as caixas de hidrômetro instaladas pela Emasa.
Segundo o presidente da empresa municipal, Alfredo Melo, não houve furto de material, apenas um ato de puro vandalismo. “Chutaram tampas, quebraram os equipamentos, apenas isso”, lamentava.
A inauguração da avenida está programada para as 15 horas desta quarta-feira, dia 28. Melo diz ter mobilizado três equipes para consertar os equipamentos a tempo. O prejuízo estimado é de R$ 10 mil.
Além de quebrar os hidrômetros, os vândalos também rasgaram sacos de lixo e emporcalharam a avenida.

O ABC DO CABOCLO FAZ 48 ANOS

Tempo de leitura: < 1 minuto

O Caboclo e sua incomparável batida

A boemia itabunense está em festa. Nesta mesma data em que a cidade comemora seus 100 anos de emancipação, a sua  “barmácia” mais tradicional também faz aniversário.
Há 48 anos, o ABC da Noite tem sido o ponto de encontro de apreciadores das incomparáveis batidas do Caboclo Alencar, o filósofo-alquimista que prepara e serve a bebida de um jeito único, que só existe naquele cantinho da Rua Adolfo Leite, mais conhecida pela alcunha (bem mais interessante) de “Beco do Fuxico”.
De tão pitoresco, o ABC da Noite já virou assunto de livro, escrito por Adylson Machado e editado pela Via Literarum. Aliás, uma obra que todo itabunense deveria ler para aprender a também admirar as preciosidades humanas que existem nesta terra.
Nossos parabéns ao Caboclo!

BAIRRO ILHEENSE PEDE SOCORRO

Tempo de leitura: 2 minutos

Um dos bairros mais populosos de Ilhéus, o Nossa Senhora das Vitórias já entrou até no itinerário de presidenciável (o tucano José Serra passou por lá em sua recente visita à região). Mas a comunidade ainda precisa entrar na agenda do governo municipal, e com urgência.
O maior problema do bairro está nas ruas, o que se agravou com as chuvas que estão caindo em Ilhéus e Itabuna. A grande quantidade de lama dificulta o tráfego de veículos e até os ônibus estão atolando.
Há menos de uma semana, uma comissão formada pelo vice-prefeito Mário Alexandre e os secretários Carlos Freitas (Serviços Públicos) e “Cobrinha” (Interior) esteve no local e prometeu realizar o encascalhamento da via principal do bairro, que é também a estrada que dá acesso aos distritos de Coutos e Rio do Engenho, entre outras comunidades.
A Prefeitura, porém, diz que o serviço pode ser realizado somente após três dias sem chuva. Ou seja, a solução depende da aquiescência de São Pedro.

Ciclista tenta se equilibrar na lama. Ao fundo, motorista também usa habilidade para não atolar

 

Motorista de ônibus tentou enfrentar a lama e ficou preso no atoleiro (fotos Agdo Júnior)

PISTA DE MOTOCROSS

Tempo de leitura: < 1 minuto

Moradores do bairro São Roque, em Itabuna, vêm reclamando há muito tempo do péssimo estado de conservação daquelas ruas. Totalmente esburacadas, algumas tornam absolutamente impossível o tráfego de automóveis.
Na manhã desta quarta-feira, 28, aniversário de cem anos da cidade, um morador despertou com o barulho de moticicletas e foi verificar. Tratava-se de um enduro passando pelas ruas – para esta finalidade, perfeitas – do São Roque.
O morador, então, diz ter compreendido porque a Prefeitura deixa o bairro ao Deus dará. “Não é por descaso, é por amor ao esporte”, comentou o sujeito com indisfarçável ironia.

CEM ANOS DE SOLIDÃO

Tempo de leitura: 2 minutos

Ricardo Ribeiro | ricardoribeiro@pimentanamuqueca.com.br
Nas projeções de minha imaginação, a Itabuna dos primeiros anos seria algo semelhante à lendária vila de Macondo, celebrizada por Gabriel Garcia Marquez no livro Cem Anos de Solidão. Deveriam existir também por essas terras os seus Melquíades, o cigano que sempre chegava trazendo a última novidade, ainda que não fosse tão nova assim. O jornal, por exemplo, poderia ser de uma semana atrás, porém as notícias eram “fresquinhas” em uma época que ainda estava a anos-luz da instantaneidade dos blogs.
Imagino que a espera angustiada pelo inédito, às margens de um rio de águas límpidas e valentes, propiciasse aos primeiros itabunenses momentos de reflexão e poesia. Sem afetações, pois isso não era compatível com os “cabra macho” que enfrentaram serpente, correnteza e índio até chegar ao local em que plantaram as suas promissoras tabocas.
Nas episódicas aulas que assisti sobre o tema, ensinavam que aqui chegaram sergipanos, gente do sertão da Bahia e povos das Arábias, sobretudo sírios e libaneses (na época, para facilitar, estes últimos eram todos chamados indistintamente de “turcos”).
Quem foi além das aulas e embrenhou-se pelas matas fechadas dos livros de Adonias Filho e Jorge Amado, descobriu que nem sempre a paz prevaleceu neste solo promissor. A terra, como escreveu Jorge, foi “adubada com sangue”.

Leia Mais
Back To Top