skip to Main Content
11 de julho de 2020 | 12:11 am

VITÓRIA CONFIRMADA

Tempo de leitura: < 1 minuto

Com 93,25% dos votos computados, está confirmada a vitória da petista Dilma Rousseff. Neste momento, ela tem 51.585.748 votos (55,43%) contra 41.483.587 (44,57%) do tucano José Serra.

Esta publicação possui 15 comentários
  1. Podem reclamar, fazer birra, dizer o que quiserem, seus legumes, mas essa vitória do povo brasileiro ninguém tira!!!!!!!!
    Para vocês que gostam de tomar na cara, como muitos aqui dessa cidade, chorem à vontade, pois o Brasil de verdade, não o das suas alucinações tresloucadas, vai continuar melhorando, caros Psdbistas e Demos derrotados!! Rsrsrsrsrs! Recebam esta!!!!

  2. Coisa triste é gente que “se acha” usar adjetivos para desqualificar o seu semelhante. Falta de educação e de auto respeito, pois deixa margem aos outros dizerem coisas depreciativas a seu respeito. Outra coisa de atraso é o preconceito explícito nos textos dessas pessoas; o desrespeito às escolhas alheias; a arrogância em querer que os outros vejam o mundo pelos seus olhos, quando elas discordam de fatos exatos.
    É importante lembrar que ninguém, nem grupo algum é perfeito, mas vale aquele que atende a quem mais precisa. As pessoas que defendem o Projeto Brasil, não são ignorantes, nem passam fome, apenas desejam ver a equidade em equilíbrio. É preciso lembrar que as pessoas de consciência elevada, não agem como vândalos, não saem verbalizando palavras chulas. Que exemplo essas pessoas dão aos seus filhos, e seus alunos?

  3. O governo do trabalho e das realizações. Realmente incomoda os falidos e preguiçosos. Dá-lhe NORDESTE cada vez mais forte e crescendo junto com o país.
    Obs: Quem se sentir incomodado vá morar no SUL.

  4. Engraçado como os “legumes” não aprendem a raciocianr. A conta é muito simple: se deixaram o nordeste sem assistência durante tanto tempo, sem políticas de inclusão social, e só consideravam os nordestinos como meros números para serem manipulados na indústria da seca, em estastíticas tenebrosas, e de repente aparece um governo tendo um nordestino à frente, é natural que o cenário e as motivações mudem.
    O problema é que os “legumes” não pensam. Repetem o que a televisão e outras porcarias falam e aí tentam desqualificar o voto de quem historicamente foi destituído de qualquer poder decisório. Se não queiriam o voto dos excluídos naqueles candidatos que assumiram compromissos de mudança, então que tivessem mudado antes. Agora é tarde”legumes”, amarguem mais uma derrota.

  5. Não Marcos, o bolsa Família é o maior programa de transferencia das riquezas de nosso país que um governo já executou em nosso país. Foi preciso uma pessoa do povo assumir o poder para ter a coragem dsse ato.

  6. É verdade, é triste ver os Psdbistas e Demos “se achando”, chamando o governo atual de assistencialista, os incluídos nos programas sociais de “mendigos crônicos”, e agora vêm chorar e encontrar desculpas para tentar desesperadamente desqualificar essa vitória! Com certeza, se tivesse sido o “do bem” que ganhasse (no maravilhoso mundo dos vendilões, isso talvez acontecesse!), essas criaturas estariam aqui usando de adjetivos muito piores para comemorar tripudiando em cima dos que ficaram para trás!
    “Por mais que um tucano voe, nunca alcançará uma estrela”!
    Foi DILMA neleeesss!!!!!

  7. COMO DIZ A LETRA DA MUSICA DA BANDA FALA MANÇA,
    -HA,HA,HA,HA,HA,
    -MAS EU TÔ RINDO A TOA,
    -É QUE A VIDA FICA ASSIM TÃO BOA,
    -QUANDO O BRASIL ELEGE UMA PRESIDENTA.
    -VALEU BRASIL!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  8. Porque Dilma venceu e Serra perdeu
    Nesta eleição Dilma teve ao seu lado um cabo eleitoral que segundo o DataFolha tem 83% de aprovação popular e Serra contou com o apoio de governadores de estados com maior colégio eleitoral.
    A petista Dilma Roussef procurou mostrar sua participação nas conquistas do governo Lula e contou com o envolvimento pessoal do presidente na propaganda, nos comícios e caminhadas. Usou o discurso da continuidade.
    O tucano mostrou suas realizações em São Paulo, mas, apelou para o discurso da compêtência e da boataria como forma de melhorar nas pesquisas de intenção de voto e vercer Dilma. Em vários momentos esqueceu que estmos num país democrático, que deve respeitar as instituições e os partidos. A todo momento nos discursos delegava super poderes ao presidente da república. Era comum ouvir o Serra dizer a expressão “acima dos partidos políticos” como se isso fosse possível. Não estamos na ditadura, que compete a decisão sobre tudo ao governante, desconsiderando interesses partidários.
    Não acredito que as denuncias envolvendo Erenice Guerra atingiram a petista. Já a proposta demagógica e eleitoreira de aumentar o salário mínimo para 600 reais já no início de 2011 e a camapnha de setores da Igreja contra a eleição de Dilma teve aceitação popular e, em parte, influenciou no resultado da eleição no primeiro turno.
    Os 600 reais e o aumento de 10% aos aposentados foi uma cartada serrista para chegar ao primeiro turno e depois para ajudar a vencer a eleição. O tucano sabia que essa proposta não seria aprovada pelos deputados.
    Enquanto Serra tentou mostrar para a população que a decisão do eleitor consistia em diferenciar o melhor currículo, o mais preparado, Dilma, por sua vez, mostrou que o que estava em jogo na eleição eram dois projetos de governo: um representado pela aliança PSDB/DEM ou Serra/FHC e outro representado pela aliança PT/aliados ou Dilma/LULA.
    O discurso despolitizado defendido por Serra teve muitos adeptos, pois, não raro, se ouvia nas ruas as pessoas dizer que Serra era mais preparado do que Dilma devido este ter sido eleito pelo povo para vários cargos públicos.
    Dilma falou em dois projetos, mas, não ficou muito claro para muitos eleitores que após a eleição quem ía governar não era Dilma ou Serra apenas, mais grupos políticos. E no Brasil isso é fácil de perceber se for explicado para a população.
    Portanto, Serra enfrentou a avaliação muito positiva do governo, a polularidade de Lula e o apoio da maioria dos governadores e senadores eleitos no primeiro turno, bem como, a militância de esquerda e movimentos populares. Dilma enfrentou boatarias, setores da Igreja, lideranças do PSDB com alta popularidade.
    No meio de tantas informações controversas, denuncias e personalismos que costumam surgir em época de eleição, o povo resolveu deixar como está e eleger a primeira mulher Presidente do Brasil.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top