skip to Main Content
28 de setembro de 2020 | 04:35 pm

CRESCE NÚMERO DOS QUE RECORREM À CIRURGIA DE TROCA DE SEXO NO BRASIL

Tempo de leitura: < 1 minuto

Debora Rodrigues esperou 48 anos – a vida inteira – pela sexta-feira passada, quando “finalmente” se submeteu a uma cirurgia de transgenitalização, conhecida como mudança de sexo. Nascida menino, ela cresceu sem saber qual banheiro frequentar. Debora saiu de Itambé, em Pernambuco, aos 17 anos, e não voltou mais.
Sem nunca ter sido aceita pela família – “meu pai me mandava dormir fora de casa, com os cachorros” -, se mudou para o Rio. Há cinco anos, uma amiga mostrou um recorte de jornal com a notícia de que no Hospital Universitário Pedro Ernesto, em Vila Isabel, Zona Norte do Rio, era possível fazer a operação.
– Eu tinha esperança e ao mesmo tempo não tinha – conta Debora, que, na véspera da cirurgia, dizia que não se lembrava mais da longa espera: – Toda a humilhação e o sofrimento vão ficar para trás. Nunca mais vou ter dúvidas de em qual banheiro devo ir, vou ter vida nova.
No Brasil, a cada 12 dias, em média, um transexual encontra a mesma sensação de alívio. Desde agosto de 2008, a portaria 1.707, do Ministério da Saúde, autoriza o Sistema Único de Saúde (SUS) a realizar o procedimento.
LEIA MAIS

Esta publicação possui 2 comentários
  1. Justíssima a decisão do Ministério da Saúde em custear esse tipo de cirurgia. Muitas pessoas se questionam se não há ações mais prioritárias a serem contempladas. Quando se trata de saúde tudo é prioritário. É necessário pensarmos no ser humano de maneira mais completa: mente e corpo. Imagino o sofrimento psíquico dessas pessoas que por uma ironia da natureza não se reconhecem no próprio corpo.O procedimento é sério e deve ser acompanhado por profissionais sensíveis e competentes.
    Peninha não ter uma cirurgia de mudança de “caráter” para os nossos famigerados políticos corruptos.

  2. Muito bom a finalização do comentário da Srª Regina Florêncio, de fato necessitamos de cirurgias eficazes na transformação de caráter e personalidade da grande maioria dos politicos brasileiros, lamentavelmente…
    Em Itabuna a rede médica/hospitalar é muito pouca para transformar os politicos da cidade, talvez seja necessário a importação de profissionais de outras praças para dar conta do quantitativo de cirurgias, aqui em Itabuna a coisa é feia, só faltava ter algum politico precisando fazer cirurgia para mudança de sexo, já pensou? Eu acho que tem…

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top