skip to Main Content
25 de setembro de 2020 | 07:27 pm

UPB: SUL-BAIANOS CONDICIONAM APOIO A CAETANO

Tempo de leitura: < 1 minuto

Prefeitos sul-baianos querem cargo na diretoria da UPB (Foto Gilvan Rodrigues).

Prefeitos das regiões sul e sudoeste da Bahia estão reunidos neste momento na sede da Amurc. Eles fecharam um pacto em relação à disputa da UPB e somente fecharão apoio à candidatura de Luiz Caetano se a 1ª vice-presidência da União dos Municípios da Bahia for ocupada por um nome do centro-sul baiano.

Participam da reunião prefeitos como Adroaldo Almeida (Itororó-PT), Moacyr Leite (Uruçuca-PP), Cláudio Dourado (Ibicuí-PTB) e Tonho de Anízio (Itacaré-PCdoB).

Os prefeitos acreditam que está na hora do sul da Bahia, pela primeira vez, ter um cargo de maior representatividade na diretoria da UPB.

ASSOCIAÇÃO QUER SOLDO DE R$ 964,28 PARA PM

Tempo de leitura: < 1 minuto

A Associação dos Praças da Polícia Militar da Bahia (APPM) iniciou uma ofensiva para garantir soldo de R$ 964,28. De acordo com Sargento Cavalcanti, da APPM-Itabuna, os policiais deverão buscar orientação jurídica oferecida pela entidade para que o Governo do Estado cumpra a lei.

O soldo atual é de R$ 514,81 e a Lei de Escalonamento Vertical prevê R$ 964,28. A regional Itabuna quer fazer valer o estipulado em lei. O atendimento à categoria é feito na sede da associação, situada à rua São Paulo, 102, no São Caetano, telefone (73) 3612-2630.

TRAPAÇAS NO FUTEBOL (II)

Tempo de leitura: 3 minutos

Gilson se dirigiu ao comandante da PM e pediu maior proteção para o auxiliar. Ele respondeu: “tudo bem, mas Ubaitaba tem que ganhar”. A proposta foi recusada.

Marival Guedes | marivalguedes@yahoo.com.br

A maioria das grandes disputas no futebol é decidida pelos pés dos jogadores ou pelas cabeças dos cartolas? O negócio envolve bilhões de dólares, por isso acredito na segunda opção. São várias as denúncias sobre as trapaças, algumas ficam apenas na especulação. Outras, comprovadas.

É o caso da Coreia do Sul, beneficiada escancaradamente pelas arbitragens em 2002; a água com tranquilizante que os argentinos deram ao lateral Branco em 90; e o gol com a mão do deus Maradona contra a Inglaterra, jogada que levou os argentinos para a final contra a Alemanha quando conquistou a Copa de 86.

Um dos maiores escândalos aconteceu em 1978, quando o Peru “abriu a guarda” e os argentinos enfiaram 6×0 desclassificando a invicta seleção brasileira pelo saldo de gols. A Argentina seguiu e conquistou sua primeira copa.

Mas o Brasil também já se beneficiou. Na copa de 62 no Chile, na semifinal contra os “donos da casa”, Garrincha se envolveu numa confusão e foi expulso. O Brasil venceu o jogo e um julgamento no dia seguinte decidiria se o craque jogaria na final. O Brasil já estava sem Pelé, que havia se machucado.

Na hora do julgamento o bandeira uruguaio Esteban Marino, responsável pela expulsão do jogador, desapareceu. Sem a testemunha, Garrincha foi absolvido e participou da final contra a Tchecoslováquia quando o Brasil venceu por 3×1.

A transação foi intermediada pelo árbitro brasileiro João Etzel que prometeu 15 mil dólares para o auxiliar não comparecer. Esteban confirma a história, mas diz que chegaram às suas mãos apenas cinco mil dólares.

Aqui no sul da Bahia, no Intermunicipal de 90, o árbitro da Federação Baiana de Futebol (FBF) e radialista Gilson Alves apitava Ubaitaba x Ipiaú. No momento em que o bandeira marcou um impedimento da seleção anfitriã, um grupo de torcedores começou a atirar paus, pedras e, quando acabaram estas armas, jogaram até os sapatos.

Gilson se dirigiu ao comandante da PM e pediu maior proteção para o auxiliar. Ele respondeu: “tudo bem, mas Ubaitaba tem que ganhar”. A proposta foi recusada. No entanto não houve maiores problemas porque  Ubaitaba venceu por 1×0. Honestamente, enfatiza o árbitro.

Outro fato mais escandaloso beirou o surrealismo. Gilson apitava Itaberaba x Irecê. A seleção de Itaberaba, que perdia por 1×0, chutou, o goleiro defendeu a dois palmos da linha das traves e o árbitro, que estava junto do lance, ordenou o tiro de meta.

O jogo prosseguiu normalmente, porém os torcedores começam a gritar:  “seu juiz, olha o bandeira”. Parece piada, nunca antes na história do futebol deste país ouvi falar de tal absurdo. Quando Gilson Alves se aproximou, o auxiliar com a bandeira levantada, na maior cara de pau falou: “bote a bola no centro que foi gol”. O árbitro não acreditou no que ouvia. O bandeira reafirmou com muita convicção: foi gol que eu vi.

Junto do alambrado, atrás do bandeira ladrão, vários torcedores ameaçavam o juiz com paus e pedras. Transtornado, Gilson marcou e colocou a bola no centro do gramado. Porém, chamou o capitão do Irecê e explicou que na súmula anularia o gol. Irecê venceu por 3×1.

Encerro com uma frase de Maradona em 2002 sobre o, então, presidente da FIFA: “O site de Joao Havelange se chamará ladrão.com”.

Marival Guedes é jornalista e escreve às sextas no PIMENTA.

EX-SECRETÁRIOS NA CONTUDO

Tempo de leitura: < 1 minuto

Celina Santos comanda a redação da Contudo

A revista Contudo, do grupo Diário Bahia, estreia neste sábado, 15, com uma edição que promete causar  muito burburinho no meio político itabunense. Entre os destaques da publicação editada por Valdenor Ferreira, e que tem com chefe de redação a competente jornalista (e gente boníssima) Celina Santos, estão entrevistas com Gilson Nascimento e Antônio Vieira, ex-secretários do governo Azevedo.

Nascimento fala sobre os motivos que o levaram a deixar a administração municipal, avalia a atuação do secretário da Fazenda, Carlos Burgos (tido como prefeito de fato), e ainda menciona os atritos que teve com a secretária particular do prefeito, Joelma Reis. Vieira aborda a crise da saúde, a dívida deixada pelo ex-prefeito Fernando Gomes no setor e projeta uma possível candidatura em 2012.

A revista traz ainda diversas colunas, como as de Daniel Thame, Ramiro Aquino, Marco Wense, Valério Magalhães, Betânia Macedo e Manuela Berbert, a mulher dos babadões.

MÍDIA CARIOCA CRITICA GEDDEL

Tempo de leitura: < 1 minuto

Mais uma vez os jornais cariocas acusam o baiano Geddel Vieira Lima de ter distribuído indevidamente os recursos do Ministério da Integração Nacional, no período em que comandou a pasta. As críticas ocorrem no momento em que a região serrana do Rio de Janeiro enfrenta a maior tragédia de toda a sua história, com registro de mais de 500 mortos em decorrência das chuvas.

Geddel é apontado como um dos responsáveis pelo caos no Rio, que em 2010 recebeu apenas 0,6% (R$ 1 milhão) das verbas do Programa de Prevenção e Preparação para Desastres. Já a Bahia sozinha levou 50% dos recursos, num total de R$ 84 milhões.

O ex-ministro atribui as críticas à “disputa política”. No Twitter, Geddel já foi contemplado com o troféu Justo Veríssimo.

TENTOU ASSALTAR ÔNIBUS E ACABOU LINCHADO

Tempo de leitura: < 1 minuto

Encontra-se internado em estado grave no Hospital Geral do Estado, em Salvador, Wallace Souza Fonseca, de 21 anos. No início da noite desta quinta-feira, 13, ele tentou assaltar, armado com uma peixeira, os passageiros de um ônibus que se dirigiam para a Festa do Bonfim. A tentativa ocorreu no Largo da Calçada.

Wallace foi desarmado e espancado pelos passageiros, que bateram principalmente na cabeça do assaltante. Ele só não morreu porque uma guarnição da Polícia Militar apareceu, interrompendo a pancadaria.

Segundo informações, o assaltante não tinha ficha na polícia. Passageiros do ônibus e outras testemunhas foram ouvidas pelo delegado Djalma Napoleão.

DERBA CHAMA ATENÇÃO PARA ÁREA QUE SERÁ DESAPROPRIADA NA ZONA NORTE DE ILHÉUS

Tempo de leitura: < 1 minuto

O Derba (Departamento de Infraestrutura de Transportes da Bahia) emitiu um ofício à Prefeitura de Ilhéus, orientando para que não sejam concedidos alvarás de construção ou reforma na área decretada como de utilidade pública para desapropriação pelo Governo do Estado, com o objetivo de construir o Porto Sul e o Aeroporto Internacional de Ilhéus.

A área a ser desapropriada fica entre o Loteamento Joia do Atlântico e a Ponta da Tulha, compreendendo os loteamentos Barra Nova, Village da Barra, Barramares e Paraíso do Atlântico. Os limites estão previstos nos decretos 11.003, de 09/04/2008; 11.587, de 16/06/2009; e 12.352, de 25/08/2010.

Temendo ainda a ameaça de invasões, construções e comercializações de terrenos irregulares na área, o Derba solicitou intensa fiscalização do poder público. O assunto será discutido em uma reunião nesta segunda-feira, 17, às 18h30min, na sede da Associação Comercial de Ilhéus.

BANCO DO POVO DEVE EMPRESTAR R$ 2 MILHÕES EM 2011

Tempo de leitura: < 1 minuto

O Banco do Povo de Itabuna fechou 2010 com R$ 1,35 milhão em volume de empréstimo e espera um incremento superior a 50% neste ano. De acordo com o diretor-executivo da instituição de microcrédito, Omar Costa, a meta é atingir R$ 2 milhões em empréstimos neste ano. A instituição completará dez anos no dia 13 de dezembro.

Além do crédito, o Banco do Povo também oferece acompanhamento e orientação aos clientes. A instituição é considerada uma das revoluções em crédito popular na Bahia.

Atualizado às 11h30min

ASSÉDIO MORAL NA SECRETARIA DA SAÚDE DE ITABUNA

Tempo de leitura: < 1 minuto

Agentes de combate a endemias que atuam em Itabuna têm procurado o PIMENTA para relatar situações de assédio moral naquele setor da Secretaria Municipal da Saúde. Segundo as informações do Sindicato dos Agentes Comunitários de Saúde (Sindiacs), o coordenador Sandovaldo Carvalho de Menezes desrespeita a equipe e exagera nas punições aos funcionários.

Representante dos agentes, Josivaldo Gonçalves cita o caso de um funcionário que apresentou atestado médico devido a problema em um dos joelhos. “O atestado não foi aceito pela coordenação, que ainda deu advertência ao funcionário”, conta Gonçalves, ressaltando que o servidor foi orientado a não assinar a advertência e encaminhar representação ao Ministério Público do Trabalho.

Ainda de acordo com o Sindiacs, pequenos atrasos (de até cinco minutos) dos agentes de combate a endemias são punidos com o desconto de todo o dia de trabalho. Para Gonçalves, há um clima de desrespeito e pressão contra os trabalhadores, em situações que se tornaram corriqueiras.

“Além de tudo isso, temos vários casos de pessoas que recebem como agentes de endemias, embora não estejam na função”, denuncia o presidente do sindicato.

Back To Top