skip to Main Content
9 de agosto de 2020 | 05:06 pm

FORMIGLI REBOUÇAS CRITICA FALTA DE SENSIBILIDADE DE AZEVEDO COM OS MAIS POBRES

Tempo de leitura: 4 minutos

O professor José Formigli Rebouças deixou ontem o comando da Secretaria de Assistência Social após dois anos e 18 dias no cargo. Saiu alegando boicote do prefeito Capitão Azevedo (DEM). “Os projetos que a gente propunha ele não deixava [executar]”. A pasta será comandada por Marina Santos, ex-auxiliar de Formigli.

Ontem à noite, o ex-secretário concedeu entrevista ao PIMENTA e revelou que a prefeitura devolveu recursos ao governo federal por não ter implantado projetos sugeridos pela sua equipe. Sobre a sua passagem pelo governo, avalia: “foi uma experiência boa, mas frustrante porque não tive apoio”.  Acompanhe os principais trechos da entrevista.

O que provocou a exoneração do senhor?
O prefeito está procurando os políticos e oferecendo as secretarias. No nosso caso, foi o [deputado estadual eleito, Coronel] Santana, que exigiu colocar lá uma pessoa dele, a Marina. Ele já entregou a Saúde ao [Augusto] Castro e a nossa secretaria ao Santana.

Como o prefeito lhe comunicou sobre a mudança?
Alegou que está em dificuldades financeiras e disse estar precisando da ajuda dos deputados. Esses deputados prometeram recursos. No entanto, dizem que têm que estar lá com pessoas deles. No nosso caso, foi o Santana que colocou a Marina.

O senhor ficou surpreso com esta decisão?
A exoneração não me pegou de surpresa, pois já esperava por isso. Eu não trabalhei na campanha dele e fui lá porque Azevedo tinha compromisso com uma pessoa que sugeriu o meu nome. Fui lá tentar fazer alguma coisa, mas não tive apoio de maneira nenhuma.

Tudo que a gente propunha, o prefeito não deixava [executar].

O prefeito não o apoiou?
Absolutamente. Tudo que a gente propunha, o prefeito não deixava [executar].

E qual a justificativa do governo?
Dou exemplos: apresentei projetos, parcerias para acabar com a mendicância e tirar o pessoal das ruas, mas nada disso foi aceito. O prefeito alegava sempre que não tinha recurso. No ano que passou, nós tivemos a oferta de mais um CRAS, para duplicar esse trabalho do Pró-Jovem e tudo isso foi rejeitado pelo prefeito sob a alegação de que não poderia contratar mais pessoas e não tinha recursos, mas nós devolvemos recursos ao governo federal.

Desde quando assumiu, o senhor nunca teve apoio do prefeito?
No começo, houve alguma manifestação. Muito pouca, mas normalmente não tive. O projeto que ele apoiou foi só o Bolsa-Renda, que era uma proposta que ele mesmo inventou [na campanha eleitoral]. Fora disso, não aconteceu.

Eu me sinto muito frustrado justamente porque ele não aceitava os projetos que apresentávamos, mesmo tendo recursos federais.

De toda a sua passagem, o que mais o deixou triste?
Eu me sinto muito frustrado justamente porque ele não aceitava os projetos que apresentávamos, mesmo, às vezes, tendo recursos federais. Sempre alegava a mesma coisa: falta de dinheiro, isso e aquilo.

A Casa dos Conselhos foi um desses projetos?
Nós batalhamos muito pela Casa dos Conselhos. Ele nos deu uma área, no antigo campo de aviação [aeroporto]. Quando estávamos terminando o projeto, ele embargou e alegou que vai usar aquilo ali para o Samu 192.

O Samu vai mudar do centro para lá?
Diz ele que vai mudar sim. Não se sabe quando. Chegou aí o novo secretário de Saúde e o prefeito está dando tudo que ele pede. Passaram por cima da gente.

Trabalhei com a Marina por muito tempo, mas sabendo que ela estava sempre querendo a secretaria.

O senhor se sentiu traído pelo prefeito?
Eu não digo que fui traído. Não fui apoiado. Conforme eu disse ontem lá na despedida, na minha secretaria havia a figura da Marina, que foi uma pessoa muito importante para a eleição dele e que tem uma penetração muito grande nos bairros. Ela tinha a certeza que a secretaria seria dela. Mas houve aí uma arrumação. Então, trabalhei com a Marina por muito tempo, mas sabendo que ela estava sempre querendo a secretaria. Agora que ela fez um esforço muito grande pela eleição do Santana. Ela, com o apoio dele, assumiu a secretaria.

O senhor foi convidado para outro posto no governo?
Não.

E se fosse convidado?
Olha, dependeria muito da circunstância, porque você sabe que gato escaldado tem medo de água fria. Então, a gente precisaria pensar duas vezes. Não seria muito agradável trabalhar ali naquele ambiente.

Falta sensibilidade das pessoas lá para com essas necessidades, carências da população, principalmente a parcela mais pobre.

O senhor se arrepende de ter trabalhado no governo?
Não digo que me arrependo porque o trabalho em si é algo dignificante, principalmente com as pessoas mais carentes. Tive lá uma equipe muito boa e pessoas dedicadas e com as quais me dava muito bem, inclusive com a Marina. Foi uma boa experiência, mas frustrante porque não tive o apoio. Falta sensibilidade das pessoas lá para com essas necessidades, carências da população, principalmente a parcela mais pobre, gente de rua, as abandonadas. Às vezes, não é tanto o dinheiro. A alegação do dinheiro não convence.

Por que o senhor só preferiu falar agora sobre esses problemas?

Não estou falando só agora, mas há muito tempo. Digo que trabalhar na Assistência Social em Itabuna é como dar murro em ponta de faca. Então, existe essa alegação da falta de recursos. Realmente a prefeitura chegou a uma verdadeira falência. O prefeito sempre falava em modificações, melhoras. A gente vai esperando, esperando, mas de um tempinho para cá não tínhamos esperança e estava esperando a qualquer momento essa mudança. Eu não tinha ilusão de que iria continuar.

Esta publicação possui 0 comentários
  1. O ser humano mata e morre pelo poder!
    Idiota é quem pensa que eles (os políticos) estão se importando com as carências sociais!
    Pena que a maioria dos eleitores do “Capitão”, “pseudo defensor dos pobres”, não vão ler essa entrevista…

  2. Prezado professor é um homem digno e valoroso. Com uma vida de serviços prestados a comunidade e membro de importantes clubes de serviço. Sinta-se aliviado de estar fora de um eminente desastre que se aproxima a cada dia que passa. O importante é que Itabuna o conhece “a parte consciente da população” e o respeita. O Senhor como Walmir Rosário saíram com a imagem intacta dessa administração atual a qual tira profissionais de gabarito e vende espaços no governo como se fosse a feira da Califórnia ou do São Caetano “pegue e pague”. Ai meu Deus… Como diz um antigo servidor publico desse município que saudade de Fernando, que saudade de Geraldo, pois pelos menos tínhamos uma certeza. Agora o lema é leva quem da apoio e verbas. Em uma matéria passada no mesmo blog li postagens absurdas contra o professor “provavelmente feitas por simpatizantes da atual secretária” ofendendo e o acusando de supostamente não gosta do “povão”, o que foi muito ridículo da parte dos seus autores, pois acredito que o profissional deve ser bem visto pelo povo se ele tem como fazer pelo povo. E agora pergunto como ele seria bem visto se não tinha recursos? Para onde foi à fidelidade os militantes partidários?

  3. SEU PIMENTA pergunta aí se alguém tem noticia do salario dos funcionários da SAS de dezembro q ainda não saiu… Será que o salário do secretário ou de Marina ja saíram???? pois o dos concursados ainda não!

  4. Depois dessa entrevista, (simples, mas, verdadeira) do nosso professor, ainda tem alguém, do mundo político e empresarial de Itabuna, que apoia uma reeleição de a-zv-do?
    Ah, desculpe-me, o prefeito vai indicar o ex para “solucionar” os problemas da cidade)e todo mundo vai com ele.

  5. Sr. valcabral: sei que o sr. lê esse blog (também); observe a entrevista do ex-secretário de ação social de Itabuna; especialmente a questão 04. Quem é o “CABEÇA DE PITÚ” da cidade, seu desafeto GS ou seu prefeito a-z-v-do?. Pode me chamar de lambe botas, não tem importância. Lhe asseguro, que nunca dependi de políticos, em nada, só!

  6. esse prefeitinho de meia tinjela deveria e tomar vergonha e pedir para sair, esse incompetente, inresponsavel, sem moral, sem carater, esse mesmo prefeituzinho q faliu a prefeitura agora comecou a quebrar a EMASA, tenho pena do irmao coitado, esse esta igual burro comendo amarrado mais temos certeza q ele tem vontade de abrir o bico so q e impedido, ameaçado, porque esse nao aguenta mais de tanto liberar dinheiro para prefeitura e pagar obras q seria de responsabilidade da prefeitura, so esperamos q o ministerio publico investigue e tome providencias nas conta da Emasa.

  7. pelo menos nesse governo ouvimos dizer, q temos alguem direito, honesto, competente, Deus q te abençoi menino continue sendo o q vc é, nunca mude esse carater q vc tem, infelismente nao podemos mais dizer isso do seu irmao o prefeito, pois se tornou um grande banana para itabuna, ai se arependimento matasse. sangue de cristo tem poder.

  8. O que eu não entendo é o seguinte: Não sou do meio político, mas sabia que Azevedo não tinha a menor condição de ser prefeito de Itabuna. Aí eu pergunto. Será que o nobre professor, o Walmir Rosário, entre outros, não sabiam?. E porque aceitou entrar na barca?.Interessante, é que depois que saem do governo, saem atirando.Esse mesmo pessoal, vai está no próximo ano, fazendo campanha para Fernando Gomes, Coronel Santana etc.E Itabuna vai continuar afundando.

  9. …E aos pouquinhos o castelo de sonho de Azevedo vai desmoronando. E quando cair de vez, pode ter certeza, cairá sobre esse prostituto-prefeito…Que caia logo…Affffffffffff. Ninguem agenta mais.

  10. QUERIA SABER DELE OU DA NOVA SECRETÁRIA, SEU PIMENTA PORQUE O SALÁRIO DOS FUNCIONÁRIOS DO SAS DO MÊS DEZEMBRO AINDA NÃO SAIU ?

    EXPLICA AI MARINA !!!

  11. FICA NO GOVERNO DOIS ANOS SEM FALAR NADA, DEPOIS QUE SAI E COMEÇA A CRITICAR. PORQUE NÃO FALOU ANTES DAÍ SE VER QUE NÃO QUERIA PERDER O SALÁRIO, VENDE A ALMA AO DIABO E DEPOIS VEM PREGAR HONESTIDADE, QUE TEM COMPROMISSO COM A POPULAÇÃO NÃO FICA CALADO DIANTE DESTAS FALCATRUAS, QUEM É HONESTO DENUNCIA AS IRREGULARIDADES, SE FICA CALADO É CÚMPLICE, VAMOS ACABAR COM ESTA MANIA DE PARTICIPAR DA COISAS E DEPOIS DIZER QUE NÃO TEVE APOIO, NÃO ESTA DIREITO SAIA E DIGA PORQUE, MAS COMPACTUAR E DEPOIS DIZER SER INOCENTE, PERGUNTE NA CADEIA A QUALQUER UM DELES, TODOS SE DIZEM INOCENTES, FOI O MORTO QUE FICOU NO CAMINHO DA BALA, NÃO TIVE CULPA, SÓ UMA GARAPA DE LIMÃO BALÃO

  12. Professor vamos la e voltamos.
    Quantas vezes o senhor fez visitas a bairros da nossa cidade?
    onde,quando,nao podemos reclamar onde o senhor nao ia nas comunidades ver realmente as necessidades dos mais necessitados,como o senhor mesmo diz.
    nao podemos falar demais onde nao temos tanta credibilidade na sociedade.
    Sabemos que Marina é uma pessoa competente e todos nois da sociedade civil e organizada sabemos da competencia dessa mulher.
    ITABUNA SERA PEQUENA PARA VC MARINA.

  13. Como coronel Santana pretende se candidatar a Prefeito de Itabuna? estando no meio do povo de azevedo? esse mal exemplo de prefeito? vamos ver se o povo de Itabuna cai de novo nesse bando de politicos q querem mais q o povo se danem.

  14. Professor, vamos e venhamos….se você sempre foi tão barrado pelo governo pq nao entregou o jogo antes? Mas os valores falavam mais alto né velhinho? Se foi tanto barrado…pq nao peitou o governo, pq nao tinha autonomia? Sao as limitacoes….
    Assim como alguém do prefeito te indicou…hoje surge alguém para indicar Marina. Sua indicação foi pela sua competencia, e certamente a de Marina também….

  15. OS MENTORES DA CRUELDADE SERÃO DEFRONTADOS NO TEMPO COM A JUSTIÇA DAQUELE QUELE QUE É PODEROSO !!
    POLITICA / POLITICAGEM /FALCATRUA TIRAR O PÃO OU NEGAR O DIREITO DAS PESSOAS A TROCO DE MAIS UM CARRO DE LUXO OU MAIS UM BADULAQUE DE OURO PARA ENFEITAR A PODRIDÃO DA ALMA !!
    TENHO PENA DESSE POVO VENDE A ALMA O CARATER A VERGONHA!!!

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top