skip to Main Content
20 de abril de 2021 | 05:54 pm

“MINHA ILHÉUS”

Tempo de leitura: < 1 minuto

Luiz Caetano, prefeito de Camaçari e novo presidente da UPB, esteve por Ilhéus e recebeu das mãos de Newton Lima um exemplar de Minha Ilhéus, fotografias do século XX e um pouco de nossa história, de autoria do historiador, fotógrafo e chefe de Gabinete, José Nazal.

Admirador das belezas naturais da princesinha do sul da Bahia, Caetano disse que iria aproveitar para fazer uma incursão na história de Ilhéus. E fez questão de posar ao lado do autor de Minha Ilhéus.

Caetano e Nazal: pose para fotos e incursão histórica (Foto Clodoaldo Ribeiro).

Esta publicação possui 0 comentários
  1. “Minha Ilhéus, fotografias do século XX e um pouco de nossa história, de autoria do historiador, fotógrafo e chefe de Gabinete, José Nazal”. Venho por meio deste, parabenizar o trabalho do fotográfo e chefe de Gabinete, e nunca historiador, José Nazal. Nunca historiador e sim memorialista. Pelo que consta no proprio livro, o autor nunca cursou uma faculdade de História, nem licenciatura e nem bacharelado, e sim cursou sem ter concluído Economia, na antiga FESPI. Historiador é todo aquele que no mínimo concluiu uma graduação em História. Memorialista é um sujeito apaixonado pela memória de seu meio. Através de fontes como: fotografia, recorte de jornais e filmes e memórias, ele compila em uma obra, e se torna um registro da memória de um lugar, no caso: Ilhéus. Uma cidade que tem uma riquíssima história, que por fontes acima citadas, só podem ser analisadas historicamente produzindo uma obra historiográfica, pelo historiador, cujo o ofício além da docência, é também a pesquisa. O historiador produz a historiografia e o memorialista a complilação das memórias documentais e orais de seu objeto de trabalho, sem a análise e o discurso do fato histórico. Essa análise é exclusividade do historiador, que estudou e estuda muito para tal. As obras dos nossos memorialistas são muito reconhecidas no meio acadêmicos, pois é através delas que observamos a sistematização dos fatos do passado e nos ajudam a produzir a nossa historiografia regional. Por tanto, o livro “Minha Ilhéus – fotografias do século XX e um pouco da nossa história” é um belíssimo trabalho do nosso então “fotográfico” e também memorialista, José Nazal. Um trabalho memorialístico que divulga o passado de Ilhéus em importantíssimas fotos e comentários. Parabéns!

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top