skip to Main Content
11 de julho de 2020 | 01:58 am

MAGELA E A DÍVIDA DE R$ 10 MILHÕES

Tempo de leitura: < 1 minuto

Magela desconhece dívida.

Os integrantes do movimento pela estadualização do Hospital de Base Luís Eduardo Magalhães (Hblem) ficaram de orelhas em pé, ontem, durante reunião com o secretário de Saúde de Itabuna, Geraldo Magela. O novo titular da Pasta disse desconhecer a dívida de R$ 10 milhões do município com os prestadores de serviços na área de saúde.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde de Itabuna (Sintesi), Raimundo Santana, reagiu: – Ao ouvir uma resposta dessa sobre um problema grave, a gente fica preocupacado em relação a que tipo de tratamento os prestadores de serviços terão do governo.

A dívida é de outubro de 2008 e, segundo o ex-secretário Antônio Vieira, foi provocada pelos ex-gestores Fernando Gomes (prefeito) e Jesuíno Oliveira (secretário da Saúde). Naquele mês – e até hoje -, as empresas que prestavam serviços ao SUS não receberam do município. Itabuna perdeu a gestão plena da Saúde um mês depois.

O secretário Magela também é contrário à estadualização do Hblem. Ele disse que este não é o caminho e afirmou que pretende dobrar, imediatamente, o número de UTIs no Hospital de Base. “Não vemos consistência nas propostas de futuro apresentadas pelo secretário, pois elas não indicam quais as fontes de receita”, diz Santana.

Esta publicação possui 0 comentários
  1. Será que ninguem percebe que esse rapaz não veio pra resolver problema nenhum da saúde? ele veio tentar melhorar a vida de azevedo, conseguir uma $ a mais com o retorno da gestão e mais nada, e a população que va se tratar no sul.

  2. Em 1° lugar, é claro que o município não vai querer ” largar o osso”, já que com o Hospital de base, atrasado ou não deve haver algum repasse destinado à área da saúde dos municípios por parte do governo federal. Eles repassam 3 milhões, o município investe 300 mil, e o resto…bem o resto…já sabemos o que acontece não é??!!!
    Acha mesmo que o município irá aceitar a estadualização e passar o comando do Hospital de Base para o Governo, ainda mais sendo do PT, e perder essa boca?? ó dó de quem é tão ingênuo!
    Em 2° lugar… Ô SAUDADE DO DR. PAULO BICALHO, que após fazer um excelente trabalho na súde de Itabuna, ajudou em Camaçari e agora sorte daqueles que vãi usufruir da sua competência no Hospital Roberto Santos em Salvador.
    É aquele velho ditado, depois que perdemos é que damos valor…

  3. EU JÁ VIR CARA DE PAU NA VIDA.MAIS IGUAL A ESSE SECRETÁRIO NÃO.JÁ COMEÇOU ERRADO EM NÃO PAGAR OS SALÁRIOS DOS FUNCIONÁRIOS DA SAÚDE,VAI FAZER A MESMA COISA DE JESUÍNO E VIEIRA.

  4. A verdade é que a salvação do Hospital de Base não está aqui e sim em Salvador pois é trazer Dr. Paulo Bicalho e todo o povo da saúde de Itabuna que foi com ele de volta, aí sim o hospital voltaria a funcionar direitinho. O negocio é o seguinte: Adoeceu, tem que dar um jeito de ir para o Hospital Roberto Santos buscar ajuda com Dr. Paulo Bicalho e no mais que Deus nos ajude e dê SAÚDE para todos.

  5. O QUE ESTE RAPAZ AGORA VEIO FAZER EM ITABUNA? SÓ TEM PODER PARA DEMITIR FUNCIONÁRIO DA LIMPEZA, VÃO CONTINUAR OS MESMOS FANTASMAS E APADRINHADOS, NÃO TEREMOS NADA DE NOVO

  6. PORQUE O PIMENTA NÃO DIVULAGA O RELATÓRIO DA COMISSÃO QUE ANALIZOU AS CONTA DA SAÚDE DE 2009? SE QUISER ENVIO TEM CADA BARBARIDE QUE A POPULAÇÃO NECESSITA TOMAR CONHECIMENTO SERÁ QUE MAGELA DARÁ EXPICAÇÃO AS BARBARIDES QUE SÃO APONTADAS E DEMITIRÁ OS RESPONSÁVEIS?

  7. Desconhece dívida. Desconhece o sofrimento do povo. Desconhece Itabuna. Desconhece as falcatruas que rolam solta dentro do referido hospital. Enfim, só não desconhece seu polpudo ordenado mensal prá não resolver p…. nenhuma. Tudo como dantes no quartel de Azevedo.

  8. O descaso do Governo Baiano com a Saúde Pública do maior hospital do Sudoeste Baiano continua. O Hospital Geral de Vitória da Conquista (HGVC), unidade que recebe pacientes de quase oitenta municípios, e também feridos em acidentes que transitam na BR-116, está em caos. Além de contar com um reduzido quadro de profissionais, falta espaço para o recebimento de mais de seis mil doentes que recorrem à instituição mensalmente. Segundo o diretor, Gerardo Azevedo Junior, são aguardados além de uma reforma, ampliação da emergência e duplicação dos leitos, mas até agora nenhum sinal por parte da Secretaria de Saúde do Estado, administrada pelo médico Jorge Solla, que já foi Secretário de Saúde do município e conhece o problema de perto.

    Seria bom seu Pimenta ver isto ai!

  9. Madeira,a questão não é saber se a saúde em Conquista vai mal,o que nos interessa é Itabuna e nada que o município administra funciona,quanto ao Hospital de Base,já está provado que só o Estado fará com que aquilo funcione,todos os dias a prefeitura coloca gente lá dentro,agora entrou dois rapazes da confiança de Leopoldo no almoxarifdo,esse rapaz já começou mal,não vai resolver zorra nenhuma,até hoje não foi pago o salário de Janeiro,é a administração da mentira.

  10. Para que esteve no debate no Sindicato dos Bancários, sabe que o título da matéria, bem como a matéria, são falsos. Não se tratou da dívida da Saúde, mas do Hospital de Base, quando um participante deu um valor e eu disse que tinha um levantamento menor, mas que estava apurando o valor real e não houve qualquer reação na plenária. Não trabalho com o “eu acho”, mas com informações corretas.
    Segundo não houve qualquer manitestação na plenária sobre a ampliação ou não do leitos de UTI no Hospital de Base e na matéria Santana diz “Não vemos consistência nas propostas”, ora uma manifestação como essa deveria ter sido feito de público, visto que ela é um absurdo do ponto de vista humano, sanitário e de princípio, visto que a ampliação ou não de leitos de UTI implica em vida ou morte de seres humanos. Só na Bahia há um défict de 1670 leitos de UTI, segundo o jornal A Tarde, e as “fontes de receita” eu teria respondido ao senhor Santanta que serão do Fundo Nacional de Saúde após a habilitação dos leitos ampliados.
    Gostaria ainda de esclarecer outro fato que tem sido citado pelo Pimenta, referente ao Hospital de Base, quando vem afirmando que “O hospital recebe atualmente R$1,5 milhão do Governo do Etado (nenhuma outra instituição hospitalar municipal recebe tantos recursos do governo baiano”. Isso é totalmente falso. O Governo do Estado não coloca um único real, nem mesmo R$0,50 no Hospital de Base, apesar de desde 2009 no COSEMS (conselho de secretários municipais) ter defendido que o Estado deveria sim colocar sua contra partida em hospitais de referência. A única coisa que o Estado faz hoje é repassar o dinheiro do Fundo Nacional de Saúde para o Hospital de Base, diga de passagem deveria ser o dobro e esse dinheiro não é do Estado, mas sim do município de Itabuna e dos municípios pactuados. A verdade deve ser restabelecida e quem sabe o Pimenta possa auxiliar na luta para que o Estaco coloque sim sua contra partida nos hospitais municipais.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top