skip to Main Content
29 de maio de 2020 | 12:49 am

BASSUMA DEIXARÁ O PV

Tempo de leitura: 2 minutos

Durou pouco a permanência de Luiz Bassuma no Partido Verde. Nesta segunda-feira, 14, o ex-deputado federal entregará seu pedido de desfiliação ao presidente estadual do PV, Ivanilson Gomes (confira abaixo o conteúdo da carta, antecipada ao blog pelo político).

A bronca tem a ver com o possível ingresso do prefeito de Salvador, João Henrique Carneiro, nos quadros do PV. Para tornar-se um “verde”, JH se articulou com o deputado federal Zequinha Sarney.

O futuro de Bassuma já está decidido. Depois de militar durante muitos anos no PT e permanecer por alguns meses no PV, o político será candidato a prefeito de Salvador em 2012… pelo PHS. Clique no “leia mais”, abaixo, e confira o teor da carta de desfiliação de Bassuma.

A gota que faltava para transbordar

(Carta de Desfiliação PV)

Durante 15 anos fui filiado ao PT por acreditar em sua principal bandeira focada na ética. Durante este período venci (graças ao apoio de muitas pessoas de bem) todas as eleições que disputei, exercendo os mandatos de vereador, deputado estadual e duas vezes federal. Saí do partido em Setembro de 2009 depois de ser julgado e punido por não abrir mão de princípios e do direito de defender a vida e lutar contra o aborto.  Ingressei no Partido Verde motivado pelo movimento Marina Silva, apresentando-me como candidato a Governador da Bahia.

Em 2010, fizemos o bom combate. Com apenas 1 minuto na TV, sozinhos, sem dinheiro, realizamos uma campanha paupérrima do ponto de vista material, mas riquíssima do ponto de vista espiritual. Em Salvador, 115 mil pessoas (9% do eleitorado) votaram neste projeto. Um resultado belíssimo quando comparado com os 10% de Geddel ou os 14% de Paulo Souto.

Encerrada a campanha, participei de várias reuniões com lideranças políticas que filiadas ou não, deram o melhor de si para o fortalecimento do PV, que depois de 25 anos, pela primeira vez disputou uma eleição majoritária. O ponto comum destas reuniões foi uma dura critica à direção partidária pela falta de transparência na prestação de contas e pela ausência de fóruns democráticos onde os filiados possam influir no rumo das decisões políticas.

Há dois meses a direção estadual do PV tentou atrair João Henrique, um dos piores prefeitos da história de Salvador, que se recusou a atender o pleito da criação de uma nova secretaria. Agora se repete o movimento no sentido inverso, ou seja, João Henrique tenta sua filiação através de uma intervenção nacional intermediada pelo deputado federal Zequinha Sarney. Esta é a gota que faltava para transbordar. Os interesses que conduzem estes dois movimentos são tudo, menos os interesses da população de Salvador, que vive um caos administrativo e político.

Não resta, portanto outro caminho senão minha desfiliação do PV, junto com um grupo de pessoas, que só vêem sentido permanecer num partido que seja referência para quem ainda não perdeu a esperança de ver um dia a política sendo exercida com ética. Para quem não desiste de sonhar e lutar pelo resgate da educação pública de qualidade. Para quem jamais desanima enquanto não puder viver num mundo de paz e de justiça, num mundo com oportunidades iguais para todos.

Luiz Bassuma,

www.bassuma.com.br

bassuma@uol.com.br

@bassuma

Esta publicação possui 0 comentários
  1. Cabra macho! É assim que se comporta um político com vergonha na cara, pena que demorou a sair do pt, na época do mensalão. Espero que continue assim, pois terá o meu voto na próxima eleição.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top