skip to Main Content
22 de setembro de 2020 | 12:10 pm

APOIO AO PROJETO ANTIBAIXARIA

Tempo de leitura: < 1 minuto

Lúcia Barbosa concorda com deputada para quem certas músicas desqualificam e estimulam a violência contra a mulher

O projeto de lei da deputada estadual Luiza Maia (PT), que propõe a vedação ao financiamento público para bandas que “em suas músicas, danças ou coreografias, desvalorizem, incentivem a violência ou exponham as mulheres à situação de constrangimento” recebeu o apoio da secretária estadual de Políticas para as Mulheres, Lúcia Barbosa.
Para a secretária, há perigo na mensagem propagada por tais bandas. “Considerar essas músicas apenas como divertimento é um erro, porque música faz parte da cultura e propagar  esse tipo de mensagem é perpetuar uma cultura machista, na qual as mulheres são objetos sexuais, que não merecem respeito”, avalia.
Lúcia Barbosa afirma ainda ser contraditório que o Estado, ao mesmo tempo em que “constrói ações de enfrentamento à violência” patrocine “algo que desconstrói a sua própria política”.

Esta publicação possui 0 comentários
  1. Muita gente concorda com o princípio, inclusive eu, mas não é a forma mais correta, pois parecerá censura, …!!!
    Ela está certa, …, mas a forma como ela quer implementar não tem lógica alguma, …!!!
    Lança uma campanha de conscientização, pois é muito melhor e não causa polêmica, …!!!
    Basta usar a inteligência, não a truculência, …!!!
    Pensa, Deputada, …, pensa, …!!!

  2. Já que a nobre Deputada e a egrégia Secretária estão tão empenhadas em Projetos que “nos levará do nada a lugar algum”, contrapondo o que ocorreu em São Paulo, …, porque não fazem também um projeto permitindo que os Delegados de Polícia Baianos possam fazer as ocorrências, os B.O., em forma de cordel, de versos, …?!?!?!
    Em São Paulo, a invenção de um “Delegado Poeta” não deu certo, mas como temos Deputada e Secretária dando apoio a “Projetos tão Relevantes”, …, porque não, …?!?!?
    Os paulistas irão “morrer de inveja”, …!!!
    “aihaB etnerF árP”, nem que seja de marcha ré, …!!!
    Essa situação me lembrou de um espetáculo teatral, em que, segundo contam, o Juca Chaves acabara detido, na época da ditadura, lá para os anos 60 ou 70, porque ele entrava no palco, marchando de ré, cantando que “esse é um país que vai prá frente”, em cima da bndeira brasileira, …!!!

  3. Finalmente akguém vai tomar uma providência quanto a este lixo sonoro que alguns desaculturados chamam de “música”, ou pagode baiano, ou axé ou arrocha. É puro lixo, sem letra (a maioria só possuem umas duas frases e muito barulho e coreografia obscena) onde a mulher é comparada a animais, objetos e só servem para o sexo entre outras coisas.
    Estou torcendo paa que seja aprovado. Alguem tem que freia isso, estão confundindo liberdade com libertinagem.

  4. Enfim uma alma sadia nessa bahia. concordo em muito e assim, o poder publico não pode e não deve financiar a baixaria. quem quiser que ousa, mas o poder publico deve, financiar a cultura sadia e que eleve a auto-estima do nosso posso. ta certa sim a deputada.

  5. Se houve-se um levantamento de quantas musicas de “duplo” sentido são lançados por dia na Bahia nos teríamos um susto eu já ouvir que uma mulher deve dá uma baixada na boca da garrafa, que ela tem que rala a theca no chão quando ela não tá transmitindo alguma doença aos seus parceiros da turma, olha o tamanho do pepino agora só mesmo uma chicotada e tchau. Viva a Bahia de Ruy Barbosa, Castro Alves, Jorge Amado … poderíamos até dizer quem sabe Caetano Veloso “ou não” eu lembro que ele também abre as portas ou o palco para isso.

  6. Projeto Desnecessário…
    Há tantas prioridade na BA, e a deputada se preocupando com letras de músicas, que por sinal, a mulherada gosta…
    Sem mais…!!!

  7. ELA ESTA CORRETA,A MULHER É TUDO QUE HÁ DE MAIS LINDO NESSA TERRA ,NÃO PODE SER COMPARADA COM UMA CACHORRA,UMA POPOZUDA,PIRIGUETE,ENFIM TEM QUE HAVER MAIS RESPEITO COM AS MULHERES SE ELES QUEREM TER FAMA E TER DINHEIRO NO BOLÇO FASA MUSICAS QUE VALORIZE AS MULHÉRES NÃO QUE DENIGREM A NOSSA IMAGEM.

  8. Vejo essa questão também como uma prioridade e ao contrario de muitos, concordo que o dinheiro publico não seja “patrocinador” da propagação do desrespeito as mulheres. Gosto muito da música baiana e sou fã de vários cantores baianos. No entanto, tenho vergonha de algumas bandas que se dizem de axé e pagode, pois muitas musicas são agressivas à mulher e me sinto constrangida em ouvi-las.
    Seria o momento também de conscientização, principalmente por parte dos músicos, para que produzam musicas com letras melhores e que se acabe com essa “mania” de denegrir a imagem da mulher. Não concordo que seja censura, o que se pede é só o respeito‼

  9. O Brasil é lindo… Porém, não aguento mais tanta podridão e baixaria na música brasileira. É lamentável saber que muitos apóiam esse “lixo” em forma de música. Que Deus proteja as famílias!

  10. FINALMENTE MEU DEUS!!!!
    A música baiana estava mesmo virando coisa de quem não tem competência pra fazer músicas. Já que não sabem, fazem algo para balançar sem precisar ouvir.. (com excessão de algumas bandas!!!) pura incompetência!!
    Uma vergonha, os turistas então, ficam horrorizados..
    Este é o incentivo para que façam músicas melhores, pagodes de verdades…
    vamos levar essa.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top