skip to Main Content
4 de agosto de 2020 | 04:41 am

ITAPÉ ABANDONADA

Tempo de leitura: < 1 minuto

Como já foi denunciado por este blog, a situação da segurança pública na pequena Itapé é de verdadeira calamidade. Além de não ter escrivão, a delegacia passou a fechar as portas nos finais de semana devido à falta de efetivo.
No último sábado, 27, a cidade chegou a ficar sem policiamento quando os dois únicos policiais militares que estavam de plantão deslocaram-se para lavrar um flagrante no Complexo Policial de Itabuna.
Sinistro…

Esta publicação possui 0 comentários
  1. Vamos ser claros:
    A Segurança Pública é obrigação de quem, …?!?!?!
    O descaso do (des)governo estadual com o sul da Bahia é gritante, …!!!
    Mas ainda há os que apoiam isso que aí está, …?!?!?!
    Eu só quero ver como tudo isso irá acabar, em 2014, …!!!

  2. Mais esclarecimentos sobre as mudanças no Planserv
    Ultima Atualização: 30/08/2011 às 12:14:30
    Faço tudo certo e uso pouco meu plano. Com as mudanças vou pagar pelos outros?
    Não. Se você usa pouco, a co-participação não vai lhe alcançar porque a sua média de utilização está abaixo dos limites estabelecidos no projeto. Pelo modelo em discussão na Assembleia, propõe-se estabelecer franquia de até 10 consultas por ano por pessoa. Passado tal limite, o titular pagaria 20% do seu valor, o que hoje corresponde a R$ 6,00. Em outras palavras, pretende-se cobrar do beneficiário R$ 6,00 por consulta que exceder à sexta num mesmo ano, excetuando-se da regra aquelas relativas a programas instituídos pelo Planserv, como os de prevenção. A co-participação segue a trajetória de mais de 80% dos planos existentes no país.
    A utilização da assistência médica do Planserv será limitada?
    Não haverá limitação no atendimento. A mudança proposta é a criação de um mecanismo de co-participação dos servidores públicos estaduais no Planserv, a incidir depois de ultrapassada determinada quantidade de atendimentos.
    Haverá co-participação para exames e procedimentos?
    Ultrapassada uma quantidade de atendimentos – este número está em discussão na Assembleia Legislativa – para exames e procedimentos laboratoriais simples por ano, propõe-se cobrança de 20% sobre o excedente. Para os demais exames e outros serviços de apoio diagnóstico, essa franquia seria de sete procedimentos, assim como para atendimentos de urgência e emergência. Em todos os casos, o pagamento ficaria limitado a R$ 10,00 por procedimento e R$ 30,00 por pessoa, por mês, pelo total de serviços excedentes. Vale salientar que seriam excetuados de cobrança internamentos hospitalares, hemodiálise, quimioterapia, radioterapia, hemoterapia e oxigenoterapia hiperbárica.
    Todo exame terá co-participação? A co-participação será por especialidade ou vai incidir sobre todas as consultas e exames?
    A co-participação vai incidir sobre todos os exames e consultas, independente da especialidade.
    A cota de consultas e exames isentos de co-participação é por beneficiário ou por família?
    É por beneficiário, ou seja, cada membro da família terá a franquia relativa a números de consultas e procedimentos.
    Faço tratamento continuado para cuidar de doença crônica. Tenho dúvida se estou na lista de isenção da co-participação.
    Pacientes em tratamento de doença crônica não pagarão co-participação. São exemplos de doenças crônicas: diabetes, cancer, doenças cardiovasculares, insuficiência renal e doenças respiratórias.
    Os valores da co-participação são os mesmos para todas as idades?
    Sim. Ao contrário dos demais planos, o Planserv mantém o mesmo valor de contribuição, independente da idade.
    Tenho diabetes e hipertensão. Terei que pagar co-participação se ultrapassar o número de consultas previsto na franquia?
    A co-participação não será aplicada em qualquer tratamento de doença crônica. Nesses casos,
    o beneficiário é inclusive incentivado a buscar o acompanhamento médico permanente.
    Estou grávida e preciso ir ao médico no mínimo uma vez por mês. Vou pagar co-participação por exceder o número de atendimentos franqueados?
    Servidoras grávidas terão 12 consultas de pré-natal independenteimente de co-participação. Em linha com as recomendações médicas, a orientação é também no sentido de que a gestante faça todo o pré-natal com o seu médico de confiança.
    Quando as medidas entram em vigor?
    A apuração da co-participação só começa a vigorar a partir do momento em que a lei for aprovada. Vale lembrar que os valores são anualizados, ou seja, para o restante de 2011 irá valer a franquia total de consultas e outros procedimentos prevista para o ano inteiro.
    O valor da contribuição do servidor ao Planserv está sendo reajustado?
    O que está sendo feito é a criação de novas faixas de contribuição dos servidores. Desde 2005, o desconto máximo para o Planserv está congelado em R$ 290,00 por mês e é aplicado a todos os titulares que já ganhavam naquela época R$ 3.250,00 ou mais. A média de contribuições pagas é de R$ 103 por pessoa. Como medida destinada a tornar mais equilibrada a participação dos servidores no custeio do plano, serão criadas novas faixas para aqueles que recebem remuneração mais elevada. A mudança define novos valores, com intervalos de R$ 9 entre as faixas, abrangendo remunerações superiores a R$ 10 mil. Para servidores enquadrados nesse novo teto, a contribuição passa a ser de R$ 360,10.
    Ganho R$ 3.100. Haverá aumento na minha contribuição?
    Não haverá aumento na contribuição. Neste quesito, como medida destinada a tornar mais quilibrada a participação dos servidores no custeio do plano, serão criadas novas faixas para aqueles que recebem remuneração mais elevada. A mudança define novos valores, com intervalos de R$ 9 entre as faixas, abrangendo remunerações superiores a R$ 10 mil. Para servidores enquadrados nesse novo teto, a contribuição passa a ser de R$ 360,10. Vale ressaltar que desde 2005 o desconto máximo para o Planserv está congelado em R$ 290,00 por mês e vem sendo aplicado a todos os titulares que já ganhavam naquela época R$ 3.250,00 ou mais.
    Ganho R$ 6 mil. Vou mudar de faixa na tabela de contribuição? Em caso positivo, para quanto irá a minha contribuição?
    Com a criação de nova tabela para contemplar servidores com maior remuneração, de fato haverá novas faixas, acima do valor máximo atual, de R$ 3.250. No seu caso, a contribuição do titular passará de R$ 290 para R$ 314,60.
    Como fica a situação dos cônjuges?
    Revoga-se, com a proposta, a proibição de servidor público ter outro servidor como dependente. Ao mesmo tempo, diferencia-se a contribuição de cônjuges e filhos, que pela tabela atual pagam valores idênticos. Sabendo-se que os gastos com saúde crescem de acordo com a idade, o que se propõe é manter a contribuição de filhos em 22% sobre o valor cobrado de titulares, e fixar, no caso de cônjuges, esse percentual em 40%, sejam eles servidores públicos ou não. Hoje há cônjuges que pagam 100% sobre a tabela de titular – caso dos que são servidores – e cônjuges que pagam 22% – os não servidores. Com a proposta, unifica-se o percentual em 40%.
    Se o Planserv está com as contas equilibradas, por que então tomar essas medidas?
    As medidas têm caráter educativo. O objetivo, de acordo com o projeto, é tornar mais racional o uso da assistência médica do funcionalismo, garantindo a manutenção do equilíbrio financeiro e conseqüentemente o padrão de bom atendimento conquistado pelo plano nos últimos quatro anos. Após medidas voltadas para a conscientização dos servidores no sentido de evitar distorções, a exemplo da emissão de extrato de utilização para conferência dos procedimentos faturados, as mudanças propostas agora dão seqüência ao esforço de consolidação da sustentabilidade financeira do plano e expansão da rede pelo interior do estado.
    Como é calculado o valor da contribuição? É sobre o bruto ou o líquido?
    O valor da contribuição ao Planserv é calculado sobre a remuneração total do servidor público, ou seja, o valor salarial bruto.
    Minha clínica me cobrou um complemento pelo atendimento. Como fica esta situação?
    Trata-se de uma irregularidade, pois o prestador já recebe do Planserv pelos procedimentos. Você deve denunciar a clínica para que ela seja descredenciada.
    O que vai acontecer com o Plano Especial?
    A proposta é aumentar o valor dos atuais R$ 35,00 para R$ 45,00. Vale lembrar que, desde 2005, os servidores que optam pelo Plano Especial, que lhes dá direito a internação em apartamento, pagam 35 reais por mês, por pessoa, a título de complementação sobre a tabela do plano básico. Acontece que entre 2006 e 2010 houve uma inflação acumulada, medida pelo IGP-m, de 34,43%.
    Por que vocês querem mudar o Planserv?
    Garantir a manutenção do equilíbrio financeiro conquistado pelo Planserv, com muito esforço, nos últimos quatro anos. E, com isso, sustentar um padrão de serviços compatível com as necessidades e expectativas de seus 464 mil beneficiários. Estes são os objetivos principais das mudanças propostas no Projeto de Lei sobre o Planserv que tramita na Assembleia Legislativa.
    O projeto prevê o modelo de co-participação, que não busca arrecadar mais, mas tem o sentido educativo de racionalizar o uso dos serviços médicos com a participação dos próprios usuários. Não se propôs nenhum reajuste geral de tabela, com seus valores que permanecem os mesmos desde 2005, mas optou-se por medidas para evitar abusos na utilização do plano e dar maior justiça à relação entre renda e pagamento, com a criação de novas faixas para os que ganham os maiores salários.
    Veja como o Planserv foi reconstruído a partir de 2007.
    Você se lembra? Em 2007 o Planserv era sinônimo de dor de cabeça. Sua imagem era a pior possível, tanto entre os servidores como junto à opinião pública. Nos meios de comunicação, as queixas eram frequentes. Além disso, não existiam contratos entre a instituição e seus cerca de 900 prestadores de serviços, pagavam-se valores irrisórios por uma série de serviços, inclusive consultas, a rede de atendimento era insuficiente, especialmente para urgências e emergências, e o desequilíbrio financeiro gerava atrasos nos pagamentos e protelava autorizações de procedimentos. Enfim, a situção era caótica.
    O Planserv mudou para melhor
    As medidas tomadas a partir de 2007 representaram uma enorme mudança na relação do plano com seus beneficiários e com a rede de prestadores de serviços. Não foi um processo simples nem cômodo. Mas hoje, até aqueles que se opuseram a medidas duras, como a exigência de utilização de medicamentos genéricos, reconhecem que a Administração Estadual estava certa, pois o equilíbrio do Planserv repercutiu positivamente em todo o sistema privado de saúde da Bahia. Entre as medidas adotadas, destaque ainda para o reajuste de 50% no valor pago aos médicos por consulta, a transferência dos processos de autorização de exames e procedimentos para a internet, a ampliação da rede de atendimento de 900 para 1480 unidades, a implantação de sistema de identificação biométrica e a manutenção de todos os pagamentos rigorosamente em dia.
    Você sabia?
    Dos atuais 464 mil beneficiários do Planserv, cerca de 25 mil ingressaram no plano nos últimos 12 meses, ou seja, a imagem do plano é positiva junto aos servidores públicos, que estão vindo de outras operadoras e trazendo seus dependentes.
    Nos últimos 12 meses, 237 novos prestadores de serviços ingressaram na Rede Planserv, com destaque para unidades importantes como os Hospitais da Bahia, Aeroporto e Evangélico.
    As reclamações na imprensa – muito freqüentes até 2006 – foram reduzidas em 74% se compararmos os dados de hoje com aqueles que a atual Administração encontrou.
    A explicação está na própria expansão da quantidade de atendimentos, comparando-se os níveis atuais com 2006: crescimento de 10% na quantidade de consultas e de 34% na quantidade de exames.
    Dois terços do orçamento do Planserv têm origem na contribuição dos próprios servidores e um terço corresponde à chamada contribuição patronal. Essa parcela, que sai do Tesouro do Estado, significará 250 milhões de reais em 2011.
    Por meio de 1480 prestadores de serviços, divididos entre clínicas, hospitais e laboratórios, são feitos mensalmente, em média, 953.000 exames, 154.000 consultas e 6.000 internações.

  3. Seu Pimenta,aqui em Itapé nós estamos abandonados é de quase tudo, a começar pela saúde que antes tinha 14 médicos hoje tem metade.Faltam medicamentos de uso contínuo nos postos e até material de curativo precisamos comprar.A única quadra esportiva que nós tinhamos há mais de 30 anos o PREFEITO DERRUBOU PARA FAZER OUTRA E nada.a SEGURANÇA COMO VCS MESMO JÁ DISSERAM ESÁ UMA NEGAÇÃO.O Prefeito está vivendo de propaganda nos jornais e rádios. a única que está fazendo é pagar a folha em mas também já arrecadou R$ 10.7100.000,00 EM APENAS 08 MESES DE 2011 NÃO TEMOS nenhuma OBRA REALIZADA COMO NÃO SOBRAR DINHEIRO.DIÁRIAS DELE E DOS FAMILIARES EM 17 MESES FOI 58.000,00, UM ABSURDO.

  4. Cadê o desgoverno da Bahia, é assim que vão administrar a Saúde de Itabuna, cadê o Conselho de Saúde do PT de Itabuna que não fiscaliza os reursos da Plena, que o estado esta derramendo do Hospital de Ruy Cunha, será que um pedacinho do queiro esta ficando pra eles????

  5. Cadê o desgoverno da Bahia, é assim que vão administrar a Saúde de Itabuna, cadê o Conselho de Saúde do PT de Itabuna que não fiscaliza os reursos da Plena, que o estado esta derramando no Hospital de Ruy Cunha, será que um pedacinho do queijo esta ficando pra eles????

  6. a verdadade a cidade nao tem seguranca o suficiente ,comerciantes pagam policias a paisana para tomar conta dos seus comercios, alem de ilegal é um absurdo,o dono do estabelecimento ja paga o imposto por sinal o maior do país para o governo.

  7. A prefeitura de Itapé esta de parabens, coloca combustivel nas viaturas, da ajuda de custos aos policiais, mais infelizmente a obrigação de aumentar o efetivo é do governo estadual, quanto ao aumento da violencia é um mal nacional. O problema de Itapé são as viuvas de Pedrão que não se conformam de ter perdido o peito vai trabalhar cambada de chupa sangue…

  8. Qual a novidade mesmo? isso acontece desde a epoca de Pedro Chaui, a mais de 3 anos atrás, mas o governador diz q ta tudo bem na bahia, é tanto q ele foi eleito novamente e inclusive c vitoria em itape, estão reclamando de que ?!!!

  9. Isso pq vcs esqueceram de citar que a Médica Caroline Rezende pediu demissão por ser maltratada por algumas pessoas por ela ser recém formada. Agora, além de falta de efetivo, delegado fantasma, escrivão ventania e policiamento de quadrinhos, não há previsão de atendimento médico para o pessoal do posto do Alto Maria da Glória. Continuamso no caminho certo… aguenta Brasil

  10. A nossa cidade talvez por ser pequena e por apresentar baixíssimos indices de violência, em comparação com Itabuna e outras cidades, talves fique mesmo esquecida pelo governo estadual quanto a segurança pública, mas acontece que pelo efetivo que tem, tanto a policia militar quanto a policia civil tem feito um excente trabalho. A PM tem apenas dois soldados e um sargento, e a Delegacia, tem o delegado, e só um agente…. o escrivão é de outra cidade e vem só uma vez por semana, e mesmo assim , a criminalidae é baixa….apesar da falta de condição de trabalho por parte desse profissionais…

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top