skip to Main Content
28 de setembro de 2020 | 05:03 pm

MACHADO DE ASSIS "BRANCO" SAI DO AR

Tempo de leitura: < 1 minuto

A Caixa Economica Federal suspendeu a veiculação de uma campanha publicitária sobre os 150 anos do banco que retrata o escritor Machado de Assis como um homem branco (confira o vídeo abaixo). A decisão veio após protestos na Internet e um pedido formal da Seppir (Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial), órgão do governo federal com status de ministério.
O comercial criado pela agência Borghierh/Lowe viaja no tempo para mostrar que até os “imortais” foram correntistas do banco público. O problema é que o ator que representa o fundador da Academia Brasileira de Letras e autor de “Memórias Póstumas de Brás Cubas” é branco, sendo que o escritor era mulato.
Na nota oficial em que anuncia a interrupção da propaganda, a Caixa “pede desculpas a toda a população e, em especial, aos movimentos ligados às causas raciais, por não ter caracterizado o escritor, que era afro-brasileiro, com a sua origem racial”. William Maia, do Última Instância.

Esta publicação possui 0 comentários
  1. Sempre, uma injetada de kiboa na história ! A política do branqueamento na sociedade brasileira, que já foi oficial, volta a alvejar perseguindo o ideal estético e moral europóide. O espectro do Dr. Lombroso ainda ronda.
    Lembre-se que já “fluminerizaram” a Chiquinha Gonzaga, renomada compositora negra. Na telinha ela foi incorporada pela “cara pálida” Reginas Duartes, já que eram duas.
    Lembro do meu espanto ao descobrir que o Mariguela era negro !!! O Lima Barreto, o Mário de Andrade. No livro escolar era todo mundo branquinho…branquinho.
    Falando do Mário de Andrade, em Sampa já ocorreu o contrário. O governo de São Paulo divulgou uma foto falsa do escritor modernista. Ele foi substituído pela foto de um senhor bem parecido porém com traços afros mais evidentes.
    Vejam http://www.amigosdolivro.com.br/lermais_materias.php?cd_materias=5097
    Denegriram o home ! No sentido correto da palavra denegrir.
    Não precisava. Depois de muitos percalços o próprio Mário se assumiu negro.
    A Caixa deveria se retratar denegrindo o que branqueou. Temos ótimos atores negros que brilhariam na pele escura do Bruxo.

  2. “Negro” é uma invenção estilística para designar o pardo, o mulato, que é tão afrodescendente quanto é eurodescendente.
    A nota da Caixa é covarde. Podiam pedir desculpas por contratarem um marqueteiro ignorante que não sabe nem pesquisar o personagem a ser caracterizado, mas não pedir desculpas por um racismo inexistente.

  3. É nisso que dá não pesquisar e fazer as coisas “nas coxas”.
    Mas o órgão é federal e ainda por cima petista.
    Então pooooooode!!!
    É a burrice instalada.
    Fernando Florencio
    Ilheus/Ba

  4. Então, sendo assim, eu lançarei uma polêmica aqui, a saber:
    – Porque a igreja católica não muda a imagem de Jesus Cristo, dado que um árabe jamais teria aqueles traços europeus, cabelos loirados, olhos claros, e por aí vai, …, pois segundo a Biblia, Jesus teria nascido onde, num país nórdico, por acaso, …?!?!?!
    Onde fica Belém, …?!?!?! E Jerusalém, …?!?!?!
    Quais os traços faciais do povo que lá nasce e vive, …?!?!?!
    Esta nem a genética explica, quanto mais Freud, …!!!
    Está lançado o desafio. Quem se habilita a responder, com fundamento, com alguma comprovação minimamente científica, …?!?!?!
    Tal fato é infinitas vezes pior do que o comercial que a Caixa encomendou e veiculou nos meios e comunicação televisivos do nosso país, …, no entanto, a insisténcia numa imagem falsa do Jesus Cristo “europeizado” continua até hoje, …!!!
    Porque será, hein, ..?!?!?!

  5. Prezado Sérgio, a Igreja Católica não possui “imagem oficial” do Cristo. Cada artista pode representá-Lo ao seu gosto, já que Ele nos criou ( o gênero humano, sem raças) à Sua imagem e semelhança.

  6. Não acredito que tenha sido por maldade. Ninguém na estúpida e incompetente agência que recebeu milhões para fazer o comercial, fora custos de produção, atores, etc. e ninguém na diretoria da Caixa, que aprovou o comercial, conhece alguma coisa sobre o nosso escritor maior. E ninguém se deu ao trabalho de ler três parágrafos sobre a vida de Machado para fazer o comercial. Burrice, preguiça e ignorância. O PT no que ele tem de melhor.

  7. Quem criou o gênero humano foi Deus (a Criação), Jesus é um ser criado por Deus, tão Filho quanto nós. O poder quis um Cristo europeizado que a maioria acredita e aceita assim. Essa questão de raça, de cor, ficaria bem mais leve se todos entendessem que a cor do sangue é a mesma em todas as raças. Então ninguém aceitaria ser estimulado a odiar os outros porque é branco ou preto. Nem a Caixa precisaria pedir desculpa, nem tirar o comercial.
    O homem pode representar o outro de qualquer raça… Sou machadiana convicta e penso Machado como mulato mais para negro e o cabelo carapinhado. Isso não impediu de ser o gênio que é, bem casado, amado e amante…

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top