skip to Main Content
14 de julho de 2020 | 07:28 pm

CLEBINHO: "ITACARÉ E ILHÉUS SERÃO O MELHOR DESTINO DO NORDESTE PARA UM TURISMO INTELIGENTE"

Tempo de leitura: 4 minutos

Cleber Isaac Soares (Foto Ed Ferreira).

O empresário Cleber Isaac Ferreira Soares, do Eco Resort e do Itacaré Village, é o novo secretário de Turismo de Itacaré. Nesta entrevista ao PIMENTA, ele aborda sua relação com o município que virou febre no turismo brasileiro, os projetos para a pasta e afirma acreditar que o prefeito Tonho de Anízio terá mais quatro anos de governo pela frente.
Cleber ressalta que Itacaré é o único destino do Nordeste que tem potencial “nota 10” para o turismo rural, ecoturismo e turismo de praia. Ele também aposta na sinergia Ilhéus-Itacaré.
–  Essa sinergia e a capacidade de reação do prefeito Antônio de Anízio vão transformar este eixo até o final do seu segundo governo no melhor destino do Nordeste para um turismo inteligente e não-massivo.
Confira a entrevista.
PIMENTA – Qual é sua relação com Itacaré?
Cleber Isaac Soares – Minha família está em Itacaré há um século e meio. Eu nasci em Salvador e moro em Itacará há 15 anos. Depois de formado, resolvi aproveitar o potencial das propriedades da família na região. Fomos pioneiros no Brasil na implantação de resort-condomínios com o Villas de São José, em 1999.
Como se deu sua ida para a Secretaria de Turismo de Itacaré?
Pelo lado político, agradeço a confiança depositada pelo prefeito Antonio de Anízio, que terá em mim um soldado a serviço de seu projeto. Acredito que o prefeito, que acompanha tudo no município, sabe  do nosso potencial logrado em outras áreas relacionadas também ao turismo. Mas o convite veio principalmente pelo lado técnico – e assim pretendo atuar -, após o afastamento de Diana Quadros por razões pessoais, no final do ano passado. Ela deixa uma secretaria bem-estruturada e uma equipe técnica de qualidade.
Fale de suas experiências nesse setor.
Para mim, o mais importante foi o que citei no início, o Villas de São José, projeto que trouxe para o destino Itacaré pessoas famosas e de alto poder aquisitivo, despertando mundialmente o interesse por conhecer Itacaré. Fui fundador e presidente do Instituto de Turismo de Itacaré, em 2005,  ajudamos no processo de implantação do Conselho de Turismo em 2009, implantamos e operacionalizamos os hotéis Eco Resort e Itacaré Village, ambos situados no condomínio Villas de São José, e idealizamos o projeto Vilas do Rio de Contas, que visa o desenvolvimento do ecoturismo do Rio de Contas em Itacaré.

Temos ideias e projetos para curto, médio e longo prazos.

 
O senhor assume a pasta e já com um projeto para o setor?
Temos ideias e projetos para curto, médio e longo prazos. Tomo a liberdade de incluir o segundo governo de Antônio de Anízio. A princípio, citarei alguns dos projetos que estamos amadurecendo e pretendemos expor ao prefeito e toda sua equipe e aos colegas secretários para que possamos fazer um trabalho em conjunto.
De toda essa experiência e vivência do turismo em Itacaré, quais projetos o senhor encara como fundamentais?
De forma resumida, pensamos em ações de interiorização do turismo, estimulando o turismo de aventura (rafting, rapel e a tirolesa), a inclusão social com agricultores familiares fornecendo produção para pousadas e restaurantes da cidade, o incremento de ações na área de segurança em parceria com o setor privado (videomonitoramento e rádio), projeto de saneamento e a criação de uma agenda de grandes eventos musicais para o destino. Mas gostaríamos de frisar que todas estas iniciativas só resultarão em sucesso se todos comprarem a ideia e participarem.

Itacaré é vista como um paraíso por gente de todo o mundo, mas ainda tem desafios a enfrentar nas áreas social e ambiental, por exemplo. Como superá-los?

Como um desafio possível de ser enfrentado, por termos o apoio do prefeito e sua equipe e do empresariado local. As soluções já foram testadas em destinos como Parati, Búzios, Ouro Preto, Bonito e Fernando de Noronha, para citar apenas destinos nacionais, mas a Costa Rica é o país que teve maior êxito na aplicação de turismo ecológico e rural para ter o verdadeiro desenvolvimento. Nunca esquecerei o que aprendi neste país, in loco.
Como alguém com perfil empresarial pode colaborar com o desenvolvimento de políticas públicas para o turismo?
A cabeça de empresário me dá a facilidade para trazer os colegas para apoiar as políticas públicas – seja em parcerias públicas ou apoios institucionais, em especial com os empresários ligados ao ITI,  que têm uma visão estratégica de longo prazo do destino. Além disso, a eficiência e eficácia da vida empresarial me dá o senso de urgência necessário para gerar os resultados pelos quais o prefeito me incumbiu.

Itacaré é o único destino nordestino que tem potencial nota 10 para turismo rural, ecoturismo e turismo de praia

 
Como o senhor vê o futuro do turismo em Itacaré?  Quais são as tendências para o setor nesta cidade?
Itacaré é o único destino nordestino que tem potencial nota 10 para turismo rural, ecoturismo e turismo de praia – comparado apenas a Parati. Ao mesmo tempo, está ao lado de Ilhéus, que tem o maior potencial do Brasil (ainda não explorado em seu potencial máximo) para o destino cultural, em especial com a refilmagem de Gabriela, 100 anos de Jorge Amado.  Essa sinergia Ilhéus–Itacaré e a capacidade de reação do prefeito Antônio de Anízio vão transformar este eixo até o final do seu segundo governo no melhor destino do Nordeste para um turismo inteligente e não-massivo.
O senhor já pensou em ser prefeito de Itacaré. Os projetos políticos continuam?
Minha pretensão política é clara: apoiar Antonio de Anízio para fazer a melhor gestão possível nos próximos 5 anos e colocar Itacaré no patamar que merece. O restante será consequência.
O poder público local entende a importância do turismo?
Hoje, sim, e a prova é que Itacaré nunca teve uma Secretaria de Turismo com sede, gerente de cultura, gerente administrativa, gerente de eventos… Nos governo anteriores não existia nem uma mesa para a secretaria nem uma cadeira. Antes, o secretário de Administração dispunha de parte de seu tempo para o turismo com as dificuldades que esta falta de exclusividade gera.

Esta publicação possui 0 comentários
  1. Por que as demais prefeituras não identificam técnicos para ocupar os espaços adequados.Parabéns a Itacaré e boa sorte para o novo Secretário

  2. DO NORDESTE??????? TENHA PACIENCIA… IATACRÉ TA CERTO MAS ILHÉUS??? E AONDE FICA NATAL C SUAS DUNAS MARAVILHOSAS,FORTALEZA C SUAS FALÉZIAS, PRAIA DO FORTE,OLINDA EM PERNAMBUCO, RAPAZ JA VI QUE VC SÓ CONHECE DO NORDESTE ITACARÉ E ILHÉUS.

  3. Se o Sr. Cleber como secretário de turismo cuidar de Itacaré, como está cuidando do Empreedimenbto Villas de São José, pertencente à sua familia, é melhor Itacaré rever esta nomeação.
    O villas está num abandono que dá pena.Funcionários esforçados mas mal treinados.Passei o reveillon por lá, e o comentário de quem por lá estava é que não voltaria nunca mais, tãopouco recomendava.À festa do reveillon compareceu meia dúzia de gatos pingados.Serviram Cidra. O conjunto contratado para “abrilhantar” a festa de Reveillon, tinha um cantor cuja voz assemelhava-se a alguem sentado num vaso sanitário com dificuldade de cumprir o ritual fisiológico.
    Quando o binômio funcionarios/clientes se mostram indignados e insatisfeitos é que o empreendimento vai mal.
    Na minha ótica, somente uma administração profissional salvará o Villas de São José.
    A Blu-Tree uma das maiores empresas do mundo em gestão hoteleira de turismo, só aguentou ficar no Villas 30 dias.
    A interferência da família proprietária, que não sabe servir um cafezinho, inviabilizou a permanência da operadora.
    Fernando
    Ilheus/Ba

  4. PARA ILHÉUS, SÓ O QUE NÃO PRESTA. ESTÁ BOM PARA QUEM ESTÁ MAMANDO NAS TETAS DO GOVERNO, ESTÁ BOM PARA O PREFEITO QUE NÃO PRECISA SE PREOCUPAR COM EVENTOS, GASTOS, FESTAS ORGANIZADAS…, ESTÁ BOM PARA O MAMULENGO-SECRETÁRIO PORQUE NADA FAZ, MAS GANHA E DESVIA COMO PODE, ESTÁ BOM PARA OS PROCURADORES,QUE NÃO TERÃO PROBLEMAS COM PROCESSOS DE PAGAMENTO NÃO CUMPRIDOS, PARA OS CREDORES, QUE NÃO TÊM COM QUE SE PREOCUPAR EM RECEBER, PORQUE NÃO TRABALHAM,PARA AS OUTRAS CIDADES TURITISTICAS DE REGIÃO, PORQUE ILHÉUS NA INÉRCIA, ELES LUCRAM… E POR AÍ VAI A HISTÓRIA DAS TERRAS DO SEM FIM. POBRE ILHÉUS!

  5. Parabéns ao prefeito Antônio de Anizio pela escolha sábia, Itacaré ganha muito com Cléber na equipe administrativa, homem competente e com propósitos futuros de desenvolvimento.

  6. Cara, meus parabéns!
    Querendo contribuir, primeiramente destaquei este trecho:
    “Cleber ressalta que Itacaré é o único destino do Nordeste que tem potencial “nota 10″ para o turismo rural, ecoturismo e turismo de praia. Ele também aposta na sinergia Ilhéus-Itacaré.”
    Conheço boa parte do litoral brasileiro: Rio Grande do Sul, Rio de janeiro, Espírito Santo, Bahia, Sergipe, Rio Grande do Norte e Ceará. Estive nas fileiras da Marinha do Brasil por 30 anos. Por isso, devo concordar com você! Pode não ser o “único”, como você afirma; mas, com certeza “é um dos poucos” lugares onde se pode ter essas opções de turismo e lazer que você citou. De quebra, tem a beleza natural da Mata Atlântica sendo banhada pelas águas do Oceano Atlântico. Isso também pode ser visto na “Costa Verde”, litoral Norte do Estado do Rio de Janeiro”, entre Mangaratiba e Angra dos Reis, e a própria Ilha Grande. Com uma diferença: o Mar. Em Itacaré, o Mar é aberto; na Costa Verde, por conta das várias Baías (Sepetiba, Mangaratiba e Angra) e do enorme número de ilhas, o Mar não tem ondas. Tem, porém, como vantagem, poder-se enxergar até cerca de 7 metros de profundidade, como é o caso de Angra.
    Estive em Itacaré algumas vezes. Mesmo extasiado com as belezas naturais, me decepcionei com algumas coisas que vi. Não tome isso como uma crítica, mas como uma forma de contribuição. A aparência da área urbana da cidade não é boa! É preciso buscar investimentos externos pra dar uma melhorada no visual dessa área. Ainda que muitos dos visitantes do município não cheguem a ela; permaneçam restritos aos Resorts.
    Mesmo não querendo detalhar, pois meu conhecimento da cidade é pouco, logo na entrada, o visual de uma área à direita de quem está chegando, é deprimente. Além das condições degradantes do logradouro e dos domicílios, há a visível degradação ambiental.
    Ainda não retornei à cidade depois da inauguração do sistema de captação e tratamento de esgotos. Espero que esteja funcionando bem e evitando o despejo de dejetos “in natura” no mar. Era possível ver as “valas negras” vazando na praia situada em frente ao Centro Histórico.
    Em três oportunidades, estive bebericando e comendo na “Pituba” com familiares e amigos. Os donos de bares, restaurantes e similares carecem de orientações sobre receptividade e higiene, além de conhecimentos que proporcionem facilidades aos visitantes, ao invés de embaraços. Tivemos uma experiência desagradável no café da manhã (não vou detalhar). Para o almoço, andamos a rua praticamente toda em busca de um lugar que aceitasse cartão de crédito. Os locais onde a comida parecia boa e nos aguçava o apetite, só aceitavam pagamentos em dinheiro ou cartões de débito.
    Nas cabanas da Praia da Ribeira, não é recomendável olhar a lixarada que está jogada sob as árvores acima do local onde se situam os sanitários.
    Estamos torcendo (eu e minha família) para que você, como Secretário, possa resolver parte dos problemas que afligem Itacaré. Muitas das situações apresentadas acima não são da alçada de sua pasta, sei disso. Mas, você deve ser capaz de aglutinar esforços e recursos para melhorá-las. Determinadas situações extrapolam a capacidade de investimentos do setor municipal, por isso, inúmeros projetos devem ser elaborados visando a aquisição de numerários de outras esferas do Poder Público.
    Moro em Ilhéus e de vez em quando estou por aí! Sou Oficial de Marinha na Reserva Remunerada e Professor do Magistério da Bahia. Se o amigo sentir necessidade de “trocar idéias” basta entrar em contato:
    souzanetojas@gmail.com
    http://oarietenanet.blogspot.com.
    Boa sorte!

  7. Gente acorda por favor!
    Meu povo de Itacaré,não repita a mesma burrice de 4 anos atrás!
    Nada foi feito por Itacaré desde a eleição de Antonio de Anizio, somente agora no ultimo ano,perto da politica novamente que ele vem tentando enganar com algumas obras como a da praça que ficou 3 anos sem mexer e agora disse que dia 26/01/2012 seria inaugurada sendo que a mesma não está nem 50¢ concluída!
    É um absurdo e é muito fácil roubar 3 anos e enganar os eleitores no ultimo ano!
    Por favor Itacaré não repita o erro!

  8. Retorno para considerar outro trecho de sua entrevista:
    PIMENTA – Itacaré é vista como um paraíso por gente de todo o mundo, mas ainda tem desafios a enfrentar nas áreas social e ambiental, por exemplo. Como superá-los?
    Cleber Isaac Soares – Como um desafio possível de ser enfrentado, por termos o apoio do prefeito e sua equipe e do empresariado local. As soluções já foram testadas em destinos como Parati, Búzios, Ouro Preto, Bonito e Fernando de Noronha, para citar apenas destinos nacionais, (…)
    MEU COMENTÁRIO – Aí está um ponto crucial: o envolvimento dos empresários. Desde o mais modesto ao mais influente. Aproveito para citar o exemplo de Ponta Negra, Natal-RN. Morei pouco mais de um ano em Natal, onde pude observar uma conscientização sobre a importância do turismo nunca vista. Os natalenses respiram Turismo 24 horas. Talvez, porque a cidade, não tendo Zona Rural, dependa inteiramente dessa atividade econômica como fonte de renda. (Pra quem não sabe, Natal foi construída sobre dunas e pra qualquer lado que desloque, logo se entra em outros municípios: Extremoz ao Norte; Parnamirim, ao Sul; e São Gonçalo; além de Macaíba e são José de Mipibu, bem próximos). Com essas características, os empresários natalenses (boa parte de outros estados) contribuem de diversas formas com a apresentação da cidade. Em Ponta Negra, por exemplo, pode-se ver coletores de resíduos nas ruas e areias da praia, pagos pelos donos de bares e restaurantes da orla. É, de fato, interessante! Um visitante (mal educado) jogando um detrito qualquer nas areias, enquanto, sem muita ostensividade, um homem ou uma mulher faz o recolhimento.
    O amigo citou Búzios (Armação de Búzios-RJ). Conheci e convivi em Búzios, nos anos 80, quando ainda era distrito de Cabo Frio. Era o Encarregado da Segurança da Base Aérea Naval de São Pedro da Aldeia (única Base Aérea da Marinha) e, por essa função, tinha responsabibilidades com a Segurança Interna dos Municípios Tributários da Marinha. Cabo Frio é um deles. Na revisão e atualização do Plano de Segurança, passei alguns meses “revirando” as áreas mais estratégicas; e Búzios tinha Pontos Sensíveis Vitais e Essenciais (não posso citar). E a “revirada” constituía o levantamento físico e de informações “in loco”, seguido de fotografias aéreas dos Pontos. Depois disso, passei a assíduo frequentador das praias de Búzios nos finais de semana, em especial a de Geribá.
    Fiz essa referência a Búzios porque estive na cidade há dois anos e pude constatar a extraordinária diferença entre a Búzios de hoje com a dos anos 80. Mas, como aconteceu com Cabo Frio, Arraial do Cabo, São Pedro da Aldeia, Rio das Ostras e Macaé, dentre outros, Búzios passou a receber recursos provenientes dos royalties do petróleo. Dinheiro que robusteceu os cofres públicos dessas cidades nos últimos anos.
    Aqui, Ilhéus, Itacaré, Canavieiras, Belmonte e outras, apenas acalentam o sonho de um dia poderem contar com esse recurso.
    Souza Neto

  9. Caro Fernando Florencio
    Não poderia me calar diante de tamanha troca de alhos por bugalhos que o sr. fez em seu comentário.
    Vivo e trabalho em Itacaré,sou profissional liberal e tenho muito conhecimento local. Achei as criticas do Sr. Souza Neto de Ilhéus pertinente, mas vossa senhoria deveria se informar melhor com quem conhece e não ir na onda de fofocas.Clebinho pode ser tudo menos incompetente. Priemeiro que ele não promoveu nenhum reveillon, hoje sua familia tem participação os dois hoteis que lá se encontram pertencem a João Cavalcante! Agora se o sr. esta falando do reveillon de Itacaré tem suas razões, mas nada tem haver com Cleber.
    O sr dizer que villas está num abandono que dá pena? Acho que o sr. deve ter ido a outro lugar. Primeiro por que lá é um condomínio fechado, só tem acesso os proprietários ou os hospedes do Eco resort?
    Observe seu comentário:Passei o reveillon por lá, e o comentário de quem por lá estava é que não voltaria nunca mais, tãopouco recomendava.
    O sr foi ou alguém recomendou?
    Pelo visto seu negócio é difamar e não criticar construtivamente, aprenda com o comentarista “Souza Neto”.
    Gustavo Rodrigues
    Ilheus/Ba

  10. Sr. Gustavo.
    Se lhe interessa, somos investidores no empreendimento que não tem cumprido à risca os contratos.
    Lhe vendo tres bangalous que nossa familia possui no villas.
    Se habilita ?
    Fernando

  11. Itacaré!? como assim? Com esgoto a céu aberto, tráfico de drogas escancarado! a feira aquela nojeira! uma violência danada, sem opções pra o turista! só tem as prais que são poluidas pelo esgoto da cidade que eh todo jogado no mar!
    faça o favor…

  12. nao podemos falar de turismo sabendo que Itacare esta ficando cada dia mas violento , e simple fazer alguma coisa agora antes que seja tarde de mas. Itacare poderia ser uma cidade exemplar violência perto de Zero .

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top