skip to Main Content
21 de fevereiro de 2020 | 10:03 am

ADEUS A ERNANDI LINS

Tempo de leitura: < 1 minuto

Centenas de pessoas dão adeus a Ernandi Lins (Foto Gilvan Martins).

Centenas de pessoas foram dar adeus a Ernandi Lins, hoje, em Buerarema. Ele foi prefeito do município sulbaiano por quatro vezes e foi considerado o maior político da terra conhecida por produzir a melhor farinha de mandioca do Brasil.
Ernandi estava afastado da política desde 2001, quando sofreu Acidente Vascular Cerebral (AVC). Ele travava luta solitária pela vida. Faleceu ontem (23), após quase 30 dias internado no Hospital Calixto Midlej Filho, em Itabuna.

QUALQUER SEMELHANÇA É MERA COINCIDÊNCIA?

Tempo de leitura: 2 minutos


Estreia logo mais em Ilhéus a peça “O Inspetor Geral – sai prefeito e entra o vice”, uma sátira política inspirada na obra do russo Nicolai Golgol, porém com uma pitada de cultura nordestina, com uma forte incursão na literatura de cordel.
Quem for ao espetáculo vai conhecer figuras como Gilton Munheca, Jorge Paraíba e Cacau das Treitas, que aprontam mil e uma artimanhas na cidade fictícia de Ilha Bela. Todos fazem parte do grupo que sucedeu outro personagem de sucesso do Teatro Popular de Ilhéus: Teodorico Majestade, inspirado em algum prefeito de triste memória.
Dadas as inevitáveis comparações entre os personagens da ficção e algumas figuras da realidade ilheense, havia hoje um burburinho no Palácio Paranaguá, sede do governo municipal, onde Ilha Bela pode de repente se materializar, transformando o risível em lamentável. Nos corredores e salas, tinha quem apontasse o desconforto de algum secretário com uma suposta semelhança indigesta, mas não faltava gente morrendo de vontade de assistir à peça, que já fez sucesso em palcos de São Paulo, mas só agora chega a Ilhéus.
Um servidor do quadro de comissionados, demonstrando admirável coragem, afirmou que não somente  irá assistir, como dará boas gargalhadas. Só pediu para não ser identificado no PIMENTA, pois se diz corajoso, mas não doido.
Quem quiser ver e rir muito (pra não chorar) com “O Inspetor Geral” deve logo comprar seu ingresso na bilheteria do Teatro Municipal de Ilhéus, onde a peça dirigida por Romualdo Lisboa será encenada hoje e amanhã, a partir das 21 horas, e no domingo, com início às 20h.

DEFESA NEGA RETALIAÇÃO E DIZ QUE POLICIAIS PRESOS TÊM "TRATAMENTO HUMANITÁRIO"

Tempo de leitura: < 1 minuto

O advogado de defesa dos policiais militares presos em Itabuna, Bento Lima, negou que o comando do 15º Batalhão da PM não esteja fornecendo comida e água aos soldados, ao contrário de texto aqui reproduzido a partir do Diário Bahia. A alimentação está sendo fornecida e as visitas ocorrem normalmente.
“O tratamento dado pelo comando aos policiais está sendo o mais humanitário possível. Se [ocorrer] o contrário, nós vamos dar publicidade ao fato”, disse o advogado.
O comandante do 15º BPM, Marcos Antonio Lemos, disse que não existe reclamação sobre o tratamento dado aos policiais. “Não há restrição. Aqui tá tendo todo o tratamento, banho de sol, visitas dos familiares”, disse.

COMANDO DA PM EM ITABUNA DEIXA POLICIAIS PRESOS SEM ÁGUA E COMIDA

Tempo de leitura: < 1 minuto

Seis policiais militares grevistas presos em Itabuna estão sem água e comida, denunciou uma das vítimas em entrevista ao Diário Bahia. A alimentação é fornecida pelos familiares e amigos durante as visitas. Os policiais estão presos no 15º Batalhão da PM, no bairro Jaçanã, desde o dia 14 (relembre aqui).
– Estamos nos sentindo esquecidos. O Judiciário nos prendeu e nos abandonou, mas nós não cometemos crime nenhum contra a sociedade – disse um dos policiais ao jornal.
A greve dos policiais em Itabuna foi encerrada no final da tarde do último dia 11 e as prisões ocorreram no dia 14, à noite. A prisão dos militares foi decretada pelo juiz militar Paulo Roberto da Silva Oliveira, que não havia retornado ao trabalho até ontem, quinta (23), conforme advogados de defesa dos policiais.
Leia também:
DEFESA NEGA RETALIAÇÃO E DIZ QUE POLICIAIS PRESOS TÊM “TRATAMENTO HUMANITÁRIO”

EMASA DEIXA COMERCIANTES E MORADORES DA RUA 1º DE DEZEMBRO SEM ÁGUA

Tempo de leitura: < 1 minuto

Moradores e comerciantes da rua 1º de Dezembro, no Santo Antônio, estão há nove dias sem abastecimento de água. As vítimas ligam para a Empresa Municipal de Águas e Saneamento (Emasa) e a recomendação é sempre a mesma: façam testes e ajustes nas boias dos reservatórios. E nada de mandar água.
Sentindo-se embromados, os moradores já falam em interditar o prolongamento da avenida Amélia Amado, em frente ao Itão Hipermercados, para ver se conseguem sensibilizar a direção da Emasa, que ultimamente tem abusado em gastos na contratação de bufês para festas e esquecido da qualidade no atendimento aos usuários…

CONSIDERAÇÕES SOBRE A FICHA LIMPA

Tempo de leitura: 2 minutos

Da coluna Tempo Presente (A Tarde)
Augusto Aras, hoje subprocurador-geral da República, mas também especialista em direito eleitoral e um dos juristas que ajudaram na formatação da Lei da Ficha Limpa, por ser um dos pais da criança, conhece como poucos a nova legislação, que vai vigorar este ano. Veja algumas considerações dele:
1 – Contas rejeitadas pelos tribunais e também pelas câmaras de vereadores.
– A Justiça, no caso eleitoral, tem que reconhecer que houve dolo. Convênios sem as licitações exigidas, por exemplo, são um indício fortíssimo. Essa é a novidade da Lei da Ficha Limpa após a apreciação do STF.
2 – Contas rejeitadas nos tribunais de contas, mas aprovadas pelas câmaras.
 – Em termos eleitorais, não afeta o gestor, mas não impede que ele responda na Justiça processo por improbidade administrativa. Se a Justiça julgá-lo e condená-lo ele fica inelegível por improbidade.
3 – Candidatos que foram cassados em 2006, por exemplo, perderam o mandato e cumpriram os três anos de inelegibilidade.
– Esqueça isso. Trata-se de casos julgados e com penas já cumpridas. Além disso, o STF consagrou o princípio de que a lei não vai retroagir. Há questionamentos sobre quem renunciou temendo a aplicação da lei, como é o caso de Joaquim Roriz, no Distrito Federal. Mas isso é outra discussão.
4 – Candidato que responde a processo por assassinato (o presumível ficha suja não de lama, mas de sangue).
– Se não houver condenação pela Justiça, nada impede a candidatura. Enquanto ele não for condenado, a lei não o atinge.

FUNCIONÁRIOS DE SHOPPING SOFREM COM FALTA DE ÔNIBUS À NOITE

Tempo de leitura: < 1 minuto

Comerciários que trabalham no Shopping Jequitibá reclamam das empresas de transporte urbano. Muitos deles chegam a ficar mais de uma  hora à espera de ônibus para as regiões do Centro Comercial, Ferradas, Santo Antônio ou Novo Horizonte na hora de retornar para casa, à noite.
Uma das vítimas lembra que ficou 1h15min esperando pelo busão, após chegar no ponto às 22h15min. “Viemos andando para nossas casas, tudo isso porque não passou um ônibus sequer até as 23h30min”, diz Renata Sena.
Segundo a vítima, falta ônibus, frequentemente, para estas regiões depois das 22h. “Não andamos de ônibus de graça, pagamos passagem”, desabafa. Melhor sorte tem quem mora na área da Califórnia, que tem maior oferta de transporte coletivo.

AZEVEDO, PETROBRAS E AMBEV SÃO COBRADOS

Tempo de leitura: < 1 minuto

Quando participou da solenidade de apresentação do conjunto de uniformes do Itabuna em janeiro, o prefeito Capitão Azevedo (DEM) prometeu ajuda ao time na disputa do Baianão 2012. A promessa foi feita para uma plateia selecionada e diante de microfones de emissoras de rádio locais. Ontem, Ricardo Xavier, presidente do clube, afirmou que nada pingou até agora. O prefeito está inadimplente com o Itabuna.
Mas Azevedo não está sozinho na lista dos devedores, conforme Xavier. À relação, juntam-se Petrobras e Ambev (Brahma), que expõem placas de publicidade no estádio Luiz Viana Filho (Itabunão). Por enquanto, tá tudo no “0800”. E o dinheiro da Embasa, R$ 150 mil prometidos? Também não…
A mídia esportiva local sugere que o prefeito Azevedo, pelo menos, trabalhe para que um grupo de empresas invista no Azulino, numa operação para evitar que a vaca não fique – de vez – no brejo. Sim, ficar, pois ontem o time assumiu a lanterna do Baianão (relembre).
O não-cumprimento da promessa do prefeito é visto como resultado de “picuinhas” políticas. Talvez também seja reflexo das “picuinhas” o fato de o placar eletrônico do Itabunão, inaugurado em julho do ano passado, até agora não funcionar, mesmo estando já na décima rodada do Baianão 2012.
Tá feio, senhores.

CRÍTICAS AO GOVERNO NO PÓS-GREVE

Tempo de leitura: < 1 minuto

A manutenção de 75 policiais militares baianos presos, em virtude de participação destacada na greve, gera críticas ao governo Wagner. Apontam-se incoerências, como o fato de que 90% dos PMs detidos atuam no interior, quando a maior parte dos atos de vandalismo e “terrorismo” foram cometidos na capital do Estado.
Em Itabuna, há seis policiais encarcerados. Em Jequié, no sudoeste,  são seis soldados e dois sargentos com a liberdade cerceada, muito embora não tenham sido registrados distúrbios na cidade durante a paralisação.
Um detalhe curioso é que  no sudoeste o governo petista mostra um lado diferente do que foi manifestado pela Secretaria de Cultura (Secult), que lançou edital de seleção prevendo pontos para quem fosse filiado a partido (depois cancelado). Em Jequié, um dos presos, o soldado Roniclei, é membro do diretório do PT.
O jequieense Ary Carlos Nascimento, chefe de gabinete do deputado federal Luiz Argôlo (PP), aponta inabilidade na gestão do problema. Para ele, a ação do Estado no episódio da greve é “trôpega” e se tenta criar “um cenário de caça às bruxas para esconder a incompetência do governo no gerenciamento desta crise”.

PORTOCORP MULTADA

Tempo de leitura: < 1 minuto

A PortoCorp Ambiental foi multada pela prefeitura de Ilhéus em R$ 80.639,00. A empresa é responsável pela coleta de lixo no município. De acordo com o secretário de Desenvolvimento Urbano, Gerson Marques, a multa se deve à falta de coleta de lixo no período da greve da polícia militar e à paralisação ocorrida ontem (23). A prefeitura ameaça rescindir contrato com a empresa. A coleta tem sido um dos serviços públicos mais criticados na gestão ilheense.

Back To Top