skip to Main Content
12 de agosto de 2020 | 05:20 pm

O LIMITE DA GREVE

Tempo de leitura: 3 minutos

Sócrates Santana | soulsocrates@gmail.com

O governo precisa dispor de mais esforços. Independente do fim da greve, a lição de casa é aprender como lidar com uma greve que começou com um objetivo de classe e é transformada numa disputa pelo comando do sindicato.

No dia 16 de julho, a APLB Sindicato de Jacobina anunciou o final da greve no município. Da mesma maneira de dezenas de municípios, não aderiu, portanto, a continuidade do movimento grevista, a exemplo da capital baiana. Com isso, a paralisação perdeu força e diminui os espaços de pressão no estado. O enfoque, contudo, hoje, não é a continuidade ou não da greve. Não é o mérito ou não da greve. Não é, principalmente, a força ou não da greve. O enfoque é o limite da greve, o sentido da greve, não apenas para os professores, mas, especialmente, para a população.

A população reconhece o mérito da greve dos professores. Aliás, qualquer reivindicação da categoria é encarada de maneira positiva pela população. A educação é e será – permanentemente – um fator de reivindicação encarado de maneira legítima e indelével pelas pessoas. Portanto, não é o mérito da greve dos professores que é avaliado. Não seria justo.

Só que não é possível convencer a sociedade de uma luta – por intermédio do uso da greve – apenas sob o olhar dos professores. A greve é um instrumento de manifestação pública construído pela classe trabalhadora. Sendo assim, possui domínio de toda a classe trabalhadora.

Isso significa que o bom ou o mau uso da greve por professores, médicos, jornalistas ou operários, influencia positivamente ou negativamente em toda e qualquer manifestação que faça uso deste instrumento de disputa da sociedade. A greve dos professores da rede estadual de ensino, portanto, é de todos nós. Para o bem ou para o mal, a greve dos professores é de toda a classe trabalhadora.

Mas, se a greve dos professores é de todos nós, a continuidade ou não dela também é de responsabilidade de todos nós. É uma decisão de todos nós. Estudantes, motoristas, cozinheiros, comerciantes, todos nós. Nós devemos estabelecer o limite da greve. E, o limite da greve, não é – simplesmente – o limite do professor. Não é até quando o professor aguenta viver sem salário, sem dinheiro, sem alimento. O limite da greve é o limite da população.

Recentemente, a Bahia viveu a greve da PM. Esta greve não terminou simplesmente porque os policiais militares resolveram descruzar os braços. A greve cessou porque a população resolveu encerrar o apoio dela.

Todo sindicalista reconhece a frase: “Um passo em frente, dois passos atrás”. Isso representa a hora de avançar e recuar. Avançar com a aprovação de 10% do PIB para a educação, aprovado com 100%. Avançar com a criação de universidades federais na Bahia, tendo como protagonista da expansão universitária no país um governo petista, bem como, avançar com o aumento do piso salarial dos professores no Brasil.

Mas é preciso recuar também quando rotulam (e nós deixamos) o uso da greve como uma válvula de escape esquerdista, por mais justa que seja. O parâmetro da greve não está no caráter dela. Por princípio, toda greve é justa. Infelizmente, uma parcela significativa da sociedade encara toda e qualquer manifestação grevista como o império da baderna. Alguns veículos de comunicação, por sinal, classificaram a Bahia como “A república sindical, a república da greve”. Ou seja: demonizam o uso da greve e satanizam os sindicatos, confrontando os trabalhadores contra outros trabalhadores. Este é o jogo traiçoeiro da oposição.

Mas é preciso deixar claro também que o limite da greve não é o limite do orçamento do governo. O fato de ter sido eleito e composto majoritariamente por trabalhadores requer deste governo mais disposição para dialogar, mais vontade política para equacionar o orçamento segundo o anseio da classe trabalhadora. Isso significa que o governo precisa dispor de mais esforços. Independente do fim da greve, a lição de casa é aprender como lidar com uma greve que começou com um objetivo de classe e é transformada numa disputa pelo comando do sindicato.

Sócrates Santana é jornalista.

BAHIA LEVA CHOCOLATE DO FLUMINENSE E ASSUME VICE-LANTERNA

Tempo de leitura: < 1 minuto

Marcelo Guimarães, presidente do Bahia…

O Bahia levou chocolate do Fluminense, no Engenhão (RJ), e assumiu a vice-lanterna do Campeonato Brasileiro 2012. O Tricolor de Aço não resistiu ao Flu e foi goleado por 4 a 0 no Rio de Janeiro.

Os quatro gols foram marcados no segundo tempo. Fred abriu o placar em cobrança de pênalti, aos 3min. O placar foi ampliado com Thiago Neves, que usou a cabeça para fazer 2 a 0, aos 20min.

Numa noite de chocolate, Fred aproveitou para marcar mais um – e, novamente, de pênalti, aos 28min, tocando no canto direito. Wallace carimbou a goleada. De bico, bateu Marcelo Lomba para fechar em 4 a 0, aos 42min.

O Bahia volta a jogar no próximo domingo, às 18h30min, quando enfrentará o Coritiba, em Pituaçu. O Flu enfrentará a Ponte Preta, no Moisés Lucarelli. O time carioca foi a 22 pontos e assumiu a terceira colocação. O Bahia tem sete pontos e… pegou a vice-lanterna.

Num oferecimento do Futebol Baiano, confira o chocola… (Ops!) os gols.

CASA DE LUXO EM ITABUNA ERA “QG” DE TRAFICANTES DE ALAGOAS E SERGIPE

Tempo de leitura: < 1 minuto

Ainda continuam em sigilo os nomes dos dois homens presos em Itabuna na operação conjunta entre as polícias civil da Bahia e de Sergipe. A operação aconteceu na madrugada desta quinta-feira, 19, no centro da cidade. Os homens são acusados de comandar o tráfico de drogas e cometer homicídios em Maceió (AL) e Aracaju (SE).

O delegado Moisés Damasceno, titular da 6ª Coordenadoria de Polícia do Interior (Corpin), disse a jornalistas que as investigações ainda estão em andamento. Os homens alugaram uma casa de luxo no centro de Itabuna, de onde determinavam as ações da quadrilha em Alagoas. O aluguel do imóvel custava, aproximadamente, R$ 2,5 mil.

“Na operação, além dos acusados, outros dois homens e duas garotas de programa também foram conduzidos à delegacia. Eles faziam uma festinha no imóvel quando a polícia chegou”, revelou Damasceno. A Polícia apreendeu duas pistolas calibre ponto 40, seis carregadores, 69 munições intactas e um veículo Mercedes A-190, com placas de São Paulo.

A operação policial seguirá no Estado de Sergipe à procura de outros integrantes da quadrilha. As duas garotas e os outros dois homens foram liberados, depois de ouvidos.

MINISTÉRIO PÚBLICO PEDE FECHAMENTO NA CADEIA DE ITUBERÁ

Tempo de leitura: < 1 minuto

O promotor Marco Aurélio Nascimento Amado pediu à Justiça local o fechamento da cadeia pública de Ituberá, no Baixo Sul do Estado. Um relatório elaborado por peritos da Polícia Técnica de Valença constatou que “o imóvel público não oferece condições físicas seguras nem ambientais saudáveis para custodiar presos provisórios”.

O promotor moveu a ação judicial após visitar a cadeia e constatar “as péssimas condições do local”, considerado por ele “um desrespeito à dignidade da pessoa, bem como um perigo para toda a coletividade. Em especial, pela condição de amedrontamento que se encontra a população com a possibilidade de novas fugas”.

Apesar de construído para funcionar como presídio, o local abrigou a delegacia de polícia por um tempo. Depois, voltou a ser transformada em cadeia após a ampliação do número de celas. A capacidade é para 25 presos, mas no momento conta com sete. Entretanto, o promotor de Justiça diz que a estrutura física do prédio está comprometida com danos na pintura, infiltrações, mofo, presença de cupim e risco de desabamento.

“IMPROVISO, OXENTE!” DEBATE ILHÉUS

Tempo de leitura: < 1 minuto

Improviso, Oxente possibilita discutir a cidade (Foto Karoline Vital).

A edição do Improviso, Oxente desta sexta, 20, debaterá “O ciclo do cacau na reestruturação de Ilhéus – Impactos políticos, econômicos e sociais”, na Casa dos Artistas de Ilhéus, a partir das 19h. Até o final deste mês, o Teatro Popular de Ilhéus (TPI) e o Instituto Nossa Ilhéus promovem discussões de temas relacionados à Terra de Gabriela.

Os temas de cada sexta-feira são sempre abordados por especialistas, que trocam opiniões com o público. “O projeto quer pensar o destino da cidade não só para quatro anos, mas para muito além. Nesta primeira etapa, discutiremos a Ilhéus que herdamos”, afirma Romualdo Lisboa, do TPI, mantenedor da Casa dos Artistas de Ilhéus.

JUIZ FAZ INSPEÇÃO NA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA

Tempo de leitura: < 1 minuto

Juiz chega para inspeção na Assembleia Legislativa (Foto Pimenta).

O juiz Ruy Eduardo Almeida Britto, da 6ª Vara da Fazenda Pública em Salvador, chega para a inspeção judicial no prédio da Assembleia Legislativa da Bahia (Alba). A inspeção foi anunciada por ele como medida para que, só então, possa decidir em relação à desocupação do prédio pelos professores estaduais em greve.

DONO DO MEIRA GANHA LIBERDADE

Tempo de leitura: < 1 minuto

O empresário Hebert Moreira, Beto Meira, já está livre. Ele passou a noite na carceragem da Polícia Federal, em Ilhéus, após ser preso na Operação Mercado Livre, ontem. O alvará foi expedido pouco tempo antes da transferência do empresário para o presídio Ariston Cardoso (leia mais aqui).

Polícia Federal e Receita Federal cumpriram mandado de busca e apreensão na residência do empresário, ontem, e em depósitos do supermercado em Ilhéus. Ele acabou preso, ontem pela manhã, por porte ilegal de armas e ter sido encontrado com dinheiro falso.

CENÁRIO DE GUERRA

Tempo de leitura: 2 minutos

Crianças e jovens foram às ruas pedir paz em Itabuna (Foto Jorge Bitencourt).

Pelas projeções do urbanista Ronald Kalid, especialista em desenvolvimento urbano, se o ritmo da criminalidade for mantido Itabuna deve registrar 186 homicídios até dezembro. Ele desenvolve estudo sobre o avanço da criminalidade no município sul-baiano. O número é encontrado quando multiplicado por 365 (um ano) o resultado da divisão dos 100 homicídios registrados pelo número de dias corridos (198).

Faz-se uma regra de três. Divide-se 186 pelo número estimado de habitantes da cidade (220 mil). Por esta conta, teríamos 84,85 crimes por 100 mil habitantes, muito superior ao da convulsionada Síria ou do Iraque no pós-guerra. Os números apontados pelo especialista são até otimistas.

Mapa da Violência 2012, publicado em maio, trouxe dados mais alarmantes sobre homicídios em Itabuna nos últimos anos. O levantamento foi elaborado pelo Instituto Sangari e Ministério da Justiça.

Pelo mapa, foram 210, em 2010; 232, em 2009; e 208, em 2008, o que dá taxa média de 103,9 por 100 mil habitantes. Por isso, a cidade ficou no 8º lugar no ranking nacional da violência e 3º no estado, atrás apenas de Simões Filho (1º) e Porto Seguro (5º e 2º).

Na manhã desta quinta-feira, 19, cerca de 800 pessoas participaram da Caminhada da Paz pela Avenida do Cinquentenário, no centro de Itabuna, convocada pelo Grupo de Ação Comunitária (GAC). A maioria delas exibiu botons, adesivos, faixas e cartazes pedindo um basta nesse cenário de horror.

DONO DO MEIRA É TRANSFERIDO PARA PRESÍDIO DE ILHÉUS

Tempo de leitura: < 1 minuto

Beto Meira: transferido.

O empresário Hebert Moreira Dias, Beto Meira, foi transferido da carceragem da Polícia Federal para o presídio Ariston Cardoso, em Ilhéus, hoje, 19. O dono da rede de supermercados Meira está preso desde ontem, 18. Ele é acusado de sonegar R$ 17 milhões em impostos (relembre o caso aqui).

De acordo com a delegada-chefe da Polícia Federal em Ilhéus, Denise Cavalcante, o depoimento do empresário, ontem, durou oito horas, conforme o Diário Bahia. Ele foi preso por porte ilegal de armas e dinheiro falso quando policiais cumpriam mandados de busca e apreensão.

Na residência de Beto Meira, foram encontrados uma pistola, 150 cédulas de dinheiro falso e 80 munições. O empresário ficará no Presídio Ariston Cardoso à disposição da Justiça Federal. Ele era investigado pela PF desde 2009 e foi denunciado pela concorrência. No esquema “mata-mata”, usava laranjas para fugir das obrigações no pagamento de impostos.

“JUVENTUDE ESTÁ DESORIENTADA E SEM RUMO”, AFIRMA DOM CESLAU STANULA

Tempo de leitura: 2 minutos

Jovens foram maioria na caminhada pela paz em Itabuna (Foto Pimenta).

Cerca de 800 pessoas, a maioria estudantes de escolas particulares, percorreram a Avenida do Cinquentenário, centro, na manifestação contra a violência em Itabuna. A Caminhada pela Paz, convocada pelo Grupo de Ação Comunitária (GAC), foi encerrada com ato público na Praça Adami e a oração do Pai Nosso.

Neste ano, o município aparece em 8º lugar no ranking nacional do Mapa da Violência 2012, do Instituto Sangari e Ministério da Justiça. O mesmo estudo mostra Itabuna entre os quatro municípios mais violentos para jovens de até 19 anos em todo o País. O levantamento engloba os 22 anos do Estatuto da Criança e Adolescente.

Para o bispo diocesano Dom Ceslau Stanula, a caminhada pacífica foi um grito silencioso de paz que deve tocar – principalmente – no coração dos jovens que são as maiores vítimas da violência. “Esperamos que este movimento da sociedade chegue à juventude que, em grande parte, está desorientada e sem rumo”.

Segundo o líder católico, “é urgente que as autoridades ajam para criar oportunidades de educação e trabalho. O que pensa um jovem sem aulas na rede pública há 100 dias? Que futuro o espera? Não há outro caminho para a justiça social que não seja pela educação”, comentou.

O presidente do Conselho Municipal de Defesa e Segurança Pública, Washington Cerqueira, também criticou a indiferença dos políticos e a omissão de grande parte da sociedade. “A sociedade civil precisa acordar. Há descrença na política e eventos como esse reforçam a necessidade de sua lutar contra a violência”, declarou.

Back To Top