skip to Main Content
22 de janeiro de 2021 | 06:38 am

ITABUNA: CASARÃO HISTÓRICO DESABA

Tempo de leitura: 2 minutos

Casarão do coronel Tertuliano Guedes virou pó ante o descaso.

Casarão desaba e leva parte da história de Itabuna.

O descaso com o patrimônio histórico em Itabuna fez mais uma vítima neste final de semana. O casarão que pertenceu ao coronel Tertuliano Guedes de Pinho desabou neste final de semana, levando consigo mais uma parte da história do município. Localizado na região da Mangabinha, o casarão ficou parcialmente destruído após incêndio ocorrido em maio de 2010.

Havia projeto de tombamento do imóvel situado na antiga Fazenda Valparaíso e no alto de um condomínio residencial para onde foram transferidos moradores da Bananeira.

A pretensão do ex-presidente da Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (FICC), Cyro de Mattos, era garantir o tombamento do casarão, transformando-o em museu. Cyro foi exonerado da fundação e o projeto não saiu do papel.

Agora, tudo virou um misto de cinzas, poeira e desrespeito à história.

Cyro de Mattos, ex-presidente da FICC, durante vistoria do Iphan ao casarão.

Esta publicação possui 27 comentários
  1. -O PREFEITO NÃO CUIDOU DA CIDADE QUE PARECE MAIS UMA TABUA DE PIRULITO, QUANTO MAIS DESSE CASARÃO QUE NÃO REPRESENTA NADA PARA ELES. AGORA ELE FOI TOMBADO DE FATO.

  2. Consequência de ser governada por Cuma,Pedinha e Azevedo por quase 30 anos.Descaso total.Enquanto isso Canavieiras dá show em conservar o patrimônio histórico.

  3. O povo não pensa! Será que é o retrato do ser irracional? Bom,vamos analisar o sentimento do povo,em Mutuns fica uma relíquia da nossa história,um barracão que servia de entreposto de carga de cacau nos tempos da estradas de ferro e do lado ainda têm a antiga estação de trem. Acontece que o povo pediu ao prefeito que derrubasse o resto do “esqueleto” da arquitetura do barracão,o prefeito atendeu,eu penso quem é que pensa nesta terra é o povo ou o prefeito? O mesmo acontece com esta relíquia de arquitetura de valor histórico incomensurável que acaba de desabar.
    Entretanto,no dia que o povo deixar de ser “irracional” pensar,saber valorizar os símbolos,arquiteturas,as raízes históricas dos nossos antepassados,ai sim! Vamos ser superior,povo que pensa.

  4. Esse é o governo que parte dos itabunenses quer manter no poder. Passaram 04 anos prometendo reformar o casarão. E agora…. Alias, prometer é a especialidade deles. BOLSA RENDA MUNICIPAL, PREFEITURA NOS BAIRROS (ficou só a buraqueira nos bairros) kkkkkkkkkkkkkkkkkk

  5. É o mesmo ato de tombamento q o antecessor de Azevedo fez nos antigos prédios da rua duque de caxias e adjacencias. è tb um desabamento simbólico da nossa sensatez.

  6. Aquela fazenda foi comprada pelo prefeito da época GS para construção de casas que foram doadas pela prefeitura. Na época o casarão era usado para deposito de materiais e apresentava um estado lastimável de conservação.
    Se o deputado GS tivesse mais prestigio junto ao Iphan este e outros casarios de Itabuna teriam recursos para sua preservação.

  7. Esse casarão foi “tombado” pelo secretário brutamontes Carlos Leahy.O IPHAN não tombou,Azevedo mandou ele ir lá com toda a sua sutileza de elefante em fuga.

  8. Este casarão foi tomabado pela FICC então ele pertencia ao patrimonio desta Fundação que ta mais para AFUNDAÇÃO. Esta fundação é quem deveria cuidar dos patrimônios históricos e culturais de nossa cidade,mais ao invés disto o que vemos por parte desta instituição? Nada não vemos nada, a presidente da citada fundação foi pra frente das cameras dizer que as inscrições para as oficinas de arte educação estava abertas que haveria outros cursos para tirar os jovens do marasmo, mais nada disso aconteceu, os cursos foram paralizados, mais muito dinheiro foram gastos, paixão de cristo, cenário de espetáculo de teatro que não aconteceu, esta é a FICC” Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania”

  9. Por que será que se gosta tanto das ruinas deixadas pelos coronéis do cacau? O que o povo precisa é de escolas e postos de saúde que funcionem bem. Essa é a exigência que deviamos fazer constantemente.

  10. Mais um capítulo dessa triste história política de Itabuna. E ainda tem gente que quer perpetuar essa turba no poder. Povo sem memória, sem história enfim, sem nada!!! Uma lástima!!

  11. Adoro esse povo que fica culpando a administração pública por tudo… o casarão caindo e vocês na internet, sentados e inoperantes… muitos cairão ainda!

  12. Para os desavisados, o tombamento pelo IPHAN só acontece qdo há leis municipais que toquem no assunto. Se caso o municipio não tenha nada sobre esse assunto, o IPHAN, nem se mexe pq se o próprio municipio não liga, pq o Governo federal vai preservar??????? Acorda gente.

  13. Este fato não é culpa de Azevedo, e sim de um prefeito, Coronel Simão, que favelizou o local. Ele travou o crescimento da cidade naquela localidade, bem como no Centro Comercial, desvalorizando e desestimulando o desenvolvimento. Este cidadão nunca fez nada por nossa cidade e agora quer empurrar a Sinhá Juçara nossa goela abaixo.

  14. Antes de fazermos críticas ás a ções “ditas como não feitas” eis a resposta enviada pela Assessoria do Projeto de Lei que ampara não só o Museu Tertuliano Guedes de Pinho como Outros no País. Infelizmente a União representada por alguns deputados da nossa região , arquiva o Projeto com o Objetivo único de colocar a região cacaueira em situação de descaso.

    Cara Senhora
    conforme solicitação ao nosso gabinete, estamos lhe enviando Projeto de Lei n.º 8004/2010 de autoria do Dep. Félix Mendonça que dispõe “Altera a Lei nº 11.906, de 20 de janeiro de 2009, que cria o Instituto Brasileiro de Museus – IBRAM, cria 425 (quatrocentos e vinte e cinco) cargos efetivos do Plano Especial de Cargos da Cultura, cria Cargos em Comissão do Grupo-Direção e Assessoramento Superiores- DAS e Funções Gratificadas, no âmbito do Poder Executivo Federal, e dá outras providências, para dispor sobre nova atribuição do IBRAM.”

    Quanto ao “Museu de Itabuna”, o que se contextualiza é uma ação política do Dep. Félix Mendonça que através do IPHAN na Bahia, conseguiu o tombamento do casarão pertencente ao coronel Tertuliano Guedes. Com essa ação institucional, o Deputado Félix destinou R$ 1 milhão de reais, de suas emendas, para o início dos projetos de transformação do casarão em museu, todavia a emenda não foi liberada pelo Governo Federal, inviabilizando, assim, a iniciativa do parlamentar em propiciar uma destinação histórica ao referido casarão.

    Atenciosamente,

    Alessandro.

    Assessor – Dep. Félix Mendonça Júnior

  15. Esse Geraldo Simões é o que? Porque, em quase todos os comentários sempre lembram dele, sejam bons ou ruins. É… parece que, o homem é forte mesmo politicamente!

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top