skip to Main Content
18 de janeiro de 2021 | 02:23 am

AGRONEGÓCIO CACAU BUSCA AUTOSSUFICIÊNCIA NA PRODUÇÃO EM 5 ANOS

Tempo de leitura: 2 minutos

Da Folha

Agronegócio busca autossuficiência.

A vassoura-de-bruxa devastou plantações e colocou o Brasil na posição de importador de cacau. Agora, passados 23 anos do surgimento da praga, o país persegue o objetivo de atingir a autossuficiência a partir de 2017.

Uma das principais ações para cumprimento da meta acontece em Barro Preto, município localizado ao sul da Bahia (a 447 km de Salvador), numa parceria entre o governo federal e a fabricante mundial de alimentos Mars.

Por meio de pesquisas em desenvolvimento, eles pretendem elevar em 361,5% dos atuais 195 quilos, em média, para 900 quilos- a produtividade de cacau por hectare na região, famosa pela tradição de Ilhéus.

A crescente demanda de cacau pela indústria do chocolate é o principal fator para a reação, mas também estão em jogo a recuperação da economia e a manutenção da atividade dos cerca de 60 produtores de cacau brasileiros.

Somente na última safra (2011/2012), a procura por cacau exigiu a importação de pelo menos 80,4 mil toneladas da fruta. A produção nacional alcançou 245,4 mil toneladas, sendo a maior contribuição a da Bahia -63,6%.

O deficit da produção mundial, que pode chegar a 1 milhão de toneladas até 2020, segundo cálculos da indústria, aumenta a preocupação.

Dados recentes da ICCO (Organização Internacional do Cacau) apontaram queda na produção de 319 mil toneladas na última safra, de 4,3 milhões de toneladas, em relação à anterior, em razão de problemas nas lavouras da Costa do Marfim, maior produtor mundial.

“A autossuficiência brasileira é garantida com aumento da produtividade. Estamos caminhando para isso e ainda teremos menos exposição aos riscos, como doença”, disse o diretor da Ceplac (Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira), Jay Wallace da Silva Mota.

Leia íntegra na Folha

Esta publicação possui 3 comentários
  1. A Companhia MARS está fazendo um trabalho extraordinário. Parabéns!
    Mas, o problema maior é o déficit brasileiro de produção. Se depender do governo (inclusive MAPA/CEPLAC), o Brasil continuará, indefinidamente, importando 80 mil toneladas/ano de cacau contaminado com insetos exóticos e outras porcarias, para uso “exclusivo” do consumidor brasileiro!…
    E os produtores, continuarão na Dívida Ativa da União, SPC, Serasa, e por aí vai. Dívidas espúrias originárias de um crime de terrorismo biológico, e de um programa de recuperação que fracassou, em 4 etapas…

  2. Nao é piada nao ! o que é, é ignorância com quem nao conhece e entende nada do assunto! Cacau é coisa séria e a saida está aí para todos o mundo ver!parabéns para a MARS !!!

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top