skip to Main Content
28 de setembro de 2020 | 05:06 pm

TEATRO POPULAR DE ILHÉUS TEM APOIO DE FÁBIO LAGO PARA ADMINISTRAR GENERAL OSÓRIO

Tempo de leitura: 2 minutos

Ator Fábio Lago apoia convênio entre prefeitura e Teatro Popular de Ilhéus.

Enquanto a equipe do prefeito eleito de Ilhéus se posiciona contra algo transparente e que fortalece as manifestações culturais de um dos berços da cultura baiana, o ator global e ilheense Fábio Lago tornou público seu apoio ao convênio que cede a administração do prédio do Colégio General Osório ao Teatro Popular de Ilhéus. O convênio foi celebrado entre o TPI e a Prefeitura de Ilhéus.

Jabes e assessores expressam que não há convivência harmônica entre atividades teatrais e biblioteca. Até tentam jogar o Ministério Público estadual contra o negócio transparente que passa ao Teatro Popular a administração do imóvel por 20 anos, mas com regras que tornam plenamente possível a retomada do prédio do General Osório se a gestão do espaço público não seguir as cláusulas constantes de contrato.

Fábio Lago lembra que biblioteca e teatro podem viver juntos tranquilamente. E enfatiza o papel do grupo teatral ilheense: “O grupo [Teatro Popular de Ilhéus] faz um trabalho sério e importante para a cultura regional”.

Já Romualdo Lisboa, do TPI, elenca, pelo menos, dois espaços culturais onde biblioteca e teatro coexistem: a Biblioteca Central dos Barris e o Espaço Xisto Bahia, em Salvador, e o Centro Cultural de São Paulo, que reúne cinema, dança, música e literatura.

Quem se posiciona contra o projeto é porque, talvez, apresente resistência ao protagonismo do Teatro Popular de Ilhéus, uma turma que já ganhou prêmios nacionais e encanta plateias seja na Bahia, São Paulo, Paraná ou em qualquer lugar pela sua qualidade.

O prefeito eleito Jabes Ribeiro precisa vir a público – e de forma inequívoca – explicar os motivos dele e de sua tropa se posicionarem contra as intenções do TPI. Deveriam, sim, apoiar a iniciativa.

E, deixemos claro, não foi o grupo de teatro quem se dispôs a administrar aquele espaço. A proposta partiu da Prefeitura de Ilhéus e dos atuais gestores por reconhecimento às qualidades artísticas e de gestão do TPI, além de sua habilidade em atrair/captar recursos.

Aliás, aqui, outro ponto importante: o TPI tem com a Secretaria Estadual de Cultura convênio que garante recursos para administração de espaço cultural. Se a equipe do prefeito eleito “melar” o negócio transparente, o convênio com o governo baiano será desfeito. E Ilhéus e a cultura perderão mais uma fonte de receita.

Um lembrete: o protagonismo na cultura não deve ter monopólio.

Artistas no dia em que foi dada posse do espaço histórico a quem faz arte (Foto Clodoaldo Ribeiro).

Esta publicação possui 11 comentários
  1. Sr. Jabes já começou dando fora.É BOM QUE SE EXPLIQUE, pois parece mais implicância do que técnica.
    Os artistas merecem respeito!
    BEM, DEVE ESTAR ACESSORADO DOS MESMOS INCOMPETENTES E PUXA-SACOS QUE LHE ACOMPANHARAM GESTÕES PASSADAS.
    ELE LEMBRE QUE O POVO VOTOU NELE PQ NÃO VISLUMBROU OUTRA OPÇÃO COMO HOUVE EM ITABUNA.Ou faz um bom governo ou morre politicamente.Será que não caiu a ficha?

    VAMOS VER O QUE ESTES DOIS INFLUENCIADOS PELOS PECBISTAS(a regra tem excessão)irão fazer em relação ao meio ambiente.

  2. Só através da arte é que a sociedade consegue superar os desmandos administrativos desse políticos inoperantes e patrimonialistas que abundam no cenário brasileiro.

    Aqui em Ilhéus não é diferente. Jabes Ribeiro é um, político semi analfabeto, mas esperto. Quer marginalizar os artistas da terra. Isso é estratégico. E o povo, coitado, sem opção, escolheu esse escroque.

  3. Mal entrou no ônibus, já quer sentar ao lado da janela (Romário).
    Teremos uma recidiva dos governos(dele) anteriores, ou seja: Comida requentada.
    O preclaro eleito,deveria estar se preocupando como vai acomodar os “cumpanheros” que compoem a sopa de letras dos partidos que o apoiaram.
    A outra candidata também seria uma caricatura de João Lirio,(cria do Jabes)até porque ambos são naturais de Ibicui, onde nunca se elegeram nem para guarda noturno.
    Fernando
    Ilheus/Ba

  4. Qual realmente a importância e a relevância deste apoio de Fábio Lago para este assunto específico?
    Se vocês querem realmente informar e discutir este assunto seria interessante ouvir pessoas que realmente possam dizer coisas relevantes.
    Este nosso provincianismo é que nos mata.
    Só pelo fato de Fábio trabalhar no Globo passa a ter a sua opinião divulgada, discutida e vista como de grande importância.

  5. Jabes foi o prefeito que mais investiu na cultura.
    Nao me lembro de Fabio levantar a voz uma unica vez contra este governo nefasto de nossa cidade.
    Jabes sem duvida alguma vai garantir o espaço do teatro popular de Ilheus, dentro do espaço que lhe seja proprio.

  6. Nosso grande líder Jabes Ribeiro, quando saiu do governo, deixou uma Biblioteca pintadinha, limpinha e funcionando. Deixaram tudo se acabar, e agora no apagar das luzes, pegam os artistas de corpo aberto e empurram o abacaxi que já está empepinado na justiça.
    Como artista vive mesmo de ilusão, segurem o rabo de foguete.

  7. Não devemos correr com muita sede ao pote. Acho equivocadas tanta a postura de rejeição imediata à proposta quanto a de adesão apaixonada. Temos de estudar e discutir sobre o assunto. Um elemento importante é que o Espaço Xisto Bahia, citado por Romualdo como algo que deu certo, não administra a totalidade da Bibliteca dos Barris, apenas o espaço que foi cedido a eles. O caso aqui é diferente: estaria se cedendo o total controle da biblioteca ao grupo, e a gestão de todo o acervo. Será que eles têm condições econômicas e de gestão para tal empreendimento? Será que o espaço limitado do General Osório vai permitir a coexistência pacífica entre o espaço de leitura e as atividades previstas? Confesso que não tenho ainda opinião cem por cento formada sobre o assunto, mas penso que devemos analisar as possibilidades e debater civilizadamente. Chega de defesas apaixonadas.

  8. É preciso discutir com a sociedade!!!!! A comunidade de ilhéus o que pensa? será necessario 20 anos?????????? Ess grupo tem credibilidade com certeza. mas é preciso esclarecer como será utilizado este espaço.ESTA CIDADE TEM CONSELHO MUNICIPAL DE CULTURA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! ATUA PARA MEDIAR COM A COMUNIDADE CONSELHEIROS!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top