skip to Main Content
28 de outubro de 2020 | 02:44 am

PMDB VERSUS PSB

Tempo de leitura: 2 minutos

Marco Wense

Os peemedebistas querendo manter Michel Temer como companheiro de chapa de Dilma e os socialistas reivindicando o nome do próprio Eduardo Campos.

A bola da vez, quando o assunto envereda para a disputa do Palácio do Planalto, é o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB).

Todo esse oba-oba, envolvendo o neto do saudoso Miguel Arraes, decorre do sucesso eleitoral do PSB, que foi a sigla que mais cresceu (40% a mais de prefeitos) desde 2008.

Não é o bom desempenho da legenda que vai ditar as regras para a eleição presidencial de 2014. A candidatura de Campos está condicionada a uma queda acentuada na popularidade da presidenta Dilma Rousseff.

A verdadeira disputa é o PMDB versus PSB. Os peemedebistas querendo manter Michel Temer como companheiro de chapa de Dilma e os socialistas reivindicando o nome do próprio Eduardo Campos.

A ELEIÇÃO DE HADDAD

É evidente que o ex-presidente Lula tem os seus méritos e foi o grande responsável pela vitória de um “poste” na sucessão paulistana.

O então candidato Fernando Haddad saiu do zero em todo sentido: pesquisas de intenção de voto, apoios de partidos e de lideranças políticas. Só contava com o entusiasmo de Lula.

É bom lembrar que o toma-lá-dá-cá funcionou a todo vapor. Marta Suplicy, por exemplo, só virou Haddad desde criancinha depois que passou a ser ministra da Cultura.

É o toma-lá-dá-cá, digamos, “interna corporis”.

A BRIGA PELO PT

A briga é de “cachorro grande”. A disputa é pelo comando do diretório do PT de Itabuna. De um lado, o deputado Geraldo Simões. Do outro, o também parlamentar Josias Gomes.

Josianistas são da opinião de que o momento é agora, já que o ex-prefeito, depois de três derrotas consecutivas na sucessão municipal, se encontra politicamente debilitado.

Uma coisa é certa: Geraldo Simões, em caso de uma nova derrota política, vai ficar no mato sem cachorro.

Marco Wense é articulista do Diário Bahia.

Esta publicação possui 6 comentários
  1. Seu colunista sua análise mereceria alguma contraposição… Mas me resignarei apenas aos seguintes pontos:

    – Quem elegeu o Hadad em São Paulo foi o Kassab…

    – O problema do Lulismo agora, são as aparições do Fantasma do Celso Daniel…

    – Passada a eleição… Novos adversários estão incomodarão mais do que o PSDB, mas, a base alugada é bastante ampla, e nem a ameaça sobre o Pacto Federativo será suficiente para evitar a água sobre a fervura… Resultado: o PT seguirá firme, porém, com uma crise de identidade… Pois, postes sempre trazem “luz para todos”, não apenas para a estrela do PT…

    Em Itabuna… Apenas lamentável a conduta do Clã Simões.

  2. O mentou do “toma-lá dá cá” foi o presidente da República Campos sales.1898-1902.Este período ficou conhecido como República velha ou República Oligárquica,1894-1930. Ficou conhecido também como política dos governadores,funcionava desta forma: troca de favores e se estendera aos grandes fazendeiros e proprietários de terras que são os corenéis.Por
    ventura,alguem desobedecesse uma ordem do coronel; Ex.Não votar
    em seu candidato o eleitor perdera os “favores” e estava sujeito a violência de jagunços e capanga e muitas vezes eram vítimas de mortes. Este momento histórico da vida do povo Brasileiro,é bom resaltar que em nenhum momento estes homens público assaltou os cofres público do Brasil. Eram todos “podres” de rico. O que não é o que ocorre hoje no Brasil,o elemento sem “era e nem beira” entra na vida pública do Brasil e de uma hora pra outro se torna numa maior furtuna do Pais. Exemplo do Lula da Sila,o mesmo chegou em Feira de Santana,e disse “Aqui em Feira de Santana,muitos coronéis já foram prefeitos,nós precisamos eleger um trabalhador para adiminstrar esta cidade”. O que o Lula poderia se ater que o mesmo é um coronel urbano e quer impor um candidato de sua escolha e seus seguidores faz ameaças com os eleitores que por ventura não venha a votar no candidato indicado pelo seu partido,no caso do Sr.José Sérgio gabrielle,que faz chantagem
    com os eleitores de Salvador. Aqui em Itabuna,em nosso quital,os seguidores do PT.faz chantagem por quem não votar no seu partido,eu ouso nas ruas,praças,por estes individuos,que o povo de Itabuna têm que se f.. .por não eleger determinado candidato. Voltando toma-lá,dá cá,no qual o governo federal usou os métodos da República Velha ou República Oligárquica,no
    estado de São Paulo,referindo a Marta Suplicy que de repente virou Fernando Haddad desde criancinha. Entretanto, este partido político que hora esta no poder no nosso país,ficou 10 vezes mais perigoso e nocivo ao povo Brasileiro do que os políticos da Repúbluica Velha,que criou o “toma-lá dá cá.

  3. A briga interna no PT é realmente complicada; de um lado, o deputado agora odiado por quase toda imprensa e políticos de Itabuna que o chamam até de coronel (Geraldo) do outro lado (Josias Gomes), o deputado santinho, mas para os que não tem memória curta, é chamado de o deputado do mensalão. A briga é FEIA!!

  4. Sr colunista. Trazer um pernambucano ( Josias) para comandar o PT de Itabuna? Paciência!esse aí um pequeno “mensaleirinho”amigo pessoal dos cassados, nao tá com nada!tudo bem que o Dep Geraldo , pisou na bola com a sua insistência de fazer de um projeto político , um projeto pessoal, mas…ainda goza de um razoável prestígio pessoal( exclusivamente seu)e que dependendo da sua zanga( que tem lhe tirado muitos votos)Ele foi um bom prefeito na sua primeira gestao!

  5. Zelão,diz: – A “criatura” se vira contra o criador

    Foi no primeiro governo de Geraldo Simões que Josias surgiu. A sua ambição desmedida me fez, àquela época, alerta a Geraldo para a “verdadeira cobra” que ele, Geraldo, estaria criando dentro do seu governo. Nem preciso dizer que Geraldo não deu ouvidos.
    Agora, a “criatura” criou asas próprias, choucou filhotes, alimentou-se no coxo da traição e quer destruir o seu criador.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top