skip to Main Content
1 de junho de 2020 | 02:21 pm

LIBÂNIO: ASSESSORIA NEGA NECESSIDADE DE “Q.I.”

Tempo de leitura: 2 minutos

Em contato com este blog, a assessoria do Instituto Cabruca não confirma que seu presidente, o engenheiro agrônomo Durval Libânio, esteja cotado para assumir a direção geral da Ceplac. Mas faz questão de enfatizar que, caso ele faça parte das cogitações do Ministério da Agricultura, não é por ter padrinho forte, mas em função do currículo respeitável.

Enfatiza a assessoria que, além de presidente do Cabruca, Libânio é mestre em produção vegetal pela Uesc e também preside a Câmara Setorial do Cacau, ligada ao Ministério. Professor de Cacauicultura do Instituto Federal Baiano, em Uruçuca, ele tem se destacado por fortalecer a imagem da cabruca como um sistema agroflorestal que ajuda a preservar o meio ambiente.

O blog mantém a informação de que o nome de Libânio se encontra na mesa do ministro da Agricultura, Mendes Ribeiro. E, ainda que possa não ser o ponto mais forte do candidato a diretor, o “Q.I.” existe.

Leia abaixo a nota do Instituto Cabruca:

Nota do Instituto Cabruca:

Durval Libânio Netto Mello, engenheiro agrônomo, mestre em produção vegetal pelo UESC, atualmente é presidente da Câmara Setorial do Cacau, órgão ligado ao Ministério da Agricultura, professor de Cacauicultura do Instituto Federal Baiano (Campus Uruçuca) e presidente do Instituto Cabruca, com sede em Ilhéus. É produtor, filho e neto de produtor e exportadores de cacau, da região de Gandu.
Com cinco anos de fundado o Instituto Cabruca marcou uma nova realidade na região e na cadeia do cacau, que foi o de evidenciar para o mundo o Sistema de Produção Cacau Cabruca e suas vantagens para a conservação do meio ambiente como nunca antes.
Entre os resultados do Instituto, pode-se evidenciar a inclusão do Cacau no FNE Verde, um painel sobre Cabruca no II Congresso Mundial de Sistemas Agroflorestais em Nairobi e mais recentemente à parceria com a Ceplac Bahia para às ações na Rio +20, onde projetou os produtores de cacau e o setor para o Brasil e o mundo, além de incluir o Sistema Cabruca na pauta do MAPA para uma agricultura Sustentável no Brasil. Também, em parceria com o estado da Bahia e a AMMA Chocolate promoveu e realizou o Salão do Chocolate em Salvador, maior evento do gênero em todo mundo e também representa o Brasil no evento original e tradicional da frança, Salon de Chocolat, de Paris ha cinco anos.

O Instituto Cabruca possui atualmente duas sedes e cerca de 26 profissionais na Bahia e Espírito Santo, trabalhando em projetos como a Indicação geográfica Cacau Sul da Bahia, Cacau para Sempre e recentemente fechou uma parceria com a Escola Superior de Hotelaria da Castelli em Canela – RS para trabalhar com qualificação de profissionais para a elaboração de cacau e chocolate gourmet no Brasil.
A assessoria não confirmou as informações de que Libânio ainda tenha sido cotado ao cargo da Ceplac.

Assessoria de Imprensa Instituto Cabruca

Esta publicação possui 16 comentários
  1. Há coerência na indicação do nome de Durval, pois o atual quadro da CEPLAC, sem exceção, está com outros focos: carro importado, viagens suntuosas, filhos no exterior e etc. A muito tempo a instituição perdeu a capacidade mobilizadora e agora é mais conhecida pela preguiça, ou melhor o Bicho Preguiça.

  2. Tenho certeza que Durval e todos do instituto não precisam de indicação, pois conheço o trabalho dele e do Instituto Cabruca a muito tempo, basta conhecer um pouco sobre cacau e a área ambiental ou então utilizar o google. O Instituto Cabruca vai muito além da Bahia e do Brasil.

  3. O engenheiro agronônomo Durval Libânio, além de presidente da Câmara Setorial do Cacau do MAPA e do Insttuto Cabruca, a ONG mais séria de nossa região, representa a volta da Ceplac para a Bahia após mais de 4 anos entregue à Amazônia. É a pessoa com maior cohecimento da cadeia do cacau hoje na bahia e no brasil, além de ser o mais articulado negociador dos assuntos de nosso interesse. com QI ou sem QI é o melhor para a Bahia.

  4. Seu Pimenta estamos torcendo para que o nome de Durval Libânio esteja mesmo na mesa do Ministro. Será a solução para 25 anos de crise. A participação da Bahia é indispensável na Direção da Ceplac. O que as lideranças políticas baianas acham seu Pimenta?

  5. Mais do que justo!!!! Ja basta de !engravatadinos” de Mato Grosso ou seja lá o que for, para dirigir a CEPLAC!!!! Libanio tem competência é prata da casa do Sul da Bahia ! lutara por essa Regiao!Torceremos por ele e por uma Regiao unida e forte! Que veha tb: Duplicaçao de Br 415, Porto Intermodal,Ferrovia Leste-|Oeste !E que o Governador da Bahia passe a olhar mais por estas bandas, pois viu o que aconteceu em Itabuna com relaçao ao PT e em Salvador!!” ôlho vivo , pois cavalo nao desce escada” ( como dizia Ibrain Swed)

  6. è o melhor nome para devolver a autoestima da tradicional região cacaueira da Bahia. è neto, filho e é produtor. se relaciona coom toda a cadeia, desde os produtores familiarees aas grande multincionais produtores de chocolate, tem propostas concretas para tirar o brasil da posição vergonhosa de importar cacau cheio de insetos da áfrica em detrimento de nossos produtores.Toda a Bahia deveria estar neste movimento..DURVAL JÁ NA DIREÇÃO DA CEPLAC

  7. Prefiro apostar todas as minhas fichas em um técnico isento e com bom conhecimento da máquina federal para dirigir a Ceplac. Baianidades e regionalismos (lembrai-vos do fiasco Gustavo Moura!) levaram o órgão pra onde? Ainda é uma grande instituição e pode liderar o desenvolvimento das regiões produtoras de cacau do Brasil,como um todo.

  8. Em 2003 o então presidente do brasil Luís Inácio Lula da Silva logo após a sua vitória indicou o então presidente da ACI( ALIANÇA DE COOPERATIVAS INTERNACIONAL ) com sede na Suíca Roberto Rodrigues para ser Ministro da Agricultura,por sua vez o ministro indicou DrºFernado Rios para o cargo de Diretor Geral da Ceplac,e o cornelzinho Geraldo Simões foi contra indicando Gustavo Moura e vimos no que deu na sua saída melancólica,processo por assédio moral e sexual e a carta do fracasso da 1ª e 2ªetapa da vassoura de bruxa vindo a público,se o coronelzinho tivesse baixado a crista,podia até ser reeleito e a Ceplac com certeza seria outra.

  9. é maravilhoso morar num Pais aonde as pessoas sao promovidas pelo proprio mérito, como lider, definir metas,liderar equipes e produtores, conquistar mentes e coracoes.

  10. Agora vai… pró brejo.Cidadão tem compromissos com grupos aqueles que sempre foram privilegiados. O que acontece na Ceplac é culpa da comunidade regional, pobre e ignorante,subserviente aos mandantes do poder.Pobre Bahia, quanta ignorância.

  11. Hora de mudanças, sim, mas a Instituição tem pessoal capacitado, qualificado, com um currículo vasto, que pode/deve assumir o cargo em comento. Se tem servidor pronto para tornar-se Diretor, não há porque buscar outrem fora da CEPLAC.

  12. Toda regra tem exceção. Tecendo comentários em relação aos ditos: carro importado, viagens suntuosas, filhos no exterior e etc., tem servidor na instituição que trabalha muito e percebe pouco, dentre eles, vários funcionários competentes e qualificados. Vivem no beco do esquecimento, pongado nos consignados e sem esperança de que dias melhores virão. E aí?

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top