skip to Main Content
6 de agosto de 2020 | 10:47 pm

A CÁPSULA DA JAC MOTORS

Tempo de leitura: < 1 minuto

Carro-cápsula do tempo leva as recordações do 26 de novembro para o ano de 2032 (Foto Manu Dias).

A JAC Motors fez do seu modelo J3 uma cápsula do tempo na cerimônia de lançamento da pedra fundamental da fábrica em Camaçari, na Bahia, hoje à tarde. O presidente da JAC Motors, An Jin, participou da solenidade em que também estiveram presentes o governador Jaques Wagner, o ministro Fernando Pimentel (Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior) e presidente da JAC do Brasil, Sérgio Habib.

Dentro do carro-cápsula,  textos, fotos e objetos datados desta segunda, 26. A cápsula deve ser aberta em 2032, simbolizando, segundo Habib, o compromisso do grupo com o Estado. A fábrica em Camaçari deverá entrar em operação no final de 2014.

Os investimentos anunciados são de R$ 900 milhões. A unidade vai produzir até 100 mil carros por ano e gerar cerca de 13,5 mil empregos diretos e indiretos, conforme anúncio dos executivos da JAC.

NÃO SOU VADIA!

Tempo de leitura: 2 minutos

A Marcha das Vadias em Itabuna abriu espaço para outra discussão. Não a da violência praticada contra a mulher, mas quanto à escolha do nome para o movimento pela igualdade de direitos entre os gêneros e contra a violência sofrida pelas mulheres. Numa resposta a quem defende o termo da manifestação surgida no Canadá, Juliana Soledade se insurge e apresenta suas razões para se contrapor não ao movimento em si. Leia também artigo da organizadora da Marcha em Itabuna, professora Indaiara Célia (clique aqui).

Juliana Soledade | jsoledade@uol.com.br

Busco o meu cantinho a ferro e fogo nesta sociedade corrupta e nojenta em que vivemos. Vadia tem um significado feio, pesado, negativo e, aos meus olhos, este nome tem uma outra dimensão.

No ano passado, deu-se início à marcha no Canadá pela maneira como a polícia tratava os casos de abuso sexual, na Universidade de Toronto. Um determinado policial indicou uma maneira de combater o abuso e diminuir os números, orientando para que “as mulheres evitassem se vestir como vadias para não serem vítimas”.  Como réplica, muitas mulheres foram à rua, para que então pudesse defender o seu “direito de ser vadia”.

Este evento é abraçado por quase toda a esquerda, logo quem não é a favor da marcha é tido como de direita. Fico neste meio, se é que assim podemos chamar ’de direita’. Não consigo somar ao coro e ser mais uma a ir às ruas defender algo que o próprio nome é esdrúxulo, medíocre e infeliz.

Eu sou mulher e sei o poder de uma saia curta, de um vestidinho megacolado com decote ou aquela calça que mais parece ter entrado a vácuo. Os homens se sentem despertados e alvoroçados, por causa, justamente, da maneira como nos permitimos ser adornadas.

Logo, para quem quer respeito, o modo de se vestir deve ser pensado também, bem como as suas atitudes e o seu modo de permitir ser tratada. Claro que isto não deve ser lido e nem interpretado que quem tem essa postura deve ser abusada sexualmente ou violentada.

Uma coisa é ser contra ao machismo, reprovar o seu conceito, o seu argumento; outra coisa é assinar publicamente o gosto ou orgulho de ser vadia e até concordar no ato de repúdio das canadenses.

Leia Mais

GIRAFFAS ABRE VAGAS EM ITABUNA E SALVADOR

Tempo de leitura: < 1 minuto

A rede de fast food Giraffas abrirá 510 vagas em todo o país e parte delas será nas novas unidades de Salvador e Itabuna, na Bahia. A unidade de Itabuna funcionará na praça de alimentação do shopping center da cidade. As vagas são para atendente, encarregado e gerente. Os currículos para as lojas baianas deverão ser enviados para o email vagasdf@giraffas.com.

A rede exige para as vagas de gerência que os candidatos tenham, no mínimo, ensino médio completo. A preferência é por profissionais que tenham experiência em fast food, entretenimento ou refeições coletivas ou varejo. São exigidos conhecimento de informática e possuir dinamismo, organização e experiência com gerenciamento de equipes e estoques. Informações do Sport News.

MORADORES DO CONCEIÇÃO RECLAMAM DA FALTA DE ÁGUA

Tempo de leitura: < 1 minuto

Moradores da Travessa dos Eucaliptos, no Conceição, estão há duas semanas sem água. Uma das vítimas da Emasa diz que os consumidores são tratados “com desdém” quando entram em contato com o serviço de atendimento da empresa. “Não temos a quem recorrer. Não há um órgão regular nem ouvidoria”, lamenta Vanderson Rocha.

O presidente da Emasa, Geraldo Briglia, disse em entrevista à TV Santa Cruz, hoje, que a cidade tem enfrentado problemas no abastecimento de água. E culpou em grande parte a Coelba pela queda de energia na captação de água, principalmente em Rio do Braço.

OS DESAFIOS DA EDUCAÇÃO EM ITABUNA

Tempo de leitura: 2 minutos

Ricardo Ribeiro | ricardo.ribeiro10@gmail.com

 

É ilusão acreditar que sozinhos os professores conseguirão promover a transformação que se faz necessária.

 

Os problemas que afetam a rede pública de ensino em Itabuna não são diferentes dos que se verificam no resto do País. Entre os mais corriqueiros, estão os baixos salários, o modelo arcaico e desestimulante, a dificuldade em estabelecer um relacionamento efetivo entre escola e comunidade. Neste último ponto talvez se encontre o grande desafio dos educadores, principalmente em se tratando de escolas situadas em bairros muito pobres, com famílias desestruturadas e onde a droga se estabelece, cria estados paralelos e convida até mesmo as crianças a entrar por um caminho que não leva a lugar algum.

Sempre menciono dois casos que me chamaram bastante atenção. O primeiro é o de uma amiga que pertence à Pastoral da Criança e certa vez foi a um bairro da periferia de Itabuna, num domingo, Dia das Mães. A intenção era fazer com que as famílias daquela comunidade vivessem momentos de harmonia, expressando o amor entre mães e filhos. Para surpresa dessa amiga, a maioria das mulheres não conseguiu a menor espontaneidade quando o grupo da Pastoral pediu que as crianças as abraçassem. A impressão clara foi a de que o carinho e o afeto eram elementos ausentes daquelas vidas.

Em outro bairro, uma professora conta que os alunos de determinada escola choram quando toca a sirene que marca o encerramento do dia de aula. Muitas têm medo dos pais, da violência e da droga. Vivem numa situação que lhes rouba a infância, ao deparar cotidianamente com a pior e mais cruel face da miséria.

Diante de quadros como esses, qual é o papel da escola? O que ela pode fazer para ir além do programa curricular e promover mudança efetiva?

O primeiro passo certamente é assumir a incapacidade de encarar tal empreitada sem um concerto social amplo. É preciso chamar a sociedade, toda ela, apresentar-lhe o problema e dividir responsabilidades. É ilusão acreditar que sozinhos os professores conseguirão promover a transformação que se faz necessária. Nem mesmo com valorização salarial, formação continuada e escolas bem equipadas esse milagre será possível.

Há problemas intra e extramuros e o que se vê até o momento é uma escola incapaz de enfrentá-los. Percebe-se um conformismo que resulta da impotência para combater o inimigo, como quem joga a toalha.

A escola precisa sair das cordas, juntar forças com a sociedade e iniciar a revolução. Mas não só ela, pois essa é uma luta de todos nós.

Ricardo Ribeiro é advogado e blogueiro.

GOVERNO DA BAHIA SELECIONA PROJETOS DE AGRICULTURA FAMILIAR

Tempo de leitura: < 1 minuto

Estão abertas até o dia 30 do próximo mês as inscrições de projetos de empreendimentos econômicos solidários e de agricultura familiar, conforme previsão no edital 01/12, da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), juntamente com o Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES). O objetivo é selecionar 43 projetos nos 27 Territórios de Identidade da Bahia.

O edital, que apresenta as condições para participar do processo, pode ser conferido no site da CAR, empresa do governo baiano vinculada à Secretaria da Integração e Desenvolvimento Regional (Sedir). A inscrição dos projetos é gratuita.

Serão selecionados projetos com valor de R$ 200 mil, R$ 400 mil e R$ 600 mil, privilegiando-se as principais cadeias produtivas rurais e urbanas do Programa Viver Melhor. Os recursos são provenientes do Tesouro do Estado e do BNDES, por meio de cooperação financeira firmada com o Governo da Bahia.

INQUIETAÇÃO NO NINHO JABISTA

Tempo de leitura: < 1 minuto

A pouco mais de um mês da posse, o prefeito eleito de Ilhéus, Jabes Ribeiro (PP), ainda não definiu o secretariado. Por enquanto, apenas está certo que a Pasta da Educação será comandada pelo PCdoB, do procurador federal Israel Nunes.

A demora na definição da equipe esconde, também, dificuldades para atender aos aliados. O vereador Jailson Nascimento (PMN) costura para manter os poderes dentro da Secretaria de Saúde ou, do contrário, indicar ou comandar uma secretaria.

DINALVA E OS DESAFIOS DA EDUCAÇÃO

Tempo de leitura: < 1 minuto

Interessante a entrevista concedida ao jornal A Região pela futura secretária de Educação de Itabuna, Dinalva Melo. Ela fala dos desafios a serem enfrentados na Pasta, diz que buscará o diálogo (com alunos, pais e mestres) e defende a associação da educação com a ciência e a tecnologia.

Queremos uma escola em que o computador não seja apenas um objeto decorativo, mas que o professor se habilite cada vez mais a fazer uma docência online. São ações que motivam o estudante. Às vezes os métodos são medievais. É a escola em que se fala e se ouve, sem questionamento.

Confira a íntegra da entrevista

 

CONCURSOS PÚBLICOS OFERECEM 27 MIL VAGAS

Tempo de leitura: 7 minutos

A Prefeitura de Feira de Santana abriu processo seletivo para contratar 110 profissionais para o Samu 192. O salário varia de R$ 622,00, para assistente administrativo, a R$ 1.085,06 (médico). O prazo de inscrição se encerra no dia 28 e o edital pode ser acessado cliando no link “leia mais”, abaixo.

Além do processo seletivo do Samu 192 em Feira, outras 27 mil vagas estão sendo oferecidas em seleções ou concursos públicos em todo o país. Itarana e Ouriçangas, também na Bahia, oferecem vagas com salários de até R$ 5 mil.

Existem concursos em que os salários pagos chegam a R$ 21.766,15, exemplos do Superior Tribunal Militar (STM) e no Tribunal Regional Federal da 2ª Região (Rio de Janeiro e Espírito Santo). Confira no

Leia Mais

MINERADORA É ACUSADA DE CONTAMINAR COM CHUMBO ÁGUA QUE ABASTECE CAMAMU

Tempo de leitura: < 1 minuto

Antiga sede da Baroid Pigmina em Ilha Grande. Empresa deixou localidade há três anos.

Moradores de Ilha Grande, em Camamu, estão acionando a mineradora Baroid-Pigmina por causa da suspeita de contaminação da água consumida pelos moradores do município do baixo-sul do Estado.

Testes laboratoriais encomendados à Ibra Ambiental revelaram que a água que abastece Ilha Grande tem teor de chumbo sete vezes maior que o admitido pela Organização Mundial de Saúde (clique para ler resultado).

A Baroid-Pigmina encerrou as operações no município há três anos, mas, segundo os moradores, não houve compensação pelos estragos ambientais causados pela extração de barita.

Em ofício endereçado ao Ministério Público estadual, dirigentes da Associação de Moradores de Ilha Grande citam que a empresa não passava por “fiscalização ou controle dos órgãos ambientais”.

Os dirigentes ainda relatam o descarte de rejeitos químicos enterrados na localidade e suscita a possibilidade de metais pesados terem contaminado o lençol freático da ilha.

Os líderes comunitários pedem ao MP a abertura de investigação para averiguar a qualidade da água que abastece a comunidade de aproximadamente 2 mil pessoas, além do possível indiciamento da mineradora e exigir a recuperação ambiental dos impactos provocados pela exploração de barita.

Back To Top