skip to Main Content
23 de outubro de 2020 | 01:46 am

UNIMED PUNIDA PELA ANS

Tempo de leitura: < 1 minuto
Diana aguarda há quase dois meses por cirurgia de urgência.

Diana tem atendimento negado pela Unimed

A enfermeira Diana Matos, que sofre de câncer e teve uma cirurgia de urgência negada pela Unimed, a despeito de ordem judicial para liberação, não é a única vítima da operadora.
Posicionada entre os campeões em queixas, a Unimed é uma das 28 operadoras punidas pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) e está proibida de comercializar planos de saúde até março. A punição é pela demora na marcação de consultas, exames e cirurgias.
Em Itabuna, a enfermeira Diana sofre com um tumor no fêmur e, apesar da gravidade do problema, precisou ir à justiça e obter uma liminar para forçar a Unimed a autorizar a cirurgia recomendada pelo médico Eduardo Clemente (leia aqui). Ainda assim, a empresa continua negando o atendimento.

Esta publicação possui 0 comentários
  1. Gente q população não pode deixar de reclamar sobre seus direitos, era para fazer uma manifestação e uma paralisação em frente a UNIMED, que coisa terrível, as criaturas parece que não tem sentimentos…

  2. Além disso as pessoas estão fazendo uma bela mobilização nas redes sociais, Facebook e Twitter. A UNIMED ficou bem suja viu.
    #LiberaUnimedItabuna

  3. A UNIMED de Itabuna já quebrou uma vez. Os cotistas arcaram com o prejuízo, que não foi pequeno.
    Será que essa negativa de atender ao associado não é um prenuncio de um novo debacle financeiro ? Tudo faz crer.

  4. Silvio Porto,coloque a mão na sua concernência,se coloque no lugar da família desta pessoa,pessoa esta que trabalha com vcs na areá de saúde,imagine se fosse um dos seus filias que tivessem nesta situação,não prolongue o sofrimento desta pessoa,vc não acha que a doença por se só,já não é um preço muito alto…
    “A árvore quando está sendo cortada, observa com tristeza que o cabo do machado é de madeira”.

  5. Caro Fernando, voce tem razão, é um forte indício de que algo estar errado, pois essa mesma UNIMED, está com a seguinte prática lesiva aos associados : exames de alto custo para fins diagnósticos, os médicos cooperados ( que são donos ), dizem que o primeiro exame, o plano NÃO cobre, daí a pessoa paga particular, isso ocorre por que, se o médico solicitar e o resultado diagnóstico acusar que NÃO existe nenhuma doença, o médico é punido ( a Unimed paga ao centro radiológico de desconta do médico ). O resultado dando POSITIVO, o médico pede, segundo ou terceiro exame, pois já terá certeza de que não terá que pagar do seu bolso. Isso é crime, pois a lei 9.656/98 ANS-AGENCIA NACIONAL DE SAUDE, determina cobertura ilimitada de mais de 3.200 itens Rol Obrigatório, inclusive TOMOGRAFIAS, que foi o caso de uma amiga minha, teve que pagar TOMOGRAFIA OCULAR R$ 350,00. Orientei a mesma a pedir recibo, solicitar REEMBOLSO da Unimed, se negarem, entra com ação judicial, pois ela foi lesada em seus direitos.
    O que ocorre com associada DIANA MATOS, é uma demonstração da clara de que eles não se preocupam em nenhum momento em cumprir a lei 9.656/98, CDC-Código Defesa do Consumidor, Constituição Federal etc. Pois, direito contratual e legal, ela tem todos, jamais poderiam criar este obstáculo. Vendem como se fossem uma unica organização , com padrão, mas não são, a população não sabe, mas as Unimeds em cada região, tem médicos locais como cooperados, portanto são donos, e a de Itabuna concorre com a de Ilhéus e assim por diante, qualidade e padrão não tem por este motivo. As negativas de atendimento são em todo Brasil, pois praticam remuneração diferente uns dos outros, se forem camaradas, atendem os ASSOCIADOS da Unimed X ou Y, o associado na verdade, não mtem garantia de atendimento fora da abrangencia da Unimed que contratou etc.

  6. Meu nome é Mateus Santiago, sou advogado do processo movido em face do plano de saúde e gostaria de informar que hoje à tarde sob a condução do Dr. Érico da 3ª Vara Cível foi fechado um acordo com a Unimed em que a mesma autorizou a cirurgia e vai custear as despesas de deslocamento, estadia e alimentação da Sra. Diana e seu marido. A pressão da imprensa e a intervenção do judiciário funcionaram.

  7. A única vez que tive necessidade de um atendimento complexo pela UNIMED ITABUNA não tive do que me queixar. Foi um caso grave de infecção, o atendimento foi feito fora do estado da Bahia, incluiu medicações caras, cirurgia e inúmeras consultas e exames, e tudo correu bem. Tudo, aliás, acabou muito bem.

  8. Normal. Somos mau tratados ainda. Uma tal de Sandra que trabalha na Unimed Itabuna atende mal e distrital as pessoas. Se acha a dona do pedaço e se esquece que São os clientes que pagam o salário dela. Se toca SANDRA !

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top