skip to Main Content
20 de fevereiro de 2020 | 04:20 am

ADEUS AO EMPRESÁRIO ABÍLIO PEREIRA

Tempo de leitura: < 1 minuto
Abílio lutava contra câncer de próstata.

Abílio lutava contra câncer de próstata.

Parentes e amigos prestaram as últimas homenagens, hoje, 3, ao empresário Abílio Pereira, ex-dono da Viação Fátima, adquirida em 2001 pela Expresso Rio Cachoeira. O empresário faleceu por volta das 8h30min deste domingo, no Hospital Calixto Midlej Filho, em Itabuna.
Português de origem, Abilio, deixa esposa a ex-secretária de Governo Maria Alice Pereira, filho e netos. Durante a manhã e a tarde, o corpo do empresário foi velado no SAF. O enterro ocorreu por volta das 17h, no Cemitério Campo Santo, em Itabuna.
Abílio, além de empresário, atuou também na Secretaria de Transporte e Trânsito de Itabuna (Settrans) e candidatou-se a vereador e chegou à suplência no legislativo itabunense. Abílio lutava contra câncer de próstata há quase três anos e morreu neste domingo ao ter o quadro agravado por uma infecção hospitalar. Em 2009, uma filha do empresário, Carla Pereira, morreu após sofrer complicações cirúrgicas (relembre aqui).

EVERALDO DISPUTARÁ PRESIDÊNCIA DO PT

Tempo de leitura: < 1 minuto

everaldo_anunciacao_membro_diretorio_estadual_partido_dos_trabalhadores_da_bahiaA coluna Tempo Presente, do jornal A Tarde, informa neste domingo, 3, que o atual secretário de Organização do PT baiano, Everaldo Anunciação, será candidato à presidência do diretório estadual do partido.
Anunciação, que já presidiu a CUT Região Cacaueira e foi vereador em Itabuna, faz parte da tendência Construindo um Novo Brasil (CNB). O grupo já confirmou sua candidatura.
A missão mais difícil agora, como observa a coluna, é conseguir o consenso. Está aí algo que, no PT, costuma ser pra lá de complicado.

VEREADOR INOVA EM IPIAÚ

Tempo de leitura: < 1 minuto

Em Ipiaú, o vereador Josenaldo de Jesus (PP), mais conhecido como “Jô da AABB”, procura utilizar recursos para aproximar seu mandato da população. O político é assíduo nas redes sociais e faz do Facebook um canal de contato com o eleitor, captando sugestões como a do “Gabinete ao Vivo”. Segundo ele, a ideia de um “amigo do Face” permitirá a apresentação de respostas e prestação de contas.
Ainda no recesso, o vereador também está com uma agenda intensa nos bairros da cidade. Segundo ele, o objetivo é verificar a situação de cada comunidade e buscar soluções.

UNIVERSO PARALELO

Tempo de leitura: 5 minutos

O RISO E O CÔMICO NA LINGUAGEM DE JCC

Ousarme Citoaian | ousarmecitoaian@yahoo.com.br
1 O coronelAs críticas favoráveis a O coronel e o lobisomem são muitas, disponíveis na internet. Por isso, cito especialmente uma, por ser difícil de encontrar. Trata-se do ensaio Língua hílare língua (1999), do professor, poeta e músico José Afonso de Sousa Camboim, da Universidade de Brasília. Com rara erudição, mas sem chatice, Camboim disserta sobre o riso e o cômico na obra de José Cândido de Carvalho, sobretudo em O coronel… É livro importante para o completo entendimento e a total fruição da linguagem do autor fluminense – até mesmo com aproximações de Machado de Assis (Memórias póstumas de Brás Cubas): o ensaísta chama a atenção para a possível morte do Coronel Ponciano – sem que este evento interrompa a narrativa.

________________

2Rachel de QueirósPalavras usadas com sentido imprevisto

Assim falou Rachel de Queirós: “Não sei de ninguém, no momento, que renove o idioma como o renova ele. Vira e revira a língua, arrevesa as palavras, bota-lhes rabo e chifre de sufixos e prefixos, todos funcionando para uma complementação especial de sentidos, sendo, porém, que nenhuma provém de fonte erudita, ou não falada: nenhuma é pedante ou difícil, tudo correntio, tudo gostoso, nascido de parto natural, diferente só para maior boniteza ou acuidade específica. No léxico de Zé Cândido não aparece uma palavra que não seja possível; se ela não havia até aqui, estava fazendo falta. No mais, o que ele faz principalmente é usar a palavra no sentido novo, ou imprevisto, ou desacostumado”.
 ________________

Lobisomem mordendo os autos do fórum

De O coronel… : “Jogaram os fundilhos de um suspeitoso no banco dos réus. A demanda do julgamento, é-lobisomem, não-é-lobisomem, afundou pela noite, que era sexta-feira. Pois foi a lua aparecer na vidraça da casa do Fórum e o tal suspeitoso soltar aquele ganido de cachorro acuado, num desrespeito nunca visto em recinto de lei. E sem pedir licença, como é dever em tais ocasiões, o suspeitado largou o dente na peça dos autos e demais papéis adjuntos. Sobreveio então um corre-corre de arruaça. Caiu desembargador, caiu mesa, caiu cadeira e cadeirinha. E o lobisomem, dono da sala, fuçando as gavetas e tudo mais que calhou de encontrar no caminho. E, no deboche, bebeu a tinta toda dos tinteiros e borrifou com ela portas e paredes”.

À BEIRA DE UM ATAQUE DE… URTICÁRIA

Leio, em texto da prefeitura de Ilhéus, que “Prazo para renovação de alvará de casas comerciais encerra 31 de janeiro” – e quase tenho um ataque de urticária. É que ainda não me convenci (graças ao bom Deus!) dessa acepção estranha em que empregam o verbo encerrar. Fui ao Dicionário Priberam da Língua Portuguesa, meu preferido, e achei nada menos do que 11 sentidos para este verbo, alguns desconhecidos para mim. Em ordem alfabética: abrigar, compreender, conter, encobrir, fechar, guardar, incluir, lacrar, limitar, rematar e resumir – mas nenhum que sirva ao caso em tela. Por quê? Porque encerrar, como posto acima, é pronominal. E escrever “encerra 31 de janeiro” é ir do erro ao abuso.
___________________

5BovespaA vaca ainda não está, de todo, atolada

O mesmo Priberam traz os vários sentidos desse verbo, na forma pronominal – é claro que alguns deles me escapam. Uma vista d´olhos na internet mostra que a vaca ainda não está inteiramente no brejo: “MPE encerra inscrições no dia 31”, “Bovespa encerra dia em queda”, “Wall Street encerra dia no verde” – são formas corretas do verbo encerrar, na sua regência de transitivo direto. Na mesma busca, encontro esta joia da G1 (globo.com): “Encerra dia 31 de janeiro o prazo para os sindicatos ficarem em dia com as contribuições” – uma espécie de disputa com o texto oficial acima referido. Mas a prefeitura de Ilhéus ganha, devido ao seu encerra 31 – não a 31 (ou dia 31), como seria em português.

ROMANTISMO, CIVILIDADE E HISTÓRIA

6RousseauEscritores, pintores, músicos, artistas em geral, todos passaram por Paris. Nas ruas, aspira-se romantismo, civilidade, história. Perrault, Michelet, Voltaire, Hugo, Richelieu, Molière, Coligny, Bréton, saltam das placas de ruas e instituições, como a nos saudar. É impossível “flanar” por Paris, sem sofrer a emoção de estar num dos berços do mundo, da cultura e da arte, palco de alguns dos maiores eventos da humanidade, lugar onde viveram mentes ilustres e questionadoras da presença do homem sobre a terra. Aqui se fez a Revolução Francesa, aquela que cortou cabeças coroadas e mudou o mundo. Mas não falo das ruas de Paris, o que já foi (bem) feito por grande nomes, até Voltaire – também porque isto aqui não é guia turístico.
 __________________

O dia em que Napoleão empenhou o chapéu

Para os do ramo etílico-poético, é imperioso visitar o café mais antigo do mundo, o Le Procope, muito chique e muito caro, como tudo em Paris. Mas se não der pra beber uma coisinha, sempre se pode tirar foto, que o pessoal permite. Reza a lenda que certa vez Napoleão deixou lá empenhado seu chapéu de dois bicos, pois não tinha luíses bastantes para pagar a conta. O lugar foi frequentado também por Diderot, Verlaine, Rousseau, Voltaire e Benjamin Franklin. Situado na rua da Antiga Comédia (rue de l´Éncienne Comédie), o restaurante dá fundos para a sede do jornal O amigo do povo (L´amie du peuple), com que Marat infernizava a vida dos inimigos da Revolução (isto não está nos guias). Mais histórico, impossível.
 __________________

Saxofonista e professor universitário

Archie Shepp (1937…) é um dos músicos de melhor formação intelectual da história do jazz. Além de saxofonista e cantor, é professor e dramaturgo, com estudos de literatura dramática na Faculdade de Goddard, na Califórnia. Começou no sax-alto, em bandas de segunda expressão, em New York; depois, sob a influência de John Coltrane, assumiu o sax tenor, passando a tocá-lo em vários grupos. Shepp foi professor de faculdade em Buffalo, no departamento de estudos sobre os negros, e depois na Universidade de Massachusetts. Na sua formação, além de Coltrane, está Duke Ellington. Apesar da reconhecida “erudição”, Shepp nunca desdenhou as canções simples. Dito o que, vamos a seu solo de Sob o céu de Paris.

(O.C.)

MORRE COMERCIANTE BALEADO NO SANTO ANTÔNIO

Tempo de leitura: < 1 minuto

armaApós 15 dias internado no Hospital de Base Luís Eduardo Magalhães, em Itabuna, morreu na noite deste sábado, 2, o comerciante Edízio Francisco de Jesus, de 45 an0s. Ele havia sido baleado no dia 18 de janeiro, quando estacionava seu carro na Avenida José Monstans, bairro Santo Antônio.
As investigações da polícia concluíram que os assassinos confundiram Edízio com um traficante. A vítima, que tinha comércio em Serra Grande, era conhecida como pessoa de bem.
Com mais essa morte, chega a 15 o número de homicídios cometidos este ano em Itabuna.

PIMENTA DO DIA

Tempo de leitura: < 1 minuto

Do leitor(a) que assina “Comunista da Sibéria”, em comentário ao artigo “ESQUERDA, VOLVER”, de Marco Wense:

A esquerdalização do DEM soteropolitano deve ser um ajuste natural em resposta à direitalização do PT e afins. Equilíbrio do bioma. A natureza (política) não é sábia,é sabida.

JUSTIÇA AUTORIZA SERVIDOR HOMOSSEXUAL A MUDAR ESTADO CIVIL

Tempo de leitura: < 1 minuto

uniaoDa Agência Brasil
Uma decisão da Justiça determinou que um servidor homossexual do Ministério das Relações Exteriores, o Itamaraty, tenha o estado civil alterado de solteiro para casado. O funcionário agora poderá ter o companheiro como dependente, tendo acesso a plano de saúde e a outros benefícios que o órgão oferece. Trata-se de uma decisão liminar, expedida pela 8ª Vara Federal do Tribunal Regional da 1ª Região na última quarta-feira (30).
O companheiro do funcionário já havia conseguido a alteração no órgão público em que trabalha, apenas com a apresentação da certidão de casamento. No Itamaraty, no entanto, tiveram que pedir ajuda à Justiça.
Segundo a assessoria de imprensa do ministério, a dificuldade se deu por ser a primeira vez que a pasta recebeu uma certidão de casamento homoafetivo para fins de inclusão como dependente. O órgão informou que pretende resolver o assunto o mais rápido possível.
Leia mais

Back To Top