skip to Main Content
23 de junho de 2021 | 02:34 am

UPB NEGA RESPONSABILIDADE POR FAIXA "ANALFA"

Tempo de leitura: < 1 minuto

UPB diz não ter nada a ver com a luta dos hoyts

Durante o encontro da presidenta Dilma com prefeitos de todo o país, no final de janeiro, chamou atenção e virou motivo de piada uma faixa atribuída União dos Municípios da Bahia (UPB), que supostamente defendia a proposta de redivisão dos “royalties” do petróleo.
A faixa, tosca, trazia a seguinte mensagem, ipsi litteris: “A PRESIDENTA DA UNIÃO DOS MUNICÍPIOS DA BAHIA UPB MARIA QUITÉRIA E PREFEITOS BAIANOS PRESENTES NA LUTA DOS HOYTS PELA BAHIA E PELO BRASIL”.
Não deu outra, a pedrada foi parar em sites como o implacável Kibeloco (relembre aqui). Agora, passados quase dez dias do episódio, a assessoria da UPB nega ter qualquer relação com a luta pelos “hoyts”.
Em nota, a entidade esclarece que suas peças de divulgação seguem um padrão com tamanho personalizado e que utiliza sempre as cores da Bahia (vermelho, azul e branco), além de materiais como lona e tecido resistente à exposição externa.
A UPB ainda desconhece a autoria do “atentado”, mas afirma que sua coordenação jurídica trabalha para descobrir quem agiu para manchar a imagem da entidade junto aos cultores da boa linguagem.
 

Esta publicação possui 0 comentários
  1. AO AMIGO RIVAMAR MESQUITA RADIO JORNAL, SEMPRE COMENTA QUE QUANDO O HOMEM DE BEM PODERIA ANDAR ARMADO´A VIOLENCIA ERA MENOR.
    ISSO É FALSO RIVAMAR.
    ARMA DE FOGO NÃO É E NUNCA SERÁ EQUIPAMENTO DE DEFESA, SEMPRE SERÁ DE ATAQUE, SÓ SERVE PARA MATAR, UNICO OBJETIVO
    VEJA MESMO POLICIAL PREPARADO DE NADA ADIANTOU A ARMA
    Policial civil morto na Boca do Rio não reagiu ao assalto, mas foi reconhecido pelos bandidos
    Ismário entregou capacete, aliança e relógio ao bandido, que desconfiou do volume na cintura de Ismário – era onde estava a pistola ponto 40 do policial
    07.02.2013 | Atualizado em 07.02.2013 – 09:00
    Luana Ribeiro
    O policial civil Ismário Pedreira do Nascimento Júnior, 37 anos, foi morto durante um assalto ontem, no início da noite, na Boca do Rio. O policial que estava à paisana, parou sua moto, uma Honda XLR vermelha, para pedir informação a um casal na rua Elesbão do Carmo. Dois homens armados em um Fiat Palio branco se aproximaram e um deles desceu do carro e abordou o policial, anunciando o assalto.
    Policial estava de moto, parou para pedir informação e foi rendido
    Ismário não reagiu e entregou capacete, aliança e relógio ao bandido, que desconfiou do volume na cintura de Ismário – era onde estava a pistola ponto 40 do policial. O crime aconteceu por volta das 18h35. Segundo testemunhas, foram disparados três tiros contra a cabeça e o peito do policial, que é lotado na 5ª Delegacia (Periperi).
    Uma equipe do Samu foi acionada, mas Ismário não resistiu aos ferimentos e morreu no local. Os assaltantes fugiram levando a arma do policial. O caso será investigado pelo delegado Euvaldo Costa, do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).
    Mais de cinco carros de polícia foram até o local. Colegas de Ismário da 5ª Delegacia, onde trabalha há um ano e da 1ª Delegacia (Barris), onde também atuou, estavam emocionados com a morte do policial, que antes de ingressar na Polícia Civil trabalhou como policial militar. De acordo com os colegas, Ismário iria viajar hoje com a família para Fortaleza, onde passaria o Carnaval. Até o fechamento desta edição, nenhum dos bandidos havia sido preso pela polícia.

  2. Dessa turma so se consegue escrever um “O” quando senta pelado na arei!KKKKKKKKKKKKK . Analfabetismo no Brasil é a unica realidade que conhecemos!Nao temos Educaçao, Saude e Segurança! Sera que só o Governo nao vÊ!!!!!!!!!!!!!! So pode ser PIADA!

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top