skip to Main Content
28 de setembro de 2020 | 12:31 pm

MORRE O JORNALISTA EDUARDO ANUNCIAÇÃO

Tempo de leitura: < 1 minuto

Do Diário Bahia
Acaba de falecer, no Hospital Regional de Ilhéus, o jornalista itabunense Eduardo Anunciação, de 67 anos. Ele estava internado na UTI daquela unidade desde a semana passada, quando sofreu uma parada cardiorrespiratória.
Anunciação tinha passado, há cinco meses, por uma cirurgia para retirada de um tumor na laringe e, desde então, era submetido a tratamento para se restabelecer.
De sua casa, no bairro Urbis, em Ilhéus, o profissional manteve até quando possível a rotina de diariamente escrever, na máquina Olivetti, a coluna Política, Gente, Poder, uma das mais lidas do Diário Bahia.

Esta publicação possui 0 comentários
  1. Com certeza todo “leitor-eleitor-cidadão-contribuinte” irá sentir falta das precisas e preciosas apreciações político-sociais e das visionárias “anunciações” do amigo Eduardo Anunciação.Sem dúvida alguma, um dos maiores profissionais da imprensa itabunense. Eduardo fez história e escola.
    Sentimentos à Família.
    Walter Fonseca
    Defensor Público Estadual
    Coordenador Regional da Defensoria Pública

  2. O Eduardo partiu para um lugar chamado eternidade! Foi ainda jovem. Suas crônicas e anunciações ficarão na memória desse povo belo e grapiúna. A família meu pesar, e a ele um lugar chamado Oriente Eterno. Descanse em Paz!

  3. Gostava de ler suas crônicas no Diário Bahia. Vai fazer muita falta ao jornalismo do sul do estado. De óculos e binóculos, ele está partindo sem anunciações, rumo a eternidade!

  4. Uma parte de nossa querida Itabuna se foi, entre tantas que se foram. Isso faz falta. Mas o importante foi o que ele em vida nos passava com seus escritos. Além de ter sido um grande amigo, era um Cidadão Itabunense!

  5. Quem foi que disse que Itabuna perdeu! Se ele não morreu!
    O jornalista Eduardo da Anunciação deixou um legado de valor histórico incomensurável, não somente no acervo de fotografias que retrata o cotidiano da vida de Itabuna,mas nos seus textos no Jornal da Bahia,coluna política,gente e poder.
    Sua maneira singular de expressar o cotidiano de Itabuna,agente
    nunca vai esquecer,poderia citar dezenas aqui,mas vou citar pelo menos uma,” O Rio Cachoeira se transformou num pinicão de Itabuna” Caro e valoroso Jornalista,Você não morreu,você estará
    eternizado na nossa memória para sempre. Portanto,não é somente
    historiador que não morre,aqueles que construíra a história têm
    mais valor do que aqueles que escreve a história e você construiu a história de Itabuna.
    Todavia,você estará mais presente do que nunca,em nossa memória! Você vive!

  6. Este planeta cacau, grapiuna, perde um ilustre mestre, professor, contador de causos, observador político, um jornalista sem igual. Agora temos que ficar ainda mais alertas, pois perdemos nosso homem das anunciações.
    🙁

  7. Apesar de cinco anos longe deste solo grapiuna, não deixo de acompnhar um dia sequer o que acontece na cidade, visto que, como “cidadão” adotado, a amo como se de suas entranhas tivesse nascido.
    Quando me deparo com passamentos de pessoas importantes da cidade, é como um parente que se vai.
    Eduardo “gaguinho” é um caso a parte.
    Homem do povo, com suas virtudes e seus defeitos, com opiniões às vezes polemicas, mais que faziam pensar.
    Itabuna está ficando mais triste, o PLANETA CACAU, como ele dizia, vai sentir falta de suas “anunciações”. O jornalismo grapiuna, perde um pouco da irreverencia deliciosa do “gaguinho”, mais fica a certeza que ele viveu como queria, amou profundamente o que fazia, e partiu deixando a cidade perplexa e vazia.
    Vai com Deus Duda, no céu você vai ter assunto demais para sua coluna “POLITICA,GENTE E PODER)
    Saudades do seu amigo MARRECO.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top